Regressos e estreias no Brasileiro de Marcas

RIO DE JANEIRO – Após uma pausa (para mim, inexplicável) de três meses, a Copa Petrobras de Marcas finalmente regressa para a sequência da temporada 2013 da competição neste fim de semana, em Interlagos. O Autódromo José Carlos Pace finalmente verá os 20 carros prometidos para a competição, já que foram dezessete autos na abertura do campeonato e dezoito na segunda rodada dupla.

196664_330672__brtl1_bonilha_0001

A equipe Cesinha Competições, que herdou os Ford Focus alinhados anteriormente pela Bassan Motorsports, terá enfim seu segundo carro na pista. Além do #99 de Cesinha Bonilha e Carlos Eduardo Souza, o Carlos SG (foto acima), está programada a estreia de Jaidson Zini, oriundo do Regional Paranaense, para guiar o carro #25 do time.

196664_330666__brtl1_bragantini_0002

Quem também terá seu segundo carro na pista é a Petrópolis Competições. O time dirigido por Elio Seikel traz de volta um dos melhores pilotos de carros com tração dianteira do país: André Bragantini Jr. vai retornar com o #67 – mesmo número que já chegou a usar na Stock Car – porque o parceiro Dudu Rocha já anda com o #13, o tradicional número do Andrezinho.

196664_330669__brtl1_camilo_0001

Quem vem com seu tradicional numeral e também reestreia na Copa Petrobras de Marcas é Thiago Camilo, que vai conduzir o Ford Focus #21 da Amir Nasr Racing ao lado de Vítor Meira. Outra aparição do fim de semana paulistano é de Marco Cozzi como o “dupla” de Kreis Jr. no Chevrolet Cruze #71 da Carlos Alves Competições. O outro carro será alinhado por Júlio Campos/Gabriel Casagrande.

No treino livre disputado hoje com chuva e pista molhada, Ricardo Zonta foi o mais rápido, em 2’06″264, enquanto Alceu Feldmann foi o segundo e o atual campeão Ricardo Maurício foi o terceiro. Bonilha e Carlos SG ficaram em quarto, com Leandro Romera fechando os cinco mais rápidos do dia.

Fotos: Bruno Terena/Divulgação

Galid e Toyota 100% no Brasileiro de Marcas

timthumb

RIO DE JANEIRO – Num domingo de muitos acidentes em Brasília, Galid Osman triunfou duplamente no anel externo do circuito planaltino pela 2ª rodada dupla da Copa Petrobras de Marcas. O piloto da equipe de Ricardo Zonta (ausente neste fim de semana, pois estava em Zolder pelo FIA GT) venceu as duas corridas e levou a pontuação máxima para casa.

Na primeira corrida, Galid saiu da pole position e liderou de ponta a ponta, com Denis Navarro em segundo e Alceu Feldmann em 3º lugar. A corrida teve um forte acidente com o Ford Focus do experiente Vitor Meira, da equipe de Amir Nasr e, apesar dos danos, o carro foi refeito a tempo de largar para a segunda prova, mesmo que dos boxes.

Continuar lendo

Da pole para o topo do pódio

186877_306798_br_marcas_race_2_0001

SÃO PAULO – Leandro Romera saiu da pole position com a inversão do grid entre os oito primeiros colocados da corrida #1 para conquistar a vitória na corrida #2 da Copa Petrobras de Marcas no Autódromo José Carlos Pace em Interlagos. Foi a segunda vitória do modelo Chevrolet Cruze no circuito paulistano – a primeira, debaixo de um dilúvio histórico ano passado, foi de Thiago Camilo, campeão da categoria em 2011.

O piloto da J. Star Racing, mesmo com alguns pequenos problemas enfrentados na primeira bateria – “Trocaram a centralina do motor e aí ficou redondinho para a segunda corrida”, garantiu – dominou a corrida com alguma tranquilidade e completou as 18 voltas da disputa com 3″598 de vantagem para Ricardo Maurício, que sai do primeiro fim de semana de corridas da categoria com a liderança do campeonato, somando 45 pontos (25 do primeiro lugar na abertura e 20 na segunda).

Já bem distante dos dois primeiros, o paranaense Alceu Feldmann, da equipe Full Time, terminou em 3º e conquistou seu primeiro pódio desde a vitória obtida numa das baterias no Rio de Janeiro ano passado, antes de ser suspenso por doping. Galid Osman venceu uma disputa bastante acirrada com Ricardo Zonta e chegou em quarto após sair de décimo. Allam Khodair, que se envolveu num incidente com Thiago Marques logo no início da disputa, completou o top 6 da segunda corrida.

Para a etapa de Brasília, é aguardada a presença dos três carros faltantes em Interlagos: o segundo Mitsubishi da Petrópolis Competições e os dois Focus do time de Cesinha Bonilha, cuja montagem não ficou pronta a tempo, para que tenhamos os 20 carros efetivos do certame.

