Fim da linha para o Gran Turismo no Brasil

blog2b-2blargada2b2528final2529

RIO DE JANEIRO – Um passarinho acaba de me contar via Facebook algo que muita gente desconfiava que já estava encaminhado, mas pelo visto será oficial: não teremos mais corridas de Gran Turismo no Brasil em 2014.

A mim, só cabe lamentar. É mais uma competição que engrossa a lista das “finadas” na atual administração da Confederação Brasileira de Automobilismo. Mas, nesse caso, cabe eximir a CBA de culpa pelo fim desta competição. Os problemas vão muito além e se avolumaram ao longo deste ano. A categoria não conseguiu reunir interesse de muitas equipes, ninguém trouxe carros novos e – vamos e venhamos – a questão do regulamento foi um dos acontecimentos que mais interferiu no fim do Gran Turismo por essas plagas.

No começo, em 2007, quando o campeonato foi criado, ele seguia as normas de Balanço de Performance da SRO, que foi sócia do evento durante algum tempo. Quando a SRO foi jogada para escanteio, as coisas começaram a degringolar e era questão de tempo que o barco afundasse. A Loyal Sports, pelo visto, não soube segurar o rojão e o resultado está aí. Mais uma competição morta e enterrada no automobilismo brasileiro, onde os últimos campeões foram Marcelo Hahn (GT3), Pierre Ventura/Cristiano “Tigrinho” Almeida (GT Premium) e William Freire/Duda Oliveira (GT4).

É uma pena. Chegamos a ter 34 carros no grid de uma das corridas – eu, inclusive, estava presente nessa ocasião e em dois anos, tudo acaba. E pensar que muitos de nós envolvidos com o esporte achamos que esta categoria, um dia, bateria a Stock Car como a mais competitiva e espetacular do país.

À exceção honrosa da Fórmula Truck, muito bem conduzida pelos que herdaram o campeonato das mãos de Aurélio Batista Félix, caminhamos para a praga chamada monomarca em terras tupiniquins (e que fique claro que a Porsche Cup é uma exceção porque sua fórmula é idêntica a de campeonatos já existentes há pelo menos 20 anos) – e com cada vez menos gente envolvida no automobilismo e mais categorias nas mãos de um grupo restrito.

É uma vergonha que isso esteja acontecendo em tempos de diversidade no resto do mundo.

O Brasil é a vanguarda do atraso.

Ingressos Gran Turismo em Curitiba: habemus vencedor

100424velocidade_f_001RIO DE JANEIRO – Peço desculpas em revelar o resultado do quiz sobre o Gran Turismo em Curitiba, onde foram oferecidos dois ingressos – a razão da demora foi que o WEC tomou todo o meu tempo de quinta-feira até domingo.

Uma pena que não houve participação mais ativa dos leitores da região e somente um leitor acertou a questão. Eu perguntei quem era o autor da volta mais rápida da categoria no circuito de Pinhais e só o Adilson Barreto respondeu certo.

O recordista de volta é Cláudio Ricci, que com a Ferrari F430 da foto, marcou em 30 de maio de 2009 o tempo de 1’18″511, média de 169,42 km/h para os 3,695 km do traçado.

Parabéns ao Adilson. Aguarde o contato via e-mail dos parceiros que ofereceram os ingressos ‘na faixa’.

Ingressos para o Gran Turismo em Curitiba!

199896_339151_fff_2131

RIO DE JANEIRO – Mais uma vez o blog tem a oportunidade de sortear entre os leitores um ingresso para o Gran Turismo, que desta vez corre em Curitiba. Mas não será um ingresso somente, como em Tarumã. Serão dois!

Só podem concorrer leitores e leitoras da região, como aconteceu da outra vez, combinado? Os mais ligeiros a responder a pergunta proposta aqui abaixo – com e-mail para contato – ganham o ingresso.

Vamos à pergunta então:

Quem é o recordista de volta no circuito de Curitiba em toda a história do Gran Turismo no Brasil?

Os vencedores serão revelados na sexta-feira.

