Pequenas maravilhas – Especial 24 Horas de Le Mans – Lola T70 MK3B (1970)

index (1)SÃO PAULO – Da coleção do Caio Gruber, de Curitiba, o Lola T70 MK3B da Racing Team VDS, da Bélgica. Carro guiado em Sarthe na edição de 1970 das 24 Horas de Le Mans por Teddy Pilette e Gustav Gosselin. Largou em 27º no grid e abandonou com problemas de embreagem.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Ferrari 250 LM (1968)

RIO DE JANEIRO – A série de miniaturas das 24 Horas de Le Mans não acabou. Tanto que está de volta com mais um oferecimento de um amigo leitor do blog. Álvaro Ferreira mandou a foto de um modelo campeão em Sarthe – mas não necessariamente este carro que vocês podem ver.

index (8)

A Ferrari 250 LM venceu a prova em 1965 com Jochen Rindt e Masten Gregory, num modelo alinhado pela NART. Três anos mais tarde, Dick Attwood – que venceria a edição de 1970 e David Piper, que perdeu uma perna durante as filmagens da película estrelada por Steve McQueen, como diz o texto do post anterior, correram com um carro idêntico ao da vitória de Rindt/Gregory.

index (9)

Esse bólido tinha motor V12 de 3,3 litros de capacidade cúbica e levou Attwood e Piper ao 7º lugar geral, a 29 voltas do Ford GT vencedor na ocasião, guiado por Pedro Rodriguez/Lucien Bianchi. O modelo, em escala 1:43, é de fabricação da Ixo para a Ferrari Collection.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Gulf Porsche 917 K (1970)

RIO DE JANEIRO – Quem viu o filme 24 Horas de Le Mans com o Steve McQueen ou é fã incondicional da icônica pintura Gulf do time de John Wyer, vai vibrar com essa foto enviada pelo Marcelo Almeida. Eis os JWA-Gulf Porsche 917 K que correram a prova de 1970: o #20 de Jo Siffert/Brian Redman, o #21 de Pedro Rodriguez/Leo Kinnunen e o #22 de Mike Hailwood/David Hobbs.

013

Esses carros são miniaturas em escala 1:43 produzidas pela italiana Brumm numa série especial de 100 unidades. A do Marcelo é o número #78.

Sensacional!

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Aston Martin DBR9 (2006)

RIO DE JANEIRO – Mais uma contribuição preciosa do Rodrigo Peixoto para a série especial de miniaturas sobre Le Mans. Este carro da foto é o Aston Martin DBR9 guiado por Nelson Ângelo Piquet nas 24h disputadas em 2006. O piloto brasileiro, com 20 anos à época, fez sua estreia em Sarthe. E com um belo resultado.

astondbr9

Nelsinho dividiu o bólido do construtor britânico, alinhado na classe LMGT1, com dois experientes nomes que conhecem bem o modus operandi do Aston Martin: o australiano David Brabham e o espanhol Antonio Garcia. Os três compuseram uma trinca afinada ao longo da disputa e o carro teve bom desempenho, apesar de alguns probleminhas no fim, que custaram a 8ª posição na geral.

O carro #62, alinhado pela Russian Age Racing e que competiu com as cores do Team Modena, chegou em nono ao fim de 343 voltas percorridas. Nelsinho, David e Garcia ficaram com a quarta posição na classe, entre sete modelos da divisão que terminaram. Atrás deles, mais um Aston Martin oficial de fábrica, um Corvette igualmente oficial e o Saleen S7-R da ACEMCO.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 917 K (1971)

RIO DE JANEIRO – Hora e vez de mais um carro campeão das 24 Horas de Le Mans na série especial de miniaturas de carros de Sarthe no blog. Cortesia do amigo Tell, lá da Bahia, que participa do grupo Miniaturas Bahia e mandou as fotos de um dos carros mais icônicos da história da prova: o Porsche 917 K campeão da edição de 1971. A miniatura, em escala 1:43, foi fabricada pela Ixo Models, para a coleção da Altaya de grandes carros de competição.

index (7)

O protótipo alemão foi guiado pelo holandês Gijs Van Lennep e pelo austríaco Helmut Marko na ocasião. O carro #22 pintado nas cores da Martini International Racing Team ficou por muito tempo como o recordista absoluto de distância na história das 24 Horas de Le Mans: 5.335,313 km percorridos num total de 397 voltas – média de 222,304 km/h. Trinta e nove anos depois, esse recorde foi quebrado pelo trio do Audi guiado por Mike Rockenfeller/Timo Bernhard/Romain Dumas, que percorreram 5.410,713 km e exatas 397 voltas, com a média horária de 225,228 km/h.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 935/77 (1978)

