AutoGP: dois triunfos de Sato na Hungria

4450620140503135603

RIO DE JANEIRO – Vice-campeão da AutoGP World Series ano passado, o japonês Kimiya Sato venceu de forma sensacional as duas provas da 3ª rodada dupla da temporada, disputadas no último fim de semana em Hungaroring, como preliminar do WTCC. O piloto da Euronova não tomou conhecimento dos adversários: na corrida #1, largou de décimo feito um torpedo e em sete voltas, já era terceiro colocado. Na 10ª volta, superou o pole position Markus Pommer e daí chegou à ponta, parando nos boxes mais tarde para o pit stop compulsório e receber a quadriculada da vitória com 1″215 de vantagem sobre o húngaro Tamas Pàl Kiss, da Zele Racing.

Andrea Roda conquistou o primeiro pódio na temporada com a 3ª posição, seguido por Kevin Giovesi, Sam Dejonghe e por Markus Pommer, dominante numa classificação banhada pela chuva. A corrida deste fim de semana marcou o retorno do italiano Vittorio Ghirelli, que está na Indy Lights. O atual campeão da categoria completou a prova #1 na nona posição, à frente da compatriota Michela Cerruti.

Na corrida #2, disputada no domingo, Sato largou em oitavo com a inversão dos oito primeiros no resultado da prova #1 e fez uma corrida mais conservadora para não desgastar os pneus na primeira parte da disputa. Saiu-se bem na tarefa: fez o pit stop na 15ª volta e quando assumiu a liderança, não a perdeu mais. Venceu com 7″220 de vantagem para Vittorio Ghirelli. Sam Dejonghe acabou no pódio, seguido por Kevin Giovesi, Andrea Roda e Markus Pommer. O ídolo local Pàl Kiss acabou apenas na 7ª colocação.

Com os resultados do fim de semana, Sato disparou na liderança do campeonato, agora somando 114 pontos contra 75 de Kiss, 65 de Pommer e 58 de Giovesi. O campeonato faz uma longa pausa no mês de maio e volta apenas no dia 31 e em 1º de junho para a quarta rodada dupla, no tradicional Autódromo de Monza, na Itália.

Nigel Stepney (1958-2014)

Stepney-nigel

RIO DE JANEIRO – Morreu nesta sexta-feira, aos 56 anos, num acidente rodoviário nas cercanias de Kent, na Grã-Bretanha, um dos principais protagonistas de um dos maiores escândalos contemporâneos do automobilismo: Nigel Stepney.

Mecânico de longa carreira no esporte, tendo trabalhado na Shadow, Lotus e Benetton, ficou por um longo tempo na Ferrari, onde tornou-se primeiro chefe de mecânicos e depois engenheiro da escuderia de Maranello.

Em 2007, Stepney foi o pivô de uma controversa troca de informações entre ele e o colega britânico Mike Coughlan, na época na McLaren. Foi um dos casos mais rumorosos, talvez o mais rumoroso, de espionagem no automobilismo, do qual tinham conhecimento os pilotos Pedro de la Rosa e Fernando Alonso, que na época defendiam a equipe de Ron Dennis. A escuderia foi, inclusive, eliminada do Mundial de Construtores daquele ano e levou uma multa de US$ 100 milhões, a maior já aplicada na Fórmula 1.

Com a credibilidade abalada pelo episódio, Stepney foi “saído” da Ferrari e depois juntou-se à escuderia JRM do amigo James Rumsey, para trabalhar no FIA GT e cuidar dos Nissan GT-R da equipe e posteriormente no WEC, como o engenheiro-chefe do protótipo HPD ARX-03c que a equipe alinhou no campeonato do ano retrasado.

Stepney chegou a ser condenado, há quatro anos, por sabotagem e pelo vazamento de dados confidenciais da Ferrari à McLaren. Sua pena foi de um ano e oito meses. Cumpriu-a em liberdade, além de pagar uma multa de € 600 à época.

