Vídeos históricos – Race of a Thousand Years (2000)

RIO DE JANEIRO – Última etapa da American Le Mans Series, no dia 31 de dezembro de 2000: uma corrida que tinha tudo para dar certo: Audi, Panoz e Cadillac presentes com suas equipes principais. Vinte e cinco carros no grid. Cento e cinquenta mil espectadores ao longo dos dias de atividades de pista (80 mil no dia da corrida). Contrato de uma década assinado com Don Panoz. E o atrativo da festa de fim de ano que marcava a virada do milênio.

A Race of Thousand Years, no circuito urbano de Adelaide, na Austrália, foi muito interessante de se acompanhar, embora o nível técnico tenha deixado um pouco a desejar. Tanto que o Audi R8 de Allan McNish/Dindo Capello, decorado com motivos que evocavam o país (o carro foi decorado como se fosse um Crocodilo) venceu com 21 voltas de vantagem sobre o Lola de Franz Konrad/Charlie Slater/Alan Heath.

Mas parece que o lobby da V8 Supercars diante do governo do estado da Austrália Meridional agiu e fez de tudo para que fosse retirado o apoio a uma competição que, de cara, foi imensamente popular.

O blog traz em vídeo os melhores momentos da Race of Thousand Years. Confiram!

Petit Le Mans: Rebellion é bicampeã da prova; ALMS encerra 14 anos de história

s1_1 (5)

RIO DE JANEIRO – Após 14 anos e 149 corridas disputadas, terminou neste sábado a trajetória da American Le Mans Series. A competição de GTs e Protótipos criada por Don Panoz com o apoio do Automobile Club de l’Ouest e chancela da International Motor Sports Association (IMSA) sai de cena, deixando de existir ao fim da Petit Le Mans, última etapa da temporada de 2013.

E essa 16ª edição da corrida no circuito de Road Atlanta não foi uma qualquer. Com as condições da pista mudando várias vezes, o desafio foi dobrado para pilotos e equipes. Especialmente para aqueles que ainda brigavam por títulos nas quatro subclasses onde nada estava decidido.

A disputa pela vitória seria – como de fato o foi – monopolizada entre o HPD da Muscle Milk Pickett Racing, invicto por oito corridas e a Rebellion Racing, com seu Lola B12/60 de motor Toyota. Os europeus tiveram um momento de susto quando o carro colidiu com um protótipo da classe LMPC e este incidente fez o #12 perder tempo em relação aos rivais. Mas foi o #6 que ficou pelo caminho: um superaquecimento tirou o carro dos campeões Klaus Graf e Lucas Luhr da corrida, quando Romain Dumas estava na condução.

s1_1 (4)

Aí foi barbada para Nicolas Prost/Neel Jani/Nick Heidfeld, que não tiveram qualquer problema para emplacar a segunda vitória consecutiva do carro e do time na pista da Geórgia, com seis voltas de vantagem para o 2º colocado. Uma pena que a corrida tenha terminado da pior forma possível para Graf, Luhr e Dumas, mas no automobilismo é assim. Num dia se ganha, noutro se perde. E segue o parador.

s1_1 (3)

As demais categorias animaram a Petit Le Mans – e bastante, aliás. Na LMP2, onde a Level 5 e a Extreme Speed Motorsports lutavam pelo privilégio de ter um de seus pilotos-patrões com o título, deu Scott Tucker. O carro #551 guiado por ele, Ryan Briscoe e Marino Franchitti chegou em 2º na geral e venceu em sua categoria com 1″394 de vantagem para o #01 guiado por Scott Sharp/Anthony Lazzaro/David Brabham. Tucker fechou o campeonato com oito pontos de vantagem sobre Marino Franchitti e 10 para Sharp. O pódio teve ainda o trio formado por Guy Cosmo/Peter Dumbreck/Jonny Kane.

Na LMPC, o brasileiro Oswaldo “Ozz” Negri fez uma excelente estreia a bordo do Oreca FLM09 da 8Star Motorsports. Usando toda sua experiência e o amplo conhecimento da performance dos pneus Continental que suprem esta categoria, Negri liderou por nada menos que oito voltas na geral, quando a pista estava no meio-termo entre o seco e o molhado. Ele e seu parceiro Sean Rayhall podiam ter sido o que se chama de “fiel da balança” a favor do líder do campeonato Mike Guasch, mas não foi assim que as coisas funcionaram.

