Palmer vence e sai líder na GP2

4414720140406142233

RIO DE JANEIRO – Mais uma vez, as expectativas de uma primeira vitória de Felipe Nasr na GP2 Series foram frustradas pela enorme pressão que pelo visto o piloto brasileiro ainda não sabe controlar sobre seus ombros. A cobrança é grande e, em que pese os erros de suas equipes, primeiro da Dams em 2012 e, recentemente da Carlin, ano passado, é notória a dificuldade que o brasiliense tem em lidar com a “síndrome da primeira vitória”.

O efeito disto foi notado na corrida #2 da abertura da rodada dupla da temporada 2014, no circuito barenita de Sakhir. Pole position após a inversão do grid entre os oito primeiros colocados, Felipe largou muito mal e jogou por terra qualquer possibilidade de vitória ou de pódio. O piloto até conseguiu se recuperar para chegar em quarto, mas muito longe de ultrapassar o próprio companheiro de escuderia, o colombiano Julián Leal.

Quem não teve nada a ver com as desventuras de Nasr foi o britânico Jolyon Palmer, que venceu e de quebra saltou para a liderança do campeonato com 38 pontos. Tudo porque o belga Stoffel Vandoorne, o vencedor da véspera logo na corrida de estreia, fez algumas bobagens neste domingo e que prejudicaram sua apresentação. O piloto da ART Grand Prix terminou apenas em 22º lugar, pouco à frente de outro que decepcionou em seu primeiro fim de semana na categoria. Falo, é claro, do italiano Raffaele Marciello.

Diversos pilotos sem muita expressão, caso do já citado Leal e do suíço Simon Trummer se deram bem neste domingo. Os dois, por exemplo, foram ao pódio e Trummer chegou em 2º lugar no melhor resultado dele na categoria. A Rapax, escuderia do helvético, ficou feliz nesta corrida, pois Adrian Quaife-Hobbs chegou em sexto, logo atrás do monegasco Stéphane Richelmi.

Em corrida de recuperação, Mitch Evans chegou em sétimo e Rene Binder voltou a marcar mais um pontinho, com o 8º lugar. Já o companheiro do austríaco, o brasileiro André Negrão, colecionou mais um resultado longe dos pontos. O piloto da Arden foi o décimo-oitavo em mais uma corrida de aprendizado em meio a um exército de pilotos que são verdadeiras “vacas bravas” das pistas, doidos para mostrar serviço. Só resta esperar que a situação melhore para a segunda rodada dupla da categoria, em Barcelona, na Espanha.

O resultado final da corrida #2 da GP2 Series:

1 – Jolyon Palmer – Dams – 23 voltas em 41’02″440
2 – Simon Trummer – Rapax – 0″809
3 – Julian Leal – Carlin – 1″430
4 – Felipe Nasr – Carlin – 8″719
5 – Stephane Richelmi – Dams – 16″416
6 – Adrian Quaife Hobbs – Rapax – 17″680
7 – Mitch Evans – Russian Time – 18″012
8 – Rene Binder – Arden – 19″791
9 – Arthur Pic – Campos – 19″977
10 – Artem Markelov – Russian Time – 20″678
11 – Daniel De Jong – MP – 21”086
12 – Takuya Izawa – ART – 21″713
13 – Daniel Abt – Hilmer – 29″171
14 – Johnny Cecotto – Trident – 33″500
15 – Jon Lancaster – MP – 34″017
16 – Rio Haryanto – Caterham – 35″778
17 – Nathanael Berthon – Lazarus – 38″028
18 – Andre Negrao – Arden – 38”524
19 – Kimiya Sato – Campos – 39″439
20 – Facu Regalia – Hilmer – 44″065
21 – Axcil Jefferies – Trident – 48″583
22 – Stoffel Vandoorne – ART – 49″324
23 – Stefano Coletti – Racing Engineering – 1’20″944
24 – Raffaele Marciello – Racing Engineering – 1 volta
25 – Alexander Rossi – Caterham – 1 volta

Não completou:

Conor Daly – Lazarus

Classificação do campeonato após 2 corridas:

1. Jolyon Palmer – 38 pontos; 2. Julián Leal – 28; 3. Stoffel Vandoorne – 25; 4. Simon Trummer – 18. 5. Felipe Nasr e Stefano Coletti – 12; 7. Arthur Pic – 10; 8. Takuya Izawa – 8; 9. Stéphane Richelmi – 6; 10. Adrian Quaife-Hobbs – 5; 11. Rene Binder – 3; 12. Mitch Evans – 2 pontos.

 

Mais uma estreia vitoriosa de Vandoorne

4412620140405151354

RIO DE JANEIRO – Uma história que se repete: em 2013, o belga Stoffel Vandoorne, agora com 22 anos de idade, estreou na World Series by Renault com estrondo, vencendo a primeira corrida da rodada dupla disputada em Monza. Um ano depois, agora na GP2 Series, o piloto repete o feito e estreia na categoria no topo do pódio, na abertura da temporada no circuito barenita de Sakhir.

Surpresa? Nenhuma. Vice-campeão da WSR, Vandoorne chega com excelentes credenciais à GP2 e com a confiança de Ron Dennis, que já o trouxe para sua proteção na McLaren. Stoffel é agora piloto de testes e desenvolvimento do time britânico e pode ser que quando Jenson Button decida se retirar da Fórmula 1, o caminho esteja livre para a estreia do belga na categoria máxima do automobilismo.

Vandoorne repete o feito de Robin Frijns que, ao estrear ano passado na categoria de acesso pela Hilmer Motorsport, conquistou um triunfo enfático em Barcelona, na Espanha. E foi um triunfo com autoridade, simplesmente dominante, antes da parada obrigatória para troca de pneus. Nesse período, Simon Trummer, que não tinha nada a perder (pois largara dos boxes), arriscou se manter o máximo de tempo possível na pista com pneus gastos. Quando fez sua parada, Vandoorne estava com a faca e o queijo na mão para alcançar sua primeira vitória.

A surpresa do dia foi o 2º posto do colombiano Julián Leal, que fez uma corrida muito consistente a bordo do carro #4 da Carlin Motorsport. O sul-americano também superou na pista o pole position Jolyon Palmer, que fez péssima largada, o que lhe custou caro quanto às aspirações de vitória. O experiente monegasco Stefano Coletti chegou em quarto, logo depois do britânico.

