AutoGP: dois triunfos de Sato na Hungria

4450620140503135603

RIO DE JANEIRO – Vice-campeão da AutoGP World Series ano passado, o japonês Kimiya Sato venceu de forma sensacional as duas provas da 3ª rodada dupla da temporada, disputadas no último fim de semana em Hungaroring, como preliminar do WTCC. O piloto da Euronova não tomou conhecimento dos adversários: na corrida #1, largou de décimo feito um torpedo e em sete voltas, já era terceiro colocado. Na 10ª volta, superou o pole position Markus Pommer e daí chegou à ponta, parando nos boxes mais tarde para o pit stop compulsório e receber a quadriculada da vitória com 1″215 de vantagem sobre o húngaro Tamas Pàl Kiss, da Zele Racing.

Andrea Roda conquistou o primeiro pódio na temporada com a 3ª posição, seguido por Kevin Giovesi, Sam Dejonghe e por Markus Pommer, dominante numa classificação banhada pela chuva. A corrida deste fim de semana marcou o retorno do italiano Vittorio Ghirelli, que está na Indy Lights. O atual campeão da categoria completou a prova #1 na nona posição, à frente da compatriota Michela Cerruti.

Na corrida #2, disputada no domingo, Sato largou em oitavo com a inversão dos oito primeiros no resultado da prova #1 e fez uma corrida mais conservadora para não desgastar os pneus na primeira parte da disputa. Saiu-se bem na tarefa: fez o pit stop na 15ª volta e quando assumiu a liderança, não a perdeu mais. Venceu com 7″220 de vantagem para Vittorio Ghirelli. Sam Dejonghe acabou no pódio, seguido por Kevin Giovesi, Andrea Roda e Markus Pommer. O ídolo local Pàl Kiss acabou apenas na 7ª colocação.

Com os resultados do fim de semana, Sato disparou na liderança do campeonato, agora somando 114 pontos contra 75 de Kiss, 65 de Pommer e 58 de Giovesi. O campeonato faz uma longa pausa no mês de maio e volta apenas no dia 31 e em 1º de junho para a quarta rodada dupla, no tradicional Autódromo de Monza, na Itália.

Nigel Stepney (1958-2014)

Stepney-nigel

RIO DE JANEIRO – Morreu nesta sexta-feira, aos 56 anos, num acidente rodoviário nas cercanias de Kent, na Grã-Bretanha, um dos principais protagonistas de um dos maiores escândalos contemporâneos do automobilismo: Nigel Stepney.

Mecânico de longa carreira no esporte, tendo trabalhado na Shadow, Lotus e Benetton, ficou por um longo tempo na Ferrari, onde tornou-se primeiro chefe de mecânicos e depois engenheiro da escuderia de Maranello.

Em 2007, Stepney foi o pivô de uma controversa troca de informações entre ele e o colega britânico Mike Coughlan, na época na McLaren. Foi um dos casos mais rumorosos, talvez o mais rumoroso, de espionagem no automobilismo, do qual tinham conhecimento os pilotos Pedro de la Rosa e Fernando Alonso, que na época defendiam a equipe de Ron Dennis. A escuderia foi, inclusive, eliminada do Mundial de Construtores daquele ano e levou uma multa de US$ 100 milhões, a maior já aplicada na Fórmula 1.

Com a credibilidade abalada pelo episódio, Stepney foi “saído” da Ferrari e depois juntou-se à escuderia JRM do amigo James Rumsey, para trabalhar no FIA GT e cuidar dos Nissan GT-R da equipe e posteriormente no WEC, como o engenheiro-chefe do protótipo HPD ARX-03c que a equipe alinhou no campeonato do ano retrasado.

Stepney chegou a ser condenado, há quatro anos, por sabotagem e pelo vazamento de dados confidenciais da Ferrari à McLaren. Sua pena foi de um ano e oito meses. Cumpriu-a em liberdade, além de pagar uma multa de € 600 à época.

PWC: primeiro top 10 de Hahn no campeonato

phoca_thumb_l_m_smithbarber102370

RIO DE JANEIRO – O piloto brasileiro Marcelo Hahn conquistou no último fim de semana seu primeiro top 10 no Pirelli World Challenge, competição estadunidense de Grã-Turismo que realizou sua 3ª rodada como evento suporte da Fórmula Indy no Barber Motorsports Park, em Birmingham, no Alabama.

Largando de 11º na segunda prova do fim de semana com um Lamborghini FLII da equipe Reiter Engineering, Marcelo fez uma boa corrida. Chegou em décimo e, de quebra, foi o melhor entre os pilotos da subdivisão GTA, para os chamados gentleman drivers. Na corrida da véspera, ele largara em 13º, mas concluiu somente em décimo-sétimo e oitavo entre os pilotos da GTA.

Mais de 40 carros largaram para as duas corridas e a vitória na prova #1 ficou com Anthony Lazzaro, a bordo de uma Ferrari F458 Italia GT3. O veterano piloto de 50 anos ganhou com quase dois segundos e meio de vantagem para o atual campeão Johnny O’Connell, com um Cadillac. Nick Mancuso, colega de equipe de Lazzaro, chegou em 3º e foi o vencedor da GTA no sábado.

No domingo, com chuva, Andrew Palmer levou a melhor com o Audi da GMG Racing. Lazzaro chegou em segundo e O’Connell foi o terceiro. Na divisão GTS, duas vitórias do canadense Mark Wilkins, com um Kia Optima do time oficial de fábrica.

Após quatro provas disputadas, Anthony Lazzaro assumiu a liderança na divisão GT do Pirelli World Challenge, somando 439 pontos contra 393 de Johnny O’Connell e 376 de Andy Pilgrim. Marcelo Hahn é o 20º com 101, enquanto Michael Mills lidera na divisão GTA com 225 pontos. Na GTS, Mark Wilkins comanda a classificação com 376 pontos, treze à frente de Nic Jönsson.

Próxima prova: Detroit, no circuito Belle Isle, nos dias 31 de maio e 1º de junho.

Fórmula 4: George Russell vence duas na abertura

George Russell crosses the line to take his first F4 win

RIO DE JANEIRO – Bicampeão europeu de Kart, o britânico George Russell, de 16 anos, começou muito bem sua primeira rodada na Fórmula 4 britânica, cuja temporada teve início neste fim de semana em Silverstone, na Inglaterra. Competindo com um monoposto da Lanan Racing, campeã do ano passado com Jake Hughes, ele venceu duas das três baterias disputadas e já começa o campeonato na liderança, com 79 pontos.