Até porque, ainda no início, o #52 da PR1/Mathiasen Motorsports teve um contato com o Lola da Rebellion e levou a pior. O carro teve que ir para as mãos dos mecânicos e perdeu imenso tempo. Voltaram em 7º e último na categoria e com os problemas dos rivais, só avançaram mais duas posições, deixando Guasch em quinto.

s1_1 (1)

Como se viu, foi insuficiente: Negri/Rayhall chegaram em segundo na classe e a vitória foi do #8 de Kyle Marcelli/Chris Cumming/Stefan Johansson – resultado que deu por um único ponto (141 a 140) o título de pilotos a Cumming e a BAR1 Motorsports chefiada por Brian Alder conquistou em seu primeiro ano de existência o campeonato entre as escuderias, após um desempate com a CORE Autosport pelo número de vitórias – três contra duas. Ambas as escuderias ficaram rigorosamente iguais na pontuação, com 145 pontos para cada.

s1_1 (2)

O Team Falken Tire driblou mais uma vez as adversidades e conquistou uma belíssima vitória na LMGT: o carro #17 de Wolf Henzler/Bryan Sellers/Nick Tandy portou-se brilhantemente e superou as demais equipes no duelo da categoria mais equilibrada do certame todo. Detalhe: a equipe teve que lançar mão – mais uma vez – do seu Porsche construído em 2010 porque o modelo 2012 não reunia ainda condições de ir para a pista após a porradaria da etapa de Baltimore.

A batalha campal durou a prova inteira e o #17 prevaleceu por menos de um segundo sobre a BMW Z4 GTE de Dirk Muller/John Edwards/Bill Auberlen. Um ótimo resultado para o time de Bobby Rahal, é fato, mas insuficiente para Muller: com o 6º lugar na classe, Antonio Garcia e Jan Magnussen conquistaram o título de pilotos num ano quase perfeito para a Corvette Racing, que se despede com honras do modelo C6-R, que ano que vem será substituído pelo novíssimo C7-R.

O carro que mais liderou a Petit Le Mans na classe foi o SRT Viper #91 de Dominik Farnbacher/Marc Goossens/Ryan Dalziel, com 126 voltas no total. Mas um contato com um protótipo acabou de vez com as possibilidades do trio.

Entre os Porsche Cup da LMGTC, título definido em favor de Cooper MacNeil e Jeroen Bleekemolen, da Alex Job Racing. Os dois terminaram em 4º lugar na categoria e chegaram ao total de 145 pontos contra 139 de Spencer Pumpelly e Nelson Canache Jr. – os dois venceram a corrida ao lado do jovem Madison Snow, um resultado que deixou a Flying Lizard Motorsports contente com o título de equipes.

Quem fez boa corrida foi o piloto-ator-galã Patrick Dempsey, ao lado de Andy Lally e Joe Foster, levando o #27 da Dempsey Racing/Del Piero ao pódio na última corrida do campeonato.

Então é isso: uma bela história chega ao fim. Só posso me sentir honrado e privilegiado por ter contado ao longo desse ano como foi a última temporada da American Le Mans Series, além de ter acompanhado com o interesse costumeiro os campeonatos anteriores. Espero sinceramente que o novo campeonato United Sports Car Championship consiga atender às nossas esperanças e expectativas de competitividade, grids cheios e grandes corridas.

Tributo a Sean Edwards

BW4OuOnCEAAUTK1Pilotos britânicos e australianos da American Le Mans Series em foto-homenagem a Sean Edwards, prematura e tragicamente falecido na última terça-feira. Da esquerda para a direita, estão Peter Dumbreck, Richard Westbrook, Robin Liddell, Ryan Briscoe, Ryan Dalziel, Nick Tandy, Jonny Kane, Oliver Gavin, Tom Kimber-Smith, Rob Bell, David Brabham, Katherine Legge e Andy Meyrick. Faltou só o Marino Franchitti. Bela homenagem da turma!

Petit Le Mans: Jani conquista segunda pole seguida da Rebellion

s1_1 (1)

RIO DE JANEIRO – Foi fácil. A Rebellion Racing, graças a Neel Jani, conquistou pela segunda vez consecutiva a pole position para a Petit Le Mans, última etapa da temporada 2013 e também da história da American Le Mans Series. O suíço fez voltas simplesmente voadoras e imbatíveis para marcar a posição de honra com o tempo de 1’09″254 com o Lola B12/60 número #12.

“Amanhã será diferente”, disse Jani após o treino. “Deve ser uma guerra tática entre nós (Rebellion Racing) e a Muscle Milk Pickett”, afiançou o piloto.

