Toyota domina e vence mais uma no FIA WEC

Spa-WEC-Victory-2-for-Toyota-Michelin_articlethumbnail

RIO DE JANEIRO – Aos que tinham dúvidas acerca do potencial do TS040 Hybrid da Toyota, principalmente depois do Prólogo em Paul Ricard – quando o desempenho dos dois protótipos foi muito questionado, pela diferença em relação às rivais, os japoneses vieram não só com a resposta da vitória das 6 Horas de Silverstone como também repetiram a dose neste sábado. Mais uma vez, a trinca do carro #8 guiado por Sébastien Buemi/Nicolas Lapierre/Anthony Davidson chegou na frente, fazendo a tripulação disparar na liderança do Mundial de Pilotos da classe LMP1 com 50 pontos. E tudo isso antes das 24 Horas de Le Mans, que dão pontuação dobrada para os vitoriosos.

Spa-WEC-Race-number-stories_articlethumbnail

O triunfo enfático da Toyota, segundo consecutivo em 2014, coloca uma enorme pulga atrás da orelha dos germânicos. Audi e Porsche vão juntar os cacos e dimensionar o tamanho da sova que levaram na pista. A turma de Stuttgart até que mostrou serviço e o #14 de Romain Dumas/Marc Lieb/Neel Jani liderou a corrida partindo da pole, por um bom período. Após alguns problemas técnicos, perderam uma volta e acabaram na 4ª posição. Já a corrida do #20 foi muito mais atribulada, cheia de percalços, desde o início. Primeiro tiveram problemas com a suspensão e depois, várias falhas mecânicas. Acabaram em 23º lugar, vinte e três voltas atrasados.

Novamente a Audi tornou-se a maior derrotada no início do FIA WEC. Fica claro que a mudança de regulamento foi um tiro no pé da turma de Ingolstadt e a opção pela categoria 2MJ na Equivalência de Tecnologia é um retrocesso de desempenho dos R18 e-tron quattro. Mesmo assim, o Audi #1 fez uma boa corrida dentro das limitações do protótipo e o brasileiro Lucas Di Grassi salvou um importante 2º lugar, ao lado dos parceiros Tom Kristensen e Loïc Duval.

O carro #2 de Marcel Fässler/Bénoit Tréluyer/Andre Lotterer também não foi páreo na briga pela vitória, encerrando a disputa em 5º lugar, à frente do R18 e-tron quattro longtail de Filipe Albuquerque/Marco Bonanomi. Mau sinal? Cedo para dizer. Le Mans é território Audi nos últimos anos e não se pode dizer que os “quatrargólicos”, para usar uma expressão comum no blog do Flavinho Gomes, são carta fora do baralho.

A Rebellion Racing usou a prova de Spa como teste dinâmico do novo R-One. O carro parece ter potencial, mas precisa de desenvolvimento. Cinco dias de testes não representaram nada: o carro ganhou muita quilometragem neste fim de semana e, mesmo com 10 voltas de atraso, o #12 de Nick Heidfeld/Mathias Beche/Nicolas Prost completou a prova na sétima colocação. O #13 teve um sem fim de problemas e foi o único carro que abandonou a disputa na Bélgica.

2014-6-Heures-de-Spa-Francorchamps-WEC-Adreanal-GT3-1041_hd

Na LMP2, a KCMG começou bem e na frente, mas o protótipo Oreca Nissan do time de Hong Kong foi perdendo terreno no correr da disputa e a vitória, pela segunda prova consecutiva, foi do #26 de Roman Rusinov/Julien Canal/Olivier Pla, que também disparam na liderança do campeonato com duas vitórias e os mesmos 50 pontos da turma da Toyota na LMP1. Em segundo ficou o trio da Jota Sport, com Marc Gené/Simon Dolan/Harry Tincknell, seguidos por Richard Bradley/Matthew Howson/Alexandre Imperatori. A SMP Racing ficou longe da briga pelo pódio: o carro #27 de Nicolas Minassian/Sergey Zlobin/Maurizio Mediani, inclusive, pagou um stop & go por queima de largada e não conseguiu mais se recuperar.

2014-6-Heures-de-Spa-Francorchamps-WEC-adrenal-jr7-9888_hd

Como sempre, na LMGTE-PRO as brigas por posição garantiram a emoção ao longo das 6 horas de disputa. Os Aston Martin Vantage começaram fortes e em dado momento, chegaram à dobradinha, com Stefan Mücke e o brasileiro Fernando Rees andando muito. Porém, prevaleceu a maior coesão da dupla da AF Corse no carro #51: vitória de Toni Vilander/Gimmi Bruni, seguidos por Patrick Pilet/Jörg Bergmeister, que conquistaram o segundo lugar após uma luta sensacional com a outra Ferrari do time italiano, guiada pela dupla James Calado/Davide Rigon.

O carro #97 de Bruno Senna/Darren Turner/Stefan Mücke completou em quarto, seguido por Fernando Rees/Alex MacDowall/Darryl O’Young, num bom fim de semana da tripulação do #99.

2014-6-Heures-de-Spa-Francorchamps-WEC-Adrenal-DSC-0037.JPG_hd

A disputa na LMGTE-AM foi menos intensa e a vitória também pertenceu aos italianos da AF Corse, com a Ferrari de Mirko Venturi/Marco Cioci/Luis Perez-Companc levando a melhor após completar 149 voltas na pista belga. A Aston Martin levou as posições seguintes de pódio com Richie Stanaway/Kristian Poulsen/David Heinemeier-Hänsson e Pedro Lamy/Paul Dalla Lana/Christoffer Nygaard.

Agora é esperar pela cereja do bolo: a edição 2014 das 24 Horas de Le Mans, a 82ª da história da prova francesa. E do jeito que a coisa vai, melhor a Audi pôr de uma vez por todas as barbas de molho. Duvido muito, no entanto, que a Toyota chegue a Sarthe achando que pode “chutar cachorro morto” na França, porque, repito, a prova francesa é território alemão há mais de 10 anos.

FIA WEC: momento histórico em Spa; pole do 919 Hybrid!

img_0383

RIO DE JANEIRO – Um treino simplesmente espetacular para as 6 Horas de Spa-Francorchamps não poderia ter tido um final histórico: a Porsche conquistou a pole position para a 2ª etapa do Campeonato Mundial de Endurance, com largada prevista para este sábado às 9h30, pelo horário de Brasília. O carro #14 guiado por Neel Jani e Marc Lieb (que tem também Romain Dumas a bordo) roubou da Toyota uma pole que parecia certa e fez explodir de alegria os boxes do time de Stuttgart.

Com uma condução impecável, especialmente de Lieb, no chamado “apagar das luzes”, o 919 Hybrid ficou com a posição de honra no treino, cravando a média de voltas em 2’01″198, numa sessão que começou em condições adversas: choveu após o segundo treino livre, a pista ficou úmida e, mesmo com o frio (temperatura perto de 10ºC na pista), os tempos baixaram progressivamente.

img_0287

Em alguns momentos, as imagens mostravam o que, para os mais desavisados, parecia briga por posição numa corrida, tamanha a fome dos pilotos em busca do melhor tempo. E desta vez a Porsche saiu-se melhor, com o #8 partilhado no treino por Sébastien Buemi e Anthony Davidson em 2º lugar – na média, ficaram a 0″638 da pole.

img_9996

A Audi foi mais uma vez derrotada – e foi uma derrota feia: o #2 de Andre Lotterer e Marcel Fässler ficou em terceiro a 1″301 da pole e o #1, que teve o brasileiro Lucas Di Grassi a bordo, não passou da 6ª posição, a 2″683 do melhor tempo. Pior mesmo foi o #3: mesmo com o kit de aerodinâmica de Le Mans, na versão longtail, o carro de Marco Bonanomi/Filipe Albuquerque ficou apenas em sétimo lugar.

img_0634

Como previsto, os dois Rebellion R-One estiveram longe de ser competitivos: o #12 foi o único que efetivamente marcou tempo na qualificação e o carro guiado primeiro por Mathias Beche e depois por Nicolas Prost ficou a longos 13″736 da pole. O #13 quase não treinou: cheio de problemas desde o primeiro treino livre, Dominik Kraihamer ficou sem completar uma única volta. Vão largar no fim do pelotão, junto com o #37 da SMP Racing, vítima de uma batida na segunda sessão.

img_0235

Aliás, entre os LMP2, uma surpresa: a KCMG Racing fez um ótimo trabalho graças a Richard Bradley e Matt Howson, desbancando o #27 da SMP Racing conduzido por Nicolas Minassian e Maurizio Mediani e o Morgan #26 da G-Drive Racing vencedor das 6 Horas de Silverstone. Pole e 8º posto geral para a equipe de Hong Kong, portanto.

Nas classes LMGTE, domínio da AF Corse: os italianos ficaram com a pole não só na LMGTE-PRO como também na LMGTE-AM. Nesta última, Mirko Venturi e Marco Cioci conseguiram superar o Porsche da Prospeed Competition, equipe da casa e que tem um ótimo acerto para a pista. Aliás, destaque para o jovem (19 anos) Mathieu Vaxivière, muito bem a bordo do carro #75.

img_0458

Na divisão principal, Gimmi Bruni/Toni Vilander marcaram a média de voltas em 2’32″338, 0″167 abaixo do Aston Martin #97 partilhado por Stefan Mücke e Darren Turner na qualificação. Esse será o carro em que Bruno Senna vai participar da prova belga. O Porsche #92 de Fréderic Makowiecki/Marco Holzer ficou em terceiro. Já o Aston #99 de Fernando Rees/Darryl O’Young/Alex MacDowall foi razoavelmente bem, com a quinta posição no grupo e a 17ª média geral – 2’33″070.

img_0373

A AF Corse, que tem três Ferrari inscritas na LMGTE-AM e ainda dá assistência ao carro da 8Star Motorsports, ainda abiscoitou o 3º posto na divisão com Michele Rugolo e Andrea Bertolini no #81. O #90 de Enzo Potolicchio e Paolo Ruberti foi o quinto e a seguir veio o #60 de Lorenzo Casé e Raffaele Gianmaria, mais rápido que os dois Aston Martin que fecharam a raia nesta classe.

 Vale a dica: o site do FIA WEC – link aqui ao lado, no blog – transmite a corrida em live streaming ao vivo e na íntegra. Embora o acesso esteja sendo cobrado (€ 19.99 pela temporada completa, exceto Le Mans e € 4.99 corrida por corrida, exceto Le Mans também) a partir deste ano, basta ao usuário cadastrar nome, e-mail e senha, não concluir a transação, abrir uma nova janela (members.fiawec.com) e voilà: a transmissão se materializa. O narrador é o sempre excelente John Hindnaugh, com os comentários de Nick Daman.