Além dele, o único piloto a subir ao pódio duas ou mais vezes nas três baterias da rodada de abertura foi o mexicano Diego Menchaca, 2º colocado na corrida #1 e terceiro na corrida #3. Os resultados fizeram dele o vice-líder após a primeira rodada, treze pontos atrás de Russell. O sul-africano Raoul Hyman, que assim como Menchaca regressa para um segundo ano na F-4, venceu a primeira corrida e sai de Silverstone com a 3ª posição no campeonato.

O indiano Arjun Maini impressionou: foi 2º colocado na corrida #3 e começou bem também sua trajetória na categoria. Está em quarto lugar, seguido por Will Palmer, filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, CEO do certame.

Gustavo Lima, da Hillspeed, teve boa participação na primeira rodada da F-4: o piloto de Brasília conseguiu um 6º lugar na corrida #1 e a quinta posição na corrida #2. Ele tinha sido apenas o 10º colocado na terceira prova, mas subiu para nono com a desclassificação de Sennan Fielding, que provocou uma colisão com o dinamarquês Nicolas Beer. Como efeito, o piloto sai de Silverstone com 45 pontos somados.

DiMauro-32

Estreante na categoria, o jovem Gaetano di Mauro marcou pontos em duas das três provas do fim de semana. Na segunda, acabou por nem completar a primeira volta. Nas demais, fechou em 12º lugar. O piloto da PetroBall Racing está empatado com o companheiro de equipe Dan Roeper, na 15ª posição, somando 18 pontos.

A próxima etapa será no circuito Brands Hatch GP, como evento suporte do Blancpain Sprint Series, nos dias 17 e 18 de maio.

Giorgio Pianta (1935-2014)

4432120140418154833A voz da experiência: Miki Biasion, um dos maiores pilotos do WRC em todos os tempos, ouve os conselhos de Giorgio Pianta, o “pai” do Lancia Delta S4

RIO DE JANEIRO – Faleceu na última semana um dos mais representativos nomes do automobilismo italiano em todos os tempos. Giorgio Pianta, o pai do Lancia Delta S4, foi o artífice do domínio do fabricante italiano nas provas do World Rally Championship (WRC) nos anos 80, com pilotos do naipe de Miki Biasion, Didier Auriol, Markku Alen e Juhä Känkkunen. Ele tinha 78 anos e estava às vésperas de completar mais um aniversário.

A carreira de Giorgio Pianta começou em 1953 na lendária prova Mille Miglia, disputada nas estradas da Itália e que inspiraram algumas cenas de Amarcord, o filme autobiográfico do cineasta Federico Fellini. Em grande parte de sua trajetória, ele guiou diversos modelos dos construtores italianos, feito os Fiat Abarth, a Alfa Romeo Giulietta e a Lancia Flaminia. Também andou de Porsche 911 S e com a lendária Giulia Sprint GTA do construtor do trevo de quatro folhas.

Em seu currículo, constaram também diversas participações em provas do World Sportscar Championship, notadamente nos anos 70. Correndo pela equipe Jolly Club, chegou em 7º lugar nos 1000 km de Dijon-Prenois de 1973, num Lola T280 em dupla com o compatriota Pino Pica, o parceiro que esteve com ele no maior número de provas. No ano seguinte, a dupla chegaria em 6º nos 1000 km de Monza.

24h81_68_Lancia_2Única vez: Pianta disputou as 24h de Le Mans em 1981 com este Lancia Beta Montecarlo Turbo. Chegou em 14º lugar

Venceu por três vezes o Giro d’Italia e sua última aparição como piloto foi nas 9 Horas de Kyalami, em 1982, quando já tinha 47 anos de idade, num Porsche 908/3 da Brunn Racing, chegando em sexto ao lado de Jean-Michel Martin e Alain de Cadenet. Nas 24 Horas de Le Mans, participou apenas uma vez: chegou em 14º com um Lancia Beta Montecarlo Turbo ao lado de Giorgio Schön e Martino Finotto.

giudici-giorgio-piantaTempos de Alfa Romeo e DTM, atuando como diretor. Na foto, com o então piloto da marca Gianni Giudici

Quando passou para o outro lado do balcão, como diretor e piloto de testes, Giorgio Pianta mostrou toda a sua competência. Sob sua batuta, a Lancia se tornou uma das marcas mais vitoriosas do WRC nos anos 80 e na década seguinte, o Grupo Fiat, dono da Alfa Romeo, o designou para ser o chefe do projeto da marca no DTM, o competitivo Campeonato Alemão de Turismo. Sob sua batuta, estiveram pilotos como Alessandro Nannini, Nicola Larini, Giancarlo Fischella, Stefano Modena e o saudoso Michele Alboreto. A lendária Alfa Romeo 155 Ti V6, apelidada La Piccola, deixou saudades.

156_farfus

Augusto Farfus a bordo da Alfa Romeo 156, último projeto em que Pianta se envolveu antes da aposentadoria

Antes da aposentadoria, Pianta ainda deu sua última contribuição para o automobilismo, quando trabalhou na concepção do projeto da Alfa Romeo para o WTCC, o Mundial de Carros de Turismo, quando foi desenvolvido em parceria entre a Nordauto e a N. Technology o modelo 156 que teve, inclusive, o brasileiro Augusto Farfus a bordo.

British F-4: 22 carros na abertura em Silverstone

The test took place under clear blue skies

RIO DE JANEIRO – A segunda temporada da Fórmula 4 está prestes a começar. Neste fim de semana, 22 pilotos já inscritos abrem o campeonato no circuito britânico de Silverstone. A mais tradicional de todas as pistas do Reino Unido terá a primeira de oito rodadas triplas sábado e domingo, pelo circuito de 5,891 km de extensão.

Dois brasileiros vão disputar a categoria, que repetirá a mesma fórmula de disputa de 2013, com monopostos construídos pela Van Diemen de Ralph Firman, dotados de motor Ford Duratec com 185 HP de potência e gestão eletrônica Cosworth, transmissão Sadev de 6 marchas e pneus Yokohama. O paulista Gaetano di Mauro, de 17 anos apenas, estreia com a equipe Petroball Racing Limited. Campeão da Sprint Race e do Shifter Kart ano passado, ele também venceu as 500 Milhas de Kart disputadas no Beto Carrero World, em Penha (SC).

Já o brasiliense Gustavo Lima, também de 17 anos, estreia na equipe Hillspeed após fazer sua temporada de estreia no certame pela HHC Motorsport. Gustavo conseguiu um 3º lugar como melhor resultado numa das 24 corridas disputadas ano passado e encerrou o ano em 14º lugar com 233 pontos, à frente de Pietro Fittipaldi, que venceu uma vez, em Brands Hatch. O neto de Emerson Fittipaldi preferiu migrar para a Fórmula Renault e dar prioridade a este certame – já vencendo uma corrida neste ano.