O resultado da corrida #2 de Interlagos:

1º Leandro Romera (Chevrolet Cruze) – 18 voltas em 33’44″310, média de 138,10 km/h
2º Ricardo Maurício (Honda Civic) – a 3″598
3º Alceu Feldmann (Honda Civic) – a 16″595
4º Galid Osman (Toyota Corolla XRS) – a 19″374
5º Ricardo Zonta (Toyota Corolla XRS) – a 22″273
6º Allam Khodair (Chevrolet Cruze) – a 24″803
7º Gustavo Martins (Chevrolet Cruze) – a 27″417
8º Felipe Gama (Honda Civic) – a 30″895
9º Leonardo Nienkötter (Mitsubishi Lancer GT) – a 31″532
10º Fernando Nienkötter (Mitsubishi Lancer GT) – a 47″882

Vitória de primeira na primeira

186865_306723_br_marcas_race_1_0007

SÃO PAULO – Campeão da Copa Petrobras de Marcas no ano passado sem ter vencido uma única corrida das 16 que foram disputadas ano passado, Ricardo Maurício começou literalmente com o pé direito a defesa do título: venceu com facilidade a 1ª corrida que acabou há pouco no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos.

O piloto do Honda #90 superou o pole position Vicente Orige logo no início e abriu boa vantagem para vencer com quase oito segundos e meio de frente para Allam Khodair, em sua reestreia no certame com o Cruze #18 da J. Star Racing. O pódio teve três marcas diferentes, já que Ricardo Zonta, com o Corolla #10, chegou na 3ª colocação.

A corrida teve 17 carros no grid e 13 deles terminaram, sendo que Orige, o pole position, teve problemas e chegou exatamente em 13º, uma volta atrasado. O grid da segunda corrida terá a inversão entre os oito primeiros colocados e a primeira fila será dividida entre Leandro Romera, no Cruze #88 e Thiago Marques, no Focus #1 da Amir Nasr Racing.

Os 10 primeiros da corrida #1 em Interlagos:

1º Ricardo Maurício (Honda Civic) – 17 voltas em 32’08″559, média de 136,90 km/h
2º Allam Khodair (Chevrolet Cruze) – a 8″265
3º Ricardo Zonta (Toyota Corolla XRS) – a 15″862
4º Denis Navarro (Toyota Corolla XRS) – a 17″288
5º Gustavo Martins (Chevrolet Cruze) – a 20″351
6º Alceu Feldmann (Honda Civic) – a 20″742
7º Thiago Marques (Ford Focus) – a 31″344
8º Leandro Romera (Chevrolet Cruze) – a 31″526
9º Pedro Nunes (Toyota Corolla XRS) – a 35″599
10º Galid Osman (Toyota Corolla XRS) – a 36″942

19 pilotos confirmados no Brasileiro de Marcas

RIO DE JANEIRO – A cinco dias da rodada dupla inaugural da Copa Petrobras de Marcas, que será disputada em sua 3ª edição desde que a competição existe sob a batuta da Vicar, temos 19 pilotos e 16 carros confirmados para a primeira etapa que acontece domingo no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos.

Marcas-fez-a-última-largada-em-Curtitiba-Foto-Duda-Bairros

Se por um lado as marcas continuam sendo as mesmas – Honda, Ford, Chevrolet, Toyota e Mitsubishi, pondo um fim às expectativas de quem gostaria de ver mais carros e uma sexta montadora na competição, há muitas novidades entre pilotos e equipes.

A Honda não terá desta vez a dupla formada por Juliano Moro/André Bragantini Jr., mas o campeão de 2012 Ricardo Maurício alinha para mais uma temporada – desta vez em casa nova, na JLM, ao lado de Vicente Orige, que ano passado andou de Chevrolet Cruze substituindo Thiago Camilo. Na Full Time, volta Alceu Feldmann e permanece Felipe Gama.

Na equipe de Carlos Alves, que segue mais um ano com o modelo Cruze, duas duplas e quatro pilotos novos: Júlio Campos faz parceria com Gabriel Casagrande e Raulino Kreis Jr. terá como companheiro Gustavo Martins. O outro time da marca da gravatinha é a J. Star Racing, do velho de guerra Murilo Macedo Fº. Alinharão o “Japonês Voador” Allam Khodair num carro e no outro, andarão em dupla Leandro Romera e Renan Guerra.

As escuderias que alinham o modelo Toyota Corolla XRS também estão definidas. Thiago Marques não permanece para esta temporada e seu lugar no time de Ricardo Zonta é agora de Galid Osman, que ano passado era da Carlos Alves. Pedro Nunes deixa os monopostos e vai para a Bassani Racing, formar a dupla de pilotos com Denis Navarro.

Novidade absoluta é a volta da Petrópolis Competições, sob a batuta de Elio Seikel. O antigo piloto do Brasileiro de Marcas, Fórmula Ford e Fórmula 3 nos áureos tempos de todas estas categorias, faz ressurgir a equipe do pai Wulf, que tornou-se referência em matéria de organização e profissionalismo nos anos 80/90. Eduardo Rocha, estreante na categoria, é até aqui o único piloto confirmado.