RIO DE JANEIRO – A miniatura cujas fotos vou postar aqui abaixo é para ajoelhar e venerar. Pois é tão rara quanto histórica. Contribuição valiosíssima do Paulo Tohmé para a série especial das 24 Horas de Le Mans, aí está a reprodução do Porsche 935/77 conduzido por Alfredo Guaraná Menezes, Paulão Gomes e o saudoso Marinho Amaral na edição da corrida realizada em 1978. A mini foi produzida pela Spark, em escala 1:43.

index (4)

Inscrito no Grupo 5, o carro foi alugado pelos pilotos brasileiros junto ao Cachia Team da França, por uma iniciativa do próprio Guaraná e de Alain Vignais, que trabalhava na equipe Gledson, que o piloto defendia na época na Fórmula VW 1600, então a principal categoria do automobilismo brasileiro. A iniciativa contou com o apoio de Charles Naccache, presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo e o carro foi todo decorado com patrocínios nacionais – Gledson, Coca-Cola, Center Fabril e Grupo Mondelo.

index (5)

A equipe, que se chamou Cachia Team Pace, a pedido do Paulão, velho amigo do Moco, para homenagear o piloto prematuramente falecido em 1977, ofereceu aos brasileiros um carro com um turbo apenas – mas que tinha 700 HP de potência e chegava próximo de 320 km/h. Nos treinos, Marinho Amaral começou assustando, ao não andar no mesmo ritmo de Paulão e Guaraná, o que deixou Claude Ballot-Lena, experiente piloto francês, de sobreaviso. Mas rapidamente o piloto, que corria de Divisão 1, “pegou a mão” do carro e não comprometeu.

index (6)

Paulão classificou com o tempo de 3’59″5, 23º geral e passou a primeira volta em décimo-oitavo, o que deixou Monsieur Cachia furioso, pois a regularidade seria o mote da participação brasileira nas 24 Horas de Le Mans de 1978. Com a tática levada à risca, o trio chegou em 7º lugar na classificação geral e em segundo no Grupo 5, atrás de outro Porsche, inscrito pela Kremer Racing e à frente do modelo 935/78 da equipe Martini International, conhecido como Moby Dick por sua traseira alongada. Esse carro, segundo Guaraná, era biturbo e tinha incríveis 1000 HP de potência.

No fim, sobraram grandes histórias, como a que envolveu Paulão e a “bela da tarde” Catherine Deneuve, em quem o piloto teria dado um apertão na bunda, durante uma festa onde os brasileiros foram convidados especiais de Olivier Chandon, misto de playboy e piloto, já falecido também, e herdeiro da fábrica de champagne Moët & Chandon.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 935 (1979)

RIO DE JANEIRO – O xará Rodrigo Peixoto, que já colaborou – salvo engano – com miniaturas das Arrows de Fórmula 1, há alguns meses, mandou também algumas fotos de miniaturas da coleção dele e que são alusivas às 24 Horas de Le Mans. A que trago hoje é sensacional: trata-se do Porsche 935 com que Paul Newman chegou em 2º lugar na corrida francesa, em 1979.

index (10)

Naquela oportunidade, o ator de Hollywood – um grande apaixonado por carros de corrida, e que estrelara o filme Winning, sobre um piloto que vencia as 500 Milhas de Indianápolis (Frank Capua), alinhou no carro #70 da Dick Barbour Racing ao lado do próprio e do experiente alemão Rolf Stommelen, que no ano anterior ainda estava na Fórmula 1.

Como todos os protótipos favoritos tiveram problemas e, para piorar, choveu, os modelos GT deitaram e rolaram. Por isso a vitória foi de outro Porsche, este da Kremer Racing, guiado por Klaus Ludwig e os irmãos Don e Bill Whittington, ambos dos EUA. Inscritos também na subdivisão IMSA, Newman e seus parceiros chegaram sete voltas atrás da trinca ganhadora, num excelente 2º lugar.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Bentley EXP Speed 8 (2003)

index (3)

RIO DE JANEIRO – Mais um grande campeão das 24 Horas de Le Mans chega ao blog em forma de miniatura. Aliás, duas. Oferecimento do Adalberto Franco de Camargo Jr., que mandou a foto do Bentley EXP Speed 8 vitorioso em Sarthe no ano de 2003.