Sem graça

197478_332836_fff_4710

RIO DE JANEIRO – Assisti ontem à segunda corrida da 3ª rodada do agora chamado “Sudamericano” de Gran Turismo, disputada em Tarumã. Escrevi a palavra entre aspas porque achei o emprego dela estranho. Primeiro, porque nosso idioma não é o espanhol, é o português. E em sendo assim, a competição deveria ser grafada como Sul-Americana. Enfim, vida que segue, como diz o cronista.

Embora o calendário aponte para os circuitos de Interlagos, Curitiba e Santa Cruz do Sul as corridas que restam no ano, há planos de se fazer uma corrida fora do Brasil – no Uruguai ou na Argentina. Por isso a intenção de se fazer um “Sudamericano”.

E de boas intenções, o inferno está lotado. A competição é a mesma que segue prejudicada por egocentrismos, vaidade e cizânia, que primeiro fizeram cair fora o pessoal que criou a já extinta Top Series. Não obstante, houve a marmelada do ano passado e bons competidores potenciais, afora vários outros carros, nunca mais foram vistos nas pistas.

O Gran Turismo voltou a patinar como em 2009 e, se não fosse a criação da GT Premium, para aproveitar modelos já defasados e que ainda resistiam nestas plagas, podia ser pior. Muito pior.

Em Tarumã, havia 14 carros na pista. Desses catorze, somente dois de fato competitivos: o Lamborghini LP600 de Allam Khodair/Marcelo Hahn e o Audi R8 LMS Ultra dos irmãos Fábio e Wagner Ebrahim. A Ferrari F458 prometida para voltar após uma revisão e posterior atualização na Europa, até agora nada. O Corvette Z06 não reapareceu no circuito gaúcho. E os restantes GT3 eram os já citados GT Premium. Na GT4, só quatro carros: um Lotus, um Maserati, uma Ferrari e um Aston Martin.

Como não vi a corrida de Curitiba que, dizem, foi muito boa, a impressão deixada pela etapa deste domingo não foi das melhores. Ok… um pneu do Audi furou e o carro #20 levou uma volta de Hahn/Khodair, que venceram de novo. Mas a prova de Tarumã foi muito da sem graça. Não houve disputa nenhuma, só um desfile de belos carros durante 50 minutos. Nada mais do que isso.

Lamento que a situação do Brasileiro de Gran Turismo tenha chegado a esse ponto. É apenas mais um reflexo da crise que grassa no automobilismo em terras tupiniquins, com dirigentes sem credibilidade e outros que se eternizam no poder, afora os aproveitadores de sempre. Sem contar a ausência de circuitos de nível no território nacional e o desinteresse de patrocinadores, investindo rios de dinheiro em Copa do Mundo e Olimpíadas, deixando o automobilismo e o esporte a motor em geral à míngua.

A categoria tinha tudo para ser melhor que a Stock Car, mas nunca decola. Culpa do que já apontei aqui: o egocentrismo e a vaidade de poucos, prejudicando o coletivo.

Está cada vez mais difícil fazer um bom automobilismo no Brasil. Infelizmente.

Gran Turismo em Tarumã: saiu o dono do ingresso

RIO DE JANEIRO – Muito bem… e temos um vencedor na promoção do blog A Mil Por Hora, que sorteou um ingresso de arquibancada para o Brasileiro de Gran Turismo em Tarumã, no fim do mês.

Lamborghini Gallardo de Boni e Feldmann tem se mostrado candidato a vitoria no fim de semana

O contemplado com o ingresso é o Gustavo Rodrigues, que foi o mais ligeiro ao responder que a primeira pole position da história da competição, lá mesmo em Tarumã, foi da dupla Alceu Feldmann/Paulo Bonifácio. A bordo de um Lamborghini, eles marcaram o tempo de 1’02″161.

Parabéns ao Gustavo. A responsável pelo oferecimento do ingresso vai entrar em contato para que a cortesia chegue às suas mãos.

Ingressos para o Gran Turismo em Tarumã!

khodair_curitiba_corrida1

RIO DE JANEIRO – Moçada, é o seguinte: ofereceram ao blogueiro aqui a oportunidade de sortear um ingresso de arquibancada para a próxima etapa do Brasileiro de Gran Turismo, que acontece no último fim de semana do mês em Tarumã, no Rio Grande do Sul.