A outra equipe que vai andar com Mitsubishi Lancer GT é a Officer ProGP do carioca Duda Pamplona. Sem ter onde competir após o fim da Copa Fiat, os irmãos Fernando e Leonardo Nienkötter pegaram os dois carros e vão fazer um time familiar na categoria.

Com os Ford Focus, veremos de novo a Amir Nasr Racing, do sempre competente Amir Nasr, que teve muito sucesso na Fórmula 3 e na Stock. Somente Vítor Meira está confirmado e há um carro em aberto. A Bassan Motorsports, que competiu ano passado no Brasileiro de Marcas não volta em 2013. Os  dois outros Focus devem ser alinhados pela Cesinha Competições, também egressa da extinta Copa Fiat. O compromisso é ter 20 carros na pista e faltam quatro por definir.

O blogueiro aqui pretende acompanhar in loco as atividades de pista do Brasileiro de Marcas em Interlagos. E não é só a categoria que vai andar no “templo”. Vai ter Copa Marshal (o Regional Paulista), Classic Cup, Fórmula Vee, Hot Car, Super Cars e também a Fórmula 3 sul-americana. Tem corridas sábado a partir de 13h55 e domingo começando às 8h45 da manhã.

Nenhuma vitória + 10 pódios = campeão

timthumbRIO DE JANEIRO – Nos últimos dez anos, o automobilismo brasileiro tinha conhecido somente um piloto campeão de uma categoria nacional sem ter vencido uma única corrida sequer. Esse piloto em questão foi Sérgio Jimenez, vitorioso na primeira temporada da história da Fórmula Renault por aqui. Mas ele não fora o único, como me chamou a atenção o diligente Paulo “McCoy” Lava: os irmãos Affonso e Zeca Giaffone ganharam a Stock Car em 1981 e 1987, respectivamente, sem terem ganho qualquer etapa dos dois campeonatos. Zeca, aliás, foi campeão no ano em que a Stock adotou a pontuação da Nascar. Lembram disso?

Muito bem: feito o aposto e dado o devido crédito à memória de elefante do Paulo Lava, neste dia 2 de dezembro, conhecemos mais um nome para esta galeria: Ricardo Maurício, numa temporada pautada pela regularidade, levou o título de campeão do Brasileiro de Marcas numa corrida sofrida e difícíl em Curitiba. Um modesto 11º lugar foi mais do que suficiente para o pequeno grande piloto levar a taça para casa com grande justiça. O mérito de Ricardinho foi ter feito dez pódios num total de 16 corridas, com três segundos lugares como melhor resultado no ano.

A mesma regularidade, todavia, não foi mostrada pelos pilotos que mais venceram na temporada. Por isso, nenhum deles pôde comemorar a conquista que foi do piloto da Full Time Sports, numa corrida com pontuação dobrada e 100 pontos em jogo. As vitórias foram de Ricardo Zonta na primeira bateria e de André Bragantini Jr. na segunda. O piloto da JLM, aliás, constituiu-se no que a turma de fora chamaria de “from zero to hero”, partindo da 18ª e penúltima posição do grid para o topo do pódio, numa atuação impecável e exemplar, sem apelar para qualquer tipo de subterfúgio. Andrezinho provou, aliás, que dificilmente existe outro piloto hoje no país que guie um carro com tração dianteira tão bem quanto ele. Na minha opinião, é o melhor da matéria.

Outro que fez corrida exemplar, mesmo ficando fora do pódio, foi Vítor Meira, que liderou boa parte da disputa mas acabou em 5º. Marcos Gomes conseguiu se livrar da pena de doping e completou pelo menos a última corrida com a terceira posição, jogando fora aliás todos os 27 pontos somados no início do ano antes da suspensão, de acordo com o regulamento do campeonato. Ao deixar uma marca no decorrer do certame, o piloto não leva os pontos consigo.

Também cabe destacar a pancadaria desenfreada nesta última corrida do ano, presenciada por um baixíssimo público nas arquibancadas do Autódromo Internacional de Curitiba. Tem piloto com experiência internacional e tudo agindo de forma desnecessária em disputas por posição. E a direção de prova, conivente, não puniu com o rigor necessário nestas ocasiões.

Uma pena. Mas isto não apaga, de nenhuma forma, os méritos do novo campeão do Brasileiro de Marcas entre os pilotos. Entre os construtores, a Toyota faturou o caneco, contra Honda, Chevrolet e Ford. E nas escuderias, o título foi da Full Time Sports, do competente Maurício Ferreira, filho do antigo preparador Miguel Ferreira e sobrinho de Amândio Ferreira, o “Gigante”, ex-piloto e que também punha a mão na graxa como preparador. Família de grande tradição no automobilismo é isso aí.

Parabéns a todos os campeões de 2012!