Grand-Am: disputa pelo título pega fogo

081713_KS_BC_54131

RIO DE JANEIRO – O sábado de Rolex Sports Car Series no Kansas fez o campeonato da Grand-Am pegar fogo nas principais divisões, a Daytona Prototypes e a Grand Touring. A corrida do Kansas, primeira disputada no circuito que os estadunidenses chamam de “roval”, pois contou com parte do traçado oval – curvas inclinadas inclusive – e com um trecho de misto, fez o campeonato ganhar um colorido imprevisível, a apenas duas corridas para o fechamento do certame, marcadas para Laguna Seca e Lime Rock Park, ambas em setembro.

Na DP, apenas cinco pontos separam os principais concorrentes ao título. Com mais um revés, Ryan Dalziel/Alex Popow, da Starworks, perderam a liderança do campeonato para Jordan Taylor/Max Angelelli, que levaram a melhor na corrida, com Scott Pruett/Memo Rojas, que partiram da pole, em segundo. O resultado levou a dupla do Corvette DP #10 ao total de 269 pontos, na ponta da tabela.

Apenas dois pontos atrás está o brasileiro Christian Fittipaldi, que obteve o 4º lugar em dupla com o português João Barbosa. Não fosse, repito, a falha de suspensão no carro em Indianápolis, e talvez o piloto do Corvette DP #5 da Action Express é que estivesse na liderança do campeonato. Resta, por enquanto, a vice-liderança ao sobrinho do bicampeão mundial de Fórmula 1 Emerson Fittipaldi.

O outro brasileiro inscrito, Oswaldo Negri, conquistou seu primeiro pódio – para valer – do ano, pois a categoria cassou os pontos conquistados em Daytona. Ele e seu parceiro John Pew superaram os problemas decorrentes de uma batida e, numa grande corrida, conquistaram um excelente resultado. Negri também prova que está de volta à velha forma, após convalescer de uma cirurgia para a correção de uma fratura, que o tirou de algumas corridas.

Além de Taylor/Angelelli, Popow/Dalziel e Fittipaldi/Barbosa, que mesmo correndo em dupla têm uma pontuação diferente, outras duplas que ainda estão no páreo são as de Jon Fogarty/Alex Gurney e Memo Rojas/Scott Pruett. Difícil dizer quem, ao fim das 12 provas, vai faturar o caneco.

Na GT, a luta está igualmente equilibrada e acirrada: com o triunfo no Kansas, Leh Keen ajudou seu parceiro Alessandro Balzan a recuperar a liderança do campeonato. O italiano da Ferrari #63 da Scuderia Corsa soma agora 279 pontos, apenas um à frente de John Potter/Andy Lally, que chegaram em oitavo somente com o Porsche #44 da Magnus Racing. John Edwards/Robin Liddell completaram em 4º lugar e estão em terceiro, com 276.

O pódio na 10ª etapa entre os GTs foi composto ainda por Patrick Lindsey/Patrick Long, com o Porsche #73 da Park Place Motorsports e por Emil Assentato/Anthony Lazzaro, com outra Ferrari.

A GX teve o de sempre: os carros mais lentos do lote e a vitória de Joel Miller/Tristan Nunez. Foi o quinto triunfo do #00 em 2013 e Miller está a apenas sete pontos do líder Jim Norman, que soma 329. Tom Long tem 310 e Tristan Nunez 287.

Anúncios

Corvette C7-R faz primeiros testes para 2014

1147648_10151807146310801_1177235459_o

RIO DE JANEIRO – A Corvette Racing começa bem antes do esperado o desenvolvimento do seu novo modelo de competição para a classe LMGTE. O Corvette C7-R construído pela Pratt & Miller, assim como seus antecessores C5-R e C6-R, este último com versões big block LMGT1 e small block LMGT2/GTE, percorreu em Laguna Seca, na Califórnia, seus primeiros quilômetros de teste, visando chegar “no ponto” para a disputa das 24 Horas de Daytona, primeira disputa da United Sports Car Racing, marcada para o fim de janeiro do próximo ano.

O primeiro treino do novo carro foi conduzido pelos atuais campeões da ALMS na classe LMGT, Tommy Milner e Oliver Gavin. A Corvette prevê várias outras baterias de teste até antes do inverno, quando se espera que os dois bólidos oficiais estejam prontos para o desafio. A equipe chefiada por Gary Pratt e Doug Fehan deve disputar todo o campeonato da USCR na classe GTLM (GT Le Mans) e também as 24 Horas de Le Mans, repetindo a batalha contra Aston Martin, Porsche, Ferrari e SRT Viper.

Sato vence uma e assume liderança isolada da AutoGP

4107820130818113903

RIO DE JANEIRO – Fim de semana excelente para Kimiya Sato (o imbecil aqui confundiu-o com o Sato mais famoso, o Takuma, da Indy) no fechamento da 6ª rodada da AutoGP World Series. O piloto japonês da Euronova conseguiu assumir novamente a liderança isolada do campeonato, com um 4º lugar na corrida #1, disputada no sábado e com a vitória obtida neste domingo, que o deixa no topo do certame com 171 pontos. Seu grande rival, o italiano Sergio Campana, não conseguiu mais do que um quinto e um quarto lugares, resultados que o deixam com 158 pontos, treze atrás do oriental do time de Vincenzo Sospiri – e, pior, em terceiro no campeonato.