Só podem concorrer os leitores e leitoras da região. E o mais ligeiro a responder a pergunta abaixo vai ganhar o ingresso.

Vamos à pergunta então: Quem fez a pole position para a primeira corrida da história do Brasileiro de Gran Turismo?

O vencedor será revelado amanhã.

Duas vitórias de Hahn/Khodair no Anhembi

189576_313490_fff_9501_1

RIO DE JANEIRO – O campeonato dos carros dos sonhos começou no Anhembi com duas vitórias do Lamborghini Gallardo LP600+ de Marcelo Hahn/Allam Khodair. Mordidos pelas oportunidades anteriormente desperdiçadas, os dois largam com o pé direito e pontuação máxima na temporada 2013 após duas corridas.

Uma pena o baixo número de carros no circuito de rua paulistano. Havia 15 inscritos, mas 14 treinaram e só 12 largaram: os carros de Fábio Greco/Válter Rossete e dos irmãos gêmeos Felipe e Vinícius Roso foram danificados em acidentes nos treinos e não puderam ser reparados.

Continuar lendo

Brasileiro de Gran Turismo começa no Anhembi

RIO DE JANEIRO – Os carros dos sonhos estão de volta às pistas. Começa neste fim de semana no circuito de rua do Anhembi, como preliminar da etapa brasileira da Fórmula Indy, a temporada 2013 do Brasileiro de Gran Turismo.

Com alguns carros ainda na Europa sendo revisados/atualizados e outros irremediavelmente fora, caso de toda a equipe BMW, que foi disputar o FIA GT Series, o grid não chega a empolgar em matéria de números. De acordo com o piloto de autorama Luc Monteiro, um chato de galocha quando o assunto é futebol (o cara é corintiano doente, ninguém é perfeito…), porém um excelente narrador, pois conhece do riscado e é tão doente no assunto automobilismo quanto eu, são quinze os carros presentes à primeira corrida do campeonato.

Continuar lendo

Audi oficial no Brasileiro de Gran Turismo

RIO DE JANEIRO – Boa notícia para o Campeonato Brasileiro de Gran Turismo de 2013, que começa em maio no circuito de rua do Anhembi, em conjunto com a etapa brasileira da Fórmula Indy: a Audi entra em caráter oficial no certame nacional, com a equipe dos irmãos Wagner e Fábio Ebrahim.

187145_307424_audi_002

O carro foi apresentado oficialmente em Curitiba, capital do Paraná, onde a nova pintura foi revelada. Sai o preto e amarelo da última temporada e vem o prateado com detalhes em vermelho. Prata é a cor tradicional dos construtores alemães (depois que eles, que corriam de branco, rasparam a pintura para deixar seus carros mais leves) e o detalhe em vermelho já é tradicional nos carros da montadora dos quatro anéis de Ingolstadt.

A inscrição Audi Top Service na carenagem do bólido indica justamente o apoio à escuderia, de forma inédita no Brasil. Com a chancela alemã e o apoio da montadora aqui no país, a equipe Ebrahim Motors tem todas as chances para fazer um grande campeonato em 2013 com o R8 LMS Ultra.

Brasileiro de GT larga em maio

gtRIO DE JANEIRO – Informa o lenhador de bonsai Luc Monteiro, do alto dos seus 1,30 metro, que a temporada do Brasileiro de Gran Turismo começa em maio como preliminar da Fórmula Indy no Anhembi. Nenhuma novidade nisto: a categoria já fez parte da São Paulo Indy 300 como evento suporte em 2011 e a parceria está refeita para este ano.

Vocês também pensaram no que eu estou pensando? É… deve ser por aí mesmo. Enfim… página virada e as transmissões ao vivo em TV aberta serão na Band, como já haviam sido no ano retrasado.

A primeira rodada dupla de um total de oito previstas acontece em 4 e 5 de maio, portanto, cabendo a 2ª etapa ao Autódromo Internacional de Curitiba em Pinhais. A pista paranaense recebe outra corrida no meio da temporada. Interlagos terá duas datas, Santa Cruz do Sul regressa com uma corrida e Tarumã terá duas. Sim, senhores e senhoras: Tarumã, a mesma pista onde tudo começou em 2007. Pena que Cascavel, desta vez, ficou de fora. Guaporé também.

