2008 DKR: a arma da Peugeot para o Rali Dakar

peugeot-2008-dkr-photos-officielles-video-4-620x400

RIO DE JANEIRO – Quase duas décadas e meia após a última vitória da marca no Rali Dakar, a Peugeot apresentou oficialmente nesta terça-feira o carro com que a montadora francesa regressa à competição mais tradicional do mundo do off-road.

Com linhas futuristas e visual ultra agressivo, parecendo sair de um filme da saga Mad Max, o 2008 DKR será o carro que vem para tentar incomodar o domínio recente dos Mini All4Racing, com plataforma e motor BMW diesel. Ao contrário da rival, a Peugeot construirá absolutamente tudo: chassi, carroceria, motor e transmissão. Apenas os pneus e combustíveis são de empresas parceiras: a Michelin e a Total, leia-se Elf.

Os detalhes técnicos não foram ainda revelados. Sabe-se que o 2008 DKR é equipado com tração total nas quatro rodas, para poder driblar os inúmeros desafios das trilhas do Rali Dakar e será movido a diesel assim como os Mini. O novo carro já tem dois pilotos conhecidos: o espanhol Carlos “El Matador” Sainz e Cyril Després, que trocou as duas pelas quatro rodas após ganhar quatro vezes a competição entre os motociclistas.

Contudo, a Autosport, bíblia do automobilismo internacional, garante que Stéphane Peterhansel, o maior vencedor da história da competição, também fará parte da equipe num terceiro carro.

A ver.

Anúncios

ASO oficializa a rota do Rali Dakar 2015

parcours-carte

RIO DE JANEIRO – No último dia 1º de abril, a Amaury Sports Organisation (ASO), responsável pelo Rali Dakar, oficializou o percurso completo para a edição do evento em 2015, marcada para passar em três países da América do Sul – Argentina, Chile e Bolívia – em formato “laço”, com partida e chegada na capital Buenos Aires.

Após o levantamento feito pelo braço direito David Castera, o diretor de percurso do evento, Etienne Lavigne, o homem-forte do Dakar, fez o comunicado lá mesmo em Buenos Aires, onde o evento terá início em 4 de janeiro.

Serão 13 etapas e 14 dias de provas, com o formato inédito adotado de dois dias diferentes de descanso. Pilotos e navegadores de carros e caminhões terão o dia 10 de janeiro de 2015 como um dia de pausa nas trilhas. Já a jornada para pilotos de motos e quadriciclos será dia 12. Tudo em Iquique, no Chile.

Vamos ao percurso oficial do Rali Dakar 2015:

Largada promocional – 3 de janeiro
Buenos Aires (Plaza de Mayo)

1º dia – 4 de janeiro
Buenos Aires-Villa Carlos Paz (Córdoba)

2º dia – 5 de janeiro
Villa Carlos Paz (Córdoba)-San Juan

3º dia – 6 de janeiro
San Juan-Chilecito

4º dia – 7 de janeiro
Chilecito-Copiapó

5º dia – 8 de janeiro
Copiapó-Antofagasta

6º dia – 9 de janeiro
Antofagasta-Iquique

7º dia – 10 de janeiro
Iquique (descanso carros/caminhões); Iquique-Uyuni (motos/quads)

8º dia – 11 de janeiro
Iquique-Uyuni (carros/caminhões); Uyuni-Iquique (motos/quads)

9º dia – 12 de janeiro
Iquique (descanso motos/quads); Uyuni-Iquique (carros/caminhões)

10º dia – 13 de janeiro
Iquique-Calama

11º dia – 14 de janeiro
Calama-Salta

12º dia – 15 de janeiro
Salta-Termas de Río Hondo

13º dia – 16 de janeiro
Termas de Río Hondo-Rosario

14º dia – 17 de janeiro
Rosario-Buenos Aires

O novo rugido do Leão

RIO DE JANEIRO – Quatro vezes campeã do Rali Dakar no fim dos anos 80 e início dos 90, a Peugeot está de volta ao desafio do maior evento off-road do mundo. A reboque do anúncio do percurso da prova para o ano de 2015, a montadora francesa, hoje pertencente ao grupo PSA, confirmou que está montando uma super equipe para derrotar a Mini e seu All4Racing, com mecânica e plataforma BMW diesel.

Após o grande sucesso da marca nas competições de Rali de Velocidade, nos áureos e perigosos tempos dos carros do chamado Grupo B, no qual a tragédia com Henri Toivonen/Sergio Cresto no Tour de Corse fez a montadora se direcionar ao Rali Dakar, a Peugeot foi a grande dominadora desta prova entre 1987 e 1990. Um redivivo Ari Vatanen, que sobrevivera a um pavoroso acidente no Rali da Argentina de 1986, venceu pela primeira vez a prova com um Peugeot 205 T16, carro substituído pelo 405 T16 no ano seguinte, ganho por outro finlandês, Juha Kankkunen. Vatanen venceu no polêmico ano de 1989 e também em 1990, ano em que a marca direcionou seus investimentos para a construção de um protótipo de Endurance e abandonou os ralis.

