ASO oficializa a rota do Rali Dakar 2015

parcours-carte

RIO DE JANEIRO – No último dia 1º de abril, a Amaury Sports Organisation (ASO), responsável pelo Rali Dakar, oficializou o percurso completo para a edição do evento em 2015, marcada para passar em três países da América do Sul – Argentina, Chile e Bolívia – em formato “laço”, com partida e chegada na capital Buenos Aires.

Após o levantamento feito pelo braço direito David Castera, o diretor de percurso do evento, Etienne Lavigne, o homem-forte do Dakar, fez o comunicado lá mesmo em Buenos Aires, onde o evento terá início em 4 de janeiro.

Serão 13 etapas e 14 dias de provas, com o formato inédito adotado de dois dias diferentes de descanso. Pilotos e navegadores de carros e caminhões terão o dia 10 de janeiro de 2015 como um dia de pausa nas trilhas. Já a jornada para pilotos de motos e quadriciclos será dia 12. Tudo em Iquique, no Chile.

Vamos ao percurso oficial do Rali Dakar 2015:

Largada promocional – 3 de janeiro
Buenos Aires (Plaza de Mayo)

1º dia – 4 de janeiro
Buenos Aires-Villa Carlos Paz (Córdoba)

2º dia – 5 de janeiro
Villa Carlos Paz (Córdoba)-San Juan

3º dia – 6 de janeiro
San Juan-Chilecito

4º dia – 7 de janeiro
Chilecito-Copiapó

5º dia – 8 de janeiro
Copiapó-Antofagasta

6º dia – 9 de janeiro
Antofagasta-Iquique

7º dia – 10 de janeiro
Iquique (descanso carros/caminhões); Iquique-Uyuni (motos/quads)

8º dia – 11 de janeiro
Iquique-Uyuni (carros/caminhões); Uyuni-Iquique (motos/quads)

9º dia – 12 de janeiro
Iquique (descanso motos/quads); Uyuni-Iquique (carros/caminhões)

10º dia – 13 de janeiro
Iquique-Calama

11º dia – 14 de janeiro
Calama-Salta

12º dia – 15 de janeiro
Salta-Termas de Río Hondo

13º dia – 16 de janeiro
Termas de Río Hondo-Rosario

14º dia – 17 de janeiro
Rosario-Buenos Aires

ASO anuncia percurso do Rali Dakar 2015

parcours-carte

RIO DE JANEIRO – A sétima edição do Rali Dakar em território sul-americano já tem percurso conhecido. A Amaury Sports Organisation (ASO) anunciou hoje em Paris, na França, a rota da maior competição off-road do planeta. Tal como neste ano, os competidores passarão por Argentina, Bolívia e Chile – mas com substanciais mudanças em relação a 2014.

A começar que a largada volta à capital da Argentina. Buenos Aires recebe os veículos das quatro categorias em disputa – carros, motos, caminhões e quadriciclos – com a largada promocional marcada para 3 de janeiro em frente à Casa Rosada, sede do governo, na Praça de Maio. O Rali Dakar propriamente dito inicia no dia seguinte e vai até 17 de janeiro.

Desta vez, a ASO programou quatro etapas em solo boliviano – neste ano foram apenas duas especiais no país governado por Evo Morales – no que indica um maior investimento deles na passagem do Rali Dakar naquele território. Em 2015, ao contrário do que aconteceu na última edição, carros e caminhões vão fazer trechos cronometrados na Bolívia.

E como parte de uma nova rota, a organização anunciou também a separação do chamado Rest Day, o dia de descanso, em duas partes. Carros e caminhões numa ocasião (10 de janeiro), motos e quadriciclos noutra (dois dias depois). A ASO também bateu o martelo quanto à realização de etapas maratona. Haverá especiais do gênero para todas as categorias, desta vez.

Após a passagem por Iquique, os competidores sobem rumo ao norte do Chile e depois atravessam a Bolívia de volta ao território argentino. A chegada será também em Buenos Aires.

A equipe da organização, chefiada por David Castera, vai começar o trabalho de levantamento de percurso e em breve será revelada a rota definitiva do Rali Dakar 2015, que terá cerca de 9 mil km percorridos em duas semanas no território sul-americano.

Última hora: ASO pune Gordon, Al-Attiyah e Carlos Sainz

MOTORSPORT -  DAKAR 2014 PART 1

RIO DE JANEIRO – Terminada a 5ª especial do Rali Dakar entre Chilecito e San Miguel de Tucumán nos carros, os homens da Amaury Sports Organisation (ASO) anunciaram uma punição de acréscimo de tempo para três duplas.

Nasser Al-Attiyah/Lucas Cruz Senra, Robby Gordon/Kellon Walch e Carlos Sainz/Timo Göttschalk foram ‘premiados’ com 60 minutos a mais no tempo total deles no ranking, por furarem o checkpoint número #5, de acordo com informações que começaram a circular há poucos instantes.

A punição é um rude golpe, especialmente para Sainz, que já vinha de um péssimo resultado e para Gordon, que tinha como objetivo recuperar o imenso tempo perdido no início. Al-Attiyah baixa para 5º na classificação geral, deixando o argentino Orly Terranova como o novo vice-líder a 31min46seg de Nani Roma, com Stéphane Peterhansel subindo para terceiro e Giniel De Villiers para quarto.

Sainz baixa de sexto para nono com a punição e Gordon, que vinha em 19º no ranking, cai para vigésimo-terceiro lugar.