Mais duas para Pedro Piquet

13919941829_e0b0b2a007

RIO DE JANEIRO – Pedro Piquet segue a deliciosa rotina de vitórias na Fórmula 3 Brasil. O piloto da Cesário Fórmula fez muito bem o dever de casa e ganhou as duas corridas da 3ª rodada dupla disputada em Brasília, numa pista em que o pai Nelson Piquet e os irmãos Geraldo e Nelsinho também venceram noutras ocasiões e categorias.

Pole position com média de quase 200 km/h, Pedro liderou as 35 voltas da prova do sábado de forma absoluta – quase 17 segundos de avanço sobre Lukas Moraes, da escuderia PropCar, chefiada pelo Dárcio dos Santos. Mesmo largando de 13º e último, Artur Fortunato fez uma corrida espetacular e chegou em terceiro, menos de um segundo atrás de Lukas. O argentino Bruno Etman completou em quarto, seguido por Vitor Baptista, vencedor da classe Light. Raphael Raucci foi o 6º colocado, enquanto Matheus Iorio e Victor Miranda completaram o pódio na categoria dos Dallara F301.

14103350371_4cf0dd470d

No domingo, o herdeiro do clã Piquet largou em 6º lugar e agiu rápido para ganhar posições. Passou a primeira volta em quarto, superou Lukas Moraes na quarta volta, ganhou a 2ª posição na nona passagem e na 13ª já era líder, ao suplantar Bruno Etman, que seria um ótimo segundo – mas acabou tendo problemas na última volta e caiu para oitavo. Vitor Baptista herdou a posição e ganhou de novo na Fórmula 3 Light, o que representa 100% de aproveitamento do piloto da Cesário nesta divisão.

Lukas Moraes e Raphael Raucci chegaram em terceiro e quarto, respectivamente, seguidos por Mauro Auricchio e Victor Miranda, que completaram o pódio da Light. A boa notícia do fim de semana, a despeito dos problemas enfrentados por alguns pilotos – Francisco Alfaya e Pedro Fortes, por exemplo, não correram – Arthur Oliveira e Fernando Croce fizeram suas estreias em Brasília.

A próxima rodada dupla será em conjunto com o Brasileiro de Marcas e a estreia da Mercedes Cup, nos dias 24 e 25 de maio, no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos.

Classificação do campeonato após três rodadas e 6 corridas:

Classe A

1. Pedro Piquet – 90 pontos; 2. Bruno Etman – 56; 3. Raphael Raucci – 42; 4. Artur Fortunato – 37; 5. Lukas Moraes – 36; 6. Leonardo de Souza – 22; 7. Arthur Oliveira – 5; 8. Fernando Croce – 3 pontos.

Classe Light

1. Vitor Baptista – 90 pontos; 2. Matheus Iorio – 35; 3. Mauro Auricchio – 31; 4. Victor Miranda e Alexandre Doretto – 30; 6. Matheus Leist – 24; 7. Gabriel Kenji Sena – 12; 8. Francisco Alfaya – 5 pontos.

Fotos: Bruno Terena/Vicar

Fuoco em Silverstone

FIA Formula 3 European Championship, round 1, Silverstone (GBR)

RIO DE JANEIRO – A Fórmula 3 Europeia começa bem, mesmo. Três corridas, três vencedores diferentes na rodada inaugural em Silverstone. Neste início de domingo de Páscoa, aqui no Brasil, o novato italiano Antonio Fuoco, atual campeão da Fórmula Renault 2.0 Alps, foi o vitorioso da vez. O piloto de 17 anos largou muito bem, superou o pole position Esteban Ocon e venceu de ponta a ponta.

Aliás, cabe uma observação interessante e cito o que o Felipe Giacomelli escreveu via twitter: Fuoco é piloto da Ferrari Driver Academy (FDA) e Esteban Ocon, pole da corrida #3 e vencedor da corrida #2, tem ligações com a Lotus. Mas nenhum deles usa motor Ferrari ou Renault, até porque pelo menos o fabricante italiano nunca se envolveu com a categoria – e sim propulsores Mercedes-Benz.

Hoje um intruso muito bem-vindo deu o ar da graça: filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jos Verstappen, o garoto Max Verstappen, que vem dos karts, fez um corridaço e chegou em 2º com o carro da Mücke Motorsport, que tem motor Volkswagen. Max rapidamente alcançou Ocon e passou o francês com tranquilidade. Mas não conseguiu chegar perto de Fuoco, vencedor por quase cinco segundos de vantagem.

Vencedor da primeira prova do campeonato, o sueco Tom Blomqvist chegou em 6º lugar na corrida #3, atrás ainda de Nicholas Latifi e do italiano Antonio Giovinazzi. Felix Rosenqvist, Lucas Auer, Jordan King e Felix Serrallés completaram o grupo dos 10 primeiros colocados.

O brasileiro Felipe Guimarães, 21º no grid, não passou da primeira volta. Ele se envolveu num incidente com Jake Dennis, da Carlin Motorsport. Gustavo Menezes, que tem sangue brasileiro nas veias, embora seja da Califórnia (EUA), foi o décimo-oitavo apenas.

A próxima rodada tripla do Europeu será nos dias 3 e 4 de maio, como evento suporte do DTM, que fará sua corrida inaugural da temporada 2014.

Blomqvist e Ocon dividem honras na F-3 europeia

4433020140419125018

RIO DE JANEIRO – Duas corridas, dois vencedores diferentes. O sueco Tom Blomqvist e o francês Esteban Ocon dividiram as honras do topo do pódio na abertura da rodada inaugural da Fórmula 3 Europeia no circuito britânico de Silverstone. O filho da lenda do Rali Stig Blomqvist e o novato da Prema ganharam suas corridas com relativa tranquilidade, embora houvesse muita movimentação durante as disputas.

Na corrida #1, inclusive, Ocon mostrou suas credenciais ao terminar num convincente 2º lugar, tornando-se o melhor estreante do fim de semana, em desempenho superior ao do italiano Antonio Fuoco, um de seus companheiros de equipe na Prema. Fuoco chegou em quarto, atrás do britânico Jordan King, atual campeão inglês da categoria. Blomqvist liderou todas as 18 voltas e venceu com 2″107 de vantagem.

Boa prestação do austríaco Lucas Auer, que partiu de 10º e chegou em quinto com o melhor dos três carros da Mücke Motorsport, seguido por Nicholas Latifi, também da Prema. O brasileiro Felipe Guimarães chegou em décimo com o carro da Double R Racing e somou seu primeiro ponto no campeonato.

4433620140419155218

Ocon, pole position para a corrida #2, imitou Tom Blomqvist na prova de abertura do campeonato. Liderou de ponta a ponta, fez a volta mais rápida em 1’52″103, e venceu com mais de três segundos e meio de vantagem para Nicholas Latifi. Antonio Fuoco chegou ao seu primeiro pódio e Blomqvist foi o quarto.

Após abandonar logo na primeira volta da corrida inaugural, o holandês Max Verstappen, filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jos Verstappen, chegou em 5º, seguido por Jordan King. Felipe Guimarães ficou fora dos pontos – foi o 11º colocado, a meio segundo do sueco John Bryant-Meisner.