Detalhe importante a se observar: quase todas as datas do FIA GT Series não são conflitantes com o Brasileiro de Gran Turismo, exceto uma – a da Eslováquia, que coincide com a quarta rodada dupla do certame nacional, em Interlagos.

Eis as datas:

4 e 5 de maio – Anhembi (São Paulo)
22 e 23 de junho – Curitiba (Paraná)
27 e 28 de julho – Tarumã (Rio Grande do Sul)
17 e 18 de agosto – Interlagos (São Paulo)
7 e 8 de setembro – Curitiba (Paraná)
5 e 6 de outubro – Tarumã (Rio Grande do Sul)
2 e 3 de novembro – Santa Cruz do Sul (Rio Grande do Sul)
7 e 8 de dezembro – Interlagos (São Paulo)

E teremos Gran Turismo em 2013

RIO DE JANEIRO – Em curto comunicado que recebi hoje via e-mail e abri há pouco, Dinho Leme e cia., que cuidam da assessoria do Campeonato Brasileiro de Gran Turismo, confirmam que a categoria vai em 2013 para a sua sétima temporada. O Mercedes-Benz Grand Challenge também segue integrando o programa da competição.

É uma excelente notícia. Muita gente acreditava que o campeonato poderia não acontecer e a SRO Latin America confirmou que a categoria segue viva neste ano. Entretanto, pode ser que a primeira etapa marcada para abril, em Interlagos, sofra um remanejamento de datas. Stéphane Ratel, promotor do FIA GT Series e parceiro da organização aqui no Brasil, não quer choque de datas entre nenhum dos dois campeonatos, para não prejudicar a participação dos oito pilotos brasileiros até agora confirmados no certame internacional.

Aguardemos, pois.

Mais calendários: Fórmula 3 e Brasileiro de GT

RIO DE JANEIRO – Informam os palmeirenses Nei Tessari e Luc Monteiro, em seus respectivos blogues, que a Fórmula 3 e o Brasileiro de Gran Turismo já têm calendários definidos para 2013. O certame de monopostos organizado pela Vicar tem 10 datas agendadas – vinte corridas, portanto – e a SRO Latin America programou oito rodadas duplas, um total de 16 corridas para os carros das classes GT3 e GT4.

A Fórmula 3, que deve seguir seu caminho após quase perecer neste ano, ainda terá o torneio de verão organizado por Roberto Mourão, o F-3 Brasil Open, de 17 a 20 de janeiro. Esta competição é totalmente independente da F-3 Sul-Americana, que terá – depois de algum tempo – uma corrida prevista para a Argentina, em agosto. Os monopostos continuarão dividindo boxes com o Brasileiro de Marcas em oito oportunidades. Outra exceção é a rodada dupla inaugural da temporada, em 6 e 7 de abril, em Interlagos.

Já o Brasileiro de Gran Turismo visitará cinco circuitos diferentes em 2013: Interlagos (três vezes), Curitiba (duas), Santa Cruz do Sul, Tarumã e Velopark (uma cada). Existe a possibilidade do certame visitar a Argentina para uma nona data, ainda em estudos e que pode acontecer entre outubro ou novembro. O infame Luc Monteiro diz em seu blog também que a última etapa do campeonato, marcada para 7 e 8 de dezembro será realizada em conjunto com o FIA GT World Series, o novo evento de Stéphane Ratel, dono da SRO.

Vamos às datas:

Fórmula 3

6 e 7 de abril – Interlagos
4 e 5 de maio – Brasília
29 e 30 de junho – Curitiba
20 e 21 de julho – Interlagos
23 e 24 de agosto – Argentina
28 e 29 de setembro – Brasília
26 e 27 de outubro – Tarumã
16 e 17 de novembro – Cascavel
30 de novembro e 1º de dezembro – Goiânia (alternativa)

Brasileiro de Gran Turismo

13 e 14 de abril – Interlagos
25 e 26 de maio – Santa Cruz do Sul
22 e 23 de junho – Curitiba
27 e 28 de julho – Tarumã
17 e 18 de agosto – Interlagos
7 e 8 de setembro – Curitiba
12 e 13 de outubro – Velopark
7 e 8 de dezembro – Interlagos

“Marmelada de banana… bananada de goiaba… goiabada de marmelo…”

RIO DE JANEIRO – Existe um mal desnecessário para o automobilismo, criado por algum chefe de equipe num tempo distante e que, infelizmente, assola e inferniza o esporte: a troca proposital de posições, em benefício de uns e prejuízo de muitos.