FIA WEC: Porsche sai na frente em Spa-Francorchamps

14porschep2

RIO DE JANEIRO – A sexta-feira que marcou o início das atividades de pista para as 6 Horas de Spa-Francorchamps, a serem realizadas neste sábado, começou com chuva, como é hábito na região das Ardenas. Chuva e temperatura baixa, é bom que se diga. Mas depois a pista secou e os tempos, muito altos no primeiro treino, melhoraram bastante na segunda sessão, que mostrou como poderá ser a divisão de forças entre Porsche, Audi e Toyota – muito embora seja apenas um treino livre, o único com a pista realmente em boas condições.

O carro #14, do trio Romain Dumas/Neel Jani/Marc Lieb, que assim como o outro 919 Hybrid do time está inclusive com o kit aerodinâmico de Le Mans, mostrou força no treino e ficou com a melhor marca em 1’59″887, numa volta estonteante de Lieb. O tempo do piloto foi quase oito décimos melhor que o do suíço Sébastien Buemi, que pôs o Toyota TS040 Hybrid número #8 em segundo.

Em terceiro ficou o Audi #2 de Marcel Fässler/Andre Lotterer/Bénoit Tréluyer, um décimo acima do Toyota. Em quarto, ficou o trio vencedor das 6 Horas de Silverstone, com o carro do brasileiro Lucas Di Grassi e dos parceiros Tom Kristensen e Loïc Duval em quinto. O Porsche de Mark Webber/Timo Bernhard/Brendon Hartley ficou em sexto e o Audi de Marco Bonanomi/Filipe Albuquerque foi o sétimo colocado.

Os dois novos Rebellion R-One não puderam ter o desempenho avaliado. Problemas de gerenciamento eletrônico evitaram que o carro #13 de Fabio Leimer/Dominik Kraihamer/Andrea Belicchi saísse dos boxes. O #12 marcou apenas o 12º tempo geral – 2’10″116, mais de dez segundos acima do melhor carro do treino. Sem a concorrência do Lotus, que ainda não ficou pronto, a Rebellion vai encarar a prova deste fim de semana mais como um teste dinâmico do que propriamente desempenhar um papel competitivo na corrida de amanhã.

Na classe LMP2, problemas: o Oreca #37 de Viktor Shaitar e o Zytek #38 de Simon Dolan provocaram bandeiras vermelhas ao longo do segundo treino. Shaitar, aliás, sofreu um forte acidente ao bater na curva Raidillon, após a Eau Rouge, em decorrência de uma falha de suspensão em seu protótipo.

Enquanto isso, o Morgan #26 da G-Drive Racing guiado por Roman Rusinov/Julien Canal/Olivier Pla registrou o tempo de 2’08″673, o mais rápido dentre os seis inscritos. Antes do acidente, o #37 da SMP Racing conseguiu ainda o segundo tempo e o Zytek #38 do Team Jota foi o terceiro mais rápido.

A AF Corse começou na frente entre os inscritos da LMGTE-PRO: o carro #51 da dupla Gianmaria Bruni/Toni Vilander foi o melhor, com 2’18″913, contra 2’19″603 de James Calado/Davide Rigon. Na sequência, os dois Porsche da equipe de Olaf Manthey e os dois Aston Martin, com o #99 de Fernando Rees/Alex MacDowall/Darryl O’Young marcando 2’20″811, 0″014 melhor que o #97 de Darren Turner/Stefan Mücke/Bruno Senna.

Na LMGTE-AM, deu Porsche: o #88 de Klaus Bachler/Christian Ried/Khaled Al Qubaisi ficou com a 15ª posição geral na sessão, com 2’19″151, três décimos abaixo da Ferrari de Enzo Potolicchio/Paolo Ruberti/Gianluca Roda. O trio formado por Luis Perez-Companc/Mirko Venturi/Marco Cioci, noutra Ferrari, completou os três mais velozes da divisão.

Rebellion vai à guerra

dagys_-2014_260650RIO DE JANEIRO – Dia de montagem do paddock para as 6 Horas de Spa-Francorchamps, que acontecem neste sábado. Dia, também, da apresentação oficial do novo protótipo Rebellion R-One, que chega para competir na categoria LMP1 em substituição ao velho Lola B12/60, que deixa as pistas após bons serviços prestados ao time suíço.

Com desenho muito mais próximo dos atuais modelos da principal divisão de protótipos, o Rebellion R-One foi concebido no atelier da francesa Oreca, em Magny-Cours. Os carros não ficaram prontos a tempo da primeira corrida do WEC, em Silverstone, mas o trabalho foi rápido e após dois testes dinâmicos em Paul Ricard, num total de cinco dias apenas, a equipe aprontou os dois protótipos para correr na Bélgica.

dagys_-2014_260646Por enquanto, o R-One não tem a concorrência do Lotus T129. O prometido carro que vai disputar o WEC na subdivisão LMP1-L para protótipos sem sistemas híbridos de recuperação de energia ainda não estreou. Uma única foto é tudo o que temos deste bólido. Testes de pista, zero. Tomara que não seja um engodo…

O lançamento oficial contou com cinco dos seis pilotos da Rebellion, porque o italiano Andrea Belicchi pegou um voo atrasado para a Bélgica. Mas ele estará ao volante do carro #13 nos treinos livres, ao lado de Dominik Kraihamer e Fabio Leimer. O #12 terá a condução de Nicolas Prost, Mathias Beche e Nick Heidfeld.

Debandada: cinco forfaits anunciados para as 24h de Le Mans

RIO DE JANEIRO – O Automobile Club de l’Ouest (ACO) anunciou hoje uma debandada recorde de inscritos para a edição de 2014 das 24 Horas de Le Mans. Cinco dos competidores titulares previamente anunciados estão oficialmente fora da prova francesa, a mais tradicional da história da Endurance.

0Dagys_-2013_211911

Mais uma vez fora: Millenium Racing não será vista em Le Mans; temporada do time no FIA WEC corre sérios riscos para o resto do ano

A Millenium Racing, cuja situação financeira permanece indefinida, pondo sob sérias dúvidas a presença do time com bandeira dos Emirados Árabes e sede em Silverstone para o resto do WEC, anunciou também seu forfait para Sarthe – já se ausentaram em Silverstone e também não vão correr em Spa-Francorchamps, no próximo sábado, abrindo duas vagas na classe LMP2.

Além disto, a Aston Martin Racing preferiu optar por se concentrar melhor na preparação de seus quatro carros oficiais de fábrica, reduzindo o pacote anunciado anteriormente, que contemplava seis inscritos. Assim, o #89 previsto para a LMGTE-PRO e o #96 da LMGTE-AM estão fora. Também a Craft Racing, que já está em Le Mans em parceria com a Bamboo Engineering e a própria Aston Martin Racing, alinhando o carro #99 do brasileiro Fernando Rees, retirou o #87 da divisão LMGTE-AM.

Tudo isso significa o seguinte: todos os carros que estavam na lista de espera acabam de ser repescados para a disputa da edição 2014 das 24 Horas de Le Mans e eventuais forfaits até o dia da corrida não serão mais cobertos, o que significa que o grid terá 56 carros – ou menos.

MOTORSPORT : ELMS 4 HOURS OF SILVERSTONE - SILVERSTONE (GBR) 04/18-19/2014Primeira suplente da classe LMP2, a Larbre Competition ganha a titularidade com seu Morgan Judd número #50, para felicidade de Jack Lecomte, o dono da equipe

Como foram cinco desistências, mesmo assim a divisão LMP2 ganha três novas adesões: entram o Morgan Judd #50 da Larbre Competition, o Zytek #42 da Greaves Motorsport (inscrito pela Caterham Racing, que inclusive tinha sido anunciado como o primeiro forfait, mas depois voltaram atrás na decisão) e o Morgan Nissan #29 da Pegasus Racing.

Entre os LMGTE-AM, mais dois carros aparecem na lista de titulares: o #76 da IMSA Performance Matmut – que já tem inclusive lineup completo, com Raymond Narac/Nicolas Armindo/David Hallyday e o #79 da Prospeed Competition, que pela primeira vez terá dois carros nas 24 Horas de Le Mans. O total de carros passa a ser de 10 LMP1, 18 LMP2, nove LMGTE-PRO, 18 LMGTE-AM e o Nissan ZEOD RC, inscrito como hors-concours.

A nova lista oficial é esta:

LMP1-H

#1 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R18 e-tron quattro (M)
Tom Kristensen/Loïc Duval/Lucas Di Grassi

#2 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R18 e-tron quattro (M)
Bénoit Tréluyer/Marcel Fässler/Andre Lotterer

#3 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R18 e-tron quattro (M)
Filipe Albuquerque/Oliver Jarvis/Marco Bonanomi

#7 TOYOTA RACING JPN
Toyota TS040 Hybrid (M)
Alexander Wurz/Stéphane Sarrazin/Kazuki Nakajima

#8 TOYOTA RACING JPN
Toyota TS040 Hybrid (M)
Anthony Davidson/Nicolas Lapierre/Sébastien Buemi

#14 PORSCHE TEAM DEU
Porsche 919 Hybrid (M)
Romain Dumas/Neel Jani/Marc Lieb

#20 PORSCHE TEAM DEU
Porsche 919 Hybrid (M)
Timo Bernhard/Mark Webber/Brendon Hartley

LMP1-L

#9 TEAM LOTUS DEU
Lotus T129 AER (M)
Christijan Albers/pilotos a confirmar

#12 REBELLION RACING CHE
Rebellion R-One Toyota (M)
Nicolas Prost/Mathias Beche/Nick Heidfeld

#13 REBELLION RACING CHE
Rebellion R-One Toyota (M)
Andrea Belicchi/Dominik Kraihamer/Fabio Leimer

LMP2

#21 STRAKKA RACING GBR
Dome-Strakka S103 Nissan (M)
Nick Leventis/Danny Watts/Jonny Kane

#24 SÉBASTIEN LOEB RACING FRA
Oreca 03 Nissan (M)
René Rast/Jan Charouz/Vincent Capillaire

#26 G-DRIVE RACING RUS
Morgan Nissan LMP2 (D)
Roman Rusinov/Olivier Pla/Julien Canal