Os Bentley Boys fizeram uma histórica dobradinha para a marca, que na época já pertencia, assim como a Audi, à Volkswagen. Não à toa, o motor do protótipo era o Audi FSi V8 com 3,6 litros turbo. O projeto de Peter Elleray tinha como base o modelo R8C que não se saiu bem na disputa da prova em 1999.

Após o 4º lugar alcançado em 2002 com pneus Dunlop, a Bentley entrou no ano seguinte com os Michelin e um carro mais bem desenvolvido – e praticamente sem adversários, face a ausência da Audi, que “emprestou” Tom Kristensen e Dindo Capello, o construtor britânico venceu pela primeira vez em Sarthe após 73 anos, quando Woolf Barnato e Glen Kidston ganharam em 1930 com o famoso modelo Speed Six.

O carro #7 guiado por Capello, Kristensen e Guy Smith venceu após completar 377 voltas, duas à frente de David Brabham/Mark Blundell/Johnny Herbert. Após a vitória, o Bentley e seus pilotos desfilaram triunfalmente nas ruas de Paris, passeando pelo Champs Elysées e o Arco do Triunfo. Nada mais lógico.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 917 psicodélico (1970)

RIO DE JANEIRO – A galera continua mandando muito bem no envio das miniaturas pro especial dos carros de Le Mans. O Vitor Mazzi matou a tapa com este modelo da foto abaixo. É o Porsche 917 alinhado pelo Martini International Racing Team na disputa das 24 Horas em 1970.

index

O carro se destacou pela pintura originalíssima, totalmente diferenciada do padrão Martini de ser, que começou com o matiz prateado no fim dos anos 60 e mudou para o branco com a equipe oficial da Porsche na metade da década de 70. Esse “monstro” das pistas apareceu, aliás, fugazmente no filme 24 Horas de Le Mans, estrelado por Steve McQueen, numa das cenas de apoio gravadas durante a prova original, onde de fato choveu muito.

O carro #3, guiado por Gérard Larrousse e Willi Kauhsen naquela oportunidade, chegou em 2º lugar, atrás do #23 de Dick Attwood e Hans Herrmann, que ofertaram à Porsche a primeira vitória da marca na geral em Sarthe. A miniatura enviada pelo Mazzi é da AutoArt e em escala 1:18. Uma obra-prima!

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Audi R8 em dose tripla (2002)

index

RIO DE JANEIRO – O pessoal tem caprichado na série especial de Le Mans com as miniaturas. Não bastasse as minis de kits da Tamiya, agora tem o Rubem Ferresi Jr. apresentando as minis dele – em dose tripla: os Audi R8 que chegaram em primeiro, segundo e terceiro nas 24 Horas em 2002.

“Minha paixão por automobilismo vem de longa data”, diz o Rubem. “Sou também comissário de pista do GP do Brasil de Fórmula 1 desde 1998”, completou.

index (1)

O Audi R8 foi um dos projetos de Esporte-Protótipo mais bem-sucedidos da história, ao nível dos modelos 908, 917, 956 e 962 da Porsche, conquistando 63 vitórias ao longo de sua existência, bem como 47 pole positions.. Projeto de Michael Pfadenhauer e Wolfgang Appel – com colaboração tecnológica da Dallara, o modelo do fabricante de Ingolstadt permaneceu nas pistas de 2000 até 2006, tendo conquistado cinco edições consecutivas das 24 Horas de Le Mans.

O motor do carro, com 3,6 litros de capacidade cúbica, dotado de turbocompressor e com oito cilindros em V, foi um projeto do engenheiro Ulrich Baretzky.

Em 2002, na histórica chegada retratada no kit da Minichamps, venceu o carro guiado por Frank Biela/Emanuele Pirro/Tom Kristensen, com Johnny Herbert/Christian Pescatori/Dindo Capello em segundo e na 3ª posição terminaram Michael Krumm/Philipp Peter/Marco Werner. Um domínio para ninguém botar defeito.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Sauber-Mercedes C9 (1989)

index (1)

RIO DE JANEIRO – Mais um carro campeão das 24 Horas de Le Mans que se tornou uma obra-prima em tamanho miniatura chega ao blog na série das Pequenas maravilhas sobre os carros de Sarthe. Cortesia do Marcio Riva, que caprichou no visual: este é um kit em escala 1:24 da Tamiya do Sauber-Mercedes C9 guiado por Manuel Reuter/Stanley Dickens/Jochen Mass na corrida disputada em 1989. E com requintes, como conta o próprio Marcio.