Além da estreia estrondosa de Vandoorne, outros dois novatos tiveram excelente desempenho: o francês Arthur Pic, combativo na segunda metade da disputa, chegou em quinto e o japonês Takuya Izawa conseguiu o sexto lugar após sair do fim do grid, na 23ª posição.

Trummer, após o pit postergado, chegou em sétimo e Felipe Nasr, que acabou punido com a perda de três posições no grid por atrapalhar um adversário no treino classificatório, ficou em oitavo. O brasileiro será o pole na corrida #2 do Bahrein com a inversão prevista entre os oito primeiros da corrida #1. Rene Binder e Adrian Quaife-Hobbs completaram os 10 primeiros.

A corrida deste sábado foi das mais atribuladas: Kimiya Sato, em sua estreia na categoria, tirou do caminho o igualmente novato Axcil Jefferies, provocando inclusive a entrada do Safety Car. Raffaele Marciello não começou bem: foi punido com um drive through por excesso de velocidade no pitlane e acabou em 18º lugar. Johnny Cecotto também foi punido e não passou de 21º ao fim da disputa.

André Negrão, da Arden International, teve uma estreia complicada: o brasileiro recebeu logo após a largada um toque do carro do argentino Facundo Regalia, o que não lhe deixou nada satisfeito. “Levei uma pancada e tive que frear tão forte que o pneu dianteiro esquerdo ficou com um buraco. Eu tinha potencial para chegar mais à frente, tanto que o meu companheiro de equipe (Rene Binder) largou atrás de mim e foi o nono”, comentou o piloto.

Para amanhã, os pilotos têm uma corrida mais curta: 23 voltas pelo circuito de Sakhir, sem a obrigatoriedade de troca de pneus. A largada será às 8h10 da manhã, pelo horário de Brasília.

O resultado final:

1 – Stoffel Vandoorne – ART – 32 voltas em 59min57s411
2 – Julian Leal – Carlin – a 1s551
3 – Jolyon Palmer – Dams – a 5s880
4 – Stefano Coletti – Racing Engineering – a 6s317
5 – Arthur Pic – Campos – a 15s100
6 – Takuya Izawa – ART – a 21s729
7 – Simon Trummer – Rapax – a 21s979
8 – Felipe Nasr – Carlin – a 24s425
9 – Rene Binder – Arden – a 24s861
10 – Adrian Quaife Hobbs – Rapax – a 26s194
11 – Daniel De Jong – MP – a 27s034
12 – Conor Daly – Lazarus – a 31s931
13 – Daniel Abt – Hilmer – a 36s231
14 – Mitch Evans – Russian Time – a 36s997
15 – Artem Markelov – Russian Time – a 41s030
16 – Rio Haryanto – Caterham – a 41s714
17 – Jon Lancaster – MP – a 42s412
18 – Raffaele Marciello – Racing Engineering – a 46s849
19 – Stephane Richelmi – Dams – a 49s656
20 – Andre Negrao – Arden – a 1min02s3
21 – Johnny Cecotto – Trident – a 1min13s4
22 – Alexander Rossi – Caterham – a 1min34s5

Não completaram:

Nathanael Berthon
Kimiya Sato
Axcil Jefferies
Facundo Regalia

GP2: primeira pole do ano é de Jolyon Palmer

_79P4507

RIO DE JANEIRO – Numa sessão de qualificação atribulada, com muitas bandeiras amarelas e uma interrupção devido à rodada do novato russo Artem Markelov, o britânico Jolyon Palmer conquistou a primeira pole position para a corrida de abertura da temporada 2014 da GP2 Series.

O filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, em sua primeira aparição oficial pela Dams, encaixou uma ótima volta nos minutos finais, superando o tempo do alemão Daniel Abt, da Hilmer, que parecia inalcançável. Um detalhe: a marca de 1’38″865 de Jolyon o deixaria à frente de Marcus Ericsson no segundo treino livre para o GP do Bahrein, na mesma pista de Sakhir.

Entre os debutantes, ninguém impressionou mais do que o belga Stoffel Vandoorne, da ART Grand Prix. Embora o piloto tenha excedido o limite da pista numa de suas tentativas de volta rápida, ele mostrou qualidades e ficou muito próximo do tempo da pole. Acabou superado por apenas 0″030. Para Daniel Abt, que vem para a disputa de sua segunda temporada, o começo de ano é promissor e o alemão logo de cara larga em terceiro.

A Dams também tem Stéphane Richelmi ocupando a segunda fila ao lado do representante da equipe júnior da Force India. Com outro carro de outro time que tem laços com a Fórmula 1, o indonésio Rio Haryanto surpreendeu e conseguiu a quinta posição, com Stefano Coletti em sexto.

Felipe Nasr foi um dos pilotos prejudicados pelas bandeiras amarelas no fim e pela interrupção por conta do incidente envolvendo Markelov, na segunda metade do treino. O brasileiro, que hoje fez seu primeiro treino de Fórmula 1 numa sexta-feira, vai largar da quarta fila, em 8º, ao lado do neozelandês Mitch Evans, outro que poderia ter ido melhor, uma vez que no treino livre, mais cedo, o piloto fora o mais rápido.

Dois novatos fecham o top 10: o italiano Raffaele Marciello, de quem os seus compatriotas falam maravilhas, colocou-se em nono e Arthur Pic, no retorno da Campos Racing à GP2 Series, ficou com a 10ª posição.

Também em sua primeira participação no certame, André Negrão fez um treino mais do que razoável com o carro da Arden. O piloto que vem da World Series by Renault ficou a 0″782 da pole com o 14º tempo. De quebra, ficou três posições à frente do austríaco Rene Binder, seu companheiro de equipe.

Os demais novatos ficaram assim: Kimiya Sato (Campos) em 16º, Facundo Regalia (Hilmer) em 19º, Takuya Izawa (ART) em 23º, Acxil Jefferies (Trident) em penúltimo e Artem Markelov (Russian Time) fechando a raia.

A corrida #1, prevista para 32 voltas ou máximo de 60 minutos, começa às 7h10 da manhã deste sábado, pelo horário de Brasília.