Resultado final da corrida #1:

1 – Tom Blomqvist (Dallara-VW) – Carlin – 18 voltas em 36’31″379
2 – Esteban Ocon (Dallara-Mercedes) – Prema – 2″107
3 – Jordan King (Dallara-VW) – Carlin – 3″052
4 – Antonio Fuoco (Dallara-Mercedes) – Prema – 4″624
5 – Lucas Auer (Dallara-Mercedes) – Mucke – 8″504
6 – Nicholas Latifi (Dallara-Mercedes) – Prema – 11″287
7 – Felix Serralles (Dallara-Mercedes) – West Tec – 12″447
8 – Edward Jones (Dallara-VW) – Carlin – 13″578
9 – Felix Rosenqvist (Dallara-Mercedes) – Mucke – 14″131
10 – Felipe Guimarães (Dallara-Mercedes) – Double R – 17″708

Resultado final da corrida #2:

1 – Esteban Ocon (Dallara-Mercedes) – Prema – 18 voltas em 33’53″215
2 – Nicholas Latifi (Dallara-Mercedes) – Prema – 3″678
3 – Antonio Fuoco (Dallara-Mercedes) – Prema – 5″148
4 – Tom Blomqvist (Dallara-VW) – Carlin – 9″264
5 – Max Verstappen (Dallara-VW) – Van Amersfoort – 11″237
6 – Jordan King (Dallara-VW) – Carlin – 11″914
7 – Edward Jones (Dallara-VW) – Carlin – 19″293
8 – Antonio Giovinazzi (Dallara-VW) – Carlin – 20″649
9 – Denis Van de Laar (Dallara-Mercedes) – Prema – 21″877
10 – John Bryant-Meisner (Dallara-Mercedes) – Fortec – 23″533

Direto do túnel do tempo (186)

10259318_453094664835843_5243543208095340071_nRIO DE JANEIRO – Já que o post abaixo foi sobre a Fórmula 3, uma foto dos arquivos do Ronnie Silva para recordarmos os bons tempos da F-3 Sul-Americana. Se não me engano, o ano é 1996. Na foto, conseguimos divisar o #22 guiado pelo argentino Ricardo Risatti, o #9 de Fabián Malta, também argentino e o #7 de Tom Stefani. Alguém consegue identificar a pista em questão e alguns dos possíveis pilotos participantes desta corrida?

Há 18 anos, direto do túnel do tempo.

F-3 europeia: tudo pronto para a abertura do campeonato

RIO DE JANEIRO –  Doze equipes, quase 30 pilotos, quatro motores diferentes. A Fórmula 3 Europeia, que assistiu em 2013 à sua revitalização e o surgimento de novos talentos para o automobilismo internacional, pretende seguir os mesmos preceitos neste ano. O campeonato que se inicia neste fim de semana, em Silverstone, como parte da programação do FIA WEC, mescla pilotos que fizeram bonito na categoria ano passado e permanecem como naturais favoritos a outros que vêm das mais variadas origens e certames.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)

Nicholas Latifi é um dos mais experientes nomes da Fórmula 3 para este ano

Campeã ano passado com Raffaele Marciello, a Prema Powerteam tem uma das formações mais fortes desta temporada. Além de contar com o canadense Nicholas Latifi, oriundo da rival Carlin, a equipe italiana aposta nos novatos Esteban Ocon, francês de 17 anos e em Antonio Fuoco, atual campeão da Fórmula Renault ALPS. Quem completa o esquadrão é o holandês Dennis Van de Laar, que vem da holandesa Van Amersfoort.

A Mücke Motorsport mantém o vice-campeão de 2013, o sueco Felix Rosenqvist, que larga talvez como o grande favorito, pelo desempenho mostrado no último ano. Sobrinho de Gerhard Berger, o austríaco Lucas Auer permanece na categoria após um ano razoável de estreia pela Prema. Roy Nissany, de Israel, entra como mero figurante.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Com patrocínio do Racing Steps Foundation, Jake Dennis chega à F-3 após boa campanha na F-Renault europeia

Os britânicos da Carlin optaram por um time 100% composto por súditos da rainha a bordo de seus três Dallara com motor Volkswagen. Campeão da F-3 britânica, Jordan King é o líder natural do time, que tem ainda Ed Jones, vitorioso do Euro F-3 Open e o novato Jake Dennis, 4º colocado no Europeu de Fórmula Renault.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Riccardo Agostini volta à F-3 pela Eurointernational

Com experiência anterior na categoria, Riccardo Agostini volta aos monopostos da F-3 após competir parcialmente na AutoGP e na World Series by Renault. Completando 20 anos neste fim de semana, o italiano lidera a equipe Eurointernational, do veterano Antonio Ferrari, ao lado de dois novatos: Michele Beretta e Santino Ferrucci – que apesar do nome e sobrenome italianíssimo corre com bandeira dos EUA.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)

O carro #12 do espanhol Alexander Toril estreia os novos motores NBE, do mago da preparação Neil Brown

A Fortec Motorsports, outra tradicional equipe da categoria, mantém o sueco John Bryant-Meisner, tido como promessa, ao lado do australiano Mitch Gilbert, ex-Mücke. E uma das novidades é a estreia dos motores NBE na Fórmula 3 Europeia. Sigla para Neil Brown Engineering, esses propulsores são o regresso do preparador dos vitoriosos motores Mugen-Honda à categoria. Richard Goddard e Alexander Toril são os pilotos que irão guiar os Dallara da Three Bond with T-Sport, com os novos motores.

O brasileiro Felipe Guimarães, de 23 anos, volta ao automobilismo europeu após dominar a Fórmula 3 sul-americana ano passado. 4º colocado na F-3 inglesa, que disputou em paralelo com o certame continental extinto em 2014, Felipe entra no Europeu pela equipe Double R Racing, que um dia já foi de Kimi Räikkönen e Steve Robertson – e pela qual já correram pilotos feito Mike Conway e Álvaro Parente, por exemplo. Mas hoje o dono do time é o antigo engenheiro de Bruno Senna, Anthony “Boyo” Hieatt – e a Double R não é mais tão forte quanto antigamente.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Sangue brasileiro, cidadania americana: Gustavo Menezes, nascido na Califórnia, estreia na F-3 europeia pela Van Amersfoort Racing

Os holandeses da Van Amersfoort ampliam a estrutura dos dois carros de 2013 para três neste ano, apostando em três caras novas: Max Verstappen, filho do antigo piloto de Fórmula 1 Jos Verstappen é uma atração – já que mostrou muita velocidade nos testes de pré-temporada realizados na Hungria e na Áustria. O compatriota Jules Szymowiak e o estadunidense Gustavo Menezes, que é filho de brasileiro, completam o time.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Antonio Giovinazzi é um dos três nomes da equipe DMS-Investama, em parceria com a britânica Carlin

A Jo Zeller Racing continua no Europeu com um esquema praticamente familiar. Com um cockpit ainda disponível, o antigo piloto de F-3 alinha um carro para o filho Sandro, de 22 anos. Não devem fazer frente às principais forças da categoria. A Carlin, já citada anteriormente, terá um time “B” com bons pilotos: o italiano Antonio Giovinazzi, o indonésio Sean Gelael e o sueco Tom Blomqvist, filho do craque do Rali Stig Blomqvist.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)O colombiano Óscar Tunjo é um dos novos valores da categoria. Ele e Tatiana Calderón vão correr com motores Renault na volta da Signature à F-3

Os britânicos da West-Tec sobem para o Europeu após a participação no F-3 Euro Open, com modelos mais antigos que os Dallara F312 do certame continental. Como novidade, Hector Hurst junta-se ao experiente portorriquenho Felix Serrallés. E, por fim, a temporada 2014 marca o retorno da Signature à categoria, com motores Renault/Oreca. Como parte do acordo entre o time de Philippe Sinault e a Régie, a equipe terá pilotos do programa júnior da marca, ambos colombianos: Óscar Tunjo, de 18 anos, conquistou um bom 6º lugar no Europeu de Fórmula Renault. Ele terá a companhia de Tatiana Calderón, 21 anos, única mulher da categoria desta vez.