Sato, aliás, largou hoje atrás de Campana com a inversão de posições entre os oito primeiros do grid, o que torna seu triunfo ainda mais meritório, em que pese – por exemplo – a pouca experiência do venezuelano Roberto La Rocca, que em sua estreia já conseguiu partir de uma pole position e foi 7º na corrida #2 após o oitavo posto na corrida #1.

No sábado, o vencedor foi o indiano Narain Kartikheyan, da Super Nova, que com o quinto posto da corrida #2, chegou a 132 pontos no campeonato. Vittorio Ghirelli fez dois pódios com um segundo e um terceiro lugares e com os resultados ruins de Campana, assumiu a vice-liderança do campeonato com 159 pontos, um a mais que o compatriota.

Além de Roberto La Rocca, estreou a jovem piloto italiana Michela Cerruti, que não fez feio. Ela chegou em 9º na primeira corrida da rodada dupla e na segunda conquistou um meritório oitavo posto. Saiu no lucro, com cinco pontinhos marcados em Nürburgring.

A penúltima etapa da AutoGP World Series será no circuito britânico de Donington Park, nos dias 31 de setembro e 1º de outubro.

Classificação do campeonato após 6 rodadas e 12 corridas disputadas:

1. Kimiya Sato – 171 pontos; 2. Vittorio Ghirelli – 159; 3. Sergio Campana – 158; 4. Narain Kartikheyan – 129; 5. Tamás Pál Kiss – 71; 6. Daniel De Jöng – 64; 7. Kevin Giovesi – 55; 8. Riccardo Agostini – 53; 9. Luciano Bacheta – 49; 10. Robert Visoiu – 40; 11. Meindert Van Buuren – 36; 12. Andrea Roda – 27; 13. Antonio Spavone – 22; 14. Max Snegirev – 21; 15. Yoshitaka Kuroda – 17; 16. Fabrizio Crestani – 11; 17. Roberto La Rocca – 8; 18. Christian Klien – 6; 19. Michela Cerrutti – 5; 20. Michele La Rosa – 4; 21. Giuseppe Cipriani – 3 pontos.

Dome vence os 1000 km de Suzuka; Oliveira é 4º

H24-006

RIO DE JANEIRO – A Dome levou a melhor na disputa da 42ª edição dos 1000 km de Suzuka, 5ª etapa do Campeonato Super GT do Japão. Com 38 carros no grid, o #18 de Fred Makowiecki/Naoki Yamamoto levou a melhor após uma bela luta com o Nissan dos bicampeões Masataka Yanagida/Ronnie Quintarelli, que largaram da pole position a bordo do carro #23. A dupla vencedora completou as 173 voltas em pouco mais de 5h55min de disputa, com catorze segundos de vantagem para os rivais.

A 3ª posição ficou com o Lexus SC430 de Kazuki Nakajima/James Rossiter, da equipe Petronas Tom’s. Isto fez com que os três fabricantes da GT500 ocupassem os três lugares do pódio na divisão principal do campeonato. João Paulo de Oliveira e seu parceiro Tsugio Matsuda fizeram uma excelente corrida e terminaram em 4º lugar, não muito longe do #36. Foi um ótimo resultado para quem saiu da 11ª posição do grid.

Takuya Izawa e Takashi Kogure, que chegaram aos 1000 km de Suzuka como líderes do campeonato, caíram para quarto lugar na pontuação. A dupla do Honda #100 do Team Kunimitsu chegou apenas em décimo, somando dois pontinhos. O segundo posto deu a Quintarelli/Yanagida a liderança do campeonato com 42 pontos, um apenas a mais que João Paulo de Oliveira/Tsugio Matsuda, que estão vivíssimos na briga pelo título.

Na GT300, mesmo com um problema inesperado a poucas voltas do fim, venceu o Subaru BR-Z da equipe R&D Sport. O carro #61 de Tetsuya Yamano/Kota Sasaki/Takuto Iguchi completou no total 161 voltas, uma a mais que o Mercedes SLS AMG GT3 #52 da Okinawa-IMP guiado por Hironori Takeuchi/Takeshi Tsuchiya/Naoya Gamou e por outro carro do fabricante alemão, este partilhado por Haruki Kurosawa/Tsubasa Kurosawa/Akihiko Nakaya.

Com o 5º lugar, Hideki Mutoh/Yukhi Nakayama, do Team Mugen, ampliaram a liderança no campeonato, com 57 pontos somados, contra 44 de Yamano/Sasaki e 42 das duplas formadas por Katsuyuki Hiranaka/Björn Wirdheim e Hironori Takeuchi/Takeshi Tsuchiya.

A 6ª etapa acontece no circuito de Fuji em 8 de setembro. Ano passado, quem ganhou esta corrida foi justamente o Nissan de João Paulo de Oliveira/Tsugio Matsuda. Fica a torcida para que eles bisem a conquista, que seria excepcional para que a dupla do Calsonic Team Impul possa brigar pelo título de verdade.