Começa o Toyota Racing Series

1545817_645173922211191_1259524251_n

RIO DE JANEIRO – No outro lado do mundo, teve início neste fim de semana uma interessante competição de monopostos opondo jovens pilotos de muito potencial no automobilismo. A Toyota Racing Series (TRS), com um calendário de cinco rodadas em pistas da Nova Zelândia, iniciou seu minicampeonato de 2014 com um grid cheio. Vinte e três pilotos disputaram a etapa inaugural no circuito de Teretonga, na região de Invercargill, com 2,62 km de extensão.

O equipamento deste certame é idêntico, para todos os pilotos: chassi em fibra de carbono da Tatuus, de fabricação italiana, com um motor Toyota de 1,8 litro de capacidade cúbica, debitando 215 HP de potência. O câmbio é Sadev, francês, com seis velocidades, mais marcha a ré. Freios e pinças são Alcon e os pneus Michelin, de Fórmula 3. O peso mínimo é de 550 kg.

1512566_644400168955233_1801651821_n

Entre os jovens nomes que participam da TRS, estão dois brasileiros: Gustavo Lima, que já tem relativa experiência no automobilismo com provas de Fórmula Renault ALPS e Fórmula 4 britânica no currículo e Pedro Piquet, um dos caçulas do clã do tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet, que agora aposta todas as suas fichas no novo herdeiro.

1509906_644938935568023_1401490376_n

O irmão de Nelsinho e de Geraldo Piquet vem do kart para a sua primeira competição com monopostos, após passar os últimos meses treinando de Fórmula 3 para se aclimatar a carros com potência mais elevada. O garoto tem apenas 15 anos – faz 16 em 3 de julho próximo – então, não se pode exigir muito dele em sua primeira experiência na Toyota Racing Series. Só que, logicamente, há quem queira cobrar resultados diante do sobrenome de peso que Pedro carrega. Vamos com calma…

1531661_644400085621908_2044839590_n

Pedro Piquet começou com um 15º lugar na corrida #1 e a 13ª colocação na corrida #2. Gustavo Lima também ficou longe dos primeiros lugares: foi 12º na primeira prova e décimo-sétimo na segunda. Os vencedores das duas primeiras corridas foram o russo Egor Orduzhev, de 18 anos e Andrew Tang, de dezenove, oriundo de Cingapura.

1526093_644398755622041_415929327_n

Orduzhev, aliás, aproveita o boom do automobilismo em seu país: ele tem o apoio luxuoso do banco SMP, que está financiando uma nova equipe de Endurance e terá suas cores estampadas numa Ferrari F458 nas 24 Horas de Daytona. Tang tem como destaque em seu currículo um 4º lugar no Mundial de Kart ano retrasado, na categoria KF2.

1464683_643897642338819_538094254_n

Outro destaque da Toyota Racing Series é a participação do piloto britânico Jann Mardenborough, de 22 anos. Oriundo do programa Nissan GT Driving Academy, que revela novos valores através de uma seleção que usa o game Gran Turismo como plataforma, ele guarda pelo menos uma semelhança com o compatriota Lewis Hamilton, por ser negro e participar de um esporte por vezes chamado de “elite”, como o automobilismo.

Ano passado, Mardenborough correu na Fórmula 3 europeia e estreou nas 24 Horas de Le Mans. Vamos ver o que o futuro lhe reserva neste ano. E não só para ele. Estaremos de olho na competição até 9 de fevereiro próximo, para saber quem pode brilhar no automobilismo dentro de mais alguns anos.

Anúncios

3 respostas em “Começa o Toyota Racing Series

  1. Gostei! Eu não conhecia essa categoria, nunca nem tinha ouvido falar mas é mais uma boa opção pra quem quer seguir carreira nos monopostos. E pra quem gosta de cornetar, olhem antes a diferença de idade do Pedro Piquet para os destaques da categoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s