Pequenas maravilhas – Especial 24 Horas de Le Mans – Lola T70 MK3B (1970)

index (1)SÃO PAULO – Da coleção do Caio Gruber, de Curitiba, o Lola T70 MK3B da Racing Team VDS, da Bélgica. Carro guiado em Sarthe na edição de 1970 das 24 Horas de Le Mans por Teddy Pilette e Gustav Gosselin. Largou em 27º no grid e abandonou com problemas de embreagem.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Ferrari 250 LM (1968)

RIO DE JANEIRO – A série de miniaturas das 24 Horas de Le Mans não acabou. Tanto que está de volta com mais um oferecimento de um amigo leitor do blog. Álvaro Ferreira mandou a foto de um modelo campeão em Sarthe – mas não necessariamente este carro que vocês podem ver.

index (8)

A Ferrari 250 LM venceu a prova em 1965 com Jochen Rindt e Masten Gregory, num modelo alinhado pela NART. Três anos mais tarde, Dick Attwood – que venceria a edição de 1970 e David Piper, que perdeu uma perna durante as filmagens da película estrelada por Steve McQueen, como diz o texto do post anterior, correram com um carro idêntico ao da vitória de Rindt/Gregory.

index (9)

Esse bólido tinha motor V12 de 3,3 litros de capacidade cúbica e levou Attwood e Piper ao 7º lugar geral, a 29 voltas do Ford GT vencedor na ocasião, guiado por Pedro Rodriguez/Lucien Bianchi. O modelo, em escala 1:43, é de fabricação da Ixo para a Ferrari Collection.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Gulf Porsche 917 K (1970)

RIO DE JANEIRO – Quem viu o filme 24 Horas de Le Mans com o Steve McQueen ou é fã incondicional da icônica pintura Gulf do time de John Wyer, vai vibrar com essa foto enviada pelo Marcelo Almeida. Eis os JWA-Gulf Porsche 917 K que correram a prova de 1970: o #20 de Jo Siffert/Brian Redman, o #21 de Pedro Rodriguez/Leo Kinnunen e o #22 de Mike Hailwood/David Hobbs.

013

Esses carros são miniaturas em escala 1:43 produzidas pela italiana Brumm numa série especial de 100 unidades. A do Marcelo é o número #78.

Sensacional!

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Aston Martin DBR9 (2006)

RIO DE JANEIRO – Mais uma contribuição preciosa do Rodrigo Peixoto para a série especial de miniaturas sobre Le Mans. Este carro da foto é o Aston Martin DBR9 guiado por Nelson Ângelo Piquet nas 24h disputadas em 2006. O piloto brasileiro, com 20 anos à época, fez sua estreia em Sarthe. E com um belo resultado.

astondbr9

Nelsinho dividiu o bólido do construtor britânico, alinhado na classe LMGT1, com dois experientes nomes que conhecem bem o modus operandi do Aston Martin: o australiano David Brabham e o espanhol Antonio Garcia. Os três compuseram uma trinca afinada ao longo da disputa e o carro teve bom desempenho, apesar de alguns probleminhas no fim, que custaram a 8ª posição na geral.

O carro #62, alinhado pela Russian Age Racing e que competiu com as cores do Team Modena, chegou em nono ao fim de 343 voltas percorridas. Nelsinho, David e Garcia ficaram com a quarta posição na classe, entre sete modelos da divisão que terminaram. Atrás deles, mais um Aston Martin oficial de fábrica, um Corvette igualmente oficial e o Saleen S7-R da ACEMCO.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 917 K (1971)

RIO DE JANEIRO – Hora e vez de mais um carro campeão das 24 Horas de Le Mans na série especial de miniaturas de carros de Sarthe no blog. Cortesia do amigo Tell, lá da Bahia, que participa do grupo Miniaturas Bahia e mandou as fotos de um dos carros mais icônicos da história da prova: o Porsche 917 K campeão da edição de 1971. A miniatura, em escala 1:43, foi fabricada pela Ixo Models, para a coleção da Altaya de grandes carros de competição.

index (7)