Eis o grid completo:

1. fila
Jolyon Palmer – Dams – 1’38″865
Stoffel Vandoorne – ART – 1’38″895
2. fila
Daniel Abt – Hilmer – 1’39″073
Stephane Richelmi – Dams – 1’39″081
3. fila
Rio Haryanto – Caterham – 1’39″228
Stefano Coletti – Racing Engineering – 1’39″271
4. fila
Mitch Evans – Russian Time – 1’39″274
Felipe Nasr – Carlin – 1’39″301
5. fila
Raffaele Marciello – Racing Engineering – 1’39″449
Arthur Pic – Campos – 1’39″462
6. fila
Jon Lancaster – MP – 1’39″507
Julian Leal – Carlin – 1’39″588
7. fila
Johnny Cecotto – Trident – 1’39″615
Andre Negrao – Arden – 1’39”647
8. fila
Alexander Rossi – Caterham – 1’39″651
Kimiya Sato – Campos – 1’39″749
9. fila
Rene Binder – Arden – 1’39″788
Conor Daly – Lazarus – 1’39″848
10. fila
Facu Regalia – Hilmer – 1’39″881
Nathanael Berthon – Lazarus – 1’39″928
11. fila
Simon Trummer – Rapax – 1’40″059
Daniel De Jong – MP – 1’40”060
12. fila
Takuya Izawa – ART – 1’40″401
Adrian Quaife Hobbs – Rapax – 1’40″408
13. fila
Axcil Jefferies- Trident – 1’40″619
Artem Markelov – Russian Time – 1’41″172

Turma de 2014: GP2 tem pilotos definidos

_G7C7041

RIO DE JANEIRO – A menos de uma semana do começo do campeonato de 2014, finalmente a GP2 Series conhece seus 26 pilotos. O plantel completo foi anunciado nesta quarta-feira, antevéspera do treino livre e da sessão de classificação que define o grid da corrida #1 em Sakhir, no Bahrein.

As últimas vagas restantes, todas em times de menor porte, foram preenchidas e nada menos que dezenove países estão representados no campeonato – do Brasil à Inglaterra, passando até pelo Zimbábue, de onde vem Acxil Jefferies, de apenas 19 anos. O piloto, que fez duas provas de Indy Lights ano passado, assinou com a Trident Racing e será o colega do venezuelano Johnny Cecotto Júnior.

Dois pilotos que estão testando em Paul Ricard no The Prologue do European Le Mans Series foram confirmados para a prova barenita: Jon Lancaster, que andara bem nos treinos da própria GP2 em Sakhir há algumas semanas, fechou com a MP Motorsport e será o parceiro do holandês Daniel De Jöng. A Lazarus, que ainda não tinha dupla confirmada, trouxe Conor Daly de volta e confirmou Nathanaël Berthon no segundo carro.

Cinco sul-americanos participam da rodada dupla inaugural da GP2 Series. Além de Cecotto, que na verdade é ítalo-venezuelano, estarão presentes o colombiano Julián Leal, o estreante argentino Facundo Regalia e os brasileiros Felipe Nasr e André Negrão, outro dos sete rookies que estão inscritos. Fiquem de olho, aliás, em Raffaele Marciello, campeão europeu de Fórmula 3 e em Stoffel Vandoorne, que já é piloto reserva e de testes da McLaren na F-1.

A lista de inscritos da GP2 é esta:

#1 MITCH EVANS (Nova Zelândia)
Russian Time

#2 ARTEM MARKELOV (Rússia)
Russian Time

#3 FELIPE NASR (Brasil)
Carlin Motorsport

#4 JULIÁN LEAL (Colômbia)
Carlin Motorsport

#5 RAFFAELE MARCIELLO (Itália)
Racing Engineering

#6 STEFANO COLETTI (Mônaco)
Racing Engineering

#7 JOLYON PALMER (Grã-Bretanha)
DAMS

#8 STÉPHANE RICHELMI (Mônaco)
DAMS

#9 TAKUYA IZAWA (Japão)
ART Grand Prix

#10 STOFFEL VANDOORNE (Bélgica)
ART Grand Prix

#11 DANIEL ABT (Alemanha)
Hilmer Motorsport

#12 FACUNDO REGALIA (Argentina)
Hilmer Motorsport

#14 ADRIAN QUAIFE-HOBBS (Grã-Bretanha)
Rapax

#15 SIMON TRUMMER (Suíça)
Rapax

#16 RENE BINDER (Áustria)
Arden International

#17 ANDRÉ NEGRÃO (Brasil)
Arden International

#18 RIO HARYANTO (Indonésia)
EQ8 Caterham Racing

#19 ALEXANDER ROSSI (EUA)
EQ8 Caterham Racing

#20 DANIEL DE JÖNG (Holanda)
MP Motorsport

#21 JON LANCASTER (Grã-Bretanha)
MP Motorsport

#22 AXCIL JEFFERIES (Zimbábue)
Trident Racing

#23 JOHNNY CECOTTO JR. (Venezuela)
Trident Racing

#24 NATHANAËL BERTHON (França)
Lazarus

#25 CONOR DALY (EUA)
Lazarus

#26 ARTHUR PIC (França)
Campos Racing

#27 KIMIYA SATO (Japão)
Campos Racing

GP2 com plantel quase completo

RIO DE JANEIRO – A menos de um mês para o início da temporada de 2014 da GP2 Series, marcado para 5 e 6 de abril no inócuo circuito de Sakhir, no Bahrein, a categoria já tem o plantel quase completo para começar um ano de 22 corridas e onze rodadas duplas. Vinte e três dos vinte e seis pilotos previstos já estão confirmados, com direito a várias caras novas e algumas mudanças nas equipes.

E mais uma vez o campeão – no caso o suíço Fabio Leimer – não teve a chance de ingressar na Fórmula 1, assim como o vitorioso de 2012 Davide Valsecchi. Nem os milhares de euros aplicados em sua carreira a partir do kart, passando pela Fórmula Renault e pela extinta International Formula Master até a chegada na GP2 em 2010 o fizeram chegar mais longe.

Ao contrário do helvético, o sueco Marcus Ericsson – este sim – chegou à Fórmula 1 pela Caterham. E no mesmo caso de Leimer estão Sam Bird e James Calado, que agora miram as competições de Endurance após desempenharem o papel de pilotos de teste na categoria máxima. O francês Tom Dillmann é outro que não tem chance de voltar à GP2 em 2014, mas seu problema é mais sério: dinheiro. Ou melhor, a falta de.

gp2_marciello

Porém, apesar das ausências sentidas, o grid ganhou algumas caras novas que merecem ser observadas com bastante atenção. O italiano Raffaele Marciello, campeão europeu de Fórmula 3, é um deles. Apadrinhado pela Ferrari, “Lello” chega para estrear na equipe que fez de Fabio Leimer campeão. Ele é rápido e tem futuro. E dentro da equipe, a concorrência será forte, pois seu colega de time será o monegasco Stefano Coletti, que dominou grande parte da temporada passada e “amarelou” no final.

s1_21688

O belga Stoffel Vandoorne, alçado à condição de terceiro piloto da McLaren, também merece ser levado em conta. Após um bom ano na World Series by Renault, ele estreia na fortíssima escuderia ART Grand Prix. Seu parceiro de time será o também estreante Takuya Izawa, apadrinhado pela Honda.