PWC: primeiro top 10 de Hahn no campeonato

phoca_thumb_l_m_smithbarber102370

RIO DE JANEIRO – O piloto brasileiro Marcelo Hahn conquistou no último fim de semana seu primeiro top 10 no Pirelli World Challenge, competição estadunidense de Grã-Turismo que realizou sua 3ª rodada como evento suporte da Fórmula Indy no Barber Motorsports Park, em Birmingham, no Alabama.

Largando de 11º na segunda prova do fim de semana com um Lamborghini FLII da equipe Reiter Engineering, Marcelo fez uma boa corrida. Chegou em décimo e, de quebra, foi o melhor entre os pilotos da subdivisão GTA, para os chamados gentleman drivers. Na corrida da véspera, ele largara em 13º, mas concluiu somente em décimo-sétimo e oitavo entre os pilotos da GTA.

Mais de 40 carros largaram para as duas corridas e a vitória na prova #1 ficou com Anthony Lazzaro, a bordo de uma Ferrari F458 Italia GT3. O veterano piloto de 50 anos ganhou com quase dois segundos e meio de vantagem para o atual campeão Johnny O’Connell, com um Cadillac. Nick Mancuso, colega de equipe de Lazzaro, chegou em 3º e foi o vencedor da GTA no sábado.

No domingo, com chuva, Andrew Palmer levou a melhor com o Audi da GMG Racing. Lazzaro chegou em segundo e O’Connell foi o terceiro. Na divisão GTS, duas vitórias do canadense Mark Wilkins, com um Kia Optima do time oficial de fábrica.

Após quatro provas disputadas, Anthony Lazzaro assumiu a liderança na divisão GT do Pirelli World Challenge, somando 439 pontos contra 393 de Johnny O’Connell e 376 de Andy Pilgrim. Marcelo Hahn é o 20º com 101, enquanto Michael Mills lidera na divisão GTA com 225 pontos. Na GTS, Mark Wilkins comanda a classificação com 376 pontos, treze à frente de Nic Jönsson.

Próxima prova: Detroit, no circuito Belle Isle, nos dias 31 de maio e 1º de junho.

Fórmula 4: George Russell vence duas na abertura

George Russell crosses the line to take his first F4 win

RIO DE JANEIRO – Bicampeão europeu de Kart, o britânico George Russell, de 16 anos, começou muito bem sua primeira rodada na Fórmula 4 britânica, cuja temporada teve início neste fim de semana em Silverstone, na Inglaterra. Competindo com um monoposto da Lanan Racing, campeã do ano passado com Jake Hughes, ele venceu duas das três baterias disputadas e já começa o campeonato na liderança, com 79 pontos.

Além dele, o único piloto a subir ao pódio duas ou mais vezes nas três baterias da rodada de abertura foi o mexicano Diego Menchaca, 2º colocado na corrida #1 e terceiro na corrida #3. Os resultados fizeram dele o vice-líder após a primeira rodada, treze pontos atrás de Russell. O sul-africano Raoul Hyman, que assim como Menchaca regressa para um segundo ano na F-4, venceu a primeira corrida e sai de Silverstone com a 3ª posição no campeonato.

O indiano Arjun Maini impressionou: foi 2º colocado na corrida #3 e começou bem também sua trajetória na categoria. Está em quarto lugar, seguido por Will Palmer, filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, CEO do certame.

Gustavo Lima, da Hillspeed, teve boa participação na primeira rodada da F-4: o piloto de Brasília conseguiu um 6º lugar na corrida #1 e a quinta posição na corrida #2. Ele tinha sido apenas o 10º colocado na terceira prova, mas subiu para nono com a desclassificação de Sennan Fielding, que provocou uma colisão com o dinamarquês Nicolas Beer. Como efeito, o piloto sai de Silverstone com 45 pontos somados.

DiMauro-32

Estreante na categoria, o jovem Gaetano di Mauro marcou pontos em duas das três provas do fim de semana. Na segunda, acabou por nem completar a primeira volta. Nas demais, fechou em 12º lugar. O piloto da PetroBall Racing está empatado com o companheiro de equipe Dan Roeper, na 15ª posição, somando 18 pontos.

