Raridade: o Porsche LMP2000

PorscheLMP20000-1

RIO DE JANEIRO – Todo mundo já sabe que em 2014 a Porsche volta aos protótipos no Campeonato Mundial de Endurance e nas 24 Horas de Le Mans. O último carro da marca em Sarthe e em provas longas fora o modelo RS Spyder, que jamais correu sob um esquema de fábrica. Vendido a clientes, fez sucesso na classe LMP2 em meados da última década. Mas vocês, leitores e leitoras, sabiam que existiu outro projeto para a marca alemã correr em Le Mans – e que nunca competiu?

Pois é: refiro-me ao Porsche LMP2000, um Esporte-Protótipo que foi construído para tentar dar ao construtor o 17º triunfo geral em Le Mans e talvez competir na American Le Mans Series em algumas provas – mas o desenvolvimento foi para o espaço. Cabe aqui contar como esse carro surgiu.

Os alemães vinham de três vitórias seguidas entre 1996 e 1998 – duas delas com o TWR-Porsche WSC95 e a última com o modelo 911 GT1-98, este um Grã-Turismo. No FIA GT, contudo, foram inapelavelmente batidos pela Mercedes-Benz em 97 e 98, provocando o desinteresse da Porsche em seguir com um programa de fábrica em provas deste campeonato. Mas havia a possibilidade de permanecer em Le Mans com um novo carro. Daí começou a surgir o LMP2000.

Primeiro, foi reutilizado um bloco em alumínio de um motor 3,5 litros V10 que tinha sido concebido para suceder ao fracassado motor V12 usado pela Footwork em parte do Mundial de Fórmula 1 – isso em 1991. Mexendo no diâmetro e curso dos pistões, os engenheiros alemães aumentaram a cilindrada desse propulsor recondicionado para 5,5 litros, mantidos porém os 68º de ângulo de inclinação do motor original. A potência foi calculada em dinamômetro na casa de 680 HP, já com os restritores de entrada de ar – o que era bastante aceitável para a então subclasse LMP900.

Para a construção do protótipo propriamente dito, o trem traseiro de suspensão e a transmissão do Porsche 911 GT1-98 foram reaproveitadas junto a novos componentes e a um chassi “zero-bala” de fibra de carbono, construído na fábrica da Lola Cars em Huntingdon, na Inglaterra. Os testes com o novo protótipo começaram em novembro de 1999 e entre os pilotos que chegaram a andar nesse carro estiveram o escocês Allan McNish e o falecido francês “Brilliant” Bob Wollek. Este último teceu tremendos elogios acerca do potencial do LMP2000.

“É um verdadeiro avião. E incomparavelmente melhor que o 911 GT1-98. O carro é muito mais baixo, ligeiro e com uma melhor distribuição de peso em relação ao outro chassi. O motor também é bem mais leve que o flat biturbo do GT1”, explicou na época.

Mas nos bastidores precipitavam-se decisões que seriam contrárias ao desejo dos que gostariam de ver a Porsche novamente vencedora em Le Mans. Naquele mesmo mês de novembro, no dia 21, era anunciado que o programa de desenvolvimento do LMP2000 estava cancelado e não haveria volta. A Porsche estaria fora, indefinidamente, das competições de longa duração com um time oficial de fábrica.

Muitos atribuem esta decisão à morte de Ferry Porsche, ocorrida um ano antes, quando a companhia fora tomada, segundo essas pessoas, por burocratas que visavam lucro ao invés do orgulho de ver o cavalinho empinado de Stuttgart no topo dos pódios. Outros preferem atribuir a culpa ao CEO da marca, Wendelin Wiedeking, que assumira o controle em 1993.

Difícil afirmar sobre culpados e entender o porque do Porsche LMP2000 nunca ter riscado o asfalto de uma pista de corrida. A história poderia ser diferente? Talvez. Nunca se sabe. Mas a turma de Stuttgart encontrou, agora, a oportunidade de reescrever seu futuro. Mais uma vez.

Anúncios

9 respostas em “Raridade: o Porsche LMP2000

  1. A equipe de Roger Penske usando os RS Spyder P2 amarelos e vermelhos patrocinados pela DHL Global Mail deu o maior pau nos Audis de fábrica na ALMS. Ok, a Audi foi campeã de P1 e a Porsche na P2. Só que teve um ano onde das 10 corridas do campeonato a Porsche venceu na geral 7 corridas e a Audi apenas 3. Os pits stop do RS Spyder eram em média 1 segundo mais rápidos que os da Audi, por colocarem e consumirem menos combustível.

  2. A Toyota tinha feito um em 1996, se não me engano… Botaram na lenha depois que conseguiram explorar as brechas da GT1 e fizeram no lugar o GT-One (TS020) em 1997. Se puder postar esse de ’96, Rodrigo, eu agradeço! :)

  3. Isso mesmo, tenho eles em 1/43 um vermelho e branco e o outro tb vermelho e branco com a pintura rajada

  4. Primeiro o Mercedes, agora o Porsche e já deram a dica do Toyota. Você pode criar uma nova série de carros de corrida que não foram às corridas.

  5. bom dia rodrigo, apenas uma correção, wendelin não trb mais na porsche. ele saiu apos a fracassada tentativa de compra da volks. agora não lembro o nome, mas assiim que tiver posto aqui o nome do atual presidente da porsche.
    na epoca eles concentraram todos os esforços no cayene e depois no caiman, por isso foi abortado este projeto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s