“Montei esse carro há uns cinco anos. Usei pintura automotiva, adesivos que representam fibra de carbono e peças de metal foto gravado, além de metal torneado para ter mais detalhes.”

index (2)

E que detalhes! O carro do Marcio é uma joia rara.

O Sauber-Mercedes C9 também. Foi concebido para receber o motor V8 type Mercedes M119 a 90º, que tinha 4.973 centímetros cúbicos de cilindrada e era movido a duas turbinas KKK. Projeto do próprio Peter Sauber e de Heini Mader, o carro era a evolução do modelo C8.

Com sua pintura que remetia às Flechas de Prata do passado, o Sauber Esporte Protótipo chegou a incríveis 398 km/h no ponto de maior velocidade no retão Mulsanne, que ainda não tinha as chicanes. O francês Jean-Louis Schlesser, que conduziu o #62 naquela 24 Horas em parceria com Jean-Pierre Jabouille e Alain Cudini, foi o campeão mundial do Grupo C entre os pilotos naquele ano.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – McLaren BMW F1 GTR (1995)

index (1)

RIO DE JANEIRO – Motivado pela primeira postagem do Nick Nagano, o Bento Bach, lá de terras sulistas, mandou uma mini de sua coleção. E não é um carro qualquer, é um modelo campeão: a McLaren BMW F1 GTR #59 da equipe japonesa Kokusai Kahiatso, talvez uma das maiores zebras da história das 24 Horas de Le Mans como vencedora, desde o triunfo do Mazda 787B em 1991.

O modelo Grã-Turismo construído pela marca que hoje pertence a Ron Dennis foi guiado por Yannick Dalmas, JJ Lehto e Masanori Sekiya. Entre os oito carros McLaren presentes naquela oportunidade em Sarthe, nem de longe o #59 estava entre os mais cotados. Os melhores carros eram do time Gulf Racing, onde corria o brasileiro Maurizio Sandro Sala. Mas o trio do carro preto manteve uma grande regularidade sob a inclemente chuva que caiu na oportunidade e venceu após largar em 9º com a média de 168,992 km/h – uma das menores da história contemporânea das 24 Horas de Le Mans – e com uma volta de vantagem para o protótipo Courage C34 com motor Porsche guiado por Bob Wollek/Mario Andretti/Eric Hélary.

index (2)

A miniatura do Bento é rara por estas plagas. É da marca U.T. e em escala 1:18.

Valeu, guri! Show de roda!

Adendo: o Nick Nagano notou – e muito bem – uma coisa: a equipe Kokusai Kahiatso, mesmo sendo do Japão e com o patrocínio da Ueno Clinic, que é daquele país, correu com bandeira britânica no carro. Alguém sabe o motivo?

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 962 C (1989)

RIO DE JANEIRO – Isso é que é entrar no espírito do pedido do blogueiro. O Lucas Carioli sacou qual é a jogada e matou a tapa, agora. Ele manda a foto do Porsche 962 C da equipe Blaupunkt-Joest Racing que competiu na edição de 1989 das 24 Horas de Le Mans.

index (8)

A reprodução do carro de Frank Jelinski, Pierre-Henri Raphanel e “John Winter”, a.k.a. Louis Krages, que naquela oportunidade abandonou a disputa em virtude de um vazamento de água no carro é do chassi #007 e em escala 1:20. Não é uma miniatura de metal e sim um kit de montar da Tamiya, famosa fabricante do Japão.

Diz o Lucas no e-mail enviado que o kit foi montado pelo irmão. “Eu ainda não tinha idade suficiente para manusear com precisão”, admitiu.

A icônica pintura da Blaupunkt, que eu também adorava, bastou para o Lucas fazer algo depois que teve carro. “Botei um som deles quando fiquei mais velho”.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Porsche 911 GT1-98 (1998)

indexRIO DE JANEIRO – Da coleção do Wilson Carpini, eis um grande carro das 24 Horas de Le Mans. Eis a miniatura em escala 1:18 do Porsche 911 GT1-98, que venceu a corrida francesa há 15 anos – foi a última vitória da marca de Stuttgart na classificação geral, aliás.

Esse carro, com o chassi #003, disputou as 24 Horas e também algumas provas do FIA GT, onde a marca também tinha a Zakspeed como cliente. Se no FIA GT o time oficial não conseguiu superar a Mercedes-Benz, por conta da inferioridade dos pneus Michelin em relação aos Bridgestone da rival germânica, em Sarthe a Porsche foi absoluta: a marca venceu em dobradinha, com Allan McNish/Laurent Aiello/Stéphane Ortelli em primeiro e Jörg Müller/Bob Wollek/Üwe Alzen em segundo.