A próxima etapa será no circuito Brands Hatch GP, como evento suporte do Blancpain Sprint Series, nos dias 17 e 18 de maio.

Giorgio Pianta (1935-2014)

4432120140418154833A voz da experiência: Miki Biasion, um dos maiores pilotos do WRC em todos os tempos, ouve os conselhos de Giorgio Pianta, o “pai” do Lancia Delta S4

RIO DE JANEIRO – Faleceu na última semana um dos mais representativos nomes do automobilismo italiano em todos os tempos. Giorgio Pianta, o pai do Lancia Delta S4, foi o artífice do domínio do fabricante italiano nas provas do World Rally Championship (WRC) nos anos 80, com pilotos do naipe de Miki Biasion, Didier Auriol, Markku Alen e Juhä Känkkunen. Ele tinha 78 anos e estava às vésperas de completar mais um aniversário.

A carreira de Giorgio Pianta começou em 1953 na lendária prova Mille Miglia, disputada nas estradas da Itália e que inspiraram algumas cenas de Amarcord, o filme autobiográfico do cineasta Federico Fellini. Em grande parte de sua trajetória, ele guiou diversos modelos dos construtores italianos, feito os Fiat Abarth, a Alfa Romeo Giulietta e a Lancia Flaminia. Também andou de Porsche 911 S e com a lendária Giulia Sprint GTA do construtor do trevo de quatro folhas.

Em seu currículo, constaram também diversas participações em provas do World Sportscar Championship, notadamente nos anos 70. Correndo pela equipe Jolly Club, chegou em 7º lugar nos 1000 km de Dijon-Prenois de 1973, num Lola T280 em dupla com o compatriota Pino Pica, o parceiro que esteve com ele no maior número de provas. No ano seguinte, a dupla chegaria em 6º nos 1000 km de Monza.

24h81_68_Lancia_2Única vez: Pianta disputou as 24h de Le Mans em 1981 com este Lancia Beta Montecarlo Turbo. Chegou em 14º lugar

Venceu por três vezes o Giro d’Italia e sua última aparição como piloto foi nas 9 Horas de Kyalami, em 1982, quando já tinha 47 anos de idade, num Porsche 908/3 da Brunn Racing, chegando em sexto ao lado de Jean-Michel Martin e Alain de Cadenet. Nas 24 Horas de Le Mans, participou apenas uma vez: chegou em 14º com um Lancia Beta Montecarlo Turbo ao lado de Giorgio Schön e Martino Finotto.

giudici-giorgio-piantaTempos de Alfa Romeo e DTM, atuando como diretor. Na foto, com o então piloto da marca Gianni Giudici

Quando passou para o outro lado do balcão, como diretor e piloto de testes, Giorgio Pianta mostrou toda a sua competência. Sob sua batuta, a Lancia se tornou uma das marcas mais vitoriosas do WRC nos anos 80 e na década seguinte, o Grupo Fiat, dono da Alfa Romeo, o designou para ser o chefe do projeto da marca no DTM, o competitivo Campeonato Alemão de Turismo. Sob sua batuta, estiveram pilotos como Alessandro Nannini, Nicola Larini, Giancarlo Fischella, Stefano Modena e o saudoso Michele Alboreto. A lendária Alfa Romeo 155 Ti V6, apelidada La Piccola, deixou saudades.

156_farfus

Augusto Farfus a bordo da Alfa Romeo 156, último projeto em que Pianta se envolveu antes da aposentadoria

Antes da aposentadoria, Pianta ainda deu sua última contribuição para o automobilismo, quando trabalhou na concepção do projeto da Alfa Romeo para o WTCC, o Mundial de Carros de Turismo, quando foi desenvolvido em parceria entre a Nordauto e a N. Technology o modelo 156 que teve, inclusive, o brasileiro Augusto Farfus a bordo.