JM-MuscleMilk-Fri-Mor-Petit-ALMS

Em ritmo de classificação, realmente não houve parâmetro entre os dois principais carros da classe LMP1, que amanhã fazem sua despedida oficial das pistas ianques. O #6 da Muscle Milk foi conduzido por Lucas Luhr no classificatório e o alemão não foi além de 1’10″397, precisamente 1″143 mais lento que o carro de Jani num treino interrompido duas vezes – primeiro por uma rodada de Chris Dyson no Lola #16 em virtude de uma falha de câmbio e depois a apenas três segundos do fim, quando o HPD #551 de Ryan Briscoe enfrentou problemas mecânicos.

Aliás, por causar esta bandeira vermelha, o australiano perdeu a pole na LMP2. O melhor tempo desta divisão ficou com David Brabham, que marcou 1’12″668 com o HPD ARX-03b #01 da Extreme Speed Motorsports. Menos mal que Briscoe ficou com o segundo lugar no grupo, quarto geral no grid de largada, garantindo a segunda fila junto a seus parceiros Marino Franchitti e Scott Tucker.

Na LMPC, Dane Cameron fez um ótimo treino com o #52 da PR1/Mathiasen Motorsports. Conseguiu uma volta excepcional abaixo de 1’15” e registrou a terceira pole dele no ano nesta subclasse – segunda dele em Road Atlanta. Um resultado que ajuda Mike Guasch, seu parceiro de equipe e líder do campeonato. O tempo de Cameron foi 1’14″955, sétimo geral no grid.

Bruno Junqueira bem que tentou superar o adversário e, no afã de melhorar seu próprio tempo, cometeu um pequeno erro, perdendo o controle do carro e batendo de leve na proteção de pneus da curva #5. Mesmo assim, o piloto brasileiro foi o segundo mais rápido da classe com 1’15″143, 9º tempo geral. Tom Kimber-Smith ficou com a terceira posição do grupo, seguido por Kyle Marcelli e Sean Rayhall, companheiro de escuderia de outro brasileiro, Oswaldo “Ozz” Negri.

alms-2013-atl-eg-0097

Na LMGT, a Ferrari da Risi Competizione foi absoluta. Numa pista onde a Ferrari F458 Italia tem sempre ótimo desempenho e as características do carro ajudam, o italiano Matteo Malucelli não teve qualquer dificuldade para ser o mais rápido do dia em 1’18″861, superando por apenas 0″027 o SRT Viper do estadunidense Jonathan Bomarito, que mais uma vez fez um ótimo trabalho num treino classificatório. O outro carro do time SRT Motorsports, guiado por Marc Goossens, ficou com o terceiro posto.

Líder do campeonato, Antonio Garcia foi o quarto mais rápido, com Dirk Muller em quinto e Bryan Sellers em sexto. As cinco marcas inscritas na classe ficaram com pelo menos um carro entre os seis primeiros – e apenas meio segundo separou essa turma toda.

Com o Porsche #45 da Flying Lizard, Spencer Pumpelly cravou o melhor tempo entre os LMGTC. O piloto fez um tempo quase inatingível – 1’24″118, mais de três décimos melhor que Jeroen Bleekemolen no #22 da Alex Job Racing. Andy Lally foi o terceiro mais veloz da sessão e Jan Heylen ficou com a quarta posição.

A largada para a 16ª edição da Petit Le Mans, com previsão de 394 voltas ou 10 horas de duração, acontece a partir de 12h30, pelo horário de Brasília.

Petit Le Mans: Jani crava melhor tempo no último treino com pista seca

alms-2013-atl-eg-0084

RIO DE JANEIRO – A chuva deu uma trégua em Road Atlanta e finalmente um dos treinos livres para a 16ª edição da Petit Le Mans aconteceu com pista seca. Mais uma vez o Lola B12/60 da Rebellion Racing estabeleceu o tempo de referência e o suíço Neel Jani foi o mais rápido do dia, dominando a sessão diante da equipe campeã de 2013 na LMP1, a Muscle Milk Pickett Racing.

Jani marcou 1’10″137 contra 1’11″099 do alemão Lucas Luhr. Os dois conseguiram grande margem em relação ao Lola #16 da Dyson Racing, terceiro mais veloz com Chris Dyson a bordo. O Delta Wing ficou com a 11ª marca geral, quase seis segundos mais lento que o helvético do #12 e tendo cumprido somente nove voltas nessa derradeira sessão antes do qualifying.