O 911 GT1-98, um projeto de Anthony Hatter, tinha motor 3,2 litros turbocomprimido com seis cilindros opostos. Com potência aproximada de 600 HP, o carro alcançava 330 km/h com o uso de um câmbio sequencial de seis marchas. Pena que o modelo teve vida curta: em 1999, a FIA extinguiu a classe GT1 e a Porsche preferiu então concentrar suas atenções nos modelos LMGT2 e depois no RS Spyder LMP2 – até agora, já que em 2014 ela estreia na classe de protótipos LMP1

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – Dome S101 (2004)

RIO DE JANEIRO – Mais um exemplar sensacional de 24 Horas de Le Mans em miniatura escala 1:43 – um oferecimento do amigo Cláudio Stringari, que só tem um grave defeito: é palmeirense enrustido. Ele autorizou a reprodução da foto que ele postou hoje no facebook de um dos carros que ele tem na coleção.

431793_592925400728430_1561070867_n

Esse modelo da foto é o Dome S101 com motor Judd V10 4 litros, chassi #03. O número #15 foi conduzido na edição de 2004 da corrida francesa por Jan Lammers, Chris Dyson e Katsutomo Kaneishi, que chegaram na 7ª colocação ao fim da disputa. O #16, por Tom Coronel, Justin Wilson e Ralph Firman, abandonou com problemas mecânicos. A equipe era a Racing For Holland, dirigida por John Bosch e por Lammers, um veterano de guerras com 22 participações em Le Mans e que passou pela Fórmula 1.

Projeto de Akiyoshi Oku e Hiroshi Yuchi, o Dome S101 teve bons resultados nas competições da classe LMP1, quando ainda não havia o abismo de hoje entre os protótipos diesel e/ou híbridos contra os modelos a gasolina. O carro de 2004, como os antecessores desde 2001, tinha como grande característica as centenas de patrocinadores que ele carregava nos quadradinhos pretos e brancos da decoração. Cada um desses patrocinadores pagava a conta da equipe e o projeto da Racing For Holland seguiu nas pistas até 2007.

No ano seguinte, a Dome apresentava o S102. O projeto do S101, que já não recebia grandes investimentos na versão HB, que estreou em 2005, foi definitivamente abandonado. O carro deixou as pistas conquistando seis vitórias e mais de uma dezena de pódios em todas as corridas de que participou.

Pequenas maravilhas – Especial Le Mans – McLaren BMW F1 GTR (1996)

RIO DE JANEIRO – A partir de hoje até o dia 22, o blog vai publicar, pelo menos uma vez por dia, uma miniatura alusiva às 24 Horas de Le Mans, corrida que chega neste ano ao seu 90º aniversário. E vamos abrir os trabalhos em grande estilo.

BMWMcLarenF1GTR96 (3)

O Nick Nagano mandou o “monstrinho” dele, nas palavras do próprio: é uma miniatura da McLaren BMW F1 GTR alinhada pela equipe italiana Bigazzi na edição de 1996 das 24 Horas de Le Mans.

BMWMcLarenF1GTR96 (4)

E não é um carro qualquer: esse #39 da foto foi conduzido por ninguém menos que Nelson Piquet. O tricampeão mundial de Fórmula 1 dividiu o bólido com o venezuelano Johnny Cecotto e com Danny Sullivan, dos EUA. Eles largaram da 12ª posição do grid e terminaram em oitavo lugar a 30 voltas do TWR-Porsche guiado por Davy Jones/Alexander Wurz/Manuel Reuter. Foi a primeira participação de Piquet em Sarthe e ele voltaria à corrida no ano seguinte, quando JJ Lehto bateu com o carro que partilhava com o brasileiro e mais o britânico Steve Soper.

BMWMcLarenF1GTR96 (5)

A McLaren teve sucesso em Le Mans com esse modelo, cuja produção foi descontinuada após o acordo contratual com a Mercedes-Benz na Fórmula 1, contemplando parte da sociedade do time então dirigido por Ron Dennis. Em 1995, com um carro idêntico, mas alinhado pela equipe japonesa Kokusai Kahiatso, JJ Lehto/Masanori Sekiya/Yannick Dalmas venceram aquela corrida, disputada em grande parte com pista molhada.