12h de Sebring, horas #6 e #7: mais um acidente grave e aparente volta à normalidade

RIO DE JANEIRO – As 12 Horas de Sebring em sua edição de 2014 continuam como uma das mais acidentadas dos últimos tempos. A quantidade de erros dos pilotos é assustadora e a quantidade de carros na pista até poderia ser usada como atenuante. Mas diante de algumas imagens, não há como defender absolutamente ninguém que fez besteira dentro da pista.

É o exemplo de Gaston Kearby. O piloto do protótipo #87 da BAR1 Motorsports, muito atrasado na corrida, deu uma rodada na saída da curva 16. Até aí, normal. O problema é a forma brusca como ele tentou voltar à pista, sabendo que é um ponto praticamente cego, onde os carros que vem atrás mergulham num S de velocidade bem razoável para contornar a curva e dar gás no acelerador descendo a reta oposta rumo a curva 17.

O resultado? Só vendo o vídeo.

Rapidamente, vozes se insurgiram nas redes sociais contra Gaston Kearby e pilotos como Dario Franchitti e David Heinemeier-Hänsson defendem que a licença do estadunidense seja suspensa e que ele fique longe das competições do Tudor United SportsCar Championship por um bom tempo. A gente que acompanha competições de Endurance sabe bem que numa corrida como esta, profissionais e amadores vão dividir o traçado sempre. Mas o piloto, por mais gentleman driver que seja, tem que ter a consciência do que está fazendo. Kearby não teve. E quase matou o canadense Alexandre Tagliani – que saiu do carro andando, embora queixando-se de algumas dores.

Dagys_-2014_257261

Após este acidente, talvez o mais violento da disputa, a prova enfim ganhou algum ritmo e um período bem razoável em bandeira verde. E quem destacou-se foi Ryan Dalziel a bordo do HPD #1 da Extreme Speed Motorsports, liderando até seu pit stop e o fim do turno do escocês. Ao fim da 7ª hora, a liderança geral era de Ricky Taylor no #10 da equipe do pai Wayne Taylor, seguido por Tony Kanaan a bordo do #02 da Ganassi e por Simon Pagenaud. Christian Fittipaldi vinha em 5º na geral e Oswaldo Negri Jr., após o turno final de John Pew, recebeu o carro em nono.

Na Prototype Challenge, com quatro carros totalmente destruídos e outro nas garagens sendo consertado após um dano severo na suspensão, o #09 de Bruno Junqueira reassumiu a liderança com o brasileiro a bordo, em 10º na geral. James Gue, segundo da classe, está em 15º e Martin Fuentes, terceiro, ocupa apenas a décima-nona posição.

Com um grande trabalho de retaguarda dos mecânicos chefiados por Dan Binks, a Corvette conseguiu alcançar a dobradinha na GTLM com seus C7-R. O #3 de Antonio Garcia comandava a prova na altura da sétima hora, com o #4 de Oliver Gavin em segundo. Ainda oferecendo férrea resistência, o Porsche #912 de Patrick Long ocupava a terceira posição, seguido do #93 guiado por Rob Bell e pelo Porsche #17 de Wolf Henzler.

Entre os GTD, Townsend Bell alcançou a ponta com o #555 da AIM Autosport, em luta direta com o #22 de Leh Keen e o #44 de Andy Lally. Kyle Marcelli e Kévin Estre completavam os cinco primeiros da divisão.

Resultado parcial das 12h de Sebring após a 7ª hora:

1º #10 Ricky Taylor/Jordan Taylor/Max Angelelli
Corvette DP (Prototype)
156 voltas

2º #02 Tony Kanaan/Scott Dixon/Sage Karam
Ford EcoBoost Riley DP (Prototype)
156 voltas

3º #2 Simon Pagenaud/Johannes Van Overbeek/Ed Brown
HPD ARX-03b LMP2 (Prototype)
156 voltas

4º #01 Marino Franchitti/Scott Pruett/Memo Rojas
Ford EcoBoost Riley DP (Prototype)
156 voltas

5º #5 Christian Fittipaldi/João Barbosa/Sébastien Bourdais
Corvette DP (Prototype)
156 voltas

6º #1 Scott Sharp/David Brabham/Ryan Dalziel
HPD ARX-03b LMP2 (Prototype)
156 voltas

7º #42 Alex Brundle/Olivier Pla/Gustavo Yacaman
Morgan Nissan LMP2 (Prototype)
156 voltas

8º #9 Burt Frisselle/Jon Fogarty/Brian Frisselle
Corvette DP (Prototype)
155 voltas

9º #60 Oswaldo Negri Jr./John Pew/Justin Wilson
Ford EcoBoost Riley DP (Prototype)
155 voltas

10º #09 Bruno Junqueira/Duncan Ende/David Heinemeier-Hänsson
Oreca FLM09 Chevrolet (Prototype Challenge)
154 voltas

Anúncios

2 respostas em “12h de Sebring, horas #6 e #7: mais um acidente grave e aparente volta à normalidade

  1. Não é a primeira vez que isso acontece daqui a pouco morre alguém, aí quero ver a desculpa que vão dá!

  2. Minha nossa…até eu teria mais noção…realmente precisa haver um pouco mais de critérios para alguns dos “gentlemans drivers”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s