Para prejuízo de muitos e da credibilidade de um campeonato, o Brasileiro de Gran Turismo vê o fim de sua temporada deste campeonato que acabou hoje em Interlagos manchado por uma das maiores patacoadas que já aconteceu nestas plagas.

178895_287840_gt_brasil__corrida__sabado__21_A BMW de Cacá Bueno/Cláudio Dahruj venceu a última corrida do campeonato e chegou a ser campeã por alguns metros. Mas uma troca duvidosa de posições entre a Ferrari F458 guiada no fim da disputa por Cláudio Ricci e a Mercedes SLS AMG GT3 de Duda Rosa proporcionou o título ao gaúcho e ao parceiro Cléber Faria.

178895_287842_gt_brasil__corrida__sabado__48_ (1)Apesar de serem carros preparados pela mesma equipe, a CRT, tanto a Mercedes quanto a Ferrari são marcas bem distintas e os interesses dos patrocinadores dos carros não são os mesmos. Pelo contrário: enquanto um carro é apoiado por um condomínio empresarial de São Paulo, outro tem como sponsor uma empresa de implantação e gestão de seringais.

O que ninguém parece querer esconder dentro da equipe CRT é que houve um favorecimento deslavado para a dupla da Mercedes, o que envergonhou alguns e indignou a muitos. Se Cláudio Ricci não tem “nada a declarar” (palavras do próprio), segundo se ouviu na coletiva de imprensa à qual eu não estava presente, mas sei que há testemunhas, Cacá Bueno deu na medalhinha e disse que sentia “vergonha” por ter feito parte da corrida.

Talvez a subida de produção das BMW Z4 GT3 no fim do campeonato, com a liberação de alguns ajustes que beneficiaram o desempenho dos carros do fabricante bávaro, tenha sido a gota d’água para esta atitude. Muitos também estranham e se incomodam porque o promotor do campeonato, Antonio Hermann, é também o dono da equipe BMW Team Brasil, gerida também por Washington Bezerra. Mas, se a memória não falha, se a equipe fosse total e realmente beneficiada por ser de quem comanda a categoria, seus carros não teriam sofrido desclassificações técnicas e desportivas e sequer seus pilotos teriam sido punidos com drive throughs por queima de largada ou irregularidades nos pits quando da troca de pilotos.

Será mesmo que um carro que tem 34 segundos de vantagem a cinco minutos do fim de uma corrida perde tanto rendimento a ponto de ser ultrapassado nas últimas voltas, sem oferecer a menor resistência? Como muitos, acreditei que a Ferrari enfrentasse algum problema de ordem técnica – freios, talvez. Mas acho que tudo isso não passou de puro teatro.

É disso que o automobilismo brasileiro precisa? Depois, não se queixem que determinados pilotos e equipes não disputam algumas categorias e que existam alguns insatisfeitos a ponto de “racharem” campeonatos. Afinal, que patrocinadores vão querer investir depois do que se viu em Interlagos?

O automobilismo brasileiro merece uma reflexão profunda em todos os sentidos. Ele é vítima dos seus próprios erros, da incompetência dos cartolas, da ganância de alguns inescrupulosos e da fraqueza da base que não revela absolutamente mais nenhum nome talentoso rumo ao exterior.

Não concordo com o que se viu e o que foi feito em Interlagos. A conquista dos campeões da classe GT3 é manchada por mais um episódio lamentável que só ajuda a minar um pouco mais a já combalida credibilidade – se é que existe alguma – do esporte neste país.