A5LkST7CAAA9y7d

Com passagem pela AutoGP World Series e vindo de uma grande campanha na GP3, perdendo o título no fim da temporada para Daniil Kvyat, o argentino Facundo Regalia é o primeiro piloto do país na GP2 Series desde “Pechito” López. Fará parte da Hilmer, que corre neste ano como o time satélite da Force India. Vice-campeão da AutoGP no ano passado e 3º colocado do Alemão de Fórmula 3 em 2012, Kimiya Sato – que não tem parentesco algum com o Takuma da Fórmula Indy – está confirmado na equipe Campos, que retorna à categoria com o fim da Barwa Addax.

Alejandro Agag, o antigo dono do time, tornou-se o CEO da nova Fórmula E, criada para monopostos com motores elétricos. E a licença do time foi repassada ao antigo sócio de Agag, o ex-piloto de Fórmula 1 Adrián Campos, que contratou também outro novato – Arthur Pic, irmão de Charles Pic, que esteve nas equipes Caterham e Marussia, para estrear na GP2 neste ano.

O russo Artem Markelov é outro que chega na categoria vindo da Fórmula 3 alemã. Foi vice-campeão ano passado correndo por um time associado à Lotus. Com dinheiro de seu país, entra na Russian Time e no lugar que poderia muito bem ser de Tom Dillmann.

O9T6296

E o oitavo estreante do ano (até agora) na GP2 Series é um brasileiro: André Negrão, de 21 anos, fará sua primeira temporada após três temporadas e 48 corridas disputadas na World Series by Renault. Ano passado, terminou o certame em 10º lugar com um pódio e uma pole position. A equipe na qual ele vai competir é das mais tradicionais da categoria: a Arden International, que já contou em outras temporadas com Bruno Senna e Luiz Razia, que por ela foi vice-campeão em 2012.

????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Negrão não estará sozinho representando o país na temporada deste ano, porque Felipe Nasr finalmente foi confirmado pela Carlin para seu terceiro ano na GP2. E será sem dúvida o ano do “vai ou racha” para o brasiliense. Cobrado por não ter vencido corridas ainda neste certame e mais ainda por ser piloto reserva da Williams, Nasr – também de 21 anos – deve ter a consciência de que sua hora chegou e que a concorrência, como já descrito acima, será fortíssima na briga pelo título.

E além dos promissores estreantes, outros nomes que podem compor o pelotão de elite são o neozelandês Mitch Evans, defendendo a Russian Time; a dupla da Dams formada por Jolyon Palmer e Stéphane Richelmi; o alemão Daniel Abt, que deve vir melhor em seu segundo ano na categoria; o britânico Adrian Quaife-Hobbs, agora na Rapax (a antiga Piquet Sports) e, por fim, o estadunidense Alexander Rossi, que não pode ser descartado como uma possível surpresa.

Os outros pilotos serão meros figurantes: o colombiano Julián Leal já faz parte do folclore da GP2, assim como o venezuelano Johnny Cecotto Jr., apelidado maldosamente por muitos de Cescrotto. Também não devem incomodar o suíço Simon Trummer, o austríaco Rene Binder, o francês Nathanaël Berthon, o indonésio Rio Haryanto e o holandês Daniel De Jöng.

As equipes MP Motorsport, Trident e Lazarus são as únicas com assentos ainda vagos e até o início dos treinos coletivos da categoria estes lugares devem estar 100% confirmados para o que parece ser um bom ano da GP2 Series. É esperar pelas primeiras corridas para saber o que Nasr e Negrão poderão mostrar e o quão longe promessas como Marciello e Vandoorne podem chegar.

Force India na GP2 com a Hilmer

RIO DE JANEIRO – Notícia inesperada na GP2 Series, mas que é boa para a categoria: a Force India junta-se à Caterham no rol de equipes com times satélites no campeonato de acesso à Fórmula 1. Esta foi uma prática adotada por algumas escuderias durante um bom período, mas que vinha caindo em desuso. Sorte da Hilmer Motorsport, da Alemanha, que foi escolhida para trabalhar com o time de Vijay Malliya em 2014.

hilmer-motorsport-dallara-gp2-11-renault-frijns-31251

A equipe vai funcionar como um programa de desenvolvimento de pilotos e também de engenheiros, tal como já aconteceu noutros anos onde os ‘juniores’ ganhavam experiência e capacitação profissional. Além do alemão Daniel Abt, que já estava confirmado para o campeonato deste ano, a Hilmer/Force India anunciou hoje a contratação do argentino Facundo Regalia, vice-campeão da GP3 Series após dominar grande parte do campeonato daquela categoria em 2013 e perder o título para o russo Daniil Kvyat, hoje na Toro Rosso.

Regalia, de 22 anos, competiu antes da GP3 na Fórmula BMW, Fórmula 3 italiana e europeia e também na AutoGP World Series. Ele é o primeiro piloto de seu país na GP2 desde José María “Pechito” López, que esteve presente no certame em 2005 e 2006.

Assim, o plantel de pilotos para 2014 sobe para 50% do total de participantes previstos, que é de 26 competidores. Muitas equipes não confirmaram ninguém e a Hilmer/Force India é a quinta escuderia com sua formação definida – as outras são a ART Grand Prix, a Caterham, a Arden e a DAMS.

Igor Mazepa (1973-2014)

Igor_MazepaRIO DE JANEIRO – Luto no automobilismo russo. Morreu na última segunda-feira o fundador da equipe de GP2 e GP3 Series Russian Time. Igor Mazepa tinha apenas 40 anos e foi nocauteado por uma trombose. A notícia só chegou nesta quarta e chocou a todos os envolvidos com as categorias em que o time fez parte no ano passado.

CEO da financeira Concord Capital, Mazepa entrou com a Russian Time na GP2 Series ano passado na vaga da iSport International, antiga equipe de Bruno Senna na categoria e que fez de Timo Glock campeão. Em parceria com a Motorsport Academy de Timo Rumpfkeil, a equipe montou uma boa estrutura, herdando os equipamentos da iSport. E conseguiu a melhor pontuação entre todas as escuderias da GP2 ano passado, quando os pilotos eram o britânico Sam Bird e o francês Tom Dillmann – empatada com a Carlin, é verdade, mas com cinco vitórias contra duas da rival.