#27 SMP RACING RUS
Oreca 03 Nissan (M)
Kirill Ladygin/Anton Ladygin/Viktor Shaitar

#29 PEGASUS RACING DEU
Morgan Nissan LMP2 (D)
Julien Schell/Niki Leutwiller/piloto a confirmar

#33 OAK RACING TEAM ASIA FRA
Ligier JS P2 HPD (M)
David Cheng/Ho-Pin Tung/piloto a confirmar

#34 RACE PERFORMANCE CHE
Oreca 03 Judd (D)
Michel Frey/Franck Mailleux/Jon Lancaster

#35 OAK RACING FRA
Morgan Nissan LMP2 (D)
Alex Brundle/pilotos a confirmar

#36 SIGNATECH-ALPINE FRA
Alpine A450 Nissan (M)
Nelson Panciatici/Paul-Loup Chatin/Oliver Webb

#37 SMP RACING RUS
Oreca 03 Nissan (M)
Nicolas Minassian/Sergey Zlobin/Maurizio Mediani

#38 TEAM JOTA SPORT GBR
Zytek Z11SN Nissan (D)
Simon Dolan/Harry Tincknell/Marc Gené

#41 GREAVES MOTORSPORT GBR
Zytek Z11SN Nissan (D)
Tom Kimber-Smith/Chris Dyson/Matt McMurry

#42 CATERHAM RACING MYS
Zytek Z11SN Nissan (D)
Alessandro Latif/pilotos a confirmar

#43 NEWBLOOD BY MORAND RACING CHE
Morgan Judd LMP2 (D)
Christian Klien/Gary Hirsch/Romain Brandela

#46 TDS RACING FRA
Ligier JS P2 Nissan (D)
Pierre Thiriet/Ludovic Badey/Tristan Gommendy

#47 KCMG HKG
Oreca 03 Nissan (M)
Richard Bradley/Matthew Howson/Alexandre Imperatori

#48 MURPHY PROTOTYPES IRL
Oreca 03 Nissan (D)
Tor Graves/Rodolfo Gonzalez/Karun Chandhok

#50 LARBRE COMPETITION FRA
Morgan Judd LMP2 (M)
Keiko Ihara/Ricky Taylor/piloto a confirmar

LMGTE-PRO

#51 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Gianmaria Bruni/Toni Vilander/Giancarlo Fisichella

#52 RAM RACING GBR
Ferrari F458 Italia (M)
Matt Griffin/Álvaro Parente/James Rossiter

#71 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Davide Rigon/James Calado/Olivier Beretta

#73 CORVETTE RACING USA
Chevrolet Corvette C7-R (M)
Jan Magnussen/Antonio Garcia/Jordan Taylor

#74 CORVETTE RACING USA
Chevrolet Corvette C7-R (M)
Oliver Gavin/Tommy Milner/Richard Westbrook

#91 PORSCHE AG TEAM MANTHEY DEU
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Patrick Pilet/Jörg Bergmeister/Nick Tandy

#92 PORSCHE AG TEAM MANTHEY DEU
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Marco Holzer/Fréderic Makowiecki/Richard Lietz

#97 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Vantage V8 (M)
Stefan Mücke/Darren Turner/Bruno Senna

#99 ASTON MARTIN RACING-BAMBOO ENGINEERING GBR
Aston Martin Vantage V8 (M)
Darryl O’Young/Fernando Rees/Alex MacDowall

LMGTE-AM

#53 RAM RACING GBR
Ferrari F458 Italia (M)
Johnny Mowlem/Ben Collins/Mark Patterson

#58 TEAM SOFREV-ASP FRA
Ferrari F458 Italia (M)
Fabién Barthez/Anthony Pons/Soheil Ayari

#60 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Peter Ashley Mann/Lorenzo Casé/Raffaele Gianmaria

#61 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Luis Perez-Companc/Mirko Venturi/Marco Cioci

#62 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Yannick Mallegol/Jean-Marc Bachellier/Howard Blank

#66 JMW MOTORSPORT GBR
Ferrari F458 Italia (M)
Seth Neiman/Spencer Pumpelly/Abdulaziz Al Faisal

#67 IMSA PERFORMANCE MATMUT FRA
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Erik Maris/Jean-Marc Merlin/Eric Hélary

#70 TEAM TAISAN JPN
Ferrari F458 Italia (M)
Matteo Malucelli/Nic Jönsson/Tracy Krohn

#72 SMP RACING RUS
Ferrari F458 Italia (M)
Andrea Bertolini/pilotos a confirmar

#75 PROSPEED COMPETITION BEL
Porsche 911 (997) GT3 RSR (M)
François Perrodo/Matthieu Vaxivière/Emmanuel Collard

#76 IMSA PERFORMANCE MATMUT FRA
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Raymond Narac/Nicolas Armindo/David Hallyday

#77 DEMPSEY RACING-PROTON USA
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Patrick Dempsey/Joe Foster/piloto a confirmar

#79 PROSPEED COMPETITION BEL
Porsche 911 (997) GT3 RSR (M)
Jeroen Bleekemolen/Cooper MacNeil/Bret Curtis

#81 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Steve Wyatt/Michele Rugolo/Sam Bird

#90 8STAR MOTORSPORTS USA
Ferrari F458 Italia (M)
Enzo Potolicchio/Gianluca Roda/Paolo Ruberti

#95 ASTON MARTIN RACING-YOUNG DRIVER GBR
Aston Martin Vantage V8 (M)
Nicki Thiim/Kristian Poulsen/David Heinemeier-Hänsson

#98 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Racing V8 (M)
Paul Dalla Lana/Pedro Lamy/piloto a confirmar

INVITATIONAL

#0 NISSAN MOTORSPORTS JPN
Nissan ZEOD RC (M)
Lucas Ordoñez/Wolfgang Reip/Thomas Erdos

FIA WEC: 28 carros nas 6 Horas de Spa

WEC 6 Hours of Spa-Francorchamps Launch in Brussels

Da esquerda para a direita: Fréderic Makowiecki, Stéphane Sarrazin, Neel Jani e Andre Lotterer participam do lançamento das 6 Horas de Spa em Bruxelas, na Bélgica. (Foto: Jeff Carter/Divulgação FIA WEC)

RIO DE JANEIRO – Saiu a primeira prévia de inscritos para as 6 Horas de Spa-Francorchamps, 2ª etapa do FIA WEC, o Mundial de Endurance, no próximo dia 3 de maio. Esperava-se um contingente maior de inscritos oriundos do ELMS por conta da prova belga ser uma espécie de “apronto” para as 24 Horas de Le Mans, mas não foi isso que se verificou.

A lista contempla um total de 28 carros, com os forfaits da Strakka Racing, que só estreia em Le Mans e, inesperadamente, da RAM Racing, que por alegados problemas financeiros não corre na prova belga, mesmo após os bons resultados na estreia. O carro de Matt Griffin/Álvaro Parente chegou em 6º lugar na LMGTE-PRO e o bólido de Ben Collins/Mark Patterson/Johnny Mowlem cravou o quinto posto na LMGTE-AM.

Também a Lotus não conseguiu aprontar o protótipo T129 com motor AER Turbo a tempo de promover sua estreia e a Millenium Racing volta a desapontar ao anunciar um segundo e preocupante forfait consecutivo, ainda sob imenso mistério acerca da situação financeira deste projeto que parecia competitivo, a julgar pelos resultados do Prólogo realizado no fim de março em Paul Ricard.

As novidades para as 6 Horas de Spa-Francorchamps são a aparição do Team Jota e o Zytek acidentado em Silverstone, mas que será recuperado a tempo de participar da prova belga. A AF Corse coloca uma terceira Ferrari F458 Italia na classe LMGTE-AM para Peter Mann/Raffaele Gianmaria/Lorenzo Casé. A estreia do Rebellion R-One, que fez seu primeiro shakedown em Paul Ricard também é esperada, mas a princípio, na lista que aparece no site oficial do FIA WEC, os carros do time suíço são os velhos Lola B12/60 Toyota.

E há, claro, um terceiro Audi R18 e-tron quattro. O construtor alemão vai com força máxima para Sarthe, mesmo após o revés de Silverstone. No carro #3, estarão Marco Bonanomi e Filipe Albuquerque (Oliver Jarvis não poderá competir por seu compromisso com o Super GT, que disputa os 500 km de Fuji no mesmo fim de semana). O português, aliás, corre no Team Jota no ELMS e a Audi, para compensar a participação do seu piloto no WEC nesta prova e em Le Mans, “emprestou” Marc Gené à equipe britânica.

Vamos aos inscritos:

title-lmp1

#1 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R18 e-tron quattro (M)
Tom Kristensen/Loïc Duval/Lucas Di Grassi

#2 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R18 e-tron quattro (M)
Bénoit Tréluyer/Marcel Fässler/Andre Lotterer

#3 AUDI SPORT TEAM JOEST DEU
Audi R18 e-tron quattro (M)
Marco Bonanomi/Filipe Albuquerque

#7 TOYOTA RACING JPN
Toyota TS040 Hybrid (M)
Alex Wurz/Stéphane Sarrazin/Kazuki Nakajima

#8 TOYOTA RACING JPN
Toyota TS040 Hybrid (M)
Anthony Davidson/Nicolas Lapierre/Sébastien Buemi

#12 REBELLION RACING CHE
Rebellion R-One Toyota (M)
Nicolas Prost/Nick Heidfeld/Mathias Beche

#13 REBELLION RACING CHE
Rebellion R-One Toyota (M)
Dominik Kraihamer/Andrea Belicchi/Fabio Leimer

#14 PORSCHE TEAM DEU
Porsche 919 Hybrid (M)
Romain Dumas/Neel Jani/Marc Lieb

#20 PORSCHE TEAM DEU
Porsche 919 Hybrid (M)
Timo Bernhard/Mark Webber/Brendon Hartley

title-lmp2

#26 G-DRIVE RACING RUS
Morgan Nissan LMP2 (D)
Julien Canal/Olivier Pla/Roman Rusinov

#27 SMP RACING RUS
Oreca 03 Nissan (M)
Nicolas Minassian/Sergey Zlobin/Maurizio Mediani

#37 SMP RACING RUS
Oreca 03 Nissan (M)
Viktor Shaitar/Kyrill Ladygin/Anton Ladygin

#38 TEAM JOTA GBR
Zytek Z11SN Nissan (D)
Marc Gené/Simon Dolan/Harry Tincknell

#47 KCMG HKG
Oreca 03 Nissan (D)
Richard Bradley/Matthew Howson/Alexandre Imperatori

title-lmgte-pro

#51 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Gianmaria Bruni/Toni Vilander