Na LMP2, a Level 5 fechou o último treino livre à frente: Marino Franchitti marcou 1’13″861 com o HPD ARX-03b #551, seguido pelo #01 da ESM com David Brabham a bordo. Guy Cosmo foi o terceiro mais rápido no segundo carro do time de Scott Tucker, enquanto Johannes van Overbeek foi o quarto. Nenhuma surpresa nisto, portanto.

O melhor tempo da LMPC na sessão de hoje ficou com Dane Cameron – 1’15″396, quatro décimos abaixo do carro #9 da RSR Racing, que teve o brasileiro Bruno Junqueira na pilotagem. A equipe de Paul Gentilozzi, aliás, apresenta uma cara nova na ALMS: o jovem (18 anos) Gustavo de Menezes, que tem nome brasileiro mas é nascido e criado na Califórnia, em Coto de Caza. Gustavo foi um bom piloto de kart e disputou corridas da Star Mazda pela Juncos Racing.

A terceira posição entre os Oreca FLM09 foi de Sean Rayhall, estabelecendo um tempo melhor que o Delta Wing. Ele é o parceiro de Oswaldo Negri neste fim de semana na Petit Le Mans. O #18 de Tristan Nunez foi o quarto, seguido por Kyle Marcelli, da BAR1 Motorsports.

O italiano Matteo Malucelli estabeleceu o melhor tempo entre os LMGT com a Ferrari da Risi Competizione. Ele fez 1’19″251, quase três décimos melhor que Oliver Gavin, da Corvette. Os SRT Viper ficaram em terceiro e quarto, respectivamente, com Marc Goossens e Jonathan Bomarito. Ainda lutando pelo título de pilotos, Dirk Muller foi o quinto mais rápido do último treino livre com sua BMW, seguido por Antonio Garcia, que divide a liderança do campeonato com Jan Magnussen no Corvette #3.

Por fim, na LMGTC os virtuais campeões terminaram na frente graças a Jeroen Bleekemolen, estabelecendo a melhor marca entre os Porsche Cup, com o tempo de 1’24″020, apenas 0″078 abaixo do #45 da Flying Lizard, guiado por Spencer Pumpelly. Andy Lally foi o terceiro mais rápido, com Dion Von Moltke em quarto e Jan Heylen na quinta posição.

O treino classificatório que define o grid para a 16ª edição da Petit Le Mans acontece daqui a pouco, a partir de 14h45 pelo horário de Brasília.

Petit Le Mans, treinos livres: chuva atrapalha quinta-feira e Rebellion larga na frente

RebellionNight_0

RIO DE JANEIRO – Com a chuva que encharcou o asfalto do circuito Road Atlanta nesta quinta-feira, ficou difícil tirar um parâmetro sobre quem leva vantagem em relação aos rivais nos primeiros treinos para a 16ª edição da Petit Le Mans, que se disputa no próximo sábado. A pista até melhorou um pouco do primeiro para o segundo treino, quando menos de 25 carros andaram.

À noite, as condições também continuaram desfavoráveis – mas aí não houve jeito e os 34 carros inscritos tiveram que ir para a pista cumprir com a obrigação de fazer os pilotos andarem nas condições em que terminarão a corrida, que terá 394 voltas ou no máximo 10 horas de duração.

Ao fim do dia, a Rebellion Racing, que levou um de seus Lola B12/60 Toyota para a última corrida da história da ALMS, ficou com a melhor marca: 1’20″360, após um total de 33 voltas, graças ao suíço Neel Jani. É um tempo cerca de dez segundos mais lento que em condições normais, com pista seca.

O HPD ARX-03c da campeã Muscle Milk Pickett Racing cumpriu apenas onze giros na sessão noturna. O carro de Klaus Graf/Romain Dumas/Lucas Luhr já fora o mais rápido nos dois treinos anteriores, com mais chuva e desta vez ficou em segundo, com 1’22″875, escudado pelo #551 da Level 5 Motorsports, o melhor entre os quatro protótipos LMP2 inscritos.

Na GT, com a pista nas condições em que se encontrava, os Porsches foram muito competitivos. O #17 de Wolf Henzler/Bryan Sellers/Nick Tandy ficou com o 8º tempo geral no dia de hoje, em 1’28″933, apenas oito milésimos abaixo do #48 de Emmanuel Collard/Bryce Miller/Marco Holzer. Só depois veio o SRT Viper de Jonathan Bomarito/Kuno Wittmer/Tommy Kendall.