Para este campeonato, poucos pilotos seguem para um segundo ano. Além de Gustavo Lima, o sul-africano Raoul Hyman, o malaio Rahul Raj Mayer, o norueguês Falco Wauer, o mexicano Diego Menchaca e os britânicos Struan Moore e Sennan Fielding são os únicos que continuam na Fórmula 4. Entre as caras novas, chegam Will Palmer, filho mais novo do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, CEO da F-4, o bicampeão europeu de kart George Russell, pela Lanan Racing, campeã do ano passado com Jake Hughes e Chris Middlehurst, atual vencedor da Fórmula Renault BARC.

Mais outros três pilotos da América Latina também vão integrar o grid: estreiam neste ano os mexicanos Alfredo Zabalza (Hillspeed) e Rodrigo Fonseca (Douglas Motorsport),e o venezuelano Diego Borrelli, pela Sean Walkinshaw Racing.

Eis a lista de inscritos para a rodada tripla inagural da Fórmula 4:

#2 CHARLIE EASTWOOD IRL
Douglas Motorsport

#3 WILL PALMER GBR
HHC Motorsport

#4 SENNAN FIELDING GBR
HHC Motorsport

#5 GUSTAVO LIMA BRA
Hillspeed

#6 GEORGE RUSSELL GBR
Lanan Racing

#7 RAOUL HYMAN AFS
HHC Motorsport

#9 STRUAN MOORE GBR
Lanan Racing

#10 TOM JACKSON GBR
Chris Dittman Racing

#12 ALFREDO ZABALZA MEX
Hillspeed

#13 MICHAEL CLAESSENS NDL
Mark Goodwin Racing

#16 CHRIS MIDDLEHURST GBR
Mark Goodwin Racing

#21 GAETANO DI MAURO BRA
Petroball Racing Team

#23 JORDAN ALBERT GBR
Sean Walkinshaw Racing

#26 RODRIGO FONSECA MEX
Douglas Motorsport

#27 NICOLAS BEER DEN
Sean Walkinshaw Racing

#36 ARJUN MAINI IND
Lanan Racing

#41 DIEGO BORRELLI VEN
Sean Walkinshaw Racing

#43 DAVID WAGNER GBR
Mark Goodwin Racing

#51 FALCO WAUER NOR
Enigma Motorsport

#61 DAN ROEPER USA
Petroball Racing Team

#68 DIEGO MENCHACA MEX
Douglas Motorsport

#72 RAHUL RAJ MAYER MAL
Hillspeed

Vitória cala-boca

RIO DE JANEIRO – Tão ou mais competitivo que o WTCC, o British Touring Car Championship (BTCC) chama muito a atenção neste ano pelo fato de que, entre os 31 inscritos, duas peruas foram inscritas para correr entre os modelos homologados para o certame.

2014-honda-civic-tourer-btcc-07

Isso mesmo: duas peruas. Repetindo o que a Volvo fez no passado, quando associada à equipe de Tom Walkinshaw, a escuderia Honda Yuasa Racing, do antigo campeão da competição Matt Neal e de Gordon Shedden, preparou o modelo Civic Tourer, a versão perua da Honda Civic, com motores by Neil Brown.

Em Brands Hatch, na abertura do campeonato em fins de março, o novo Civic Tourer impressionou de saída. Três pódios – dois com Matt Neal e um com Gordon Shedden, um em cada uma das baterias realizadas na tradicional pista britânica.

Mas no último domingo, veio a surpresa: após o 3º lugar na segunda das três baterias disputadas em Donington Park, Gordon Shedden levou o Civic Tourer a uma surpreendente vitória, que deixa o piloto na 3ª posição do campeonato com 86 pontos, um a menos que os líderes Andrew Jordan e Jason Plato. Matt Neal, que levou seu carro ao terceiro posto, está em 5º com 79.

Essa é a chamada vitória cala-boca daqueles que achavam que a experiência da Honda com o Civic Tourer seria um fracasso.

Como se diz no popular, “sabem nada, inocentes!”

AutoGP: Pàl Kiss e Giovesi vencem em Paul Ricard

4433720140419165003

RIO DE JANEIRO – A segunda rodada da AutoGP World Series voltou a ter, assim como na primeira prova em Marrakech, dois vencedores diferentes. Embora o nível técnico continue muito baixo – dessa vez, dos 14 inscritos, somente doze treinaram e onze competiram na segunda prova neste domingo – uma coisa ninguém pode reclamar: quatro pilotos já subiram ao topo do pódio no início da temporada.

Se no Marrocos, Kimiya Sato e Markus Pommer tiveram motivos para sorrir, desta vez o húngaro Tamas Pàl Kiss conseguiu sua primeira vitória na categoria – na prova do sábado, enquanto deu Kevin Giovesi na segunda prova do fim de semana, disputada com chuva e pista molhada.

Ontem, o piloto da Zele Racing foi incontestável. Com uma estratégia bem planejada, o magiar venceu com pouco mais de seis segundos de avanço para o alemão Markus Pommer, da Super Nova. Kimiya Sato completou o pódio, seguido por Kevin Giovesi, Andrea Roda e pelo novato Loris Spinelli.

Hoje, com a inversão do grid entre os oito primeiros colocados da véspera, uma primeira fila incomum apresentava Yoshitaka Kuroda na pole e Michela Cerrutti em segundo. E sob chuva e pista molhada, nenhum dos dois segurou o rojão. A italiana até que conseguiu um honesto 5º lugar, mas Kuroda ficou bem para trás e foi oitavo.

Quinto no grid, Giovesi fez uma excelente corrida e ao fim de 22 voltas, o piloto de 21 anos ganhou com menos de um segundo de diferença para Pàl Kiss, que recuperou-se muito bem vindo de oitavo. Sato completou o pódio com Pommer em quarto.

A 3ª rodada dupla da AutoGP World Series será no circuito de Hungaroring, em Budapeste, nos dias 3 e 4 de maio.