As provas do Europeu de Fórmula 3 continuam no mesmo padrão do ano passado. Três corridas por fim de semana, com duração máxima de 35 minutos. Os pilotos entram na pista de Silverstone para dois treinos de classificação que definem o grid da seguinte forma: a melhor volta de cada piloto corresponde às posições de largada da corrida #1 e a segunda passagem mais rápida forma o grid da corrida #3. As posições do grid da corrida #2 são definidas no segundo treino classificatório. Cada sessão tem duração de 20 minutos cada, com cinco minutos de intervalo entre elas.

Nos treinos livres, os pilotos podem passar dois sets de pneus novos ou um jogo de compostos usados. Nas qualificações e corridas, são três sets de pneus novos à disposição. Em finais de semana com chuva, a organização oferece três jogos de pneus. Os motores também têm restrições: a mesma unidade propulsora tem que ser utilizada em duas corridas consecutivas.

As atividades de pista da Fórmula 3 em Silverstone estão assim definidas, com horários já convertidos para o fuso brasileiro. Na Inglaterra, são quatro (e não três) horas a mais.

Sexta-feira, 18 de abril:

5h – Treino livre #1 (40 minutos)
5h45 – Treino livre #2 (35 minutos)
9h40 – Treino classificatório – corrida #1 e corrida #3 (20 minutos)
13h40 – Treino classificatório – corrida #2 (20 minutos)

Sábado, 19 de abril:

6h20 – Corrida #1 (35 minutos)
9h20 – Corrida #2 (35 minutos)

Domingo, 20 de abril:

5h15 – Corrida #3 (35 minutos)

Três em quatro

timthumb (1)

RIO DE JANEIRO – Em quatro corridas da Fórmula 3 Brasil, três vitórias na classificação geral e quatro triunfos na classe A. Com 60 pontos somados, Pedro Piquet tem um início praticamente perfeito em sua campanha na categoria de monopostos, que teve neste fim de semana a 2ª rodada dupla da temporada, no circuito gaúcho de Santa Cruz do Sul.

O piloto da Cesário F3 não tomou conhecimento dos rivais durante o treino classificatório que definiu o grid da primeira corrida do fim de semana, disputada no último sábado. Registrou um tempo mais de dois segundos abaixo da marca do 2º colocado, o gaúcho Francisco Alfaya. Mesmo com o piso molhado, Pedro dominou a corrida, fez a melhor volta e venceu com cerca de 10 segundos de vantagem para o argentino Bruno Etman, da Hitech Racing. Raphael Raucci foi o terceiro, apenas 0″018 atrás do rival.

Com apenas cinco dos onze que terminaram a disputa completando a prova na mesma volta, Vitor Baptista, também da Cesário F3, chegou em 4º na geral e faturou os 15 pontos da vitória na classe Light, seguido por Matheus Leist e Matheus Iorio, ambos da Hitech Racing.

No domingo, na 4ª prova da temporada, Vitor Baptista foi beneficiado por mais um problema de Pedro Piquet ao largar. O piloto do carro #5, sexto no grid, deixou o motor de seu Dallara-Berta F309 morrer. Pedrinho caiu para último, fez ótima corrida de recuperação, com direito à melhor volta da prova, mas não conseguiu superar o companheiro de equipe, que venceu por 0″183 de segundo a bordo do Dallara-Berta F301 número #21.

Lukas Moraes, da PropCar Racing, alcançou o 3º lugar geral em seu primeiro pódio na Fórmula 3 Brasil. Bruno Etman (Hitech Racing), Artur Fortunato (RR Racing) e Victor Miranda (RR Racing) completaram os seis primeiros colocados.

Cabe lembrar que o blog informou, nas postagens sobre a etapa de Tarumã, uma pontuação diferente da que foi divulgada neste fim de semana em Santa Cruz do Sul. No ano passado, a vitória valia 20 pontos. Agora, vale 15. O sistema de pontuação da Fórmula 3 Brasil é este: 15-12-9-7-5-3-2-1. Só os oito primeiros pontuam.

O campeonato segue com a 3ª rodada dupla marcada para Brasília, no próximo dia 4 de maio, em conjunto com a Copa Petrobras de Marcas.

Confira a classificação do campeonato após quatro corridas:

Classe A:

1. Pedro Piquet (Cesário F3) – 60 pontos
2. Bruno Etman (Hitech Racing) – 42
3. Raphael Raucci (RR Racing) e Artur Fortunato (RR Racing) – 28
5. Leonardo de Souza (Kemba Racing) – 22
6. Lukas Moraes (PropCar Racing) – 12

Classe Light:

1. Vitor Baptista (Cesário F3) – 60 pontos
2. Alexandre Doretto (PropCar Racing) – 30
3. Matheus Leist (Hitech Racing) – 24
4. Mauro Auricchio (RR Racing) – 19
5. Matheus Iorio (Hitech Racing) – 16
6. Gabriel Kenji Sena (EMB Motorsport) e Victor Miranda (RR Racing) – 12
8. Francisco Alfaya (Capital Motorsport) – 5

Foto: Fernanda Freixosa (Vicar/Divulgação)

Dose dupla de Pedro Piquet em Tarumã

219872_394359_pp14_tarsab6

RIO DE JANEIRO – Depois do gostinho da primeira vitória, nada como conquistar a segunda no mesmo fim de semana, de forma incontestável. Foi o que fez Pedro Piquet na corrida #2 da Fórmula 3 Brasil em Tarumã. O piloto da Cesário saiu da 6ª posição com seu Dallara “Brabham” número #5 e passou em terceiro na primeira volta. Na segunda, já estava em segundo e na quarta, depois de uma intervenção curta do Safety Car, era o líder. E assim permaneceu na ponta até a 31ª passagem. Venceu com pouco mais de oito segundos e meio de vantagem para Raphael Raucci, da RR Racing.

219872_394361_pp14_tarsab2

“Deu tudo certo até agora e espero que continue assim”, declarou o líder do campeonato logo após a cerimônia de pódio. “Fiz uma boa largada e, como nosso carro estava com pouca asa, era muito bom de reta. Isso facilitou as ultrapassagens.”

Outro piloto que deixou ótima impressão na pista de Tarumã foi Vítor Baptista, estreando também na Cesário Fórmula. O piloto do carro #21, que é um Dallara F301 da classe Light, venceu as duas provas em sua divisão e hoje foi o 3º colocado na classificação geral, melhor que outros dois pilotos com carros mais modernos e que terminaram na mesma volta: o argentino Bruno Etman e o pole position Leonardo de Souza.

Mauro Auricchio recuperou-se bem dos problemas do sábado. O piloto chegou em 6º na geral e em segundo na Light. Artur Fortunato foi o sétimo, seguido por Alexandre Doretto, Gabriel Kenji e Francisco Alfaya. Lukas Moraes, após treinos promissores, acabou em branco no fim de semana: o piloto da PropCar nem completou a primeira volta neste domingo.