#71 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
James Calado/Davide Rigon

#91 PORSCHE AG TEAM MANTHEY DEU
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Patrick Pilet/Jörg Bergmeister

#92 PORSCHE AG TEAM MANTHEY DEU
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Fréderic Makowiecki/Marco Holzer

#97 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Vantage GTE (M)
Stefan Mücke/Darren Turner/Bruno Senna

#99 ASTON MARTIN VANTAGE GBR
Aston Martin Vantage GTE (M)
Fernando Rees/Alex MacDowall/Darryl O’Young

title-lmgte-am

#60 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Peter Mann/Raffaele Gianmaria/Lorenzo Casé

#61 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Luis Perez-Companc/Mirko Venturi/Marco Cioci

#75 PROSPEED COMPETITION BEL
Porsche 911 (997) GT3 RSR (M)
Emmanuel Collard/François Perrodo/Matthieu Vaxivière

#81 AF CORSE ITA
Ferrari F458 Italia (M)
Steven Wyatt/Michele Rugolo/Andrea Bertolini

#88 PROTON COMPETITION DEU
Porsche 911 (991) GT3 RSR (M)
Christian Ried/Klaus Bachler/Khaled Al Qubaisi

#90 8STAR MOTORSPORTS USA
Ferrari F458 Italia (M)
Enzo Potolicchio/Gianluca Roda/Paolo Ruberti

#95 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Vantage GTE (M)
Kristian Poulsen/David Heinemeier-Hänsson/Richie Stanaway

#98 ASTON MARTIN RACING GBR
Aston Martin Vantage GTE (M)
Paul Dalla Lana/Pedro Lamy/Christoffer Nygaard

Chuva e dobradinha da Toyota na abertura do WEC

RIO DE JANEIRO – A chuva deu o ar de sua graça nas 6 Horas de Silverstone, prova inaugural do Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC). Misturada à temperatura baixa, ela provocou uma reviravolta nas disputas que prometiam muito – e acabaram não acontecendo como todos nós gostaríamos de ver. E foi a água que caía em proporções bíblicas no correr da tarde inglesa que fez interromper a disputa antes do seu final.

toyota8

Para a Toyota, isto pouco importou. O construtor japonês conquistou uma vitória importante, para marcar território. É uma pequena amostra do quanto não será fácil a vida de Audi e Porsche e foi um triunfo que justificou o investimento: vitória em dobradinha, cabendo o primeiro posto ao novo Toyota TS040 Hybrid guiado por Anthony Davidson/Nicolas Lapierre/Sébastien Buemi e o segundo ao carro de Alex Wurz/Kazuki Nakajima/Stéphane Sarrazin.

Presente em Silverstone durante todo o fim de semana, o mau tempo foi o responsável direto pelos desígnios da sorte – e do azar – dos japoneses e das rivais Audi e Porsche na classe LMP1. O brasileiro Lucas Di Grassi, escalado para o primeiro turno no Audi #1 junto aos campeões mundiais Loïc Duval e Tom Kristensen, pareceu nervoso no começo. Depois de cometer alguns pequenos erros, o piloto se acalmou e vinha razoavelmente bem até a 24ª volta.

s1_1 (12)

Naquela altura, já chovia em vários pontos do traçado e a pista, com quase 6 km de extensão, fica traiçoeira. A Audi sabia disto e o piloto também. O erro de avaliação das condições do asfalto custou caro: Di Grassi perdeu o controle após o protótipo entrar em aquaplaning e bateu forte numa barreira de proteção, danificando toda a seção dianteira do R18 e-tron quattro.

A muito custo, Lucas levou o carro aos boxes, mas os mecânicos e engenheiros constataram um dano irremediável no monocoque, que inclusive poderá acarretar na troca do chassi para a próxima prova, as 6 Horas de Spa-Francorchamps, que se realizam em menos de duas semanas. Fim prematuro de corrida para o #1.

O dia não era mesmo da Audi pois, mais tarde, o outro R18 da equipe oficial, guiado por Bénoit Tréluyer, também saiu da pista e se chocou com a barreira de proteção. O esforço comovente do francês em regressar para o conserto foi em vão e algo jamais visto no WEC aconteceu. Os bicampeões mundiais de Construtores terminaram uma corrida sem um único ponto marcado.

Entre os LMP1, só a Toyota teve uma corrida livre de contratempos, pois a Porsche também enfrentou os seus. O 919 Hybrid #14 do trio Romain Dumas/Neel Jani/Marc Lieb fez uma longa parada de 16 minutos em decorrência da perda de uma roda e da consequente quebra da suspensão dianteira esquerda e, não obstante, o protótipo do construtor de Stuttgart seria alijado da disputa por um problema hidráulico com a transmissão.

s1_1 (13)

Menos mal que o outro carro, o #20 de Mark Webber/Timo Bernhard/Brendon Hartley teve boa atuação e cumpriu uma boa prova. Foi uma excelente estreia do ex-piloto da Red Bull na Fórmula 1, logo com um pódio numa corrida cheia de percalços.

Os muitos abandonos ajudaram o velho Lola B12/60 Toyota de Nicolas Prost/Nick Heidfeld/Mathias Beche a terminar em quarto lugar. A despedida – agora parece que definitiva – do carro foi bastante honrosa. Já o outro bólido da Rebellion Racing, guiado por Fabio Leimer/Dominik Kraihamer/Andrea Belicchi, ficou pelo caminho.

s1_1 (14)

Na LMP2, a luta pela vitória foi polarizada entre o Morgan da G-Drive Racing guiado por Olivier Pla/Julien Canal/Roman Rusinov e o Oreca da KCMG conduzido por Matthew Howson/Richard Bradley/Tsugio Matsuda. Pla teve, como de hábito, uma prestação fortíssima no início, mas a trinca do time de Hong Kong mostrou qualidades e com Howson a bordo, o carro #47 chegou a liderar com uma volta de vantagem.

Porém, a bandeira amarela e a entrada do Safety Car em decorrência da batida de Tréluyer beneficiaram a tripulação da G-Drive, que descontou a volta perdida e retomou a chance de vitória. Após um pit stop, o Oreca foi punido com um stop & go por excesso de velocidade nos boxes e a situação se resolveu em favor do #26.

A estreia da SMP Racing no WEC foi bastante atribulada. Os dois carros do time russo tiveram vários problemas mecânicos no correr da disputa e o #37 acabou nocauteado com menos de 2h30 de competição. O #27 de Nicolas Minassian/Sergey Zlobin/Maurizio Mediani, mesmo após alguns contratempos, foi até o fim, mesmo nove voltas atrás da trinca vencedora da LMP2.

92win

A LMGTE-PRO assistiu no início a uma luta titânica entre a Ferrari de Gianmaria Bruni/Toni Vilander contra os Porsches do Team Manthey. O carro #51 da AF Corse não resistiu muito tempo e os carros do fabricante alemão dominaram a disputa até o seu final. A vitória foi do trio do #92, formado por Fred Makowiecki/Marco Holzer/Richard Lietz, tendo Nick Tandy/Patrick Pilet/Jörg Bergmeister em segundo.

Após um treino modesto, Darren Turner/Stefan Mücke fizeram uma boa corrida e terminaram em 3º, superando Bruni/Vilander e também Davide Rigon/James Calado, na outra Ferrari da AF Corse. O brasileiro Fernando Rees e seus parceiros Alex MacDowall e Darryl O’Young pelo menos conseguiram concluir a disputa, embora um pouco atrasados em relação aos primeiros colocados. Acabaram em 7º na classe e em 14º na geral, com 144 voltas completadas.

s1_1 (15)

A Aston Martin bisou o triunfo na LMGTE-AM, subclasse na qual vencera ano passado. O #95 de Nicki Thiim/David Heinemeier-Hänsson/Kristian Poulsen faturou a prova em dobradinha com o #98 de Paul Dalla Lana/Pedro Lamy/Christoffer Nygaard. O pódio foi completado por Sam Bird/Steve Wyatt/Michele Rugolo.

 

FIA WEC: Toyota na pole em Silverstone

toypole

RIO DE JANEIRO – Nem Porsche, nem Audi. As marcas alemãs foram batidas no treino de classificação da prova de abertura do Mundial de Endurance (FIA WEC). As 6 Horas de Silverstone começam com o novo Toyota TS040 Hybrid na frente do pelotão de 27 carros que largarão neste domingo. O carro #7 de Alex Wurz/Kazuki Nakajima/Stéphane Sarrazin foi o mais eficiente na média das quatro melhores voltas de dois dentre os três pilotos escalados e conquistou a posição de honra – 1’42″774, apenas 0″005 melhor que o Audi R18 e-tron quattro #1 revezado pelo mito Tom Kristensen e pelo francês Loïc Duval, e que terá também o brasileiro Lucas Di Grassi na pilotagem.

Dona do melhor tempo dos testes da Pré-Temporada em Paul Ricard, a Porsche acabou em terceiro com o melhor dos seus 919 Hybrid. O carro #14 guiado por Romain Dumas e Neel Jani ficou a 0″313 da pole e menos de um décimo à frente do Audi #2 guiado por Bénoit Tréluyer e Andre Lotterer.

O Toyota #8 partilhado por Anthony Davidson e Nicolas Lapierre ficou com a quinta posição, a 0″415 apenas da pole, seguido do Porsche #20 de Mark Webber e Timo Bernhard. Seis carros dentro de menos de meio segundo, antevendo um enorme equilíbrio à vista na corrida deste domingo.

Únicos carros sem ERS dentro da LMP1, os dois velhos Lola B12/60 Toyota da Rebellion Racing até que não comprometeram. Na média de voltas dos dois carros, o #13 de Kraihamer/Belicchi/Leimer fez um ótimo trabalho, ficando a apenas 1″511 da pole e batendo o #12 de Heidfeld/Prost/Beche na briga doméstica dos dois carros helvéticos.

Com apenas quatro dos sete carros previstos para o WEC, a LMP2 foi dominada pelo Morgan #26 da G-Drive Racing. O carro de Olivier Pla/Roman Rusinov/Julien Canal conseguiu a média de 1’49″156 nas quatro melhores voltas da qualificação. Como curiosidade, esse carro foi mais lento que os cinco melhores do grid do ELMS, nessa mesma pista.