Resultado final da corrida #1:

1 – Tamas Pal Kiss – Zele – 25 voltas em 33’30”924
2 – Markus Pommer – Super Nova – 6”214
3 – Kimiya Sato – Euronova – 6”733
4 – Kevin Giovesi – Eurotech – 12”904
5 – Andrea Roda – Virtuosi UK – 13”464
6 – Loris Spinelli – Eurotech – 14”048
7 – Michela Cerruti – Super Nova – 22”726
8 – Yoshitaka Kuroda – Zele – 23”969
9 – Michele La Rosa – MLR71 – 43”171
10 – Giuseppe Cipriani – Ibiza – 56”752

Resultado final da corrida #2:

1 – Kevin Giovesi – Eurotech – 22 voltas em 35’55”396
2 – Tamas Pal Kiss – Zele – 0”963
3 – Kimiya Sato – Euronova – 11”760
4 – Markus Pommer – Super Nova – 13”597
5 – Michela Cerruti – Super Nova – 19”876
6 – Sam Dejonghe – Virtuosi UK – 35”090
7 – Andrea Roda – Virtuosi UK – 44”326
8 – Yoshitaka Kuroda – Zele – 1’14”078
9 – Michele La Rosa – MLR71 – 1’36”366
10 – Giuseppe Cipriani – Ibiza – 1 volta

Classificação do campeonato após 4 corridas:

1. Kimiya Sato – 68 pontos; 2. Markus Pommer – 55; 3. Tamas Pàl Kiss – 52; 4. Kevin Giovesi – 36; 5. Michela Cerruti – 34; 6. Andrea Roda – 30; 7. Michele La Rosa – 28; 8. Giuseppe Cipriani – 21; 9. Sam Dejonghe – 19; 10. Loris Spinelli – 16.

PWC: O’Connell reina em Long Beach

caddy11

RIO DE JANEIRO – Aos 51 anos, o veterano Johnny O’Connell, que por muitos anos guiou para a Corvette na American Le Mans Series, continua muito competitivo. Agora no Pirelli World Challenge, o piloto que compete com o Cadillac CTS-V oficial de fábrica venceu a prova preliminar da Fórmula Indy neste fim de semana em Long Beach, na Califórnia.

A prova contou com a participação de 40 pilotos, divididos nas subclasses GT, GTA e GTS. O’Connell quebrou o antigo recorde da pista em qualificação – junto com mais outros quatro pilotos – com o tempo de 1’20″386. Na corrida, o carro #3 reinou absoluto no circuito citadino e Johnny recebeu a quadriculada com 1″526 de vantagem para Andy Pilgrim, seu companheiro de equipe.

Terceiro no grid, o experiente Anthony Lazzaro, da R. Ferri Motorsports, repetiu o resultado na corrida com sua Ferrari F458 Italia GT3. Andrew Palmer, da GMG Racing, chegou em quarto com um Audi R8 LMS Ultra, seguido por James Sofronas e Mike Skeen, que também guiaram o modelo do construtor dos quatro anéis.

Na classe GTA, Michael Mills levou a melhor: o piloto da Effort Racing chegou em 10º na geral com seu Porsche GT3-R e foi o primeiro entre os gentlemen drivers. Henrik Hedman, com Ferrari e Jeff Courtney, com Audi, completaram o pódio.

A divisão GTS, que dividiu a pista com os 20 inscritos da GT/GTA, teve vitória do sueco Nic Jönsson, que muitos leitores do blog conhecem da Krohn Racing no Mundial de Endurance. Com um Kia Optima, ele chegou com mais de cinco segundos de vantagem para Tony Buffomante, a bordo de um Ford Mustang Boss 302S. A bordo de outro Optima do fabricante coreano, Mark Wilkins chegou em 3º, seguido pelo pole position do grupo, Jack Roush Jr. e por Alec Udell. O atual campeão Lawson Aschenbach teve problemas mecânicos em seu Camaro e completou apenas duas voltas.

Com duas provas realizadas (teriam sido três, mas a rodada #1 de St. Pete foi cancelada pelo mau tempo naquela oportunidade), Andy Pilgrim lidera a classificação na GT com 224 pontos, contra 188 de O’Connell e 181 de Lazzaro. Na GTA, Nick Mancuso é o ponteiro: ele soma 121 pontos, contra 114 de Michael Mills e 105 de Jeff Courtney. A classificação da GTS mostra Nic Jönsson na frente com 220 pontos, com Tony Buffomante em segundo (195) e Andy Lee (187).

O Pirelli World Challenge segue com a quarta e quinta corridas – que na verdade serão a terceira e quarta válidas pelo campeonato – no circuito misto Barber Motorsports Park, em Birmingham, no Alabama, entre 26 e 27 de abril.

Duval reina na abertura da Super Formula

4424520140413115403

RIO DE JANEIRO – Os novos carros da Super Formula, que agora usa chassis Dallara SF14 com motores Honda e Toyota 2 litros com quatro cilindros, injeção direta e turbocompressor proporcionaram no domingo um belo espetáculo na abertura da temporada em Suzuka. A corrida teve muita ação porque, aliado ao novo regulamento, existe também a opção do sistema push-to-pass para facilitar ultrapassagens e os carros têm novos freios, de carbono, bem mais eficientes.

A surpresa foi, de fato, o vencedor da corrida. Ao fim de 43 voltas, prevaleceu o francês Loïc Duval, que com o Dallara-Toyota do Team Le Mans Sunoco cruzou a linha de chegada com mais de 16 segundos de vantagem para o britânico James Rossiter, da Kondo. Hiroaki Ishiura, da Inging, foi o 3º colocado, num pódio totalmente dominado pelos monopostos com o motor Toyota – numa pista de propriedade da Honda, sempre bom lembrar.

Na verdade, o massacre da Toyota sobre a rival se estendeu até o 7º colocado, pois na sequência do pódio vieram Ryo Hirakawa, o pole position Andre Lotterer, Kazuki Nakajima e o brasileiro João Paulo de Oliveira, que saiu da corrida com a melhor volta, em 1’39″995. O único piloto com motor Honda a pontuar foi Vitantonio Liuzzi, que veio de 15º para completar em oitavo e marcar um pontinho em sua estreia na Super Formula.

Campeão do ano passado, Naoki Yamamoto completou num distantíssimo 11º lugar com o carro do Team Mugen. Narain Kartikheyan, que nos treinos brilhou ao conseguir dividir a primeira fila com Andre Lotterer na largada, abandonou na 15ª volta.