Toda a comunidade da GP2 Series e da GP3 se manifestou hoje nas redes sociais lamentando a morte prematura de Igor Mazepa. Agora, fica a dúvida: sem ele, como ficará a Russian Time em 2014?

GP2 tem calendário e numeração definidos para 2014

JE2_6812

RIO DE JANEIRO – A temporada 2014 da GP2 Series conheceu no fim da última semana o calendário programado para o próximo campeonato da categoria de acesso à Fórmula 1. Serão onze rodadas duplas, perfazendo portanto um total de 22 corridas ao longo do ano. Somente duas vezes os carros vão sair do continente europeu, indo respectivamente ao Bahrein e a Abu Dhabi, localidades inclusive eleitas para sediar os testes de pré-temporada, em março.

Eis as datas:

04 a 06/04 – Sakhir
09 a 11/05 – Barcelona
22 a 24/05 – Monte-Carlo
20 a 22/06 – Red Bull Ring
04 a 06/07 – Silverstone
18 a 20/07 – Hockenheim
25 a 27/07 – Hungaroring
22 a 24/08 – Spa-Francorchamps
05 a 07/09 – Monza
10 a 12/10 – Sochi
21 a 23/11 – Abu Dhabi

Quase ao mesmo tempo, o board da categoria indicou a numeração que será adotada na temporada do ano que vem. O critério é a classificação das escuderias. Por isso, a Russian Time, que somou mais pontos em 2013, fica com o número #1 em seus carros. A Campos, que já esteve na categoria em anos passados, regressa com os numerais #26 e #27.

Russian Time – #1 e #2
Carlin – #3 e #4
Racing Engineering – #5 e #6
Dams – #7 e #8
ART Grand Prix – #9 e #10
Hilmer Motorsport – #11 e #12
Rapax – #14 e #15
Arden International – #16 e #17
EQ8 Caterham Motorsport – #18 e #19
MP Motorsport – #20 e #21
Trident – #22 e #23
Venezuela GP Lazarus – #24 e #25
Campos Racing – #26 e #27

Em 1-2 da Carlin em Cingapura, Nasr larga em segundo na GP2

4153020130920153107

RIO DE JANEIRO – Mais rápido no treino livre, o britânico Jolyon Palmer confirmou o melhor tempo entre os 26 pilotos da GP2 Series no treino para a corrida de abertura da penúltima rodada dupla do campeonato, no circuito Marina Bay, em Cingapura. O piloto da Carlin conquistou a pole position em 1’53″600, dois décimos e meio abaixo da marca do companheiro de equipe, o brasileiro Felipe Nasr.

Quarto colocado do campeonato com 130 pontos, Felipe vem de uma sequência de maus resultados. Em Spa e Monza, fez apenas um ponto – e tão ruim quanto a sua performance é a de Stefano Coletti, que pelo visto perdeu o rumo na reta final do campeonato. O monegasco liderou a temporada desde o início e ficou sem fôlego: não pontua há sete corridas e caiu da liderança para a 3ª posição, com 135 pontos. O piloto da Rapax larga da décima-primeira posição na corrida deste sábado.

Já o suíço Fabio Leimer, novo líder da categoria com 159 pontos, sai com boa vantagem para o segundo colocado, Sam Bird. O britânico foi apenas o 10º mais rápido no treino oficial em Cingapura. O piloto da Racing Engineering abre a segunda fila do grid de 26 carros, onde o estadunidense Alexander Rossi também estará com o carro da Caterham.

Para finalizar, Julian Leal e Johnny Cecotto, sempre eles, aprontaram no treino classificatório. De acordo com os comissários, Cecotto bloqueou Sam Bird na curva 16 e Leal fez o mesmo, ironicamente, com… Cecotto! Ambos foram punidos com a perda de três posições no grid: o colombiano larga em 14º e o ítalo-venezuelano em décimo-sexto.

Confira o grid:

1. fila
Joylon Palmer – Carlin – 1’53″600
Felipe Nasr – Carlin – 1’53″852

2. fila
Fabio Leimer – Racing Engineering – 1’53″870
Alexander Rossi – Caterham – 1’54″285

3. fila
Stephane Richelmi – Dams -1’54″403
Tom Dillmann – Russian Time – 1’54″695

4. fila
Sergio Canamasas – Caterham – 1’54″812
James Calado – ART – 1’54″822

5. fila
Marcus Ericsson – Dams – 1’54″987
Sam Bird – Russian Time – 1’55″163

6. fila
Stefano Coletti – Rapax – 1’55″251
Nathanael Berthon – Trident – 1’55″567

7. fila
Dani Clos – MP Motorsport – 1’55″784
Julian Leal – Racing Engineering – 1’55″268 (*)

8. fila
Rene Binder – Lazarus – 1’55″780
Johnny Ceccotto – Arden – 1’55″683 (*)

9. fila
Daniel Abt – ART – 1’56″048
Adrian Quaife Hobbs – Hilmer – 1’56″057

10. fila
Jake Rosenzweig – Addax – 1’56″114
John Lancaster – Hilmer – 1’56″210

11. fila
Vittorio Ghirelli – Lazarus – 1’56″333
Rio Haryanto – Addax – 1’57″753

12. fila
Simon Trummer – Rapax – 1’57″13
Daniel De Jong – MP Motorsport – 1’57″560

13. fila
Gianmarco Raimondo – Trident – 1’57″837
Mitch Evans – Arden – 2’26″069

(*) – Penalizados com a perda de 3 posições no grid

Bird e Leimer na frente do pelotão em Monza

4131120130906164919

RIO DE JANEIRO – A apertada luta pelo título da GP2 Series ganhou mais tempero após o treino classificatório para a 9ª e antepenúltima rodada dupla da temporada em Monza, na Itália. Tudo porque o britânico Sam Bird, da Russian Time, conquistou hoje a pole position para a corrida principal do fim de semana, que se disputa neste sábado.

O piloto do carro #11 marcou 1’31″788, apenas 0″034 mais rápido que o helvético Fabio Leimer, da Racing Engineering – outro dos pilotos que também estão na briga pelo título. Leimer é o 3º colocado na pontuação com 128 pontos. Bird, com os quatro pontos extras da pole, saltou para 125 e continua em quarto na classificação.