O Oreca #47 da KCMG conseguiu o segundo tempo no grupo e o 10º posto geral no grid, superando os dois carros da SMP Racing, com o #37 dos russos Viktor Shaitar/Anton Ladygin/Kyrill Ladygin surpreendendo ao ficar à frente do #27 de Sergey Zlobin/Nicolas Minassian/Maurizio Mediani.

afpole

Na LMGTE-PRO e na LMGTE-AM, ótima performance da AF Corse. Duas poles para o time de Amato Ferrari, com o #51 de Gimmi Bruni/Toni Vilander se impondo na classe principal e o #81 de Steve Wyatt/Michele Rugolo/Sam Bird alcançando não só o melhor tempo da LMGTE-AM como também superando três dos sete carros inscritos na LMGTE-PRO.

Ao contrário do ano passado, a Aston Martin não foi bem na classe principal: o #97 de Darren Turner/Stefan Mücke ficou em quinto no grupo e em 18º na geral, superado também pelo pole da LMGTE-AM. Já o #99 de Alex MacDowall/Darryl O’Young/Fernando Rees foi o carro de pior desempenho da LMGTE-PRO, ficando atrás também dos dois carros do construtor inglês inscritos na LMGTE-AM. O trio do piloto brasileiro larga da 23ª posição entre 27 carros.

As 6 Horas de Silverstone têm largada programada para 8h da manhã, pelo horário de Brasília. O site do FIA WEC transmite a corrida em live streaming ao vivo e na íntegra. Embora o acesso esteja sendo cobrado (€ 19.99 pela temporada completa, exceto Le Mans e € 4.99 corrida por corrida, exceto Le Mans também) a partir deste ano, basta ao usuário cadastrar nome, e-mail e senha, não concluir a transação, abrir uma nova janela (members.fiawec.com) e voilà: a transmissão se materializa.

Quem é quem – Mundial de Endurance 2014: classe LMP1

RIO DE JANEIRO – A cereja do bolo do Mundial de Endurance (WEC) não podia faltar. Faltando poucas horas para os primeiros treinos livres das 6 Horas de Silverstone, o blog traz a apresentação das equipes que tomam parte da principal categoria, a LMP1.

Neste ano, os principais protótipos estão divididos em duas subcategorias dentro da mesma competição. Os LMP1-H (Hybrid) são os carros oficiais de fábrica dotados de ERS (Energy Recovering System). E desta vez, Audi e Toyota não estão sozinhas. A Porsche chega com um modelo dotado de motor 2 litros e quatro cilindros em linha, com turbocompressor – prometendo incomodar muito os compatriotas e aos japoneses. Os resultados do The Prologue, em Paul Ricard, mostram isso.

Em contrapartida, os carros sem ligação com times oficias de fábrica e/ou sem sistemas híbridos formam a LMP1-L (Light). Basicamente, a disputa acontecerá entre a Rebellion Racing e a Lotus, mas pelo menos em Silverstone esse confronto não vai acontecer. Além do Lotus T129 não estar ainda pronto, a Rebellion sequer estreará o novo carro, o R-One, o que acontecerá apenas em Spa, na 2ª etapa.

Fiquem de olho no carro #1 da Audi. Nele estará o brasileiro Lucas Di Grassi, que sonha em repetir o feito de Raul Boesel, até hoje o único brasileiro campeão mundial de Endurance, há 27 anos. Capacidade e condições para tanto, Lucas tem. Afinal de contas, ele será o substituto de Allan McNish, que se aposentou ao fim da última temporada.

Eis as equipes da LMP1:

AUDI SPORT TEAM JOEST
Sede: Wald-Michelbach, Alemanha
Chefe de equipe: Ralf Jüttner
Diretor técnico: Christian Reinke
Carro: Audi R18 e-tron quattro
Motor: Audi 4 litros V6 turbodiesel
Transmissão: Audi sequencial de 7 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Tom Kristensen/Loïc Duval/Lucas Di Grassi (#1) e Marcel Fässler/Bénoit Tréluyer/Andre Lotterer (#2)

img_7961

O nome do carro continua o mesmo. Mas este Audi R18 e-tron quattro é muito diferente do modelo de 2013. Uma série de mudanças foram implementadas para o protótipo do construtor alemão se encaixar dentro do novo regulamento técnico. Com 45 kg a menos, o novo e-tron quattro recebeu incrementos de aerodinâmica e mecânica, agora com um motor de 4 litros de capacidade cúbica. Entretanto, os alemães tiveram problemas com o ERS-H (Energy Recovery System-Heat), que aproveitaria a energia térmica dos exaustores internos para acionar uma espécie de turboelétrico, oferecendo mais potência e o projeto teve que ser abortado. Apenas o sistema flywheel que dá tração às rodas dianteiras continua a bordo deste carro.

Por ter um modelo movido a diesel, a Audi preferiu começar na categoria 2MJ de equivalência de tecnologia, o que pode lhe custar caro no começo. Vamos ver quais serão as consequências desta decisão. No mais, a equipe tem como única novidade entre os pilotos a estreia do brasileiro Lucas Di Grassi – e logo no carro #1 dos campeões Tom Kristensen e Loïc Duval.

TOYOTA RACING
Sede: Colônia, Alemanha
Chefe de equipe: Pascal Vasselon
Diretor técnico: John Litjens
Carro: Toyota TS040
Motor: Toyota THS-R 3,7 litros V8
Transmissão: Toyota-ZF sequencial de 7 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Alex Wurz/Stéphane Sarrazin/Kazuki Nakajima (#7) e Nicolas Lapierre/Anthony Davidson/Sébastien Buemi (#8)

4d5a9529

Em menos de duas temporadas, a Toyota conseguiu algumas vitórias no WEC, mas ainda não incomodou totalmente o poderio da Audi. Para este ano, os japoneses apostam pesado num novo projeto: o chassis TS040 Hybrid atende às especificações do regulamento para a LMP1 em 2014, com um reestudo de aerodinâmica e grandes novidades mecânicas. A adoção de um sistema híbrido capaz de gerar 480 HP extras, aliado ao motor de aspiração normal com 3,7 litros V8 de 520 HP pode fazer o protótipo alcançar 1000 HP de potência – o que para os dias de hoje é um número absurdo.

Entre os pilotos, nenhuma mudança de vulto, a não ser na formação dos trios. Alex Wurz e Kazuki Nakajima agora trabalham com Stéphane Sarrazin no carro #7. O antigo parceiro deles, Nicolas Lapierre, mudou para o #8 com Anthony Davidson e Sébastien Buemi. Será interessante ver a questão do entrosamento entre as novas formações.

PORSCHE TEAM
Sede: Weissach, Alemanha
Chefe de equipe: Andreas Seidl
Diretor técnico: Alexander Hitzinger
Carro: Porsche 919 Hybrid
Motor: Porsche 2 litros V4 turbo
Transmissão: Porsche sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Romain Dumas/Neel Jani/Marc Lieb (#14) e Timo Bernhard/Mark Webber/Brendon Hartley (#20)

4d5a9263

A Porsche volta às competições de protótipos em grande estilo. Fazendo barulho, “metendo o pé na porta” e assustando as rivais Audi e Toyota. Os vários quilômetros de teste em diversas pistas, a partir do momento em que o projeto tomou forma, pelo visto não foram em vão e o novo 919 Hybrid parece ter muito mais potencial que o esperado – apesar da solução mecânica utilizada, com um propulsor de quatro cilindros em V e apenas 2 litros.

Tal opção se baseia no fato de que a Porsche introduziu dois sistemas híbridos no seu novo carro e a acoplagem não daria certo se fosse um motor com outra configuração. O desempenho na pré-temporada foi muito bom e os tempos no The Prologue, excelentes e animadores. O plantel de pilotos mescla gente da casa e algumas novidades. A grande atração é a estreia de Mark Webber no WEC, após mais de uma década na Fórmula 1. Outras boas aquisições foram o velocíssimo Brendon Hartley e o eficiente Neel Jani. É uma equipe que, contando ainda com Romain Dumas, Timo Bernhard e Marc Lieb, promete dar muito trabalho.

LOTUS
Sede: Grëding, Alemanha
Chefe de equipe: Romulus Kolles
Diretor técnico: Paul White
Carro: Lotus T129
Motor: AER P60 V6 Biturbo
Transmissão: Ricardo sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Christijan Albers/James Rossiter/Thomas Holzer (#9)

lotus-T129

A associação Lotus-Kodewa permanece viva no WEC em 2014 apesar dos problemas envolvendo a equipe e o escritório de tecnologia ADESS AG, que pararam na justiça. Não obstante, a equipe sediada em Grëding buscou um acordo com a Audi para o uso dos motores 4 litros V8 do DTM, mas a indefinição persistiu até o fim do ano passado e o projeto do novo protótipo T129 desenhado por Paul White atrasou substancialmente por conta desta situação, contornada com um acordo costurado com a Advanced Engines Research (AER), que lançou em novembro último um motor biturbo V6 para a classe LMP1.

Como consequência, o T129 não fez nenhum teste de pré-temporada e só percorrerá suas primeiras voltas após as 6 Horas de Silverstone, buscando quilometragem para a estreia em Spa-Francorchamps. Quando entrar na pista, o carro preto terá a bordo o holandês Christijan Albers, aquele mesmo ex-Fórmula 1, ao lado de James Rossiter e Thomas Holzer.

REBELLION RACING
Sede: Derbyshire, Oriental Midlands (Inglaterra)
Chefe de equipe: Barth Hayden
Diretor técnico: Ian Smith
Carro: Rebellion R-One (Lola B12/60 em Silverstone)
Motor: Toyota RV8K 3,4 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Nicolas Prost/Nick Heidfeld/Mathias Beche (#12) e Fabio Leimer/Dominik Kraihamer/Andrea Belicchi (#13)

4d5a9602

Para não ficar de fora da festa, a Rebellion Racing – também sem carro ainda pronto a tempo da estreia – vai para Silverstone na abertura do WEC para uma honrosa despedida do Lola B12/60 com motor Toyota. O carro, utilizado pelo time de bandeira helvética e de sede britânica, recebeu autorização especial para fazer sua despedida das pistas. Já em Spa estreia o novo carro, de visual bem mais agressivo que seu antecessor.

Sem concorrência na LMP1-L em Silverstone, a Rebellion vai aproveitar a corrida deste fim de semana para entrosar a tripulação do carro #13, na qual estarão os estreantes Fabio Leimer, Dominik Kraihamer e Andrea Belicchi. O protótipo principal do time reúne Nicolas Prost ao lado de Nick Heidfeld e Mathias Beche.