Agora, praticamente 25 anos após a última vitória, ouve-se ao longe o rugido do Leão. Segundo a imprensa francesa, a Total (leia-se Elf) e a Red Bull estão abraçando o projeto, do qual já faz parte “El Matador” Carlos Sainz, o primeiro piloto oficialmente anunciado e com um contrato de três anos com a Peugeot. Tudo indica que vem por aí um supertime, pois Stéphane Peterhansel, insatisfeito com o resultado do Rali Dakar neste ano, pode trocar a Mini pelo construtor francês. Aliás, pensou-se que Peter, onze vezes campeão do Dakar em motos e carros, seria o primeiro anunciado – mas até agora não houve um acerto oficial.

A surpresa, contudo, é a confirmação de Cyril Despres como novo piloto Peugeot nos carros. O francês de 39 anos deixa as motocicletas, que o fizeram ser campeão do Dakar em cinco oportunidades (2005, 2007, 2010, 2012 e 2013), numa mudança previsível – posto que vários pilotos de moto passam das duas às quatro rodas. O que é surpresa é a vinda de Despres após assinar um contrato para desenvolver a Yamaha e tentar devolver a marca dos três diapasões ao topo do pódio. Neste ano, o francês chegou em 4º lugar, atrás de Marc Coma, Jordi Viladoms e Olivier Pain – que pelo visto passa a ser o principal piloto da Yamaha nas motocicletas.

ASO anuncia percurso do Rali Dakar 2015

parcours-carte

RIO DE JANEIRO – A sétima edição do Rali Dakar em território sul-americano já tem percurso conhecido. A Amaury Sports Organisation (ASO) anunciou hoje em Paris, na França, a rota da maior competição off-road do planeta. Tal como neste ano, os competidores passarão por Argentina, Bolívia e Chile – mas com substanciais mudanças em relação a 2014.

A começar que a largada volta à capital da Argentina. Buenos Aires recebe os veículos das quatro categorias em disputa – carros, motos, caminhões e quadriciclos – com a largada promocional marcada para 3 de janeiro em frente à Casa Rosada, sede do governo, na Praça de Maio. O Rali Dakar propriamente dito inicia no dia seguinte e vai até 17 de janeiro.

Desta vez, a ASO programou quatro etapas em solo boliviano – neste ano foram apenas duas especiais no país governado por Evo Morales – no que indica um maior investimento deles na passagem do Rali Dakar naquele território. Em 2015, ao contrário do que aconteceu na última edição, carros e caminhões vão fazer trechos cronometrados na Bolívia.

E como parte de uma nova rota, a organização anunciou também a separação do chamado Rest Day, o dia de descanso, em duas partes. Carros e caminhões numa ocasião (10 de janeiro), motos e quadriciclos noutra (dois dias depois). A ASO também bateu o martelo quanto à realização de etapas maratona. Haverá especiais do gênero para todas as categorias, desta vez.

Após a passagem por Iquique, os competidores sobem rumo ao norte do Chile e depois atravessam a Bolívia de volta ao território argentino. A chegada será também em Buenos Aires.

A equipe da organização, chefiada por David Castera, vai começar o trabalho de levantamento de percurso e em breve será revelada a rota definitiva do Rali Dakar 2015, que terá cerca de 9 mil km percorridos em duas semanas no território sul-americano.

Time forte

RIO DE JANEIRO – Informa a turma do site da revista francesa Auto Hebdo que a Peugeot não está para brincadeiras com relação ao projeto de uma equipe para desafiar a Mini no Rali Dakar 2015.

p-20131121-00179news-bf42

Após a contratação do multicampeão Stéphane Peterhansel, os gauleses fecharam com ninguém menos que Carlos Sainz. “El Matador”, de 51 anos, assinou por um período de três anos, conforme as informações vindas da Europa. Não se sabe ainda sobre o futuro do espanhol dentro da Volkswagen, com quem tem um contrato de conselheiro desportivo para o programa do WRC, no qual a marca alemã foi campeã com seu modelo Polo em 2013 e lidera o campeonato deste ano.

O site informa, também, que o próximo alvo da Peugeot Sport será Giniel De Villiers, que representa a Toyota. Isto se Sébastien Loeb não for convencido a enfrentar o desafio, o que tornará o time um dos mais fortes da história do Dakar.