A temporada da Fórmula 3 Brasil tem sequência no próximo fim de semana em paralelo com a Stock Car e o Brasileiro de Turismo, no seletivo circuito de Santa Cruz do Sul, lá mesmo no Rio Grande do Sul.

Resultado final da corrida #2 em Tarumã:

1. Pedro Piquet (Cesário Fórmula) – 31 voltas em 31’05″695, média de 181,78 km/h
2. Raphael Raucci (RR Racing) – a 8″720
3. Vitor Baptista (Cesário Fórmula) – a 14″551
4. Bruno Etman (Hitech Racing) – a 16″238
5. Leonardo de Souza (Kemba Racing) – a 43″983
6. Mauro Auricchio (RR Racing) – a 1 volta
7. Artur Fortunato (RR Racing) – a 1 volta
8. Alexandre Doretto (PropCar Racing) – a 1 volta
9. Gabriel Kenji (EMB Motorsport) – a 2 voltas
10. Francisco Alfaya (Capital Motorsport) – a 3 voltas
11. Matheus Leist (Hitech Racing) – a 22 voltas
12. Matheus Iorio (Hitech Racing) – a 29 voltas
13. Victor Miranda (RR Racing) – a 30 voltas
14. Lukas Moraes (PropCar Racing) – não completou a primeira volta
15. Arthur Oliveira (Hitech Racing) – não completou a primeira volta

Classificação do campeonato após 2 corridas:

Classe A

1. Pedro Piquet – 40 pontos; 2. Bruno Etman – 27; 3. Raphael Raucci – 25; 4. Artur Fortunato – 20; 5. Leonardo de Souza – 18.

Classe Light

1. Vitor Baptista – 40 pontos; 2. Alexandre Doretto – 24; 3. Matheus Leist e Mauro Auricchio – 15; 5. Gabriel Kenji – 10; 6. Francisco Alfaya – 8.

Fotos: Bruno Terena/Vicar/Divulgação

De último a primeiro: Piquet vence na estreia em Tarumã

219851_394253_pp14_tarsab7

RIO DE JANEIRO – A abertura da temporada 2014 da Fórmula 3 Brasil reservou aos que assistiram a corrida neste sábado, em Tarumã, fortes emoções. Pole position no treino classificatório, com direito a volta recorde do circuito gaúcho, Pedro Piquet deixou o motor de seu Dallara F309 morrer e caiu para último. “Largando da pole tive problema pra achar o bipoint da embreagem acabei soltando muito rápido. Então o carro morreu”, comentou o piloto da Cesário Fórmula.

Beneficiado por uma entrada de Safety Car, Pedrinho logo se juntou ao pelotão de carros que passaram da primeira volta – foram 13 de um total de 15 participantes – e após a relargada, o “Brabham” do piloto de 15 anos foi ultrapassando um a um todos os seus adversários.

Uma segunda entrada de Safety Car favoreceu mais ainda a Piquet, que logo assumiu a segunda posição e continuou atacando até superar o argentino Bruno Etman, que errou quando liderava com o Dallara F309 da Hitech Racing. Pedro ainda abriu vantagem e venceu com 5″555 de diferença para o rival.

219851_394250_pp14_tarsab4

“Foi muito bom. Durante o final de semana todo sempre fomos os mais rápidos. O Felipe Vargas e o time conseguiram acertar muito bem o carro e eu me adaptei muito bem à pista. Agradeço a todos que trabalharam duro para me proporcionar essa estreia. O carro estava muito bom.”

Largando de último, Artur Fortunato completou o pódio com o carro #28 da RR Racing. Vítor Baptista também andou muito bem em sua estreia e chegou em 4º na geral e primeiro com o carro #21 da Cesário Fórmula na classe Light. Raphael Raucci chegou em quinto, seguido por Leonardo de Souza. Matheus Leist e Alexandre Doretto, também da divisão Light, foram os outros dois pilotos que receberam a quadriculada. Os demais, entre eles Lukas Moraes, segundo do grid, abandonaram a disputa.

Neste domingo, o grid é formado pelo resultado final da corrida #1, com exceção dos seis primeiros, que invertem suas posições. Assim, o pole é Leonardo de Souza. Pedro Piquet largará da 6ª posição.

O resultado da corrida #1 em Tarumã:

1. Pedro Piquet (Cesário F3) – 28 voltas em 31’54″424, média de 160,01 km/h
2. Bruno Etman (Hitech Racing) – a 5″555
3. Artur Fortunato (RR Racing) – a 6″137
4. Vitor Baptista (Cesário F3) – a 6″987
5. Raphael Raucci (RR Racing) – a 7″555
6. Leonardo de Souza (Kemba Racing) – a 14″279
7. Matheus Leist (Hitech Racing) – a 22″978
8. Alexandre Doretto (PropCar Racing) – a 29″781
9. Lukas Moraes (PropCar Racing) – a 10 voltas
10. Matheus Iorio (Hitech Racing) – a 14 voltas
11. Francisco Alfaya (Capital Motorsport) – a 22 voltas
12. Gabriel Kenji (EMB Motorsport) – a 24 voltas
13. Victor Miranda (RR Racing) – a 25 voltas
14. Arthur Oliveira (Hitech Racing) – não completou a primeira volta
15. Mauro Auricchio (RR Racing) – não completou a primeira volta

Fotos: Bruno Terena/Vicar/Divulgação

Estreia, pole e recorde

RIO DE JANEIRO – Pedro Piquet começa muito bem sua trajetória na Fórmula 3 Brasil. O piloto de apenas 15 anos de idade (16 em julho próximo) estreia com um carro da categoria, preparado pela Cesário Fórmula, e logo na pista mais veloz do país, com pole position. Com seu Dallara F309 Berta lembrando o Brabham de seu pai nas conquistas da Fórmula 1 em 1981 e 1983 na programação visual, o garoto simplesmente voou no circuito gaúcho de Tarumã.

Mais cedo, ele já assombrara no treino livre ao marcar uma volta abaixo de 56 segundos, numa média horária superior a 195 km/h. Na qualificação, Pedrinho foi ainda melhor: 55’712″, média de 196,37 km/h – é o novo recorde do Autódromo de Tarumã para qualquer categoria do automobilismo nacional.

O tempo do piloto foi 0″644 mais rápido que o de Lukas Moraes, que forma a primeira fila a bordo do Dallara F309 Berta da PropCar Racing. O novato Vitor Baptista, também da Cesário Fórmula, surpreendeu positivamente: com um Dallara F301 da classe Light, ele foi o terceiro no grid, mais rápido que outros cinco carros da divisão principal e que, evidentemente, todos os seus adversários com os modelos mais antigos da Fórmula 3 Brasil.

Campeão da F-3 Light no último ano do Sul-Americano, Bruno Etman larga em quarto com o carro #27 da Hitech Racing, seguido por Leonardo de Souza, da Kemba Racing e por Victor Miranda, da RR Racing. Raphael Raucci, que foi o vice-campeão do ano passado, não conseguiu uma boa performance na qualificação: acabou em 7º a quase dois segundos da pole de Piquet. O gaúcho Francisco Alfaya estreia com a oitava posição no grid, terceiro da Light. Arthur Oliveira e Mauro Auricchio completam os dez mais rápidos de um total de 15 carros que tomaram parte do treino cronometrado. Só Artur Fortunato, com o segundo carro da RR Racing na classe principal, não fez tempo.