Sem marcar pontos há cinco corridas, o monegasco Stefano Coletti sabe que precisa voltar à boa forma para se manter na briga pelo caneco. O piloto da Rapax ficou com a sexta posição no grid a 0″205 de Bird. Entre os dois estão, evidentemente, Leimer, o britânico Jolyon Palmer, o sueco Marcus Ericsson e o francês Tom Dillmann.

Vice-líder do campeonato com 130 pontos e ainda sem vencer na GP2 Series, o brasileiro Felipe Nasr não conseguiu uma boa volta na qualificação. O piloto da Carlin ficou a 0″593 da pole e larga da sexta fila, com o 12º tempo – 1’32″381.

Vamos ao grid:

1. fila
Sam Bird – Russian Time – 1’31″788
Fabio Leimer – Racing Engineering – 1’31″822

2. fila
Jolyon Palmer – Carlin – 1’31″843
Marcus Ericsson – Dams – 1’31″915

3. fila
Tom Dillmann – Russian Time – 1’31″949
Stefano Coletti – Rapax – 1’31″993

4. fila
Dani Clos – MP Motorsport – 1’32″024
James Calado – ART – 1’32″033

5. fila
Jake Rosenzweig – Addax – 1’32″100
Simon Trummer – Rapax – 1’32″164

6. fila
Stephane Richelmi – Dams – 1’32″168
Felipe Nasr – Carlin – 1’32″381

7. fila
Rio Haryanto – Addax – 1’32″384
Julian Leal – Racing Engineering – 1’32″398

8. fila
Alexander Rossi – Caterham – 1’32″447
Adrian Quaife Hobbs – Hilmer – 1’32″462

9. fila
Mitch Evans – Arden – 1’32″481
Jon Lancaster – Hilmer – 1’32″482

10. fila
Nathanael Berthon – Trident – 1’32″554
Daniel Abt – ART – 1’32″627

11. fila
Johnny Cecotto – Arden – 1’32″650
Daniel De Jong – MP Motorsport – 1’32″751

12. fila
Sergio Campana – Trident – 1’33″195
Rene Binder – Lazarus – 1’33″292

13. fila
Vittorio Ghirelli – Lazarus – 1’33″405
Sergio Canamasas – Caterham – 1’33″963

1-2 da Russian Time na GP2

_R6T1670

RIO DE JANEIRO – A equipe Russian Time dominou hoje o treino de classificação para a GP2 Series em Hungaroring. Com uma volta voadora logo no início da sessão, o francês Tom Dillmann conquistou a pole position para a corrida principal da rodada, amanhã. Ele marcou 1’28″219 e chegou a ter uma vantagem de três décimos de segundo para o 2º colocado.

Porém, o companheiro de equipe Sam Bird, mais rápido no primeiro treino livre, tentou de todas as maneiras superar o francês, mas não conseguiu. Numa última tentativa, ainda veio para marcar a pole, só que acabou superado por 0″077. Ainda assim, é um 1-2 meritório da Russian Time, que abriu uma confortável vantagem para o 3º colocado, o suíço Fabio Leimer, da Racing Engineering, batido por quase três décimos.

Após os problemas enfrentados no treino livre, quando completou apenas duas voltas e foi o último, o brasileiro Felipe Nasr teve bom desempenho com o carro #9 da Carlin. Melhorou bastante após ‘navegar’ entre nono e décimo, conseguindo o 4º tempo em 1’28″679, 0″490 mais lento que a pole. Considerando que Sam Bird larga à frente dele, que tem 108 pontos no campeonato (o britânico tem 90), pode ser que Felipe se preocupe. Mas não com Stefano Coletti – por enquanto – porque o líder do campeonato foi apenas o 18º colocado do treino com o carro da Rapax. E numa pista de difíceis ultrapassagens, o monegasco vai ter que usar uma estratégia diferenciada para salvar alguns pontos.

A terceira fila do grid terá a dupla da Dams, com Marcus Ericsson em quinto e Stéphane Richelmi em sexto. Jolyon Palmer, companheiro de Nasr na Carlin, marcou o 7º tempo, seguido pelo indonésio Rio Haryanto, da Barwa Addax. Alex Rossi (Caterham) e  Daniel De Jöng (MP Motorsport) completaram os dez primeiros.

O troca-troca frenético de pilotos pouco – ou nada – resultou para as equipes que mudaram os cockpits para a etapa magiar. Adrian Quaife-Hobbs substituiu Robin Frijns na Hilmer e não foi além da 22ª colocação. O espanhol Dani Clos, que regressou na MP no lugar do britânico, ficou a seguir na folha de  tempos. Vittorio Ghirelli estreou na Lazarus com a penúltima posição. E Ricardo Teixeira (que não é aquele…) fez o de sempre: último no grid, a 1″003 de Ghirelli e quase três segundos pior que o francês Nathanaël Berthon, seu novo companheiro de equipe e que larga em décimo-terceiro.

Parabéns a todos. Só que não.

O grid completo:

1ª fila

#12 Tom Dillmann (Russian Time) – 1’28″219
#11 Sam Bird (Russian Time) – 1’28″296

2ª fila

#8 Fabio Leimer (Racing Engineering) – 1’28″507
#9 Felipe Nasr (Carlin) – 1’28″679

3ª fila

#1 Marcus Ericsson (Dams) – 1’28″709
#2 Stéphane Richelmi (Dams) – 1’28″753

4ª fila

#10 Jolyon Palmer (Carlin) – 1’28″802
#17 Rio Haryanto (Barwa Addax) – 1’28″826

5ª fila

#15 Alexander Rossi (Caterham) – 1’28″851
#5 Johnny Cecotto (Arden International) – 1’28″927

6ª fila

#6 Mitch Evans (Arden International) – 1’29″012
#20 Nathanaël Berthon (Trident) – 1’29″020

7ª fila

#3 James Calado (ART) – 1’29″128
#23 Jon Lancaster (Hilmer) – 1’29″136

8ª fila

#27 Daniel De Jöng (MP Motorsport) – 1’28″855 (**)
#16 Jake Rosenzweig (Barwa Addax) – 1’29″206

9ª fila

#19 Simon Trummer (Rapax) – 1’29″403
#18 Stefano Coletti (Rapax) – 1’29″519

10ª fila

#7 Julian Leal (Racing Engineering) – 1’29″524
#4 Daniel Abt (ART) – 1’29″735

11ª fila

#24 Rene Binder (Lazarus) – 1’29″742
#22 Adrian Quaife-Hobbs (Hilmer) – 1’29″793

12ª fila

#26 Dani Clos (MP Motorsport) – 1’29″877
#14 Sergio Canamasas (Caterham) – 1’30″078

13ª fila

#25 Vittorio Ghirelli (Lazarus) – 1’30″251
#21 Ricardo Teixeira (Trident) – 1’31″254

(**) penalizado com a perda de cinco posições no grid.