Escândalo: caminhão de assistência do Rali Dakar traficava cocaína

13930673937391

RIO DE JANEIRO – Um caminhão de assistência do Rali Dakar foi usado para tráfico de drogas. O veículo da equipe espanhola Epsilon foi detido na França, no porto de Le Havre, no Canal da Mancha, na maior apreensão de narcóticos da história daquele país: ele levava nada menos que 1,4 tonelada de cocaína, escondida nos jogos de pneus que estavam na parte de carga do caminhão-assistência que viajaria a caminho da Espanha, sede da escuderia que disputou o evento no último mês de janeiro na América do Sul e saiu de Valparaíso, no Chile, rumo à Europa.

Foram detidas também cinco pessoas – dois búlgaros, que a polícia suspeita serem os ‘cabeças’ do tráfico de cocaína – e três espanhóis, entre eles o chefe de equipe David Oliveras, que disputou algumas vezes o Rali Dakar como piloto, tendo conseguido o 8º lugar geral na categoria dos caminhões, em 2010.

Segundo o portal do jornal “El Mundo”, a justiça chilena já abriu uma investigação para apurar em que circunstâncias o caminhão que acompanhara todo o Rali Dakar conseguiu sair do porto de Valparaíso carregado com tanta droga.

A carga é avaliada em € 270 milhões, cerca de US$ 371 milhões. Trocando em miúdos, R$ 872,5 milhões na nossa moeda. É dinheiro pra burro…

Depois dessa, será muito difícil que a equipe Epsilon volte a disputar o Rali Dakar. Alguém tem dúvidas quanto a isso?

Adendo: segundo o bróder Dú Cardim, não é novidade o envolvimento de veículos de apoio com tráfico no Rali Dakar. Em 2010, um caminhão de apoio foi igualmente apreendido com uma carga de 800 kg de cocaína, afora 15 mil pílulas de ecstasy, uma boa quantidade de haxixe e armas. A carga ilegal saiu da Argentina e tinha como destino o balneário de Ibiza – mas acabou apreendida pela polícia em Bilbao, nos países bascos. Na época, sete envolvidos na operação foram presos.

Karginov confirma primeiro título nos caminhões

21-b

RIO DE JANEIRO – O exército russo volta a sobressair no Rali Dakar entre os caminhões, os “monstros” do deserto. Com seu Kamaz 4326, o piloto Andrey Karginov, ao lado dos tripulantes IAndrey Mokeev e Igor Devyatkin conquistou o quinto título para a marca em seis provas disputadas na América do Sul. Foi também o primeiro troféu para Karginov na classificação geral.

A vitória no último dia de prova, nos 157 km entre La Serena e Valparaíso, foi do Tatra da trinca formada por Ales Loprais, Serge Bruynkens e Radim Pustejovsky, com o segundo lugar conquistado por Gerard De Rooy, Tom Colsoul e Darek Rodewald. Na trilha, bem que a trinca do Iveco “bicudo” fez sua parte e conseguiu reduzir a diferença para os rivais – insuficiente, porém, para virar o jogo. Karginov e cia. chegaram em 7º lugar e a diferença entre eles foi a menor deste Rali Dakar – apenas 3min11seg.

A categoria dos caminhões foi a que apresentou o melhor índice técnico: 50 dos 82 “brutos” que largaram em Rosário no dia 5 de janeiro terminaram a competição em Valparaíso.

Classificação na 13ª etapa La Serena-Valparaíso:

1º Loprais/Bruynkens/Pustejovsky (Tatra) – 2h17min37seg
2º De Rooy/Colsoul/Rodewald (Iveco) – 2h20min02seg
3º Nikolaev/Yakovlev/Rybakov (Kamaz) – 2h20min30seg
4º Stacey/Ruf/Der Kinderen (Iveco) – 2h21min59seg
5° Adua/Marco Alcayna/Torres (Iveco) – 2h22min02seg
6º Viazovich/Neviarovich/Haranin (MAZ) – 2h23min30seg
7º Karginov/Mokeev/Devyatkin (Kamaz) – 2h24min16seg
8º Sotnikov/Mizyukaev/Aferin (Kamaz) – 2h25min08seg
9º Vasilievski/Kazlouski/Zaparoschanka (MAZ) – 2h25min18seg
10º Shibalov/Amatych/Khisamiev (Kamaz) – 2h25min50seg

Classificação Final:

1º Karginov/Mokeev/Devyatkin – 55h00min28seg
2º De Rooy/Colsoul/Rodewald – 55h03min39seg
3º Nikolaev/Yakovlev/Rybakov – 56h35min20seg
4º Sotnikov/Mizyukaev/Aferin – 58h22min38seg
5º Shibalov/Amatych/Khisamiev – 59h37min53seg
6º Loprais/Bruynkens/Pustejovsky – 60h04min29seg
7º Stacey/Ruf/Der Kinderen – 60h15min25seg
8º Kuipers/Torrallardona/Van der Vaet – 61h31min36seg
9º Van Vliet/Pronk/Klein – 62h07min21seg
10º Vila Roca/Colomé Roqueta/Van Eerd – 62h54min03seg