12h de Sebring, treino livre #4: mais uma sessão dominada pela Ganassi

2014_12H_Sebring_TUSC_0669

RIO DE JANEIRO – Os motores Ford EcoBoost V6 Turbo dos carros da Chip Ganassi e Michael Shank Racing parecem estar “no ponto” em Sebring. É o que evidenciam os resultados dos quatro treinos livres para a 2ª etapa do Tudor United SportsCar Championship. Em três dessas sessões, deu Ganassi e na outra, a MSR se impõs.

Dessa vez, o carro mais rápido foi o #01 de Scott Pruett/Memo Rojas/Marino Franchitti. Com o veterano Pruett, 53 anos, a bordo, o protótipo do time estabeleceu o melhor tempo do último treino antes da qualificação, em 1’53″241, 0″259 abaixo da marca do neozelandês Scott Dixon, outra vez muito veloz no comando do #02.

Desta vez, os LMP2 conseguiram ter um bom desempenho na sessão, ocupando posições de destaque. O Morgan Nissan #42 da OAK Racing sobressaiu-se graças a Olivier Pla, liderando parte da última sessão até ser superado pelos DPs da Ganassi. O francês foi o terceiro ao fim do treino, a 0″326 de Scott Pruett.

Surpresa mesmo foi o 4º lugar de Johannes Van Overbeek a bordo do HPD ARX-03b #2 da Extreme Speed Motorsports. O piloto, que não costuma ser tão veloz, virou em 1’53″745, apenas alguns milésimos melhor que o novato Jann Mardenborough, que faz sua estreia no TUSC com o Oreca 03 Nissan #6 da Muscle Milk Pickett Racing.

Com o tempo de 1’54″217 a bordo do #60, Oswaldo “Ozz” Negri conseguiu a oitava posição no quarto treino livre. Já o carro #5, guiado por João Barbosa na melhor volta da sessão – no qual corre também Christian Fittipaldi – foi sétimo.

Raphael Matos outra vez se impõs entre os pilotos da divisão Prototype Challenge. Ele marcou 1’56″434 (13º na geral), superando a marca de Colin Braun, que dominou grande parte da sessão matinal, e também de Bruno Junqueira, terceiro colocado na divisão com 1’56″745. Gunnar Jeannette foi o quarto mais rápido e Michael Marsal o quinto.

Na GT Le Mans (GTLM), Antonio Garcia estabeleceu a melhor marca do último treino com 1’59″133 em seu Corvette C7-R que divide com Jan Magnussen e Ryan Briscoe. Numa pista altamente favorável às BMW, a equipe de Bobby Rahal mostra força, com Dirk Muller em segundo e Andy Priaulx em terceiro. Oliver Gavin foi o quarto, seguido dos dois Porsche oficiais com Patrick Long e Richard Lietz.

A Risi Competizione sofreu um pequeno revés logo no começo do treino: Gianmaria Bruni vinha melhorando seu tempo, quando perdeu o controle do carro e bateu com a #62, provocando danos na parte traseira da Ferrari F458, já castigada pela “panca” de Daytona – além de uma bandeira vermelha que interrompeu a sessão. Caso os mecânicos consigam sanar o problema, o bólido vermelho do time de Houston será visto na qualificação, mais tarde. Bruni foi levado ao centro médico do circuito e felizmente não sofreu nada grave na batida.

Entre os carros da GT Daytona (GTD), quem deu as cartas foi o Porsche #71 da Park Place Motorsports, do quarteto Mike Vess/Patrick Lindsey/Jim Norman/Kévin Estre, com o tempo de 2’03″449. James Davison foi o segundo mais rápido com seu Aston Martin e depois dele, mais dois Porsches: o #73 da Park Place ficou em 3º e o #23 da AJR/Team Seattle em quarto. 

A Turner Motorsport, graças a Dane Cameron, teve sua BMW Z4 GT3 com o quinto tempo da sessão, seguida do Porsche #44 da Magnus Racing e do #81 da GB Autosport. A melhor Ferrari F458 ficou em oitavo, com Townsend Bell a bordo. O SRT Viper foi o 11º no quarto treino livre e o melhor Audi veio logo depois.

A partir de 17h10min, pelo horário de Brasília, começa a definição da pole position para a 62ª edição das 12 Horas de Sebring.

Foto: Ford EcoBoost Riley DP da Ganassi, o mais rápido de hoje (Darren Pierson/Sportscar365.net)

Anúncios

Uma resposta em “12h de Sebring, treino livre #4: mais uma sessão dominada pela Ganassi

  1. O BOP depois de Daytona serviu pra “igualar” os motores Ford aos Chevrolet afinal de contas é a equipe do Ganassi. Quando pilotos realmente rápidos conseguem tirar uma volta ideal ainda ficam a 3 décimos do melhor DP. Na GTLM, a Corvette mostra sua força, mas como o carro é novo a gente não sabe a confiabilidade e em matéria de estratégia o Rahal já deu cada baile em Sebring que deixaram as outras equipes tortas. Na GTD os Audi nunca apareceram o que é estranho já que se numa pista onde vc precisa de mais pressão aerodinâmica e precisam de melhores freios eles deveriam andar melhores, os Porsche evoluíram muito e os Aston estão evoluindo o que é muito bacana. O som do Aston é sensacional. Tomara que as 17:10 tenha livestream no site da categoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s