Ciranda, cirandinha…

RIO DE JANEIRO – A GP2 Series parece brincadeira de roda. O que tem de piloto saindo de cockpit no meio desse campeonato… a prova disto é que quatro antigos titulares de equipes da categoria de acesso à Fórmula 1 não estarão em seus lugares na Hungria neste fim de semana. Muitos deles apeados dos seus lugares por absoluta falta de grana. Infelizmente, a cartilha é esta: “no money, no race”.

robin-frijns-hilmer-motorsport-gp2-spain_2942846

A debandada mais lamentada é a do holandês Robin Frijns do cockpit do carro #22 da Hilmer. Com uma vitória, dois pódios e o 9º lugar no campeonato com 45 pontos em dez corridas disputadas, o campeão da World Series by Renault teve que sair da equipe, porque não tem o dinheiro necessário para participar das cinco últimas rodadas duplas de 2013. Em seu lugar entra Adrian Quaife-Hobbs, 16º colocado na GP2 Series, que vinha disputando a temporada pela escuderia MP Motorsport. O substituto do campeão da AutoGP World Series é Dani Clos, em sua enésima volta à categoria.

Formula Two Championship

E já que o que manda é o cascalho, nem o 2º lugar conquistado na corrida principal em Mônaco segurou o italiano Kevin Ceccon no cockpit de um dos carros da Trident Racing. O jovem piloto de 19 anos será substituído pelo luso-angolano Ricardo Teixeira, dez anos mais velho, muito menos talentoso, mas com um aporte financeiro que fará a equipe sobreviver até o fim do campeonato – mesmo que o desempenho deste carro seja sacrificado, como certamente será.

Auto GP - Monza - Vittorio Ghirelli

Na Lazarus, o carro #25 vai ter o terceiro italiano a bordo em sete rodadas duplas neste ano. Após Kevin Giovesi (que deixou o time após a 4ª rodada) e Fabrizio Crestani (este andou nas duas últimas), Vittorio Ghirelli – atual 3º colocado da AutoGP World Series pela equipe Super Nova (foto acima), faz sua estreia na GP2.

E Bruno Michel, organizador da GP2 Series, ainda teve a pachorra de afirmar que “os custos cairão”. Conta outra! Se um piloto de potencial e talento como Robin Frijns acaba preterido pelos dólares de outros competidores de menor qualidade, mas muito mais abonados, é porque a coisa anda bem complicada para os lados das equipes e também da categoria. Quando eu digo que o nível é um dos piores dos últimos anos e tem quem reclame, taí a volta de Ricardo Teixeira para não me deixar mentir.

Em 1-2 da Dams, Richelmi é pole em Nürburgring

_A8C5800

RIO DE JANEIRO – Pela segunda rodada consecutiva da GP2 Series, um carro da Dams conquista a pole position para a corrida inaugural, a principal do fim de semana, que acontece neste sábado. Se em Silverstone Marcus Ericsson se impôs, agora foi a vez do monegasco Stéphane Richelmi pôr as asinhas de fora.

O piloto do carro #2 conquistou a pole position com o tempo de 1’38″487, quase três décimos melhor que Ericsson, numa primeira fila totalmente monopolizada pelos monopostos amarelos do time francês. Sensação da temporada 2013, o holandês Robin Frinjs pôs o carro #22 da Hilmer Motorsport na terceira posição, a 0″317 de Richelmi. O neozelandês Mitch Evans, outro que tem vindo muito bem neste ano, ficou com o quarto melhor tempo a bordo do #6 da Arden International.

Felipe Nasr chegou a liderar a tabela de tempos por alguns instantes com o carro #9 da Carlin Motorsport, mas acabou ficando com o 5º tempo – seu pior grid nas corridas principais nesta temporada. Todavia, não é um resultado ruim diante das circunstâncias: seus principais adversários na luta pela liderança do campeonato largam atrás dele. O britânico Sam Bird, da Russian Time, sai apenas da nona posição. E Stefano Coletti, líder do campeonato com 120 pontos (Nasr tem 98, portanto vinte e dois a menos), não conseguiu uma boa volta e larga em 13º.

Considerando que uma vitória vale 25 pontos na prova do sábado e que Coletti não pontue, o triunfo de Nasr – caso aconteça – poderia lhe deixar na liderança do campeonato, três pontos à frente do rival. Venho dizendo nas redes sociais que já passou um pouco da hora do piloto brasileiro vencer nesta temporada. Se for pra ganhar e se ele quer mesmo ser campeão, a hora de derrotar Coletti é agora.

Confira o grid:

1. fila
Stephane Richelmi – Dams – 1’38″487
Marcus Ericsson – Dams – 1’38″763

2. fila
Robin Frijns – Hilmer – 1’38″804
Mitch Evans – Arden – 1’39″848

3. fila
Felipe Nasr – Carlin – 1’38″897
Fabio Leimer – Racing Engineering – 1’38″997

4. fila
Adrian Quaife Hobbs – MP Motorsport – 1’39″006
James Calado – ART – 1’39″018

5. fila
Sam Bird – Russian Time – 1’39″089
Tom Dillmann – Russian Time – 1’39″186

6. fila
Jolyon Palmer – Carlin – 1’39″193
René Binder – Lazarus – 1’39″243

7. fila
Stefano Coletti – Rapax – 1’39″274
Alexander Rossi – Caterham – 1’39″320

8. fila
Fabrizio Crestani – Lazarus – 1’39″374
Jon Lancaster – Hilmer – 1’39″379

9. fila
Sergio Canamasas – Caterham – 1’39″465
Daniel De Jong – MP Motorsport – 1’39″503

10. fila
Johnny Cecotto – Arden – 1’39″723
Rio Haryanto – Addax – 1’39″780

11. fila
Nathanael Berthon – Trident – 1’39″792
Daniel Abt – ART – 1’39″813

12. fila
Kevin Ceccon – Trident – 1’39″876
Julian Leal – Racing Engineering – 1’39″986

13. fila
Jake Rosenzweig – Addax – 1’40″064
Simon Trummer – Rapax – 1’40″311

“Passarinho” vence tranquilo em Mônaco na GP2

3997920130524135816

RIO DE JANEIRO – Numa corrida onde quase metade do pelotão sequer competiu em razão de um acidente na primeira largada da disputa, o britânico Sam Bird, da Russian Time, venceu a etapa longa do GP de Mônaco, quarta rodada dupla da GP2 Series. O piloto do carro #11 dominou praticamente absoluto as ações e venceu com 22 segundos de vantagem para o surpreendente Kevin Ceccon (foto acima), da Trident Racing.