Hahn/Khodair levam a melhor em Interlagos

178895_287830_fff_2712 (1)SAQUAREMA – Dilúvio em Interlagos e o fim de semana do Brasileiro de Gran Turismo, que começou igualmente com muita chuva no circuito paulistano, continuou sob água neste sábado da primeira corrida da última rodada dupla do ano. A decisão do campeonato ficou para este domingo, quando acontece a corrida final da temporada 2012. É que Allam Khodair/Marcelo Hahn, com a Lamborghini LP600+ do Team Blausiegel, venceram e dos postulantes ao título, o único carro que chegou ao pódio foi a Mercedes SLS AMG GT3 de Paulo Bonifácio/Sérgio Jimenez, que agora somam 181 pontos, contra 194 de Cacá Bueno/Cláudio Dahruj e 197 de Cléber Faria/Duda Rosa.

Vale lembrar que os competidores têm que descartar, para efeito de pontuação, seu pior resultado na segunda metade de oito provas realizadas no campeonato. Então, dependendo do que acontecer amanhã em Interlagos, muita coisa pode mudar.

Na GT Premium, a disputa pelo título continua acirrada entre Felipe Tozzo/Raijan Mascarello e Andersom Toso/Carlos Kray. A dupla da Ferrari F430 amarela da Mottin Racing levou a melhor na chuva deste sábado e ainda mantém a esperança de levar a taça, somando 230 pontos contra 246 de Toso/Kray, que sofreram um violento acidente com a Lamborghini LP520 na véspera. O carro foi reconstruído com grande esforço dos mecânicos e o 3º lugar na categoria, atrás dos gêmeos Vinícius e Felipe Roso até que não pode ser considerado um mau resultado.

Na GT4, deu o Lotus Évora de Leo Burti/Válter Pinheiro, enquanto Vitor Genz/Leonardo Cordeiro chegaram em segundo, à frente de Matheus Stumpf/Patrick Gonçalves – ambas as duplas com BMW M3. Sérgio Laganá/Alan Hellmeister terminaram em quarto e mantém a liderança do campeonato com 207 pontos, contra 200 de Cordeiro e 181 de Fábio Greco/Válter Rossete.

Neste domingo, a corrida decisiva do campeonato terá largada às 13h de Brasília. O Portal GT, site oficial da categoria e a Rede TV! transmitem ao vivo, com a narração sempre vibrante do Luc Monteiro.

Cascavel de Ouro é de Boni e Jimenez

177522_284161_gt__brasil_corrida_cascavel_sabado__24_RIO DE JANEIRO – Neste fim de semana, o Brasileiro de Gran Turismo fez parte da história de uma corrida que é uma instituição do automobilismo paranaense: a Cascavel de Ouro, disputada pela 27ª vez – e que tem entre seus vencedores históricos um tal de Nelson Piquet (conhecem?) – desde a inauguração do hoje Autódromo Zilmar Beux, tem seus novos campeões: Sérgio Jimenez e Paulo “Boni” Bonifácio somaram mais pontos no fim de semana da 7ª rodada dupla da temporada e levam o troféu ornado com a serpente que batiza a cidade do oeste do Paraná.

Após um 2º posto na corrida realizada ontem, com vitória de Cláudio Dahruj/Cacá Bueno, Boni e Jimenez andaram bem neste domingo a bordo da Mercedinha Jeans pelos 3,085 km do traçado que hoje é um dos mais rápidos do país, com médias superiores a 180 km/h para as máquinas possantes do Grã-Turismo. A dupla pole position, formada por Cléber Faria/Duda Rosa, que ainda lidera a temporada com 187 pontos, sofreu com alguns pepinos ao longo da disputa: levaram um drive through por queima de largada – o carro de Cacá e Dahruj foi punido pelo mesmo motivo – e além disso tiveram o capô do motor solto, igual no sábado. Ainda salvaram um importantíssimo 5º lugar, de grande valia para a disputa do título, que será em Interlagos nos dias 15 e 16 de dezembro.

Com os problemas de alguns rivais, Boni e Jimenez cresceram na corrida e quando o piloto de Piedade assumiu o volante, partiu para cima de Cláudio Ricci, que ponteava com a Ferrari F458 GT3 e ultrapassou o gaúcho. Mas só o público presente no circuito viu a manobra, porque a transmissão “esqueceu” da disputa. Uma pena que isso tenha acontecido com uma categoria tão boa quanto o Brasileiro de Gran Turismo.