O grid da corrida #1 em Tarumã:

1. Pedro Piquet (Cesário F3) – 55″712
2. Lukas Moraes (PropCar Racing) – 56″356
3. Vítor Baptista (Cesário F3) – 56″611
4. Bruno Etman (Hitech Racing) – 56″952
5. Leonardo de Souza (Kemba Racing) – 57″290
6. Victor Miranda (RR Racing) – 57″296
7. Raphael Raucci (RR Racing) – 57″696
8. Francisco Alfaya (Capital Motorsport) – 57″796
9. Arthur Oliveira (Hitech Racing) – 58″151
10. Mauro Auricchio (RR Racing) – 59″400
11. Gabriel Kenji (EMB Racing) – 59″587
12. Matheus Leist (Hitech Racing) – 59″643
13. Matheus Iorio (Hitech Racing) – 1’00″070
14. Alexandre Doretto (PropCar Racing) – 1’00″355
15. Artur Fortunato (RR Racing) – sem tempo cronometrado

Ressurgimento

971031_10202645107282658_6425202802559514599_n

RIO DE JANEIRO – Parece que desta vez vai: a Fórmula 3 Brasil, substituta do certame sul-americano (que vinha sendo disputado só por equipes do país e, eventualmente, com pilotos argentinos) começa a temporada 2014 com um grid muito, mas muito melhor do que o esperado.

A etapa de Tarumã, neste fim de semana, conta com nada menos que 16 pilotos inscritos, sendo sete na classe principal, com os modelos Dallara F309 e nove na Light, na qual os carros ainda são os vetustos F301, que têm maior pressão aerodinâmica que os modelos mais novos (ou menos antigos, como queiram). Esses carros ainda são usados no Brasil por questões de custos e equipados com o motor Ford 2,3 litros com a grife Berta. Esses motores têm 270 HP de potência e, com cilindrada maior que os propulsores 2 litros dos demais certames de Fórmula 3 do mundo, fazem a série brasileira ser uma das mais velozes de todas.

Com diversos estreantes no plantel, a grande atração é, sem sombra de dúvida, Pedro Piquet. Aos 15 anos, o filho do tricampeão mundial de F-1 Nelson Piquet deixa para trás uma tumultuada aparição na Toyota Racing Series, na Nova Zelândia, e vai fazer o campeonato tupiniquim pela Cesário Fórmula, uma das mais vitoriosas organizações da Fórmula 3 do Brasil.

E o ressurgimento da categoria motivou também o retorno de uma querida figura da categoria: Dárcio dos Santos, tio de Rubens Barrichello, volta com a PropCar Racing e três carros. Na divisão principal, o Darcião traz o garoto Lukas Moraes, que andou uma enormidade no primeiro treino extra disputado nesta sexta em Tarumã: 56″689, média de quase 193 km/h!

Um grid razoável como este da primeira etapa, mais do que mostrar que a F-3 tem potencial a ser explorado, significa também que mais e melhores postos de trabalho para engenheiros e mecânicos podem vir a ser criados se o interesse aumentar e novas escuderias se juntarem às sete que participam da rodada dupla inaugural. Tomara que seja assim.

Estes são os inscritos da primeira rodada da Fórmula 3 Brasil:

#5 Pedro Piquet (A)
Cesário F3
Dallara F309 Berta

#11 Lukas Moraes (A)
PropCar Racing
Dallara F309 Berta

#12 Arthur Oliveira (A)
Hitech Racing
Dallara F309 Berta

#15 Raphael Raucci (A)
RR Racing
Dallara F309 Berta

#16 Alexandre Doretto (L)
PropCar Racing
Dallara F301 Berta

#18 Matheus Leist (L)
Hitech Racing
Dallara F301 Berta

#21 Vitor Batista (L)
Cesário F3
Dallara F301 Berta

#25 Gabriel Kenji Sena (L)
EMB Racing
Dallara F301 Berta

#27 Bruno Etman (A)
Hitech Racing
Dallara F309 Berta

#28 Arthur José Fortunato (A)
RR Racing
Dallara F309 Berta

#34 Matheus Iorio (L)
Hitech Racing
Dallara F301 Berta

#46 Mauro Auricchio (L)
RR Racing
Dallara F301 Berta

#53 Vitor Miranda (L)
RR Racing
Dallara F301 Berta

#84 Fernando Croce (L)
PropCar Racing
Dallara F301 Berta

#91 Leonardo de Souza (A)
Kemba Racing
Dallara F309 Berta

#99 Francisco Alfaya (L)
Capital Motorsport
Dallara F301 Berta

Foto: Luca Bassani

Recordar é viver

219441_392774_pp14_veloparktest1RIO DE JANEIRO – A pintura desse carro com certeza vai emocionar os corações mais empedernidos. A foto, by Felipe Vargas, foi mandada por e-mail de divulgação pelo Luiz Ferrari, que informa sobre a estreia de Pedro Piquet na Fórmula 3 Brasil, no próximo fim de semana, em Tarumã.

O visual do Dallara do filho do tricampeão mundial de Fórmula 1 Nelson Piquet é muito, mas muito igual ao da Brabham com que seu pai foi campeão mundial pelo time britânico em 1981 e 1983. Com direito ao número #5, também.

Recordar é viver.

Pedro, de apenas 15 anos de idade, vai correr pela Cesário Fórmula. A Fórmula 3 Brasil, que substitui a Fórmula 3 Sul-Americana, terá uma temporada de oito rodadas duplas, compreendendo 16 corridas. A princípio, 12 carros estavam confirmados para a prova inaugural – mas o Dárcio dos Santos, que volta com sua equipe – a PropCar (viva!) – afirma que serão dezesseis – sete na divisão principal e nove na Light.

Será que vai?

Fórmula 3 Brasil, 20 anos depois

RIO DE JANEIRO – Com teto de R$ 450 mil por carro para toda a temporada de 2013, renasce o sonho de se ter uma Fórmula 3 brasileira, 20 anos após o famoso imbroglio da última etapa do Campeonato Sul-Americano de 1993.

Na ocasião, Hélio Castroneves venceu a corrida com um Ralt Mugen Honda da equipe de Amir Nasr, resultado que o deixaria com o título de campeão daquela temporada, porque o principal rival do piloto, o argentino Fernando Croceri, vinha em 5º lugar. Em circunstâncias até hoje jamais esclarecidas, mas que ocasionaram uma bulha sem tamanho, três argentinos (Fabián Malta, Nestor Gabriel Furlán e Guillermo Kissling) que vinham à frente do referido antagonista do brasileiro, tiraram o pé e permitiram que Croceri, ao chegar em segundo, comemorasse o título sul-americano da categoria. Detalhe: Croceri, Furlán e Malta tinham o patrocínio da YPF em seus carros. Outro detalhe: o motor Mugen do Ralt de Croceri não rendia bem desde o início da corrida, o que explicava o piloto em 5º lugar no início da última volta.

A atitude – condenada inclusive por vários argentinos – precipitou um racha na F-3 sul-americana e todos perderam. Os nossos vizinhos tiveram que se virar com um campeonato que mal tinha 12 carros por prova e as equipes brasileiras fizeram o certame doméstico, onde foram usados pela primeira vez chassis mais modernos que os Ralt de 1991 que eram maioria nas nossas pistas. Cristiano da Matta ganhou o título brasileiro, derrotando, entre outros, Hélio Castroneves, Ruben Fontes, Marcelo Tedesco, Bruno Junqueira e Ricardo Zonta.