O resultado final:

1 – Loic Duval (Dallara-Toyota) – LeMans – 43 voltas em 1.15’49″802
2 – James Rossiter (Dallara-Toyota) – Kondo – 16″221
3 – Hiroaki Ishiura (Dallara-Toyota) – Inging – 22″125
4 – Ryo Hirakawa (Dallara-Toyota) – LeMans – 29″690
5 – Andre Lotterer (Dallara-Toyota) – Tom’s – 33″617
6 – Kazuki Nakajima (Dallara-Toyota) – Tom’s – 43″092
7 – Joao Paulo de Oliveira (Dallara-Toyota) – Impul – 44″843
8 – Vitantonio Liuzzi (Dallara-Honda) – Real – 52″138
9 – Tomoki Nojiri (Dallara-Honda) – Dandelion – 53″585
10 – Hideki Mutoh (Dallara-Honda) – Dandelion – 54″164
11 – Naoki Yamamoto (Dallara-Honda) – Mugen – 1’06″499
12 – Yuhki Nakayama (Dallara-Honda) – Mugen – 1’07″197
13 – Yuji Kunimoto (Dallara-Toyota) – Inging – a 2 voltas
14 – Koudai Tsukakoshi (Dallara-Honda) – Real – a 5 voltas

Abandonos

28 voltas – Daisuke Nakajima
24 voltas – Takashi Kogure
14 voltas – Narain Karthikeyan
2 voltas – Koki Saga
Não completou a primeira volta – Yuichi Nakayama

Bom começo dos brasileiros na Nascar Whelen Euro Series

10003441_659974664039553_4643875047793474300_n

RIO DE JANEIRO – Começou de forma positiva a participação dos pilotos brasileiros na Nascar Whelen Euro Series. A abertura da temporada, no circuito Ricardo Tormo, em Valência (Espanha), contou com a participação de 27 carros e dois deles tinham quatro representantes do país, cada um correndo numa bateria por dia. Victor Guerin e William Ayer Jr. entraram na pista nas provas da Elite 1 e Marçal Melo e Alex Fabiano competiram na Elite 2.

No sábado, foram disputadas as primeiras provas. Na Elite 1, o belga Bert Longin partiu da pole position com o carro #11 da PK Carsport, mas quem faturou a vitória foi o suíço Yann Zimmer, com o Ford Mustang da TFT-Moser Vernet. Largando em 9º, ele superou Longin por apenas quatro décimos de segundo na quadriculada. Anthony Kumpen foi o terceiro, seguido por Eddie Cheever III, Fabrizio Armetta e Kevin Gilardoni.

10264979_659974377372915_2218348481125883502_n

Victor Guerin, com o carro #83 do Team Brazil, conseguiu um bom 12º lugar, à frente de nomes bem mais experientes que ele, como os do belga Bas Leinders e do italiano Fabrizio Del Monte. William Ayer Jr. largou em vigésimo-sexto e fechou a prova em 20º, uma volta atrás. Bem melhor que o atual campeão Ander Vilariño, que apesar de marcar a melhor volta, abandonou a disputa.

Na Elite 2, Marçal Melo e Alex Fabiano largaram na décima fila. Correram 24 pilotos nessa divisão e a vitória foi de Neal Van Varenbergh, da PK Carsport, que fizera também a pole position. Niccolò Rocca e Wilfried Boucenna compuseram o pódio. Marçal terminou em 17º lugar e Alex foi o vigésimo, duas voltas atrasado. Na categoria Gentlemen, os dois ficaram em sexto e sétimo, respectivamente.

Neste domingo, Ander Vilariño fez as honras da casa e venceu na Elite 1 com seu Chevrolet SS da equipe TFT-Santander. Borja Garcia chegou em 2º com o Ford Mustang da Autolix e Bert Longin foi o terceiro em mais um bom resultado do piloto da PK Carsport.

Entre os brasileiros, William Ayer conseguiu a 16ª posição e Victor Guerin abandonou após completar 10 voltas. Yann Zimmer, vencedor do sábado, também ficou pelo caminho.

Neal Van Varenbergh mostrou que foi o melhor piloto do fim de semana na Elite 2, vencendo também a segunda prova da programação com o #11 da PK Carsport, seguido por Wilfried Boucenna e Marsilio Canuti. Marçal Melo e Alex Fabiano fizeram excelente corrida: o primeiro deles chegou em 9º na geral e terceiro na Gentlemen. Alex foi 11º na geral e quarto na sua subcategoria.

O próximo fim de semana de provas da Nascar Whelen Euro Series será em 7 e 8 de junho, no circuito Brands Hatch Indy, na Inglaterra.

Classificação do campeonato:

Elite 1

1. Bert Longin e Anthony Kumpen – 83 pontos; 3. Eddie Cheever III – 78; 4. Mathias Lauda – 73; 5. Christophe Bouchut – 71; 6. Freddy Nordström – 70; 7. Yann Zimmer – 69; 8. Ander Vilariño – 67; 9. Borja García – 65; 10. Fabrizio Del Monte e Romain Iannetta – 60; 12. Guillaume Rousseau – 58; 13. Fabrizio Armetta e Bas Leinders – 57; 15. Frédéric Gabillon, Andrea Larini e Victor Guerin – 56; 18. Victor Gonzalez Jr. e Hugo Bec – 55; 20. Anthony Gandon, Amir El Hage, William Ayer Jr. e Gian Maria Gabbiani – 52; 24. Niccolò Rocca – 51; 25. Dominic Tiroch – 49; 26. Kevin Gilardoni – 46; 27. Simone Monforte – 39.

Elite 2

1. Neal Van Varenbergh – 96 pontos; 2. Marsilio Canuti – 82; 3. Maxime Dumarey – 78; 4. Philipp Lietz – 76; 5. Wilfried Boucenna – 75; 6. Thomas Ferrando – 72; 7. Leonard Vernet – 68; 8. Eric Quintal e Niccolò Rocca – 65; 10. Alessandro Tonoli e Frédéric Greiling – 63; 12. Philippe Valenza, Pablo Gallego e Marçal Melo – 62; 15. Ulysse Delsaux e Nathalie Maillet – 60; 17. Simone Laureti – 59; 18. Alex Fabiano – 57; 19. Joseph Cozzella – 53; 20.Jérôme Laurin – 52; 21. Erika Monforte – 51; 23. Didier Bec – 45; 24. Denis Dupont – 34; 25. Francesca Linossi – 22; 26. Luca Pirri Ardizzone – 10.

AutoGP: Pommer fatura corrida #2 no Marrocos

4425020140413175505

RIO DE JANEIRO – Mais rápido piloto do fim de semana de abertura da temporada da AutoGP World Series, o alemão Markus Pommer dominou a segunda corrida em Marrakech, no Marrocos. O piloto da Super Nova largou da pole position com a inversão do grid entre os oito primeiros e venceu a corrida com incríveis 23″615 de vantagem para Kimiya Sato, vencedor da corrida #1 – e que veio de oitavo para segundo ao fim das 19 voltas percorridas.

O húngaro Tamas Pál Kiss conseguiu um convincente 3º posto após partir do fim do pelotão, depois de se envolver ontem num contato com o italiano Kevin Giovesi, que hoje abandonou novamente após completar apenas quatro voltas. Andrea Roda chegou em quarto, seguido por Michela Cerruti e Michele La Rosa. Somente sete pilotos completaram as 19 voltas, com o italiano Giuseppe Cipriani ocupando a 7ª posição. Além deles, apenas Sam DeJonghe e Francesco Dracone completaram a corrida.