British F-4: 22 carros na abertura em Silverstone

The test took place under clear blue skies

RIO DE JANEIRO – A segunda temporada da Fórmula 4 está prestes a começar. Neste fim de semana, 22 pilotos já inscritos abrem o campeonato no circuito britânico de Silverstone. A mais tradicional de todas as pistas do Reino Unido terá a primeira de oito rodadas triplas sábado e domingo, pelo circuito de 5,891 km de extensão.

Dois brasileiros vão disputar a categoria, que repetirá a mesma fórmula de disputa de 2013, com monopostos construídos pela Van Diemen de Ralph Firman, dotados de motor Ford Duratec com 185 HP de potência e gestão eletrônica Cosworth, transmissão Sadev de 6 marchas e pneus Yokohama. O paulista Gaetano di Mauro, de 17 anos apenas, estreia com a equipe Petroball Racing Limited. Campeão da Sprint Race e do Shifter Kart ano passado, ele também venceu as 500 Milhas de Kart disputadas no Beto Carrero World, em Penha (SC).

Já o brasiliense Gustavo Lima, também de 17 anos, estreia na equipe Hillspeed após fazer sua temporada de estreia no certame pela HHC Motorsport. Gustavo conseguiu um 3º lugar como melhor resultado numa das 24 corridas disputadas ano passado e encerrou o ano em 14º lugar com 233 pontos, à frente de Pietro Fittipaldi, que venceu uma vez, em Brands Hatch. O neto de Emerson Fittipaldi preferiu migrar para a Fórmula Renault e dar prioridade a este certame – já vencendo uma corrida neste ano.

Para este campeonato, poucos pilotos seguem para um segundo ano. Além de Gustavo Lima, o sul-africano Raoul Hyman, o malaio Rahul Raj Mayer, o norueguês Falco Wauer, o mexicano Diego Menchaca e os britânicos Struan Moore e Sennan Fielding são os únicos que continuam na Fórmula 4. Entre as caras novas, chegam Will Palmer, filho mais novo do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, CEO da F-4, o bicampeão europeu de kart George Russell, pela Lanan Racing, campeã do ano passado com Jake Hughes e Chris Middlehurst, atual vencedor da Fórmula Renault BARC.

Mais outros três pilotos da América Latina também vão integrar o grid: estreiam neste ano os mexicanos Alfredo Zabalza (Hillspeed) e Rodrigo Fonseca (Douglas Motorsport),e o venezuelano Diego Borrelli, pela Sean Walkinshaw Racing.

Eis a lista de inscritos para a rodada tripla inagural da Fórmula 4:

#2 CHARLIE EASTWOOD IRL
Douglas Motorsport

#3 WILL PALMER GBR
HHC Motorsport

#4 SENNAN FIELDING GBR
HHC Motorsport

#5 GUSTAVO LIMA BRA
Hillspeed

#6 GEORGE RUSSELL GBR
Lanan Racing

#7 RAOUL HYMAN AFS
HHC Motorsport

#9 STRUAN MOORE GBR
Lanan Racing

#10 TOM JACKSON GBR
Chris Dittman Racing

#12 ALFREDO ZABALZA MEX
Hillspeed

#13 MICHAEL CLAESSENS NDL
Mark Goodwin Racing

#16 CHRIS MIDDLEHURST GBR
Mark Goodwin Racing

#21 GAETANO DI MAURO BRA
Petroball Racing Team

#23 JORDAN ALBERT GBR
Sean Walkinshaw Racing

#26 RODRIGO FONSECA MEX
Douglas Motorsport

#27 NICOLAS BEER DEN
Sean Walkinshaw Racing

#36 ARJUN MAINI IND
Lanan Racing

#41 DIEGO BORRELLI VEN
Sean Walkinshaw Racing

#43 DAVID WAGNER GBR
Mark Goodwin Racing

#51 FALCO WAUER NOR
Enigma Motorsport

#61 DAN ROEPER USA
Petroball Racing Team

#68 DIEGO MENCHACA MEX
Douglas Motorsport

#72 RAHUL RAJ MAYER MAL
Hillspeed