Agora, a história é outra. Os argentinos quase não têm mais interesse nas competições de monoposto, embora Bruno Etman tenha vencido a temporada 2013 na divisão Light. A Fórmula 3 também não apresenta mais a força de outrora. A categoria se arrastou durante todo o ano com um número pífio de competidores e somente na etapa inaugural em Interlagos houve 13 inscritos. Várias corridas tiveram apenas seis carros na pista, compondo um panorama desalentador para uma categoria que já teve quase 30 pilotos por prova, no seu auge.

Nesta semana, em apresentação ocorrida no Parque Beto Carrero em Penha (SC), os organizadores da Fórmula 3 – Vicar, leia-se – expuseram o pacote para a disputa do campeonato, onde a categoria principal segue com os chassis Dallara F308/309 e motores Berta 2.3 litros de 260 HP de potência, calçados com pneus Pirelli importaods, ao custo de R$ 450 mil/ano. Na divisão Light, sobrevivem os Dallara F301, também com motor Berta e pneus Pirelli – de origem nacional. O preço cai ainda mais: R$ 195 mil/ano.

De acordo com o calendário, a Fórmula 3 Brasileira terá oito rodadas duplas e 16 corridas, em sete circuitos diferentes, começando em abril de 2014 em Tarumã. Torço para que a inciativa dê certo, que haja uma forma da categoria se sustentar e manter sua tradição de grande formadora de talentos para o automobilismo brasileiro e internacional.

Eis as datas:

05 e 06/04 – Tarumã
12 e 13/04 – Santa Cruz do Sul
03 e 04/05 – Goiânia
24 e 25/05 – São Paulo
26 e 27/07 – Curitiba
06 e 07/09 – Velopark
18 e 19/10 – Curitiba
22 e 23/11 – Brasília

Onze datas e 33 corridas para a F-3 europeia em 2014

2013-10-13-041

RIO DE JANEIRO – Renascida e principalmente fortalecida por uma boa temporada, com protagonistas do nível do campeão Raffaele Marciello e do vice Felix Rosenqvist, entre outros bons nomes ao longo do ano, a Fórmula 3 Europeia já tem calendário definido para a temporada de 2014.

Agregada a campeonatos como o DTM, o WEC e o WTCC como evento suporte, a categoria-escola de monopostos visitará dez circuitos diferentes em onze finais de semana, com o sistema de rodadas triplas mantido. Logo, serão 75 pontos em jogo a cada prova da temporada.

Uma das três principais novidades do calendário é a volta do circuito de rua de Pau, na França, como 3ª rodada do calendário. A cidade da região dos Pireneus é tradicional em provas internacionais: teve provas extracampeonato de Fórmula 1 nos anos 60, além de corridas disputadíssimas de Fórmula 2, Fórmula 3000 e da própria Fórmula 3, sem contar o WTCC que correu anos por lá.

Além do regresso da Terra da Bastilha ao Europeu de F-3, o circuito de Imola substitui Monza como sede da rodada italiana. E com a saída de Zandvoort, tradicional palco de provas da categoria, do calendário, os organizadores alocaram uma rodada tripla no Moscou Raceway, na Rússia, como preliminar de uma etapa do DTM.

O campeonato começa em 19 e 20 de abril como preliminar do World Endurance Championship (WEC) em Silverstone e termina junto com o encerramento do Alemão de Turismo em Hockenheim, nos dias 18 e 19 de outubro.

Eis as datas:

19 e 20/04 – Silverstone (WEC)
03 e 04/05 – Hockenheim (DTM)
10 e 11/05 – Pau
31/05 e 01/06 – Hungaroring (DTM)
21 e 22/06 – Spa-Francorchamps (WTCC)
28 e 29/06 – Norisring (DTM)
12 e 13/07 – Moscou Raceway (DTM)
02 e 03/08 – Red Bull Ring (DTM)
16 e 17/08 – Nürburgring (DTM)
11 e 12/10 – Imola
18 e 19/10 – Hockenheim (DTM)

Na íntegra – GP de Macau de Fórmula 3

RIO DE JANEIRO – Mais um oferecimento do blog: os vídeos com o Grande Prêmio de Macau de Fórmula 3. Treinos classificatórios, corrida classificatória e corrida principal. Tudo na íntegra. Somente o último vídeo é em espanhol. Os demais, em chinês. O que vale mesmo é acompanhar os carros no Circuito da Guia. Confiram!

O fim de uma era

186890_306856_f3_race_2_0004

RIO DE JANEIRO – Neste domingo, no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais, chega ao fim a trajetória de mais de duas décadas e meia do Campeonato Sul-Americano de Fórmula 3, cuja última edição foi uma das mais melancólicas de sua história.

Com gênese na Fórmula 2 Codasur, a F-3 continental estreou em 26 de abril de 1987, no Autódromo de Cascavel, com vitória do brasileiro Leonel Friedrich, que se consagraria campeão da primeira temporada. Eram tempos onde os argentinos, nossos eternos rivais, ainda davam as cartas.

A rivalidade existiu pelo menos até 1998, com o auge em 1993, quando num campeonato cheio de polêmicas – de todos os lados – Fernando Croceri ganhou de presente de seus compatriotas – Gabriel Furlán, Fabián Malta e Guillermo Kissling, dentre outros – o título que, por mérito, não seria dele e sim de Hélio Castroneves. Isso provocou a criação de uma Fórmula 3 brasileira em 1994 – e que será revivida em 2014.

Pelo menos é o que querem a Vicar e a CBA: a “nova” categoria oferece o mesmo pacote técnico – chassi Dallara F301 para a classe Light e os modelos F308/309 para a divisão principal, com custos entre R$ 195 e 450 mil.

Eu gostaria que desse certo, porque o automobilismo brasileiro está perdendo – se é que já não perdeu – sua vocação para celeiro de talentos do esporte a motor. Não somos mais o mesmo país que teve nesta Fórmula 3 continental nomes como o próprio Castroneves, Ricardo Zonta, Christian Fittipaldi, Bruno Junqueira, João Paulo de Oliveira, Oswaldo Negri, Affonso Giaffone Neto, Luiz Razia, Vítor Meira, Nelsinho Piquet, Lucas Di Grassi, Danilo Dirani e tantos outros. Sem contar Rubens Barrichello, que passou por lá, fez três corridas e venceu.

Neste ano, a categoria teve momentos tristíssimos, como a disputa de uma corrida na Argentina com apenas seis carros. Em Curitiba, na última rodada dupla, só nove pilotos participaram. Felipe Guimarães foi o campeão antecipado da divisão principal e o argentino Bruno Etman ganhou a classe Light. Se nós tivéssemos memória, o blog homenagearia com fotos todos os campeões da Fórmula 3 sul-americana desde 1987. Mas como isso será impossível, vamos registrar cada um dos vitoriosos.