Com duas provas disputadas, Kimiya Sato sai de Marrakech na liderança do campeonato com 40 pontos, contra 26 de Markus Pommer e 24 de Michele La Rosa. A próxima rodada dupla da AutoGP World Series é em Paul Ricard, já no próximo fim de semana.

O resultado da corrida #2 em Marrakech:

1 – Markus Pommer – Super Nova – 19 voltas em 29’08”490
2 – Kimiya Sato – Euronova – 23.615
3 – Tamas Pal Kiss – Zele – 26.033
4 – Andrea Roda – Virtuosi UK – 30.411
5 – Michela Cerruti – Super Nova – 30.458
6 – Michele La Rosa – MLR71 – 30.646
7 – Giuseppe Cipriani – Ibiza – 56.41
8 – Sam Dejonghe – Virtuosi UK – a 1 volta

Classificação do campeonato:

1. Sato 40; 2. Pommer 26; 3. La Rosa 24; 4. Cerruti 20; 5. Cipriani 19; 6. Roda 16; 7. DeJonghe 13; 8. Pal Kiss 12; 9. Spinelli 8; 10 Dracone 4.

Super Formula: nova era, velho domínio

4423120140412152739

RIO DE JANEIRO – Começa neste fim de semana no circuito de Suzuka a nova era da Super Formula, nome com o qual foi batizada a Fórmula Nippon. Com novos chassis Dallara e motores Honda e Toyota movidos por turbocompressores, 19 pilotos estão inscritos para toda a temporada de um campeonato que promete bastante pela adoção deste novo pacote técnico.

Entretanto, embora chassis e motores sejam “zero-bala”, nenhuma novidade no que diz respeito ao pole position. Sempre rápido, o alemão Andre Lotterer dominou a qualificação e colocou o carro #36 do Petronas Team Tom’s na posição de honra, com o tempo de 1’37″022. A seu lado, a grande surpresa: o indiano Narain Kartikheyan, que já disputara a categoria (quando era Fórmula Nippon, claro) em 2001, mostrou muita velocidade a bordo de um dos carros do Team Impul e foi batido por apenas 0″146 na fase final do treino classificatório.

Kazuki Nakajima, com um segundo monoposto do Team Tom’s e James Rossiter, da Kondo, formam a segunda fila. O brasileiro João Paulo de Oliveira larga em quinto, com 0″377 de diferença para a pole de Lotterer.

Curioso notar que, numa pista pertencente à Honda, os sete carros mais rápidos fossem impulsionados pelos motores da rival Toyota. O único piloto com motor Honda a avançar ao Q3, com oito carros na pista, foi o novato Tomoki Nojiri, que – claro – ficou em oitavo. O atual campeão Yuji Kunimoto, do Team Mugen, larga na 9ª posição. Vitantonio Liuzzi, outro que vem para a Super Formula após vários anos na Fórmula 1, larga em 15º com o Dallara-Honda SF14 da Real Racing..

Eis o grid:

1.fila
Andre Lotterer (Dallara-Toyota) – Tom’s – 1’37″022 – Q3
Narain Karthikeyan (Dallara-Toyota) – Impul – 1’37″148 – Q3
2.fila
Kazuki Nakajima (Dallara-Toyota) – Tom’s – 1’37″159 – Q3
James Rossiter (Dallara-Toyota) – Kondo – 1’37″284 – Q3
3.fila
Joao Paulo de Oliveira (Dallara-Toyota) – Impul – 1’37″399 – Q3
Hiroaki Ishiura (Dallara-Toyota) – Inging – 1’37″404 – Q3
4.fila
Loic Duval (Dallara-Toyota) – LeMans – 1’37″543 – Q3
Tomoki Nojiri (Dallara-Honda) – Dandelion – 1’39″380 – Q3
5.fila
Naoki Yamamoto (Dallara-Honda) – Mugen – 1’38″086 – Q2
Hideki Mutoh (Dallara-Honda) – Dandelion – 1’38″108 – Q2
6.fila
Ryo Hirakawa (Dallara-Toyota) – LeMans – 1’38″127 – Q2
Yuji Kunimoto (Dallara-Toyota) – Inging – 1’38″223 – Q2
7.fila
Yuichi Nakayama (Dallara-Toyota) – KCMG – 1’38″260 – Q2
Koudai Tsukakoshi (Dallara-Honda) – Real – 1’38″509 – Q2
8.fila
Vitantonio Liuzzi (Dallara-Honda) – Real – 1’38″908 – Q1
Takashi Kogure (Dallara-Honda) – Nakajima – 1’39″063 – Q1
9.fila
Yuhki Nakayama (Dallara-Honda) – Mugen – 1’39″109 – Q1
Daisuke Nakajima (Dallara-Honda) – Nakajima – 1’39″113 – Q1
10.fila
Koki Saga (Dallara-Toyota) – Le Beausset – 1’39″615 – Q1

Auto GP: Sato vence a primeira prova em Marrakech

4423320140412160409

RIO DE JANEIRO – Numa corrida de nível técnico duvidoso, na qual dois dos pilotos que largaram nas primeiras filas se auto-eliminaram da disputa na 8ª volta, o japonês Kimiya Sato teve uma compensação após uma estreia difícil na GP2 Series. O vice-campeão do ano passado na AutoGP venceu hoje a primeira prova da rodada dupla inaugural em Marrakech, no Marrocos, sem ser incomodado por absolutamente ninguém.

Sato estava na hora certa e no momento certo para assumir a liderança, porque vinha em quarto, atrás do pole position Kevin Giovesi, do húngaro Tamas Pál Kiss e do italiano Sergio Campana. No afã de defender sua liderança, Giovesi perdeu a trajetória numa chicane e o controle do seu carro, acertando em cheio o monoposto do piloto da Zele Racing.

Entrou em cena o Safety Car, os pilotos foram aos boxes para a troca obrigatória de pneus. O então líder Campana perdeu o benefício do primeiro lugar quando o motor de seu carro morreu após a parada, fazendo-o perder precioso tempo. Na relargada, Sato assumiu a liderança, seguido por Andrea Roda e pelo novato alemão Markus Pommer, que cometeu uma série de erros na pista marroquina que lhe custaram o pódio. Pelo menos, saiu com a melhor volta da disputa.

As posições vinham inalteradas até o acidente que tirou Andrea Roda do pódio na última volta. Isto fez com que Michele La Rosa conseguisse um improvável 2º lugar e outro italiano, Giuseppe Cipriani, foi o terceiro colocado. Michela Cerruti debutou na categoria com o quarto posto, seguida por Sam Dejonghe e Loris Spinelli.

Na corrida #2 deste domingo, com a inversão do grid entre os oito primeiros, Markus Pommer sai da pole. Será interessante ver se Sergio Campana, Tamas Pál Kiss e Kevin Giovesi conseguem fazer uma corrida de recuperação para chegar no pelotão de elite ao fim da disputa.