O brasileiro Oswaldo Negri, em sua primeira – e única – aparição na ALMS em 2013, foi o mais rápido entre os protótipos Oreca FLM09 LMPC. Com o carro #25 da 8Star Motorsports, virou em 1’31″783 contra 1’32″310 do #18 de Charlie Shears/Tristan Nunez. O outro brasileiro inscrito, Bruno Junqueira, apareceu na 3ª posição do grupo.

Entre os Porsche Cup da LMGTC, o mais rápido foi o #11 com Jan Heylen virando 1’36″590, dois décimos abaixo do #22 da Alex Job Racing e o #27 da Dempsey Racing/Del Piero ficou em 3º lugar no grupo.

Amanhã será disputado o último treino livre a partir de 10h20 locais, 11h20 de Brasília. A qualificação para a 16ª Petit Le Mans, última corrida da história da ALMS, terá início às 13h45 locais, 14h45 pelo horário de Brasília.

Petit Le Mans com 37 carros na última corrida da ALMS

P112-Start

RIO DE JANEIRO – No próximo dia 19 de outubro, mais uma categoria chega ao fim. Após a Rolex Sports Car Series, é a vez da American Le Mans Series, cujo primeiro campeonato foi disputado em 1999, virar a página de sua história para compor, junto ao outro certame recém-extinto, a United Sports Car Championship (USCC).

Trinta e sete carros, número um pouco abaixo do esperado, compõem o plantel de inscritos para a última corrida da temporada de 2013. As únicas novidades com relação ao que vínhamos acompanhando nas últimas corridas são o regresso da Rebellion Racing para uma última participação na ALMS – visando a conquista de uma vaga direta nas 24h de Le Mans em 2014 – e a estreia da 8Star Motorsports, que já confirmou o experiente brasileiro Oswaldo “Ozz” Negri ao lado de Sean Rayhall, jovem piloto de 18 anos, a bordo de um Oreca FLM09 Chevrolet da classe LMPC, a mesma que contará também com Bruno Junqueira a bordo do carro da RSR Racing.

Excetuando-se a LMP1, que já conhece seus campeões – Klaus Graf e Lucas Luhr levaram o título na etapa de Baltimore, todas as demais categorias continuam sob o signo da indefinição: na LMP2, Scott Tucker, piloto e patrão da Level 5 Motorsports, chega à Petit Le Mans como líder do campeonato. Ele soma 149 pontos, contra 143 de Scott Sharp, 141 de Marino Franchitti e 137 de Guy Cosmo. Todos, portanto, com chance.

A Extreme Speed Motorsports, aliás, confirmou Rob Bell e David Brabham para ajudar os titulares dos dois HPD ARX-03b em Road Atlanta. A Level 5 tem a opção de indicar mais um parceiro para Tucker e Briscoe no #551. O #552 terá Cosmo e Franchitti. Tucker, por enquanto, está inscrito nos seus dois protótipos.

Na LMPC, Mike Guasch lidera com 128 pontos, onze a mais que Chris Cumming, agora seu principal rival na luta pelo título. Jonathan Bennett tem 116 e Colin Braun, que vai regressar ao #05 na última corrida do ano, é o quarto com 112. Decisão estratégica da CORE para tentar fazer do piloto-patrão o campeão de 2013. Só que o time de Bobby Oergel, a PR1 Mathiasen, já escalou Dane Cameron e David Cheng para ajudar Guasch a levar a taça.

O campeonato da LMGT também não está fechado: Antonio Garcia/Jan Magnussen lideram com dezesseis pontos de frente para Dirk Muller. Com 24 pontos em jogo nesta corrida, só estes pilotos brigam pelo título, pois Oliver Gavin/Tommy Milner estão em terceiro com 100. A Petit Le Mans será a última corrida da história do Chevrolet Corvette C6-R, já campeão de 2013, na ALMS.

Na LMGTC, são cinco pilotos e três carros na briga: o #22 de Cooper MacNeil/Jeroen Bleekemolen chega à decisão do campeonato na frente, com 131 pontos – treze a mais que o venezuelano Henrique Cisneros, que corre no #30 da NGT Motorsport. O #45 guiado por Nelson Canache Jr./Spencer Pumpelly deixou a dupla em condições de aspirar ao título – eles somam 115 pontos.