Todos os campeões da F-3 Sul-Americana:

1987
Leonel Friedrich (Brasil)
INI Competición – Berta Volkswagen

1988
Juan Carlo Giacchino (Argentina)
Equipe Sommi-Zanon – Dallara Alfa Romeo

1989
Nestor Gabriel Furlán (Argentina)
Equipe Sommi-Zanon – Dallara Alfa Romeo

1990
Christian Fittipaldi (Brasil)
Fittipaldi Racing – Reynard Alfa Romeo

1991
Affonso Giaffone Neto (Brasil)
INI Competición – Ralt Volkswagen

1992
Marcos Gueiros (Brasil)
Cesário Fórmula – Ralt Mugen Honda

Suzane Carvalho (Brasil) *
Rullo Competición – Reynard Volkswagen

1993
Fernando Croceri (Argentina)
Cesário Fórmula – Ralt Mugen Honda

Milton Sperafico (Brasil) *
Sperafico Competições – Reynard Volkswagen

1994
Nestor Gabriel Furlán (Argentina)
GF Motorsport – Dallara Fiat

1995
Ricardo Zonta (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

Emiliano Spataro (Argentina) *
GF Motorsport – Dallara Fiat

1996
Nestor Gabriel Furlán (Argentina)
GF Motorsport – Dallara Fiat

Anibal Zaniratto (Argentina) *
RC Motorsport – Dallara Fiat

1997
Bruno Junqueira (Brasil)
PropCar Racing – Dallara Opel

Diego Chiozzi (Argentina) *
GF Motorsport – Dallara Fiat

1998
Nestor Gabriel Furlán (Argentina)
GF Motorsport – Dallara Mitsubishi HKS

Ramón Ibarra (Chile) *
Werner Competición – Dallara Fiat

1999
Hoover Orsi (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

João Paulo de Oliveira (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

2000
Vítor Meira (Brasil)
Amir Nasr Racing – Dallara Mugen Honda

Martin Cánepa (Uruguai) *
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

2001
Juliano Moro (Brasil)
Amir Nasr Racing – Dallara Mugen Honda

Daniel Scandian (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

2002
Nelsinho Piquet (Brasil)
Piquet Sports – Dallara Mugen Honda

Duda Azevedo (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

2003
Danilo Dirani (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

Rodrigo Ribeiro (Brasil) *
Dragão Motorsport – Dallara Mugen Honda

2004
Xandinho Negrão (Brasil)
Piquet Sports – Dallara Mugen Honda/Dallara Berta

Marcos Guerra (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Mugen Honda

2005
Alberto Valério (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Berta

Paulo Meyer (Brasil) *
Casagrande Racing – Dallara Mugen Honda

2006
Luiz Razia (Brasil)
Razia Sports – Dallara Berta

Caio Costa (Brasil) *
PropCar Racing – Dallara Opel

2007
Clemente de Faria Jr. (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Berta

2008
Nelson Merlo Neto (Brasil)
Bassani Racing – Dallara Berta

2009
Leonardo Cordeiro (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Berta

Henrique Martins (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Berta

2010
Bruno Andrade (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Berta

Fernando “Kid” Rezende (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Berta

2011
Fabiano Machado (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Berta

Bruno Bonifácio (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Berta

2012
Fernando “Kid” Rezende (Brasil)
Cesário Fórmula – Dallara Berta

Higor Hoffman (Brasil) *
Cesário Fórmula – Dallara Berta

2013
Felipe Guimarães (Brasil)
Hitech Racing – Dallara Berta

Bruno Etman (Argentina) *
Cesário Fórmula – Dallara Berta

GP de Macau: Lynn confirma e Derani acaba no pódio

4241420131117125215

RIO DE JANEIRO – Vencedor da corrida classificatória na véspera, o britânico Alex Lynn, da Prema – com as cores e os auspícios da Theodore Racing, de volta ao Circuito da Guia – venceu neste domingo a 60ª edição do Grande Prêmio de Macau, derrotando o português Antônio Félix da Costa, que defendia o seu título.

Logo na primeira volta, quatro carros ficaram fora da disputa, em incidentes isolados. O vice-campeão europeu de Fórmula 3 Felix Rosenqvist saiu do caminho logo após a largada e, mais adiante, na altura da Curva do Mandarim, houve uma colisão entre Lucas Auer, John Bryant-Meisner e Sean Gelael, que mandou o Safety Car para a pista.

Lynn relargou na frente com Félix da Costa em segundo e Raffaele Marciello em terceiro lugar. O brasileiro Pipo Derani manteve a quarta posição após largar em 5º no grid até a décima volta, quando Marciello, campeão europeu, sucumbiu ante as armadilhas do circuito de rua, bateu e ficou de fora, ofertando o pódio ao piloto da Fortec Motorsport.

Alex Lynn cruzou a linha de chegada após 15 voltas com 1″173 de vantagem para Félix da Costa, enquanto Derani fechou a disputa a quase sete segundos do vencedor. Alexander Sims foi o quarto colocado, com Jordan King, autor da melhor volta da prova, em quinto e Jazeman Jaafar fechando a conta dos seis primeiros.

Resultado final:

1 – Alex Lynn (Dallara-Mercedes) – Prema – 15 voltas em 37’37″975
2 – Antonio Felix Da Costa (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 1″173
3 – Luis Derani (Dallara-Mercedes) – Fortec – 6″795
4 – Alexander Sims (Dallara-Nissan) – T Sport – 8″203
5 – Jordan King (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 9″573
6 – Jazeman Jaafar (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 15″547
7 – Carlos Sainz (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 16″976
8 – Tom Blomqvist (Dallara-Mercedes) – Fortec – 26″160
9 – Nicholas Latifi (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 29″288
10 – Esteban Ocon (Dallara-Mercedes) – Prema – 30″914

GP de Macau: Lynn vence a classificatória e Derani chega em 5º

4240320131116103637

RIO DE JANEIRO – Terceiro colocado no recém-encerrado Campeonato Europeu de Fórmula 3, o britânico Alex Lynn, um dos três pilotos da Prema Powerteam inscritos para o GP de Macau, venceu hoje a corrida classificatória disputada em 10 voltas no Circuito da Guia. Com as cores da Theodore Racing em seu Dallara Mercedes, o piloto cruzou a linha de chegada com boa folga sobre o sueco Felix Rosenqvist, da Mücke.

O vice-campeão europeu de 2013 chegou em segundo a 2″411 do rival, enquanto o pole position Raffaele Marciello, também da Prema Powerteam, recebeu a quadriculada em 3º lugar, após ter caído para quinto na corrida. Ele conseguiu superar Lucas Auer (que se acidentou) e o português Antônio Félix da Costa, atual campeão da prova, que concluiu em quarto, numa atuação sem muito brilho. Pipo Derani, com um Dallara Mercedes, foi o melhor representante da Fortec na pista: o brasileiro chegou em 5º lugar a 7″620 do vencedor.

A disputa pela sexta colocação foi titânica e envolveu vários pilotos após o acidente de Lucas Auer. Alexander Sims, com o único Dallara Nissan inscrito, levou a melhor, enquanto Jordan King cruzou em 7º lugar. Nas posições subsequentes, vieram William Buller, da Fortec, Carlos Sainz Jr., da Carlin e o francês Esteban Ocon, da Prema. Dos 28 pilotos que largaram, somente cinco abandonaram a disputa.

Neste domingo, será disputada a corrida que define o campeão do GP de Macau de Fórmula 3. A prova terá 15 voltas e o grid é composto pelo resultado da corrida classificatória. Donde que Lynn é o pole position, com Rosenqvist formando com ele a primeira fila. Marciello e Félix da Costa vêm logo a seguir e Derani abre a terceira fila.