Resultado final da corrida #1 em Marrakech:

1 – Kimiya Sato – Euronova – 22 voltas em 36’52”629
2 – Michele La Rosa – MLR71 by Euronova – 12″573
3 – Giuseppe Cipriani – Ibiza – 35″373
4 – Michela Cerruti – Super Nova – 1’19”86
5 – Sam Dejonghe – Virtuosi UK – 1’24″58
6 – Loris Spinelli – Eurotech – 1’45″24
7 – Andrea Roda – Virtuosi UK – a 1 volta
8 – Markus Pommer – Super Nova – a 1 volta

Deu ruim

RIO DE JANEIRO – A FIA confirmou ontem o calendário definitivo da nova Fórmula E, para carros monopostos elétricos. O Conselho Mundial da entidade cancelou a corrida que estava marcada para o Brasil e que aconteceria em 15 de novembro, num circuito de rua desenhado por Lucas Di Grassi e que aconteceria no Rio de Janeiro. A rapaziada do Grande Prêmio conta isso muito melhor aqui.

Na verdade, nem é a primeira vez que isso acontece. A entidade já tinha substituído a corrida nas ruas da capital carioca pelo balneário uruguaio de Punta del Este e depois ambas foram incluídas no calendário. Agora, parece que a retirada do Rio é definitiva.

É um vexame atrás do outro. Mas, pensando bem, se essa corrida fosse realizada mesmo, estaria aberto o precedente para o Rio de Janeiro nunca mais sonhar em ter autódromo, já que Jacarepaguá, bem… vocês sabem.

AutoGP: pole de Giovesi no Marrocos

Giovesi40_1749

RIO DE JANEIRO – O italiano Kevin Giovesi é o primeiro pole position da temporada 2014 da AutoGP World Series. O piloto da Eurotech Engineering, equipe que rompeu dias antes do início do campeonato a parceria com a Puma 3-M, dominou o Q2 que definiu as dez primeiras posições e registrou a melhor volta no circuito urbano de Marrakech – 1’28″873, média de 184,105 km/h.

Giovesi foi o único a virar abaixo de 1’29” no treino decisivo desta sexta-feira. O novato alemão Markus Pommer, da Super Nova, completa a primeira fila com um tempo 0″157 pior que o rival – excelente resultado para quem não conhecia a pista e foi o mais veloz do Q1. Sergio Campana, mais rápido no segundo treino livre com o carro #8 da Zele Racing, larga em terceiro, com o companheiro de equipe Tamas Pál Kiss em quarto.

Vice-campeão da categoria e já integrado à GP2 Series, o japonês Kimiya Sato decidiu continuar na AutoGP com a equipe Euronova. Ele larga em 5º neste sábado, com Andrea Roda, último dentro do mesmo segundo do pole position, completando a terceira fila.

O eslovaco Richard Gonda, outro dos estreantes da categoria, marcou o 7º tempo, seguido por Sam DeJonghe, pela italiana Michela Cerruti e por Michele La Rosa. Os italianos Loris Spinelli, Francesco Dracone e Giuseppe Cipriani não avançaram para o Q2. Yoshitaka Kuroda, embora inscrito, não participou de nenhuma das sessões livres e tampouco da qualificação.

O grid para a corrida #1 da AutoGP World Series no Marrocos:

1ª fila:

#28 Kevin Giovesi (Eurotech Engineering) – 1’28″873
#1 Markus Pommer (Super Nova International) – 1’29″030

2ª fila:

#8 Sergio Campana (Zele Racing) – 1’29″358
#9 Tamas Pál Kiss (Zele Racing) – 1’29″438

3ª fila:

#16 Kimiya Sato (Euronova Racing) – 1’29″633
#4 Andrea Roda (Virtuosi UK) – 1’29″728

4ª fila:

#6 Richard Gonda (Virtuosi UK) – 1’30″429
#11 Sam DeJonghe (Virtuosi UK) – 1’30″558

5ª fila:

#88 Michela Cerruti (Super Nova International) – 1’30″969
#71 Michele La Rosa (MLR71 by Euronova) – 1’31″859

6ª fila:

#69 Loris Spinelli (Eurotech Engineering) – 1’32″008
#20 Francesco Dracone (Ibiza Racing) – 1’32″255

7ª fila:

#7 Giuseppe Cipriani (Ibiza Racing) – 1’33″005

Tempero brasileiro na Nascar europeia

10229292416_7d2901f46c_o

RIO DE JANEIRO – É bem possível que você, leitor deste blog, nunca tenha ouvido falar da Nascar Whelen Euro Series. Trata-se do braço europeu da tradicional categoria dos EUA, que já disputa sua sexta temporada em 2014. Cabe lembrar, contudo, que entre 2009 e 2012, o campeonato se chamava apenas Racecar Euro Series.

O campeonato deste ano começa sábado e domingo no circuito Ricardo Tormo, em Valência, na Espanha. No calendário, seis finais de semana, com quatro corridas em cada, totalizando 24 em cinco países diferentes. Inclusive, consta uma visita ao circuito oval Tours Speedway, na França, com meia milha de extensão. A final será em Le Mans, nos dias 11 e 12 de outubro.

Os carros são construídos em estrutura tubular com crashbox em carbono. Os motores são Chevrolet V8 com 5,7 litros de capacidade cúbica e movidos a bioetanol, alcançando 400 HP. O câmbio é de quatro marchas. Freios são da tradicional marca italiana Brembo e os pneus são Michelin. O peso mínimo do conjunto é de 1200 kg. Quatro modelos estão disponíveis para as equipes: Chevrolet Camaro e SS, Toyota Camry e Ford Mustang. Os Dodges foram retirados de circulação ao fim de 2013.

Ano passado, os campeões foram Ander Vilariño na classe Elite e Anthony Gandon – que chegou a andar até na Nationwide Series – na divisão Open. Neste ano, os organizadores mudaram o esquema de separação dos pilotos por classes e eles podem correr em duplas. A Elite 1 é formada pelos competidores mais graduados e a Elite 2, pelos gentlemen drivers.

E neste ano, tem novidade made in Brasil. Um time todo formado por pilotos do país aporta na Europa para disputar a Nascar Whelen Euro Series levando as cores da nossa bandeira nos carros. O projeto foi idealizado por Marçal Melo que, após uma série de problemas envolvendo o futuro das competições de Grã-Turismo no país, tomou o rumo do aeorporto e atravessou o oceano em busca de um novo desafio.

O parceiro Alex Fabiano juntou-se à iniciativa e os dois logo conseguiram completar o time, com William Ayer, que já conhecia a Nascar Whelen Euro Series e Victor Guerin, jovem piloto com passagens pela AutoGP World Series e GP2.

