Comandante Hamilton

4432820140419090858

RIO DE JANEIRO – Em pista seca, úmida ou molhada, ainda não tem para ninguém na Fórmula 1 em 2014. A Mercedes segue absoluta nas primeiras provas da temporada e em qualificação, todas as provas tiveram um carro prateado na pole position. Num chuvoso treino para o GP da China, em Xangai, na nossa madrugada de sábado, Lewis Hamilton mostrou que vive excelente momento e se tornou o britânico com o maior número de pole positions da história da categoria.

Dominante no Q3, o piloto do carro #44 conquistou a terceira posição de honra dele em quatro provas, a segunda em condições adversas. Lewis cravou 1’53″860 na fase decisiva do treino classificatório e foi muito superior à concorrência. E surrou Nico Rosberg, mais uma vez, no duelo interno de qualificação. Placar: 3 x 1 pró-Comandante Hamilton.

A surpresa é que, desta vez, LH não terá o alemão como parceiro de primeira fila. A honra cabe a Daniel Ricciardo e, volto a repetir o que disse a um leitor do blog, será difícil a Red Bull domesticar esse cara. O australiano não é um “mosca morta” e vai mostrando qualidades, além de fazer muita gente começar a duvidar da capacidade de Sebastian Vettel. Fato é que o australiano foi bem no treino classificatório e conseguiu o 2º tempo. O tetracampeão larga em terceiro.

Fernando Alonso fez seus pequenos milagres de sempre. Até andou bem em treinos livres, mas estes treinos hoje pouco ou nada representam de parâmetro para o desempenho de um carro durante um fim de semana de corridas – exceto ganhar quilometragem, pois na Fórmula 1 quase não se testa mais. O espanhol parece estar enfadado dentro da escuderia de Maranello e suas palavras sobre a chegada do novo chefão Marco Mattiacci foram apenas comedidas. Diante das circunstâncias, um 5º posto está bom demais da conta.

Cá pra nós, o que Alonso tem feito neste início de campeonato é um tremendo contraste com a falta de tesão do Räikkönen. O finlandês parece aéreo, acomodado e infeliz. E mais indiferente do que o companheiro de equipe com a troca de comando. Será que Mattiacci não vai dar uma sacudida no Iceman? Parece que é o que o finlandês precisa, mais do que nunca.

Enquanto isso, nas hostes da turma de Grove, a sexta e sétima posições de Felipe Massa e Valtteri Bottas são motivo de comemoração, pois o carro não é dos melhores em pistas molhadas pela chuva. O brasileiro, temos que reconhecer, fez mais um bom trabalho a bordo de seu carro e voltou a superar o finlandês. Aos poucos, o episódio da Malásia – ainda bem – vai ficando em segundo plano. Tudo o que Felipe precisa é confiança e tranquilidade para desempenhar um bom papel na pista.

Nico Hülkenberg conseguiu se destacar novamente ao levar sua Force India ao Q3 – aliás, 50% dos carros tinham motor Mercedes na fase final do treino – e o alemão obteve o oitavo tempo, à frente de Jean-Eric Vergne e Romain Grosjean.

No sábado de Aleluia, comemorado pelos cristãos, foi notória a recuperação do E22 da Lotus. O malogrado carro, que parecia ser o pior do ano – pelo menos começou de forma tenebrosa na Austrália – começa a evoluir. Mas há um ponto contra: Pastor Maldonado destoa completamente da proposta da equipe. É outro que começa a dar adeus à Fórmula 1 aos poucos. Foi protagonista de um acidente constrangedor no segundo treino livre. Larga de último porque seu carro teve problemas e dificilmente escaparia do fim do grid, pois tem uma punição retroativa à capotagem que provocou no Bahrein, quando fez de seu carro catapulta da Sauber do mexicano Estebán Gutiérrez.

E a McLaren? É, leitores… parece haver – de novo – algo errado no reino do Ron Dennis. Não adiantou trocar Martin Whitmarsh por Eric Boullier, mudar a parte técnica, trazer Sam Michael, se o carro não consegue vir no mesmo ritmo das demais. Só a estratégia e a finesse de Jenson Button poderão render frutos nesse fim de semana. Kevin Magnussen, após uma boa estreia na Austrália, desaponta um pouco na comparação, por exemplo, com Daniil Kvyat, que tem feito um início de carreira na Fórmula 1 bastante correto.

De resto, o de sempre: a Sauber não se encontrou ainda no começo do ano, Caterham e Marussia continuam emboladas e sempre nocauteadas no Q1. Meu palpite para hoje: chovendo ou no seco, dá Hamilton, na cabeça.

E vocês?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s