Na classe GT Premium, as vitórias foram divididas entre Andersom Toso/Carlos Kray e Felipe Tozzo/Raijan Mascarello. A dupla do Lamborghini azul ainda lidera o campeonato, porque na etapa anterior a Ferrari da Mottin pegou fogo, impossibilitando a dupla do carro #15 de continuar na disputa. Mas ainda não há nada definido. Com a obrigatoriedade do descarte do pior resultado, a briga pelo título da subdivisão segue aberta.

E na GT4, William Freire/Eduardo Oliveira ganharam ontem, mas hoje nem passaram da segunda volta, vítimas de uma rodada. A vitória, primeira em 2012, ficou com a Maserati Granturismo de Fábio Greco/Válter Rossete, que chegaram a 170 pontos na tábua de classificação. Mesmo sem vencer nenhuma corrida desde a 7ª etapa no Rio, o Aston Martin Vantage de Alan Hellmeister/Sérgio Laganá, que correu com aerofólio traseiro em Cascavel, mantém a dupla da equipe chefiada pelo José David na liderança do campeonato, com 194 pontos, onze a mais que o vice-líder Leonardo Cordeiro.

Recorde quebrado em Cascavel

177476_283963_bmw__gt_press_sexta_cascavel___34_RIO DE JANEIRO – A BMW se deu bem com a mudança técnica anunciada para a Z4 GT3 neste fim de semana de penúltima rodada dupla da temporada do Brasileiro de Gran Turismo, em Cascavel. Duas poles, com Cacá Bueno e Cláudio Dahruj, que dividem o mesmo carro, para as duas provas do fim de semana. Uma delas com direito a recorde e uma barreira histórica quebrada.

Quatro pilotos conseguiram, no primeiro treino classificatório, baixar da marca de 1 minuto no traçado paranaense: Cacá Bueno, Renan Guerra, Cláudio Ricci e Valdeno Brito. E por um décimo de segundo, Cacá superou Renan e fez a pole position em 59″485, média superior a 185 km/h. Uau!

O grid da primeira corrida tem muito equilíbrio: oito carros ficaram dentro do mesmo segundo, com o Lambo de Allam Khodair em quinto, seguido das Merças de Duda Rosa e Sérgio Jimenez e do Audi de Wagner Ebrahim. O único que destoou foi o Corvette Z06 de Fernando Gomes Croce, mais de dois segundos pior que a pole.

No segundo treino, Cláudio Dahruj bateu a marca de Cléber Faria, que dominou a sessão, nos instantes finais, dando outra pole ao carro #0. Só cinco pilotos marcaram tempos dentro do mesmo segundo, com Rafa Derani na 3ª posição, Constantino Júnior na quarta e Fábio Ebrahim em quinto lugar.

Na GT Premium, com apenas dois carros inscritos desta vez, uma pole para cada: Felipe Tozzo cravou o melhor tempo com a Ferrari #15 no primeiro treino e Andersom Toso foi o mais rápido da segunda sessão com a Lamborghini #46. E na GT4, deu Alan Hellmeister com o Aston Martin Vantage e Vitor Genz, na BMW M3, respectivamente.

O site Portal GT transmite todas as corridas do fim de semana ao vivo, com a narração do patife do Luc Monteiro, que como “local”, embora tenha nascido no estado de São Paulo, cravou ontem que a pole do Brasileiro de Gran Turismo seria abaixo de um minuto – o que de fato aconteceu. A diferença entre a pole de Cacá e a marca de Átila Abreu na Stock é de exatamente três segundos e dois milésimos. Só para constar…

Confira o grid:

1ª corrida

1º)  0 – Cacá Bueno  (BM, RJ), 59.485, média de 185,06 Km/h
2º)  105 – Renan Guerra  (MB, SP), 59.585
3º)  3 – Claudio Ricci  (FE, RS), 59.753
4º)  1 – Valdeno Brito  (BM, PB), 59.910
5º)  16 – Allam Khodair  (LA, SP), 1:00.067
6º)  30 – Duda Rosa  (MB, RS), 1:00.116
7º)  22 – Sergio Jimenez  (MB, SP), 1:00.269
8º)  20 – Wagner Ebrahim  (AU, PR), 1:00.291
9º)  61 – Fernando G Croce  (CO, SP), 1:01.981
10º)  15 – Felipe Tozzo  (FE, SC), 1:03.436
11º)  46 – Carlos Kray  (LA, RS), 1:04.423
12º)  57 – Alan Hellmeister  (AM, SP), 1:05.776
13º)  6 – Leo Burti  (LO, SP), 1:06.346
14º)  11 – Matheus Stumpf  (BM, RS), 1:06.913
15º)  21 – Fabio Greco  (MA, SP), 1:07.073
16º)  12 – Leonardo Cordeiro  (BM, SP), 1:07.099
17º)  8 – William Freire  (FE, SP), 1:08.137

2ª corrida

1º)  0 – Claudio Dahruj  (BM, SP), 1:00.369, média de 182,35 Km/h
2º)  30 – Cleber Faria  (MB, SP), 1:00.397
3º)  3 – Rafael Derani  (FE, SP), 1:00.717
4º)  1 – Constantino Junior  (BM, MG), 1:00.747
5º)  20 – Fábio Ebrahim  (AU, PR), 1:01.351
6º)  22 – Paulo Bonifacio  (MB, SP), 1:01.569
7º)  105 – Vanuê Faria  (MB, SP), 1:01.618
8º)  61 – Fernando Croce  (CO, SP), 1:01.689
9º)  16 – Marcelo Hahn  (LA, SP), 1:01.883
10º)  46 – Andersom Toso  (LA, RS), 1:04.030
11º)  15 – Raijan Mascarello  (FE, MT), 1:04.124
12º)  12 – Vitor Genz  (BM, RS), 1:07.446
13º)  11 – Patrick Gonçalves  (BM, BA), 1:07.652
14º)  6 – Valter Pinheiro  (LO, RJ), 1:08.616
15º)  21 – Valter Rossete  (MA, SP), 1:08.873
16º)  8 – Eduardo Oliveira  (FE, SP), 1:09.047
17º)  57 – Sergio Laganá  (AM, SP), 1:10.259

Um minuto em Cascavel

image_w625_pos_center_centerRIO DE JANEIRO – Começaram hoje com 17 carros na pista os treinos para a penúltima rodada do Brasileiro de Gran Turismo, que vai acontecer no Autódromo Zilmar Beux, em Cascavel. E a julgar pelos tempos registrados hoje, amanhã veremos os carros da categoria quebrando a barreira de um minuto nas sessões classificatórias que definirão o grid para as corridas – uma amanhã e outra domingo.

Com médias horárias superiores a 180 km/h, a BMW de Cacá Bueno/Cláudio Dahruj liderou a folha de tempos hoje com a marca de 1’00″193, um décimo abaixo de Constantino Jr./Valdeno Brito e de Rafael Derani/Cláudio Ricci. Seis carros, aliás, ficaram dentro do mesmo segundo durante a segunda sessão de treinos livres desta sexta-feira.

Aliás, os carros do construtor de Munique ganharam potência e mais velocidade. Tinham 520 HP e subiram para 540 HP. Mas o lastro de graduação dos pilotos está mantido. Outro carro com novidades em Cascavel é o Audi R8 LMS de Fábio e Wagner Ebrahim. O modelo alemão também está mais rápido, especialmente em contorno de curva. Mas em velocidade final, perde feio na comparação com os outros bólidos da classe.

Na classe GT Premium, a Ferrari F430 de Felipe Tozzo/Raijan Mascarello, recuperada do incêndio sofrido em Campo Grande, superou o Lamborghini dos rivais Andersom Toso/Carlos Kray. A BMW também fez o melhor tempo na categoria GT4, com o carro guiado por Matheus Stumpf/Patrick Gonçalves.

Os treinos classificatórios começam às 9h05 pelo horário de Brasília, com meia hora de duração para GT4/GT Premium e também para a GT3. Na sequência da primeira sessão, definindo o grid de sábado, haverá a definição das posições de largada para a corrida do domingo.

Amanhã a largada da primeira corrida é às 15h43 pelo horário de Brasília. Domingo, os carros partem para 50 minutos de corrida a partir do meio-dia. Tudo com transmissão no site Portal GT e a narração ótima do Luc Monteiro.