Os 10 primeiros da corrida classificatória do GP de Macau:

1 – Alex Lynn (Dallara-Mercedes) – Prema – 10 voltas em 24’41″968
2 – Felix Rosenqvist (Dallara-Mercedes) – Mucke – 2″411
3 – Raffaele Marciello (Dallara-Mercedes) – Prema – 3″461
4 – Antonio Felix Da Costa (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 4″089
5 – Luis Derani (Dallara-Mercedes) – Fortec – 7″620
6 – Alexander Sims (Dallara-Nissan) – T Sport – 10″620
7 – Jordan King (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 10″958
8 – William Buller (Dallara-Mercedes) – Fortec – 11″691
9 – Carlos Sainz (Dallara-Volkswagen) – Carlin – 13″045
10 – Esteban Ocon (Dallara-Mercedes) – Prema – 14″713

Português defenderá título no GP de Macau de Fórmula 3

phpThumb

RIO DE JANEIRO – Após o revés sofrido com a perda do título da World Series by Renault e principalmente da vaga de piloto titular da Scuderia Toro Rosso para a temporada 2014 da Fórmula 1 para o russo Daniil Kvyat, o português Antônio Félix da Costa terá um amargo prêmio de consolação para o fim deste ano.

O piloto luso poderá defender seu título no GP de Macau de Fórmula 3, que acontece nos dias 16 e 17 de novembro no Circuito da Guia. Ironicamente, Félix da Costa vai ocupar o lugar que seria de Daniil Kvyat no carro #4 da equipe britânica Carlin Motorsport.

A lista de inscritos, que baixou para 27 autos, tem algumas novidades: a lendária equipe Theodore Racing, de Teddy Yip, vai “ressurgir” na edição do GP de Macau de 2013 em associação com a Prema Powerteam, celebrando o 30º aniversário de uma histórica conquista no circuito: a de Ayrton Senna, a bordo de um Ralt RT3 Toyota. Os pilotos que vão levar as cores da escuderia, que inclusive esteve na Fórmula 1 algumas vezes, serão o austríaco Lucas Auer e o britânico Alex Lynn.

Na Fortec, Ed Jones, que corre com bandeira dos Emirados Árabes Unidos, vai ocupar o cockpit que seria do portorriquenho Félix Serrallés. E Nelson Mason, do Canadá, foi inscrito no carro #30, da Jo Zeller Racing.

A nova lista para o GP de Macau:

#1 CARLIN MOTORSPORT GBR
Dallara Volkswagen
Carlos Sainz Jr. (Espanha)

#2 CARLIN MOTORSPORT GBR
Dallara Volkswagen
Harry Tincknell (Grã-Bretanha)

#3 CARLIN MOTORSPORT GBR
Dallara Volkswagen
Jazeman Jaafar (Malásia)

#4 CARLIN MOTORSPORT GBR
Dallara Volkswagen
Antônio Félix da Costa (Portugal)

#5 CARLIN MOTORSPORT GBR
Dallara Volkswagen
Jordan King (Grã-Bretanha)

#6 CARLIN MOTORSPORT GBR
Dallara Volkswagen
Nicholas Latifi (Canadá)

#8 PREMA POWERTEAM ITA
Dallara Mercedes
Raffaele Marciello (Itália)

#9 THEODORE RACING BY PREMA POWERTEAM ITA
Dallara Mercedes
Lucas Auer (Áustria)

#10 THEODORE RACING BY PREMA POWERTEAM ITA
Dallara Mercedes
Alex Lynn (Grã-Bretanha)

#12 TOM’S JPN
Dallara Tom’s Toyota
Yuichi Nakayama (Japão)

#14 GR ASIA WITH MÜCKE DEU
Dallara Mercedes
Felix Rosenqvist (Suécia)

#15 KFZ-TEILE24 MÜCKE MOTORSPORT DEU
Dallara Mercedes
Yuhi Sekiguchi (Japão)

#16 KFZ-TEILE24 MÜCKE MOTORSPORT DEU
Dallara Mercedes
Mitchell Gilbert (Austrália)

#17 FORTEC MOTORSPORT GBR
Dallara Mercedes
Ed Jones (Emirados Árabes Unidos)

#18 FORTEC MOTORSPORT GBR
Dallara Mercedes
Pipo Derani (Brasil)

#19 FORTEC MOTORSPORT GBR
Dallara Mercedes
Will Buller (Grã-Bretanha)

#20 FORTEC MOTORSPORT GBR
Dallara Mercedes
John Bryant-Meisner (Suécia)

#21 FORTEC MOTORSPORT GBR
Dallara Mercedes
Tom Blomqvist (Suécia)

#22 EURO INTERNATIONAL ITA
Dallara Mercedes
Stefano Coletti (Mônaco)

#23 THREE BOND WITH T-SPORT GBR
Dallara Nissan
Alexander Sims (Grã-Bretanha)

#24 GALAXY DOUBLE R RACING GBR
Dallara Mercedes
Kevin Korjus (Estônia)

#25 DOUBLE R RACING GBR
Dallara Mercedes
Zheng Sun (China)

#26 DOUBLE R RACING GBR
Dallara Mercedes
Sean Gelael (Indonésia)

#27 DOUBLE R RACING GBR
Dallara Mercedes
Antonio Giovinazzi (Itália)

#28 B-MAX ENGINEERING JPN
Dallara Tom’s Toyota
Katsumasa Chiyo (Japão)

#29 URD RENNSPORT DEU
Dallara Mercedes
Lucas Wolf (Alemanha)

#30 JO ZELLER RACING CHE
Dallara Mercedes
Nelson Mason (Canadá)

“Lello” fecha F-3 europeia com chave de ouro

RIO DE JANEIRO – Foram 13 vitórias em 30 corridas disputadas, quase metade do total. E os números não deixam dúvidas (talvez até fosse diferente se o rival principal fosse Pascal Wehrlein, mas nunca se sabe…) quanto à superioridade de Raffaele Marciello ao longo de todo o Campeonato Europeu de Fórmula 3. Neste domingo, o piloto italiano fechou o ano com chave de ouro.

A bordo do seu Dallara F312 da Prema Powerteam, “Lello” conquistou mais uma vitória sem qualquer atenuante para os adversários, numa pista encharcada pela chuva que cai desde as primeiras horas do domingo no circuito alemão de Hockenheim. O piloto liderou de ponta a ponta e com os 25 pontos conquistados hoje chegou a 489,5 contra 457 do sueco Felix Rosenqvist, vice-campeão e 2º colocado na última etapa do ano.

O austríaco Lucas Auer completou a corrida em 3º lugar, beneficiado por um erro crasso do britânico Harry Tincknell, que parecia predestinado ao último posto do pódio. Tom Blomqvist chegou em quarto lugar e roubou a sétima posição do brasileiro Pipo Derani ao fim do campeonato. O piloto da Fortec abandonou na sexta volta e não pontuou.

Classificação final do Europeu de Fórmula 3:

1. Raffaele Marciello – 489,5 pontos; 2. Felix Rosenqvist – 457; 3. Alex Lynn – 339,5; 4. Lucas Auer – 277; 5. Harry Tincknell – 227; 6. Jordan King – 176; 7. Tom Blomqvist – 151,5; 8. Pipo Derani – 143; 9. Sven Müller – 122; 10. Alexander Sims – 112; 11. Felix Serrallés – 104. 12. Josh Hill – 56; 13. Eddie Cheever III – 50; 14. Pascal Wehrlein – 49; 15. Nicholas Latifi – 45; 16. Will Buller – 39; 17. Antonio Giovinazzi – 31; 18. Lucas Wolf – 28; 19. Michael Lewis – 23; 20. Dennis Van de Laar – 22; 21. Jan Mardenborough – 12; 22. Roy Nissany – 11; 23. Mitchell Gilbert – 10; 24. Andre Rudersdorf – 3; 25. John Bryant-Meisner – 2 pontos