Direto do túnel do tempo (164)

1625488_787942337887503_1556854867_nRIO DE JANEIRO – Linda foto do esquadrão Cagiva numa prova do Mundial de Motovelocidade, nos tempos das saudosas 500cc de dois tempos, em 1989. À frente, com seu indefectível capacete, o ídolo máximo Randy Mamola, protagonista de alguns dos mais insanos momentos da história sobre duas rodas. Atrás, com a moto #8, o emérito largador Ron Haslam, britânico que começou sua trajetória com as Honda de três cilindros, correu com a incrível Elf de André de Cortanze e encerraria sua participação com a Suzuki.

No meio dessas duas feras, está o nosso Alexandre Barros, que então com 18 anos de idade tornava-se o mais jovem competidor a encarar uma temporada completa na chamada categoria-rainha. Nosso Alex foi o motociclista mais bem-sucedido nas pistas europeias e é uma pena que não tenha sido campeão. Foi um piloto respeitado – e muito respeitado, diga-se – pelo grande Valentino Rossi. Merece sempre nosso carinho e admiração, por tudo o que fez pelo esporte.

E tomara que o Alex concretize o sonho de uma equipe brasileira para o Mundial de Motovelocidade.

Há 25 anos, direto do túnel do tempo.

Anúncios

2 respostas em “Direto do túnel do tempo (164)

  1. Rodrigo,uma correção a foto é de 1990,muito provavelmente do GP da Inglaterra,em Donnington Park,pois em 89, o Barros estava nas 250cc e o Haslam estava na Suzuki,como companheiro de equipe do Kevin Schwantz.

    Haslam encerraria sua carreira definitivamente em 93,apesar de uma tentativa frustrada de correr em 2000 no mesmo GP da Inglaterra,aquela da primeira vitória do Rossi na 500cc,como wild-card.

    Em 1989,Mamola era o único piloto da Cagiva na temporada,tirando algumas participações de Raymond Roche e Massimo Broccoli como wild-cards,somente em 90 é que Barros e Haslam se juntaram a Mamola na Cagiva,e Barros em sua primeira temporada na 500cc superou Mamola e Haslam,ambos com muito mais experiência que ele,e Mamola já tinha 4 vice-campeonatos no lombo…

  2. Mas uma coisa não se nega: Barros teve o privilégio de ser companheiro de equipe das maiores feras do motociclismo,Além de Mamola e Haslam,Barros teve nada menos que Eddie Lawson como seu companheiro de equipe na Cagiva,e ainda por cima com o lendário Giácomo Agostini como seu chefe de equipe!,e na Suzuki em 93 Barros foi colega de equipe de Kevin Schwantz!

    e na Pons entre 2000 e 2002,Barros teve Loris Capirossi como colega de time e em 2005 quando voltou a Pons,Barros teve Troy Bayliss como seu colega,e em 2004 na Repsol Honda,Nicky Hayden foi o companheiro de equipe de Barros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s