Com estreia marcada para Spa, Rebellion R-One faz primeiro teste na França

R_One_SPS7544_160414

RIO DE JANEIRO – Às vésperas da abertura do Mundial de Endurance (WEC) em Silverstone, a Rebellion Racing fez o primeiro shakedown do novo protótipo do time suíço com base na Inglaterra: o Rebellion R-One com motor Toyota percorreu seus primeiros quilômetros em Paul Ricard, na França, com Mathias Beche a bordo.

Devido ao pouco tempo hábil para preparar o bólido a tempo de estrear nas 6 Horas de Silverstone, os helvéticos optaram pelo seguro: com a anuência da FIA, conseguiram autorização para alinhar neste fim de semana o velho Lola B12/60 com que disputaram as duas últimas temporadas do Mundial. Será a corrida de aposentadoria definitiva do carro construído em Huntingdon, pois a partir de Spa-Francorchamps, em maio, os pilotos do time de Alexandre Pesci e Barth Hayden vão dispor do carro construído nas modernas instalações da Oreca, vizinhas a Magny-Cours, também na França.

O novo Rebellion R-One vai à pista pela primeira vez exatos 363 dias após os primeiros ‘rabiscos’ de concepção do protótipo visando seu desenvolvimento para 2014. À primeira vista, ainda no carbono, o carro tem um visual muito agressivo na seção dianteira, repleta de defletores e com uma espécie de deriva marcando dois níveis numa frente bastante proeminente. A tomada de ar é central, acima do habitáculo e as laterais têm desenho bastante peculiar. Os engenheiros da Oreca procuraram otimizar a parte aerodinâmica do carro para torná-lo, de saída, o mais competitivo entre os protótipos LMP1 sem vínculo com equipes de fábrica.

Quem é quem – Mundial de Endurance 2014: classe LMP2

RIO DE JANEIRO – Continuamos a apresentação das escuderias inscritas no FIA World Endurance Championship. Agora é a vez dos times da LMP2, a segunda divisão dos protótipos. A subclasse, aliás, não começa bem neste campeonato.

Problemas técnicos e financeiros vêm afligindo pelo menos três equipes. A Strakka Racing, embora com o Dome S103 pronto, preferiu saltar a etapa de Silverstone e também as 6 Horas de Spa-Francorchamps, com o objetivo de dar mais confiabilidade ao novo projeto. A Millenium Racing também desfalca o grid da 1ª etapa porque um dos apoiadores falhou o pagamento. E os russos da SMP Racing têm sofrido por tabela com as sanções impostas por UE e EUA ao governo de Vladimir Putin por conta da luta da Rússia contra a Ucrânia pela Crimeia. Mesmo assim, os carros do time que tem assistência da AF Corse estão na abertura do campeonato.

Com os forfaits de Strakka e Millenium, apenas quatro dos sete inscritos abrem a temporada – o que é lamentável. Em Spa, por conta da preparação para as 24 Horas de Le Mans, são aguardados vários carros do ELMS na pista belga.

Eis as equipes da LMP2 no WEC:

STRAKKA RACING
Sede: Silverstone, Northants (Inglaterra)
Chefe de equipe: Karl Patman
Diretor técnico: Piers Phillips
Carro: Dome Strakka S103
Motor: Nissan VK45DE 4,5 litros V8
Transmissão: Ricardo sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Danny Watts/Nick Leventis/Jonny Kane (#21)

AU1152602

O regresso da Strakka às competições de Endurance após os problemas enfrentados em 2013 com seu projeto de LMP1 era aguardado com grande expectativa. A parceria com a Dome foi consumada e o desenvolvimento de um novo protótipo foi feito no tempo esperado. Mas faltaram testes dinâmicos suficientes para auferir confiabilidade ao novo S103 e o carro não foi visto no The Prologue em Paul Ricard. A decepção veio com a confirmação de que o Dome não será visto nas pistas pelo menos até o Journée Test das 24 Horas de Le Mans, o que fará com que a Strakka tenha que trabalhar, pelo resto do campeonato, com a limitação de apenas dois motores.

MILLENIUM RACING
Sede: Silverstone, Northants (Inglaterra)
Chefe de equipe: Simon Dowson
Diretor técnico: Nick Carpenter
Carro: Oreca 03
Motor: Nissan VK45DE 4,5 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Dunlop
Pilotos: John Martin/Fabién Giroix/Oliver Turvey (#22) e Stefan Johansson/Mike Conway/Shinji Nakano (#23)

mil

O projeto da Millenium Racing, em parceria com a Delta Motorsports de Simon Dowson é ambicioso. A equipe se inscreveu para o WEC com dois Oreca 03 com motor Nissan, mas nenhum dos carros será visto em Silverstone, após boas performances no The Prologue, em Paul Ricard. O dinheiro que viria do fundo de investimentos OMD, dos Emirados Árabes, não foi depositado no prazo aguardado e a Millenium Racing, que tinha feito o shakedown de seus protótipos num campo de pouso de aeronaves lá mesmo na Inglaterra, se viu forçada a adiar sua estreia para Spa. O plantel de pilotos mescla experiência e velocidade, com nomes que passaram pela Fórmula 1 feito os veteranos Stefan Johansson e Shinji Nakano, junto aos promissores John Martin e Oliver Turvey. Mike Conway, emprestado pela Toyota, participa do campeonato também. Fabién Giroix, que se associou à Delta Motorsports a partir do Bahrein, completa o lineup de pilotos.

G-DRIVE RACING
Sede: Moscou, Rússia
Chefe de equipe: Philippe Dumas
Diretor técnico: Thierry Bouvet
Carro: Morgan LMP2
Motor: Nissan VK45DE 4,5 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Dunlop
Pilotos: Roman Rusinov/Julien Canal/Olivier Pla (#26)

Onroak Automotive is aiming for another title with G-Drive Racin

Com financiamento vindo da Rússia, a G-Drive Racing se apresenta para seu terceiro campeonato seguido no WEC. Depois de se associar à Signatech em 2012 e ao time de Simon Dowson e Alan Docking na última temporada, neste ano a empresa do grupo Gazprom formou uma parceria com a OAK Racing. Por isso, o time vem com os chassis Morgan comercializados pela Onroak Automotive de Jacques Nicolet, que cedeu engenheiros, mecânicos e pessoal técnico para a empreitada. Nos testes, o carro andou bem. Roman Rusinov, que traz o valioso patrocínio, entra no campeonato ao lado do ótimo francês Olivier Pla e de Julien Canal, que sobe da LMGTE-AM, na qual corria pela Larbre Competition, para a LMP2.

SMP RACING
Sede: Moscou, Rússia
Chefe de equipe: Boris Rotemberg
Diretor técnico: Benjamin Durand
Carro: Oreca 03
Motor: Nissan VK45DE 4,5 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin
Pilotos: Sergey Zlobin/Nicolas Minassian/Maurizio Mediani (#27) e Viktor Shaitar/Kyrill Ladygin/Anton Ladygin (#37)

4d5a8692

Mesmo com os problemas decorrentes das sanções governamentais aos empreendimentos russos no exterior, a SMP Racing conseguiu, a muito custo, confirmar sua participação nas 6 Horas de Silverstone e a ausência de mais dois carros além dos três que ficaram fora seria um vexame histórico. Com o apoio da AF Corse, os russos chegam ao WEC com dois carros e muita vontade de fazer bonito. A experiência de Nicolas Minassian será o ponto chave do sucesso do carro #27, que ainda terá Sergey Zlobin e Maurizio Mediani. Estes dois últimos competiram juntos em algumas provas no ELMS e ainda darão duplo expediente em Silverstone, correndo também de Ferrari GT no Europeu. O trio do #37 é 100% composto por pilotos russos, com os irmãos Kyrill e Anton Ladygin, mais Viktor Shaitar.

KCMG RACING
Sede: Kowloon, Hong Kong
Chefe de equipe: Maarten De Busser
Diretor técnico: Maarten De Busser
Carro: Oreca 03
Motor: Nissan VK45DE 4,5 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Dunlop
Pilotos: Matthew Howson/Richard Bradley/Tsugio Matsuda (#47)

4d5a9012

Após duas aparições no WEC ano passado, incluindo uma visita às 24 Horas de Le Mans, a equipe KCMG, com sede em Hong Kong, agora encara o Mundial de Endurance como seu principal desafio para a temporada 2014. Como preparação, uma boa participação no Asian Le Mans Series, no qual brigaram de igual para igual com a OAK Racing pelo título na LMP2. Neste ano, trocam o chassis Morgan pelo Oreca, trazendo como novidade o engenheiro Maarten De Busser, que acumula os papéis de chefe de equipe e diretor técnico do time fundado por Paul Ip. Em Silverstone, o japonês Tsugio Matsuda se junta aos britânicos Matthew Howson e Richard Bradley na prova de abertura. Alexandre Imperatori fechou para disputar cinco das corridas restantes do calendário – Le Mans inclusive.

Sinal de alerta

4427020140415085247

RIO DE JANEIRO – A crise recorrente envolvendo Rússia e Ucrânia pela posse da Crimeia pode trazer sérias consequências para o investimento de um grupo russo no automobilismo. Informa o piloto e diretor esportivo da SMP Racing Sergey Zlobin que as contas bancárias do time estão bloqueadas.

A SMP Racing é do banqueiro Boris Rotemberg, cuja fortuna, avaliada em US$ 1,7 bilhão pela Forbes o deixa entre as principais pessoas físicas mais ricas do mundo. Além do investimento no esporte a motor, uma paixão do argentário – que é inclusive amigo pessoal do presidente russo Vladimir Putin, Rotemberg tornou-se o acionista majoritário do Dynamo Moscou, tradicional clube de futebol de seu país. A SMP Racing surgiu há dois anos e vem conquistando espaço nas provas de Endurance – tanto que dois carros com as cores vermelha, azul e branca estão inscritos e prontos para a disputa das 6 Horas de Silverstone na abertura do WEC, no próximo domingo. Isso sem contar quatro Ferrari F458 Italia, três na LMGTC e uma na LMGTE, para a temporada do European Le Mans Series.

Por conta do bloqueio das contas internacionais dos russos, imposto pela União Europeia e pelo governo de Barack Obama como uma forma nada sutil de pressão pelo fim da ação militar da Rússia em território ucraniano – e que pode acabar numa guerra civil, um promissor programa de motorsport pode ir por água abaixo, sem mais nem menos.