O pole position Johnny Cecotto foi o grande responsável por um engavetamento que tirou não só o venezuelano da Arden como outros oito adversários da corrida. Ele quis defender sua liderança do ataque de Sam Bird e acabou prejudicando sua tomada de curva. Acabou por ‘escorregar’ na Ste. Dévote e o resultado foi que, além dele, pelo menos onze pilotos foram envolvidos na colisão. Nove carros tiveram danos consideráveis e não puderam voltar para a segunda largada. Como efeito do acidente, Cecotto foi suspenso da corrida deste sábado.

Continuar lendo

Cecotto repete a dose

3997320130523172848

RIO DE JANEIRO – Não se sabe por qual motivo, mas pilotos venezuelanos gostam muito de Mônaco. Pastor Maldonado era um demônio no Principado nas categorias menores – e até envolveu-se numa celeuma, certa vez, que quase lhe custou a própria carreira. Agora, é a vez de Johnny Cecotto, filho da lenda do motociclismo, que mostra grande predileção pelo tradicional circuito citadino.

Ano passado, quando defendia a Barwa Addax, fez a pole position e venceu a corrida principal da programação, disputada não no sábado, mas na sexta-feira – porque a Fórmula 1 não treina neste dia nas ruas do Principado, como reza a tradição. Agora na Arden, o piloto repetiu a dose: pole position, mais uma vez.

Continuar lendo

Frijns vence corrida sensacional da GP2 em Barcelona

_A8C1430

RIO DE JANEIRO – Em sua terceira aparição na GP2 Series, o holandês Robin Frijns mostra porque não deveria ficar de fora de nenhum campeonato em 2013, após ter ganho a World Series by Renault ano passado. Com uma atuação impecável, o piloto de 21 anos levou a melhor na corrida longa da rodada dupla de Barcelona e conquistou também a primeira vitória da equipe Hilmer Motorsport na categoria de acesso à Fórmula 1.

A corrida da GP2 foi sensacional do começo ao fim, com os pilotos disputando as posições como se não houvesse amanhã e, em decorrência disto, tivemos os inevitáveis esbarrões, algumas manobras desnecessárias e até uma colisão mais forte, quando o francês Nathanaël Berthon tentou desfazer a máxima de que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço, tentando uma manobra otimista demais e infelicíssima de ultrapassagem para cima de Sergio Canamasas – que levou a pior – e Tom Dillmann, que seguiu em frente.

Continuar lendo

Dams monopoliza primeira fila da GP2 em Barcelona

r6t1666

RIO DE JANEIRO – No último minuto do treino oficial da GP2 Series para a primeira prova da 3ª rodada dupla, marcada para amanhã em Barcelona, na Espanha, a Dams surpreendeu todo mundo e monopolizou a primeira fila do grid de 26 carros. Marcus Ericsson já tinha o melhor tempo, mas o monegasco Stéphane Richelmi superou o companheiro de time com uma volta voadora – no que o sueco rapidamente respondeu, conquistando definitivamente a pole position com o tempo de 1’28″706, 0″165 mais rápido que o companheiro de time.

O brasileiro Felipe Nasr, da Carlin, obteve a melhor marca da sessão nos minutos iniciais, após ter sido o mais veloz do treino livre mais cedo. Contudo, ele não conseguiu melhorar o 1’29″152 que cravara e sai da 3ª posição, abrindo a segunda fila. Uma vantagem para ele é largar do lado limpo, onde passam os carros no retão dos boxes de Barcelona. Com mais aderência, Felipe pode conseguir uma boa largada, ao contrário do que lhe aconteceu noutras vezes já neste ano. Quem completa a segunda fila do grid é Sam Bird, da Russian Time.

Continuar lendo

Mais uma troca na GP2 Series

15842_jon-lancaster-debutta-in-gp2-con-la-ocean

RIO DE JANEIRO – A dança das cadeiras da GP2 Series é frenética. Após a troca de Ma Qing Hua por Alexander Rossi na Caterham e de Conor Daly por Robin Frinjs na Hilmer, a equipe alemã troca também o piloto do segundo carro para a 3ª rodada dupla do campeonato, nos dias 11 e 12 de maio em Barcelona, na Espanha.

O norueguês Pal Varhaug não estará presente na próxima corrida. Quem ocupa o seu lugar no carro #23 a partir da etapa espanhola é Jon Lancaster, britânico de 24 anos nascido em Leeds, no Yorkshire. Vice-campeão europeu de Fórmula Renault em 2007 e 3º no Masters de Fórmula 3 em Zandvoort no ano seguinte, Lancaster tem no currículo participações na World Series by Renault, Fórmula 2, AutoGP World Series (com direito a uma vitória, aliás) e na própria GP2, onde fez uma rodada dupla a bordo da extinta escuderia Ocean Racing Technology na Malásia, quando foi 17º colocado na segunda corrida naquela etapa ano passado.

Na trave!!!

3954620130421115501

RIO DE JANEIRO – Oitenta milésimos de segundo. A imagem acima mostra Felipe Nasr batendo “na trave” na feature race da GP2 Series no Bahrein. O piloto brasileiro perdeu a chance da primeira vitória por uma ínfima diferença em relação a Sam Bird, que levou a melhor para conquistar seu primeiro triunfo na categoria de acesso em três anos – o primeiro também da equipe Russian Time, cuja estrutura é comandada pela Motopark alemã de Timo Rumpfkeil.

Continuar lendo

Leimer é soberano e vence no Bahrein

3952120130419163741

RIO DE JANEIRO – Indiscutível: Fabio Leimer não tomou conhecimento dos adversários e venceu com méritos pela segunda vez na temporada 2013 da GP2 Series. O piloto suíço da Racing Engineering partiu da pole position, liderou até a troca obrigatória de pelo menos dois pneus e, quando todos os outros que vinham à sua frente em estratégias diferenciadas fizeram o mesmo, não foi dífícil para ele se manter na ponta e vencer com quase dois segundos de diferença para o 2º colocado Stefano Coletti.

Continuar lendo