Com dois Chevrolet SS, as duplas assim estão distribuídas: William Ayer/Marçal Melo no carro #82 e Victor Guerin/Alex Fabiano no #83. Cada piloto guia uma bateria por dia de corridas, totalizando 12 provas ao longo do ano.

A Nascar Whelen Euro Series traz, neste campeonato, alguns nomes conhecidos do automobilismo internacional. O filho de Niki Lauda, Mathias, está inscrito – porém não tem o mesmo brilho do pai. Christophe Bouchut, um dos grandes nomes do automobilismo francês nas competições de Grã-Turismo e Endurance, também está lá. Eddie Cheever III, filho de Eddie Cheever, deixou as competições de monoposto e agora se aventura nos carros de Turismo. Bas Leinders, Bert Longin, Anthony Kumpen, Borja Garcia e Fabrizio Del Monte também estão lá.

A lista de inscritos da Nascar Whelen Euro Series:

#1 BORJA GARCIA/AMIR EL HAGE
Ford Autolix Competition
Ford Mustang

#2 ANDER VILARIÑO/ERIC QUINTAL
TFT Racing-Banco Santander
Chevrolet SS

#3 YANN ZIMMER/LEONARD VERNET
TFT Racing-Moser Vernet
Ford Mustang

#4 PHILIPPE VALENZA
Ford Autolix Competition
Ford Mustang

#6 FABRIZIO DEL MONTE/ALESSANDRO TONOLI
Events 4You by Nocentini
Chevrolet Camaro

#7 ANTHONY GANDON/MARSILIO CANUTI
TFT Racing-E. Leclerc
Chevrolet SS

#8 HUGO BEC/DIDIER BEC
RDV Compétition
Ford Mustang

#10 GOUPY JULIEN/FRANCK VIOLAS
RDV Compétition
Chevrolet Camaro

#11 BERT LONGIN/NEAL VAN VARENBERGH
PK Carsport
Chevrolet SS

#12 FRÉDERIC GABILLON/FRÉDERIC GREILING
Still Racing
Chevrolet Camaro

#13 GUILLAUME ROUSSEAU/JEROME LAURIN
Bull Racing Team
Ford Mustang

#19 VICTOR GONZALEZ JR./PABLO GALLEGO
Ford Autolix Competition
Ford Mustang

#22 ANDREA LARINI/THOMAS FERRANDO
Overdrive
Chevrolet Camaro

#23 ROMAIN IANETTA/ULYSSE DELSAUX
RDV Compétition
Chevrolet SS

#24 ANTHONY KUMPEN/MAXIME DUMAREY
PK Carsport
Chevrolet SS

#25 NICCOLÒ ROCCA
CAAL Racing
Chevrolet Camaro

#31 FABRIZIO ARMETTA/FRANCESCA LINOSSI
CAAL Racing
Chevrolet Camaro

#32 BAS LEINDERS/DENIS DUPONT
Racing Club Partners/Marc VDS Racing
Toyota Camry

#33 GIANMARIA GABBIANI/WILFRIED BOUCENNA
Overdrive
Chevrolet Camaro

#44 FREDDY NORDSTRÖM/JOSEPH COZZELLA
Still Racing
Chevrolet Camaro

#46 MARKUS PALTTALA/NATHALIE MAILLET
Racing Club Partners/Marc VDS Racing Team
Toyota Camry

#51 EDDIE CHEEVER III/SIMONE LAURETI
CAAL Racing
Chevrolet SS

#66 MATHIAS LAUDA
DF1 Racing by B66 Race Consulting
Chevrolet SS

#77 CHRISTOPHE BOUCHUT
DF1 Racing by B66 Race Consulting
Chevrolet SS

#82 WILLIAM AYER JR./MARÇAL MELO
Brazil Team
Chevrolet SS

#83 VICTOR GUERIN/ALEX FABIANO
Brazil Team
Chevrolet SS

#85 WILLIAM GAUDIN/JACK GAUDIN
VTS 85
Chevrolet Camaro

#86 DOMINIC TIROCH/PHILIPP LIETZ
Renauer Motorsport
Ford Mustang

#88 SIMONE MONFORTE/ERIKA MONFORTE
Euro Kart Racing
Chevrolet Camaro

#99 KEVIN GILARDONI/LUCA PIRRI ARDIZZONE
Max Papis Racing
Chevrolet Camaro

Vitória da Marc VDS em corrida classificatória para as 24h de Nürburgring

marcvds

RIO DE JANEIRO – A equipe belga Marc VDS Racing garantiu um lugar na disputa das 24 Horas de Nürburgring, que neste ano serão entre 21 e 22 de junho. Com a BMW Z4 GT3 guiada pelos pilotos Maxime Martin/Marco Wittmann/Üwe Alzen, o time de Marc Van der Straeten faturou hoje uma corrida classificatória disputada em 6 horas – 1/4 da distância que será percorrida daqui a dois meses.

O trio do carro número #25 foi o único a completar 41 voltas no Nordscheleife, após uma disputa duríssima entre os bólidos dos construtores germânicos – além da BMW, Porsche e Mercedes-Benz tinham equipes brigando pela vitória nesta corrida.

E a turma de Munique levou a melhor, pois os quatro primeiros lugares foram das Z4, cabendo o segundo posto ao #20 de Jens Klingmann/Dominik Baumann/Claudia Hürtgen e a terceira posição foi do #19 de Dirk Müller/Lucas Luhr/Dirk Werner/Alexander Sims. A Marc VDS ainda colocou mais um carro em quarto – o #26 de Markus Palttala/Nick Catsburg/Bas Leinders/Dirk Adorf.

Campeã da prova ano passado, a Black Falcon chegou em 5º lugar com sua Mercedes SLS GT3 guiada por Christian Menzel/Jeroen Bleekemolen/Abdulaziz Al Faisal/Stephan Rösler. O Audi mais eficiente foi o da G-Drive Racing (Belgian Audi Club WRT), que teve a bordo Roman Rusinov/Stéphane Ortelli/Edward Sandström/Alexander Müller.

Essa corrida classificatória marcou o regresso do brasileiro Jaime Melo às competições internacionais. O paranaense foi convidado pela Prosperia Christian Abt Racing GmbH para andar num Audi R8 LMS Ultra ao lado de Marco Seefried e Peter Terting. Entretanto, o resultado não foi bom: o trio chegou em 39º lugar, porque embora tenha tido tantas voltas completadas quanto o carro que chegou em nono, o carro número #9 não recebeu a quadriculada. Se serve de consolo, o #10 inscrito para Christopher Mies/Christen Jons/Dominik Schwager também não chegou ao final.