Vamos aos inscritos:

LMP1

#6 MUSCLE MILK PICKETT RACING
HPD ARX-03c (M)
Klaus Graf/Lucas Luhr/Romain Dumas

#12 REBELLION RACING
Lola B12/60 Toyota (M)
Nick Heidfeld/Neel Jani/Nicolas Prost

#16 DYSON RACING
Lola B12/60 Mazda (M)
Chris Dyson/Tony Burgess/Chris McMurry

#0 DELTAWING RACING CARS
DeltaWing DW12 Elan (B)
Katherine Legge/Andy Meyrick

LMP2

#01 EXTREME SPEED MOTORSPORTS
HPD ARX-03b (M)
Scott Sharp/Anthony Lazzaro/David Brabham

#02 EXTREME SPEED MOTORSPORTS
HPD ARX-03b (M)
Johannes van Overbeek/Ed Brown/Rob Bell

#551 LEVEL 5 MOTORSPORTS
HPD ARX-03b (M)
Ryan Briscoe/Scott Tucker/Marino Franchitti

#552 LEVEL 5 MOTORSPORTS
HPD ARX-03b (M)
Guy Cosmo/Jonny Kane/Peter Dumbreck

LMPC

#7 BAR1 MOTORSPORTS
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Rusty Mitchell/Tomy Drissi/James French

#8 BAR1 MOTORSPORTS
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Kyle Marcelli/Chris Cumming/Stefan Johansson

#9 RSR RACING
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Bruno Junqueira/Duncan Ende/piloto a confirmar

#18 PERFORMANCE TECH MOTORSPORTS
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Tristan Nunez/Charlie Shears/piloto a confirmar

#25 8STAR MOTORSPORTS
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Oswaldo Negri Jr./Sean Rayhall/piloto a confirmar

#52 PR1 MATHIASEN MOTORSPORTS
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Dane Cameron/David Cheng/Mike Guasch

#05 CORE AUTOSPORT
Oreca FLM09 Chevrolet (C)
Tom Kimber-Smith/Jonathan Bennett/Mark Wilkins

LMGT

#3 CORVETTE RACING
Chevrolet Corvette C6-R (M)
Jan Magnussen/Antonio Garcia/Jordan Taylor

#4 CORVETTE RACING
Chevrolet Corvette C6-R (M)
Oliver Gavin/Tommy Milner/Richard Westbrook

#17 TEAM FALKEN TIRE
Porsche 911 (997) GT3 RSR (F)
Bryan Sellers/Wolf Henzler/Nick Tandy

#23 TEAM WEST/AJR/BOARDWALK FERRARI
Ferrari F458 Italia (Y)
Bill Sweedler/Leh Keen/Johnny Mowlem

#48 PAUL MILLER RACING
Porsche 911 (997) GT3 RSR (M)
Bryce Miller/Marco Holzer/Emmanuel Collard

#55 BMW TEAM RLL
BMW Z4 GTE (M)
Üwe Alzen/Maxime Martin/Jörg Müller

#56 BMW TEAM RLL
BMW Z4 GTE (M)
Dirk Muller/John Edwards/Bill Auberlen

#62 RISI COMPETIZIONE
Ferrari F458 Italia (M)
Olivier Beretta/Matteo Malucelli/Robin Liddell

#91 SRT MOTORSPORTS
SRT Viper GTS-R (M)
Dominik Farnbacher/Marc Goossens/Ryan Dalziel

#93 SRT MOTORSPORTS
SRT Viper GTS-R (M)
Jonathan Bomarito/Kuno Wittmer/Tommy Kendall

#06 CORE AUTOSPORT
Porsche 911 (997) GT3 RSR (M)
Patrick Long/Colin Braun/Michael Christensen

LMGTC

#10 DEMPSEY DEL PIERO RACING
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Charlie Espenlaub/Charles Putman/Darren Law

#11 JDX RACING
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Mike Hedlund/Jan Heylen/Jon Fogarty

#22 ALEX JOB RACING
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Cooper MacNeil/Jeroen Bleekemolen/Sebastiaan Bleekemolen

#27 DEMPSEY DEL PIERO RACING
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Patrick Dempsey/Andy Lally/Joe Foster

#31 NGT MOTORSPORT
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Nicolas Armindo/Angel Benitez Jr./Christina Nielsen

#44 FLYING LIZARD MOTORSPORTS
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Seth Neiman/Dion Von Moltke/Brett Sandberg

#45 FLYING LIZARD MOTORSPORTS
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Nelson Canache Jr./Spencer Pumpelly/Madison Snow

#66 TRG
Porsche 911 (997) GT3 Cup (Y)
Ben Keating/Damien Faulkner/Craig Stanton