WEC, 6h de Fuji: chuva não dá trégua e corrida tem apenas 16 voltas; Audi campeã de novo

2013-6-Heures-de-Fuji-6-HEURES-DU-FUJI-02113810-716_hd

Toyota ‘comemora’ a vitória nas aquáticas 6h de Fuji, naquele que é sem dúvida o pódio mais sem graça do Mundial de Endurance em 2013 (foto: WEC/Divulgação)

RIO DE JANEIRO – O que tinha tudo para ser uma das corridas mais interessantes do campeonato de 2013, em virtude da segunda inscrição de um Toyota TS030 Hybrid em sua própria pista, tornou-se um verdadeiro tormento banhado por uma chuva incessante. Assim se realizou a 6ª etapa do Mundial de Endurance (WEC), as 6 Horas de Fuji.

Praticamente não houve corrida. O que se viu no circuito nipônico foram duas procissões atrás do Safety Car e várias tentativas – vãs – de fazer a corrida acontecer de fato. Mas não foi possível e só foram completadas 16 voltas neste domingo. Uma lástima: às 5h35 da manhã, já pelo horário brasileiro de verão, foi confirmado que os carros não voltariam mais à pista pela total falta de segurança causada pela chuva inclemente.

Não é nenhuma surpresa: o circuito de Fuji, como bem sabemos, já viu duas corridas de Fórmula 1, em 1976 e 2007, totalmente prejudicadas pelo mau tempo. Além da densa neblina e da água que molha o asfalto, existe a questão da péssima drenagem do traçado de 4,563 km, que provoca o aquaplaning, formando um lençol sob os carros que causa perda de aderência e acidentes sérios.

Tendo prevalecido o bom senso neste domingo, a “vitória” foi do Toyota #7 de Alex Wurz/Kazuki Nakajima/Nicolas Lapierre, com o Audi #2 de Loïc Duval/Tom Kristensen/Allan McNish em segundo e o Lola #12 de Mathias Beche/Andrea Belicchi na terceira colocação. O resultado deu à Audi mais um titulo do Mundial de Construtores entre os fabricantes da divisão LMP1.

Na LMP2, a OAK Racing ficou à frente graças a Bertrand Baguette/Ricardo Gonzalez/Martin Plowman, seguidos pela G-Drive Racing de Mike Conway/Roman Rusinov/John Martin e pelo Zytek da Jim Gainer, de Katsuyuki Hiranaka/Björn Wirdheim/Masayuki Ueda.

Três marcas diferentes acabaram nos três primeiros postos da LMGTE-PRO para efeito de classificação final: Aston Martin com Fred Makowiecki/Darren Turner/Stefan Mücke; Ferrari com Giancarlo Fisichella/Gimmi Bruni e Porsche com Patrick Pilet e Jörg Bergmeister. Na LMGTE-AM, a Aston fez 1-2, com o #95 do brasileiro Bruno Senna à frente do #96 dos britânicos Campbell-Walter, Adam e Hall, seguidos do Porsche de Christian Ried/Gianluca Roda/Paolo Ruberti.

Certamente os fãs japoneses, abnegados e alucinados por automobilismo como de costume, mereciam coisa muito melhor do que o que se (não) viu em Fuji. E o WEC não pode parar: dia 9 de novembro, acontece a penúltima etapa da temporada, no circuito chinês de Xangai – onde se espera que o mau tempo não dê as cartas e mais uma corrida não seja imensamente prejudicada como a deste domingo.

Anúncios

17 respostas em “WEC, 6h de Fuji: chuva não dá trégua e corrida tem apenas 16 voltas; Audi campeã de novo

  1. O legal é que quem teve coragem de esperar ate o final da corrida foi convidado a entrar no pit lane e pegar autografos com os pilotos.
    Recentemente houve um grave acidente na chuva em Fuji no Super GT, com Tim Bergmeister.

      • Acho que não foi logistica. A regra da FIA diz que após 4 voltas, a corrida já é dada como valida. Pois um dia a menos não iria matar os times de irem pra China que é perto de onde estão. Se eles não tivessem largado a corrida seria adiada normalmente.

      • Ridrigão, seguinte:
        Prestou bem a atenção no nick do cara. . .
        Simplesmente impagável! :)

      • Esse corretor automático é “soda”!
        Era para sair Rodrigão e saiu “Ridrigão” . . .Sorry.

      • Então ta certo né. Ficamos com a não corrida de Fuji.

  2. Olá,
    a corrida da F1 que a chuva prejudicou foi a de 2007, foram várias voltas atrás do safety-car, e depois o Alonso bateu sozinho e o Vettel acertou o Webber.
    A de 2008 foi uma queo Hamilton e Massa se tocaram, mas não houve chuva.

  3. Lembrou a SP Indy 300 de 2011…naquela ocasião, haviam alterado a data da corrida de março (como ocorreu na inaugural de 2010) para maio justamente para escapar da chuva…e aconteceu que a chuva daquele 1º de maio de 2011 foi muito pior do

  4. Em 37 anos desde 1976 nada fizeram na drenagem e a pista continua homologada. Rodrigo, não entendi e não concordo com o que voce disse : ” vitória da toyota” se foram apenas 16 voltas, é o resultado de pista o que vale, não importa mais nada, não cabendo ironias que nos levam a entender que foi uma meia vitória, ou de 2a categoria.

    • Devem ser separados o fato jornalístico, que é reportagem, o que de fato ocorreu, da opinião do colunista que é editorial.

      • Os pontos foram atribuidos pela metade, pois se completou menos de 50% da prova. A Toyota venceu por não ter ido ao box em nenhuma das 16 voltas dadas com safety-car e voltado no fim do pelotão como o Audi pole-position e o segundo Toyota fizeram.

  5. O certo seria no proximo ano o ACO fazer uma corrida de 12 horas em Fuji pra “compensar” os fãs. Apesar de terem liberado o pitlane após a corrida.

  6. Eu todo entusiasmado o ano inteiro para assistir ESSA corrida do WEC (depois das 24h de Le Mans), porque sei que Fuji é palco raro de corridas entediantes, e o que recebo é a prova resumida em apenas 16 voltas por causa dessa maldita chuva… Fazer o quê. A culpa eu não vou botar nos organizadores. Mas podiam adiar essa corrida para a próxima semana ou jogar ela pra Dezembro… Sei lá. Também não consideraria os resultados e sim cancelava logo de vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s