Segue o domínio do #93 nos testes da MotoGP em Sepang

93marquez0294_t02_marquez_2014_slideshow_169

RIO DE JANEIRO – O espanhol Marc Márquez continua ditando o ritmo nos testes coletivos da MotoGP que vêm se realizando em Sepang, na Malásia. O piloto da Repsol Honda #93 foi o único a andar abaixo de 2 minutos no segundo dia de atividades. Com sua RC213V, o campeão do ano passado marcou 1’59″926, quatro décimos mais rápido que o companheiro de equipe Dani Pedrosa. O tempo do piloto não está tão longe do recorde registrado por Casey Stoner em 2012 – 1’59″607.

A apenas três milésimos do tempo de Pedrosa, veio o alemão Stefan Bradl com a 3ª colocação a bordo de outra Honda, desta feita a da LCR, escuderia de Lucio Cecchinello. Valentino Rossi apareceu com o quarto tempo e Aleix Espargaró foi, de novo, um dos grandes nomes dos treinos de pré-temporada: o piloto da FTR-Yamaha da NGM Forward Racing ficou com a quinta posição, a 0″621 de Márquez.

Pelo visto, piloto e equipe encontraram um excelente acerto e o desafio agora será trabalhar a questão do consumo de combustível, pelo seguinte fator: a moto da NGM Forward tem o propulsor do protótipo YZR-M1 e o quadro FTP é das motos Open (as antigas CRT). Por isso, tanto a moto de Espargaró quanto a de Colin Edwards, seu companheiro de equipe, têm um tanque de 20 litros de combustível – três a menos que das motos Open. O desafio da equipe é fazer uma máquina competitiva dentro destas limitações de regulamento. E parece que eles têm se saído muito bem.

Embora Edwards tenha sido apenas o 15º nesta quarta-feira, não se pode dizer que as Honda RCV1000R Open estejam muito melhor. Nicky Hayden ficou em décimo-quarto, com Hiroshi Aoyama em 18º, Scott Redding em 21º e Karel Abraham em penúltimo entre os 26 pilotos presentes.

Entre as outras motos Factory, protótipos de fábrica, a Ducati teima em não melhorar muito em relação às rivais Honda e Yamaha. Por mais que Andrea Dovizioso tenha baixado em mais de um segundo o tempo da véspera, ainda falta o chamado ‘algo mais’ para a Desmosedici GP14. O construtor de Borgo Panigale pensa em Gigi dall’Igna, o mago da Aprília, como salvação. Mas precisa mais do que isso…

A Suzuki, que continua os testes com sua XHR-1 sob o comando do antigo diretor da Yamaha Davide Brivio, evoluiu pero no mucho: Randy de Puniet registrou um tempo oito décimos melhor que no primeiro dia, mas a moto azul continua devendo: 2’03″064, mais de três segundos pior que Márquez. Para o construtor japonês, é tempo de adaptação ao novo Electronic Control Unit (ECU) padrão imposto pela Dorna às motos da categoria e fornecido pela Magneti Marelli. A antiga centralina eletrônica da moto desenvolvida para a Suzuki era da Mitsubishi.

Nesta quinta-feira, a maioria dos testes serão dedicados a simulações de corrida. Certamente, se alguém escondeu o jogo nos dois primeiros dias, os segredos poderão vir à tona.

Os resultados do segundo dia de treinos em Sepang estão aqui. E o combinado dos dois primeiros dias de treinos, aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s