O protótipo alemão foi guiado pelo holandês Gijs Van Lennep e pelo austríaco Helmut Marko na ocasião. O carro #22 pintado nas cores da Martini International Racing Team ficou por muito tempo como o recordista absoluto de distância na história das 24 Horas de Le Mans: 5.335,313 km percorridos num total de 397 voltas – média de 222,304 km/h. Trinta e nove anos depois, esse recorde foi quebrado pelo trio do Audi guiado por Mike Rockenfeller/Timo Bernhard/Romain Dumas, que percorreram 5.410,713 km e exatas 397 voltas, com a média horária de 225,228 km/h.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 935/77 (1978)

RIO DE JANEIRO – A miniatura cujas fotos vou postar aqui abaixo é para ajoelhar e venerar. Pois é tão rara quanto histórica. Contribuição valiosíssima do Paulo Tohmé para a série especial das 24 Horas de Le Mans, aí está a reprodução do Porsche 935/77 conduzido por Alfredo Guaraná Menezes, Paulão Gomes e o saudoso Marinho Amaral na edição da corrida realizada em 1978. A mini foi produzida pela Spark, em escala 1:43.

index (4)

Inscrito no Grupo 5, o carro foi alugado pelos pilotos brasileiros junto ao Cachia Team da França, por uma iniciativa do próprio Guaraná e de Alain Vignais, que trabalhava na equipe Gledson, que o piloto defendia na época na Fórmula VW 1600, então a principal categoria do automobilismo brasileiro. A iniciativa contou com o apoio de Charles Naccache, presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo e o carro foi todo decorado com patrocínios nacionais – Gledson, Coca-Cola, Center Fabril e Grupo Mondelo.

index (5)

A equipe, que se chamou Cachia Team Pace, a pedido do Paulão, velho amigo do Moco, para homenagear o piloto prematuramente falecido em 1977, ofereceu aos brasileiros um carro com um turbo apenas – mas que tinha 700 HP de potência e chegava próximo de 320 km/h. Nos treinos, Marinho Amaral começou assustando, ao não andar no mesmo ritmo de Paulão e Guaraná, o que deixou Claude Ballot-Lena, experiente piloto francês, de sobreaviso. Mas rapidamente o piloto, que corria de Divisão 1, “pegou a mão” do carro e não comprometeu.

index (6)

Paulão classificou com o tempo de 3’59″5, 23º geral e passou a primeira volta em décimo-oitavo, o que deixou Monsieur Cachia furioso, pois a regularidade seria o mote da participação brasileira nas 24 Horas de Le Mans de 1978. Com a tática levada à risca, o trio chegou em 7º lugar na classificação geral e em segundo no Grupo 5, atrás de outro Porsche, inscrito pela Kremer Racing e à frente do modelo 935/78 da equipe Martini International, conhecido como Moby Dick por sua traseira alongada. Esse carro, segundo Guaraná, era biturbo e tinha incríveis 1000 HP de potência.

No fim, sobraram grandes histórias, como a que envolveu Paulão e a “bela da tarde” Catherine Deneuve, em quem o piloto teria dado um apertão na bunda, durante uma festa onde os brasileiros foram convidados especiais de Olivier Chandon, misto de playboy e piloto, já falecido também, e herdeiro da fábrica de champagne Moët & Chandon.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 935 (1979)

RIO DE JANEIRO – O xará Rodrigo Peixoto, que já colaborou – salvo engano – com miniaturas das Arrows de Fórmula 1, há alguns meses, mandou também algumas fotos de miniaturas da coleção dele e que são alusivas às 24 Horas de Le Mans. A que trago hoje é sensacional: trata-se do Porsche 935 com que Paul Newman chegou em 2º lugar na corrida francesa, em 1979.

index (10)

Naquela oportunidade, o ator de Hollywood – um grande apaixonado por carros de corrida, e que estrelara o filme Winning, sobre um piloto que vencia as 500 Milhas de Indianápolis (Frank Capua), alinhou no carro #70 da Dick Barbour Racing ao lado do próprio e do experiente alemão Rolf Stommelen, que no ano anterior ainda estava na Fórmula 1.

Como todos os protótipos favoritos tiveram problemas e, para piorar, choveu, os modelos GT deitaram e rolaram. Por isso a vitória foi de outro Porsche, este da Kremer Racing, guiado por Klaus Ludwig e os irmãos Don e Bill Whittington, ambos dos EUA. Inscritos também na subdivisão IMSA, Newman e seus parceiros chegaram sete voltas atrás da trinca ganhadora, num excelente 2º lugar.