A área de ação de Rotemberg no esporte contempla inclusive a Fórmula Indy. A SMP Racing estampa suas cores num dos carros do time de Sam Schmidt, conduzido por Mikhail Aleshin. Também são eles quem pagam as contas de Sergey Sirotkin como piloto reserva e de testes da Sauber, além da participação do jovem piloto na World Series by Renault.

Mas há ainda que se pagar fornecedores, funcionários e o aluguel das garagens nas quais estão os carros do WEC e ELMS. A AF Corse é um exemplo de credora da SMP Racing e se falhar o pagamento, os protótipos Oreca 03 Nissan LMP2 poderão não ser mais vistos nas pistas em breve.

Dentro do prisma atual, é bem difícil que o esporte seja usado como massa de manobra para que uma situação grave como esta seja solucionada. É algo que vai além da esfera automobilística. Envolve ego e poder. Mas pode custar caro, muito caro.

Os aficionados esperam por uma resolução rápida e pacífica desta crise. Caso contrário, a debandada da SMP Racing será terrível para o desenvolvimento do automobilismo russo, para os empregados do time e também para os pilotos – quer sejam daquele país ou os estrangeiros que foram contratados para 2014.

Quem é quem – Mundial de Endurance 2014: equipes LMGTE-PRO

RIO DE JANEIRO – O blog volta a apresentar as equipes do Mundial de Endurance 2014. É a hora e a vez da turma da LMGTE-PRO, dos pilotos profissionais e dos carros que sofreram os últimos upgrades visando uma temporada que promete ser das mais equilibradas e disputadas.

Quatro equipes apresentam-se para a disputa – RAM Racing, Porsche AG Team Manthey, AF Corse e Aston Martin Racing. A novidade é a vinda do time campeão do ELMS, que se junta aos antigos participantes do WEC. Já quanto às marcas, nada muda: a briga será, mais uma vez, entre Ferrari, Porsche e Aston Martin. No prólogo, houve algum equilíbrio entre as duas primeiras. A Aston Martin apenas trabalhou com a trinca do carro #99, buscando entrosamento entre os novos pilotos.

Vamos às equipes participantes da LMGTE-PRO, portanto:

RAM RACING
Sede: Silverstone, Northamptonshire (Grã-Bretanha)
Chefe de equipe: Dan Shufflebottom
Diretor técnico: Mark Schomann
Carro: Ferrari F458 Italia
Motor: Ferrari F142 4,5 litros V8
Transmissão: Hewland sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a8742Novidade na LMGTE-PRO em 2014, a RAM Racing entra como a segunda equipe representante da Ferrari no FIA WEC nesta divisão. O time de Dan Shufflebottom tem como principal trunfo, fora da pista, o trabalho do competente engenheiro Mark Schomann, que já serviu a diversas escuderias nos EUA. Matt Griffin, irlandês de 31 anos, permanece como titular do time. Seu parceiro neste fim de semana será o veloz português Álvaro Parente, de 29 anos. Com a anuência da McLaren, com quem o piloto tem um contrato de test driver, ele faz sua estreia no WEC neste fim de semana.

AF CORSE
Sede: Piacenza, Itália
Chefe de equipe: Amato Ferrari
Diretor técnico: Luigi Urbinelli
Carro: Ferrari F458 Italia
Motor: Ferrari F142 4,5 litros V8
Transmissão: Hewland sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a9254 (1)

Campeã da última temporada graças a Gianmaria Bruni, a AF Corse segue como uma das principais equipes da LMGTE-PRO e, logicamente, é uma das favoritas ao título deste ano. O time italiano apresenta algumas mudanças substanciais em relação a 2013, no que diz respeito às formações de pilotos. Como Giancarlo Fisichella tomou o rumo dos EUA e Kamui Kobayashi optou por regressar à Fórmula 1, Amato Ferrari reorganizou suas duplas: trouxe o ótimo finlandês Toni Vilander para compor a dupla do #51 com Gianmaria Bruni e no carro #71, uma formação rejuvenescida: Davide Rigon, contratado do programa de pilotos da Ferrari, ascende à LMGTE-PRO ao lado do recém-chegado James Calado, antigo piloto da GP2 Series e que guiou várias vezes os carros da Force India na categoria máxima. É uma equipe com potencial para assustar Porsche e Aston Martin, mais uma vez.

PORSCHE AG TEAM MANTHEY
Sede: Meuspath, Alemanha
Chefe de equipe: Harmut Kristen
Diretor técnico: Olaf Manthey
Carro: Porsche 911 (991) GT3 RSR
Motor: Porsche 4 litros Flat 6
Transmissão: Porsche sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a9250Em seu segundo ano na LMGTE-PRO, a Porsche vem com força total para impedir mais um título da Ferrari na divisão. O carro de 2014 estreou com as novas especificações no Bahrein ano passado e revelou-se competitivo de saída. Para a próxima temporada, que se inicia no domingo, o objetivo é conquistar bem mais do que a vitória nas 24 Horas de Le Mans. Para isso, a casa de Stuttgart confiará seus dois carros a um time muito forte de pilotos. Os titulares fixos do #91 serão Patrick Pilet e Jörg Bergmeister, enquanto Nick Tandy disputa as provas de Silverstone, Spa-Francorchamps e Le Mans. Já no #92, a pilotagem ficará a cargo de Marco Holzer e do recém-chegado Fred Makowiecki, que vem da Aston Martin. Richard Lietz completa a tripulação nas três primeiras provas do WEC.

ASTON MARTIN RACING
Sede: Banbury, Oxfordshire (Grã-Bretanha)
Chefe de equipe: John Gaw
Diretor técnico: Dan Sayers
Carro: Aston Martin Vantage GTE
Motor: Aston Martin 4,5 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a8750No bojo da última temporada, a Aston Martin acabou por ter mais dividendos do que lucros. Não obstante a morte trágica de Allan Simonsen no início das 24 Horas de Le Mans, a equipe perdeu o título mundial de construtores e não foi capaz de oferecer a qualquer um de seus pilotos a possibilidade de ganhar na LMGTE-PRO. Apesar dos revezes, os ânimos estão renovados para 2014. Para este ano, a AMR optou por uma separação de esquemas. O time do #97, de Darren Turner e Stefan Mücke segue assistido diretamente pela fábrica. Já o #99, que conta com uma tripulação 100% nova, formada pelo britânico Alex MacDowall, por Darryl O’Young e pelo brasileiro Fernando Rees, entra na temporada do WEC com assistência dividida entre a Bamboo Engineering e a Craft Racing, que solidificaram uma parceria tecnológica para este ano.

 

Lotus fora das 6 Horas de Silverstone

WEC2014-Lotus-LMP1-WECimage-600x337

RIO DE JANEIRO – O site DailySportscar.com traz a notícia que era mais ou menos aguardada no Mundial de Endurance, diante da falta de informações a respeito do projeto LMP1 da Lotus: o novo protótipo T129 não será visto nas 6 Horas de Silverstone, prova de abertura do FIA WEC, marcada para o próximo dia 20 de abril.

O projeto de Paul White, totalmente novo – ao contrário do que se pensava, não é uma simples evolução do T128 da LMP2 alinhado em 2013 – foi concebido a princípio para receber um motor V8 naturalmente aspirado, mas o fornecedor “roeu a corda” e foi feito um acordo com a Advanced Engines Research (AER), que projetou um V6 turbo – o AER P60 para a classe LMP1. Esta indefinição quanto ao propulsor atrasou o desenvolvimento do carro e, posteriormente, toda a preparação para a temporada deste ano.

Boris Bermes, chefe de operações da Lotus na Endurance, diz que a equipe permanece focada no esforço de levar o novo T129 a estrear em maio, nas 6 Horas de Spa-Francorchamps.

“Foi realmente frustrante romper com o nosso fornecedor original de motor (n. do blog: o fornecedor não foi revelado pela Lotus) e nós só fomos notificados de que não teríamos os motores a tempo em dezembro. Rapidamente tomamos a decisão de trabalhar com a AER e estamos muito felizes com a colaboração atual. Desde a mudança de fornecedor, trabalhamos incansavelmente para que o novo Lotus LMP1 esteja pronto o mais rápido possível”, afiançou o dirigente.

“Decidimos optar pela cautela e nos comprometer a fazer as coisas do modo correto. Nosso shakedown será na semana seguinte à corrida de Silverstone, visando a estreia em Spa. Temos uma equipe competente e a confiança de que este atraso na estreia não vai nos deter mais”, garante Bermes.

Comitê de Endurance da FIA define fluxo de combustível e equivalência de tecnologia da LMP1

MOTORSPORT : FIA WEC PROLOGUE - LE CASTELLET (FRA) 03/27/2014

RIO DE JANEIRO – A complexa equação do fluxo de combustível dos protótipos LMP1-Hybrid do Mundial de Endurance (FIA WEC) e a equivalência de tecnologia entre os modelos Audi, Porsche e Toyota foi finalmente revelada pelo Comitê de Endurance da FIA nesta quinta-feira.

Após a coleta dos dados recolhidos pelos fabricantes no Prólogo da temporada 2014 em Paul Ricard, os homens da FIA concluíram o EoT entre os modelos diesel da Audi e os protótipos a gasolina de Porsche e Toyota. Em dezembro, foi publicada a primeira tabela, que acaba revista quatro meses depois, por conta dos testes coletivos. Toyota e Porsche serão fortemente beneficiados na tabela de energia dispendida por volta, com um incremento na capacidade de combustível dos bólidos.

Para a Audi, não é a melhor das situações. O construtor alemão, que optou por um sistema ERS (Energy Recovering System) na categoria 2MJ por volta, enfrentará redução na tabela de energia e também na capacidade de combustível do R18 e-tron quattro. Porsche e Toyota optaram pela categoria 6 MJ/volta.

Em números, isso significa o seguinte: a Audi trabalhará com 1.34 MJ de ERS nas 6 Horas de Silverstone, podendo ter um fluxo de combustível de 80,2 kg/hora de diesel. Porsche e Toyota virão com 4.02 MJ de ERS e 89,5 kg/hora no fluxo de gasolina. Em Spa-Francorchamps e Le Mans, os números voltam a sofrer modificações de acordo com o comprimento do traçado de ambas as pistas. E assim será até a 3ª etapa, porque o EoT volta a sofrer mudanças apenas para a corrida de Austin, em setembro.

Confira no link o boletim do Comitê de Endurance da FIA

Quem é quem – Mundial de Endurance 2014: equipes LMGTE-AM

RIO DE JANEIRO – Está dada a largada para mais um “Quem é Quem” apresentando as equipes e os pilotos do Campeonato Mundial de Endurance (WEC), que começa no próximo dia 20 com as 6 Horas de Silverstone. Vamos começar com a segunda subclasse de Grã-Turismo, a LMGTE-AM.

O regulamento desportivo prevê a participação de pelo menos um piloto com graduação ouro ou platina ao lado de dois pilotos com graduação prata e/ou bronze. Na parte técnica, os carros desta subdivisão têm que ser homologados até 2013, o que impediu, por exemplo, a participação do Corvette C7-R, que estreou somente neste ano.

Vamos às equipes participantes da classe LMGTE-AM:

RAM RACING
Sede: Silverstone, Northamptonshire (Grã-Bretanha)
Chefe de equipe: Dan Shufflebottom
Diretor técnico: Mark Schomann
Carro: Ferrari F458 Italia
Motor: Ferrari F142 4,5 litros V8
Transmissão: Hewland sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a9199

Após o título no European Le Mans Series, a RAM Racing, equipe que já esteve na Fórmula 1 nos anos 70/80, chega ao WEC com dois carros – força máxima na competição. Uma das Ferrari do time com sede em Silverstone vem para a LMGTE-AM com um trio de pilotos formado pelo britânico Johnny Mowlem, de 45 anos, pelo também britânico Ben Collins – o antigo The Stig na série de TV “Top Gear”, do canal BBC, de 39 anos e o estadunidense Mark Patterson, o mais velho entre os participantes da prova de estreia do WEC em 2014, com 62 anos.

AF CORSE
Sede: Piacenza, Itália
Chefe de equipe: Amato Ferrari
Diretor técnico: Luigi Urbinelli
Carro: Ferrari F458 Italia
Motor: Ferrari F142 4,5 litros V8
Transmissão: Hewland sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a9060

Concorrente tradicional do FIA WEC, a AF Corse volta à carga com seu múltiplo empenho na competição, alinhando dois carros na classe LMGTE-AM como também prestando assistência ao time de Enzo Potolicchio, que também anda com Ferrari nesta temporada. O time tem novidades no âmbito da escalação dos pilotos. O carro #61 terá o argentino Luis Perez-Companc, de 42 anos, que vinha disputando a LMP2 com um protótipo Oreca 03, ao lado dos italianos Mirko Venturi, de 32 anos e Marco Cioci, de 38.

No carro #81, sangue novo: o britânico Sam Bird, oriundo da GP2 Series, faz sua estreia neste ano. O piloto de 27 anos terá como colegas de pilotagem o australiano Steve Wyatt, que também debuta no FIA WEC e o italiano Michele Rugolo, de 31 anos.

PROSPEED COMPETITON
Sede: Gräce-Hollogne, Bélgica
Chefe de equipe: Rudi Penders
Diretor técnico: Luc Goris
Carro: Porsche 911 (997) GT3 RSR
Motor: Porsche 4 litros Flat 6
Transmissão: Porsche sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a8922

Um reforço bem-vindo ao FIA WEC: a equipe belga Prospeed Competition, com sede em Gräce-Hollogne, se empenha para um ano de estreia digno no Mundial com um Porsche 911 spec 997. Para isso, o time dirigido por Rudi Penders e que conta com o experiente técnico Luc Goris como seu elemento-chave nos bastidores, traz o veterano Emmanuel Collard, piloto francês de 43 anos, para correr ao lado de outros dois representantes da Terra da Bastilha: o gentlemen driver François Perrodo, 37 anos e Matthieu Vaxivière, de apenas 19.

PROTON COMPETITION
Sede: Ummendorf, Alemanha
Chefe de equipe: Christian Ried
Diretor técnico: Michael Ried
Carro: Porsche 911 (991) GT3 RSR
Motor: Porsche 4 litros Flat 6
Transmissão: Porsche sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a9356 (1)

Outra familiar concorrente do FIA WEC, a escuderia alemã Proton Competition volta às pistas em 2014 com diversas novidades. A principal delas é na parte técnica: o “novo” 911 (991) GT3 RSR é o mais saudado dos reforços que o time de Ummendorf apresenta para o campeonato que se inicia neste mês. Entre os pilotos, duas caras novas: o austríaco Klaus Bachler, de 22 anos e com pinta de promessa, se junta ao representante dos Emirados Árabes Khaled Al Qubaisi, 38 anos, nesta campanha do WEC com Christian Ried, 35 anos e também chefe de equipe.

8STAR MOTORSPORTS
Sede: Pompano Beach, Flórida (EUA)
Chefe de equipe: Enzo Potolicchio
Diretor técnico: Jacopo Fedele
Carro: Ferrari F458 Italia
Motor: Ferrari F142 4,5 litros V8
Transmissão: Hewland sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a8575 (1)

Após enfrentar alguns dissabores com relação à interpretação das regras desportivas no Mundial de Endurance do ano passado, a 8Star Motorsports está de volta com ânimo renovado para a temporada 2014. Com problemas de perda de patrocínio, o venezuelano Enzo Potolicchio – piloto e chefe de equipe – trabalhará com dois novos pilotos, que completaram o orçamento, ambos italianos e que vêm da Proton Competition, pela qual competiram em 2012 e 2013: Gianluca Roda, de 54 anos e Paolo Ruberti, de 38 anos.

ASTON MARTIN RACING
Sede: Banbury, Oxfordshire (Grã-Bretanha)
Chefe de equipe: John Gaw
Diretor técnico: Dan Sayers
Carro: Aston Martin Vantage GTE
Motor: Aston Martin 4,5 litros V8
Transmissão: Xtrac sequencial de 6 marchas
Pneus: Michelin

4d5a9974

Em 2013, ano do centenário da tradicional marca britânica, a Aston Martin Racing entrou com tudo no FIA WEC para ser campeã das duas subdivisões de Grã-Turismo. Graças a algumas brechas de regulamento, o Vantage V8 foi o carro mais competitivo no início do campeonato, mas acabou sucumbindo à Porsche em Le Mans e à Ferrari no fim do campeonato. Como prêmio de consolação, Jamie Campbell-Walter e Stuart Hall levaram o título de pilotos na LMGTE-AM num ano particularmente difícil após a morte de Allan Simonsen em Sarthe.

O time vai com dois carros na primeira etapa: o #95 é 100% dinamarquês, com Nicki Thiim e Kristian Poulsen recebendo o recém-chegado David Heinemeier-Hänsson, ex-integrante da OAK Racing na classe LMP2. O #98 conta com o canadense Paul Dalla Lana, ao lado do experiente português Pedro Lamy e do dinamarquês Christoffer Nygaard.

Eis o novo HPD LMP2

arx04bRIO DE JANEIRO – Sem previsão de desenvolvimento de um novo protótipo para a classe LMP1, a HPD (leia-se Honda Performance Development) concentra esforços no desenvolvimento e produção de um esporte-protótipo para a divisão LMP2. Quem trouxe o croqui do novo carro foi o competente e bem-informado jornalista John Dagys, no excelente site Sportscar365, com link aqui no lado direito do blog.

Batizado HPD ARX-04b, o novo carro é o segundo LMP2 de uma nova leva de modelos Coupé para esta subclasse. Será concorrente direto do Ligier JS P2 produzido pela Onroak Automotive e do Oreca 05 Coupe, cuja estreia acontece também em 2015, assim como o modelo do fabricante nipônico.

O protótipo é o primeiro carro novo construído pela Wirth Research a pedido da Honda em cinco anos, desde o lançamento do HPD ARX-01 que, por força de regulamento foi ‘transmutado’ em HPD ARX-03. O desenvolvimento está em andamento e até o fim do ano, espera-se que o HPD ARX-04b – que terá o motor 2,8 litros V-6 biturbo a impulsioná-lo – esteja em testes visando a estreia nas 24 Horas de Daytona.

A Honda Racing não deverá ter dificuldades de obter clientes interessadas neste novo projeto. Já existem negociações com possíveis times para comprar o carro e usá-lo no Tudor United SportsCar Championship e, lógico, o construtor mira os mercados europeu, mundial e asiático com as séries ELMS, FIA WEC e AsLMS.

Comitê de Endurance da FIA confirma ajustes no BoP dos Grã-Turismo e especificações do Lola-Toyota para Silverstone

RIO DE JANEIRO – A Comissão de Endurance da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou as alterações no chamado Balance of Performance (BoP) de alguns modelos Grã-Turismo para o início do WEC daqui a alguns dias em Silverstone. As mudanças serão mais profundas no Aston Martin Vantage GTE e no Porsches 911 GT3 RSR, tanto na versão 997 quanto na 991.

img_0766

Após o Prólogo em Paul Ricard, foi decidido que os Aston Martin spec 2014 da classe LMGTE-PRO e spec 2013 da LMGTE-AM vêm com um decréscimo de peso de 15 kg em relação aos valores do ano passado. A altura do carro em relação ao solo foi aumentada em 5mm, o que deixa os modelos do construtor britânico dentro do limite de 55mm exigido pelo regulamento. Ano passado não era assim (o carro andava fora da altura mínima), mas a FIA concedeu um beneplácito que trouxe muita discussão no correr do último campeonato.

Também para os modelos da LMGTE-AM da Aston Martin haverá um incremento de 0,3 mm no diâmetro do restritor de ar do motor V8 do bólido e cinco litros a mais no tanque de combustível.

4d5a9356

Entre os Porsches, os novos 991 correrão em Silverstone com a mesma configuração técnica já adotada nas 6 Horas do Bahrein, última corrida do ano passado. Já os 997 vão poder correr com uma restrição de ar 0,6 mm maior que em 2013.

O Comitê de Endurance também deliberou sobre o Lola B12/60 Toyota da Rebellion Racing, que ainda será visto na pista britânica enquanto o novo Rebellion R-One, desenvolvido pela Oreca, não fica pronto – o que acontecerá apenas para maio, nas 6 Horas de Spa-Francorchamps.4d5a9602

De acordo com a decisão da FIA, o protótipo LMP1-L do time anglo-helvético poderá correr com restrição de 44,4mm na entrada de ar do motor Toyota V-8 que equipa os carros do time. O peso mínimo do protótipo será de 890 kg e o tanque de combustível armazenará 83 litros de gasolina.

As equipes oficiais de fábrica da classe LMP1-H já sabem qual será a alocação do fluxo de combustível de seus carros para as primeiras provas da temporada, mas esses dados ainda não foram publicados, assim como possíveis mudanças no BoP da classe LMP2. Entre os protótipos da classe principal será adotado o princípio do EoT – Equivalence of Technology.