Giancarlo Martini (1947-2013)

Giancarlo-Martini-630x300

RIO DE JANEIRO – O último piloto da história que esteve a bordo de uma Ferrari particular na Fórmula 1 agora está no andar de cima: morreu nesta terça-feira o italiano Giancarlo Martini, aos 65 anos de idade. Ele era tio do ex-piloto Pier Luigi Martini.

Giancarlo, aliás e a propósito, foi a primeira aposta do seu xará Minardi, que na década de 70 iniciava no automobilismo como dono de equipe. Em 1976, para ser mais exato, Minardi conseguiu junto à Ferrari um modelo 312T, do ano anterior, para disputar algumas corridas com a Scuderia Everest, de sua propriedade. Foram dois eventos extracampeonato: a Race Of Champions, disputada em Brands Hatch e o Graham Hill International Trophy, em Silverstone.

A estreia de Martini e da Scuderia Everest deveria ter acontecido no dia 14 de março daquele ano. Giancarlo conseguiu o 15º tempo entre 16 participantes na corrida de Brands, mas bateu na chamada warm up lap e não pôde competir. O carro foi reconstruído para o evento do dia 11 de abril, onde Martini largou e chegou em décimo.

E depois disto, nem a Scuderia Everest e muito menos Giancarlo Martini foram vistos novamente na Fórmula 1. Só nos anos 80, Giancarlo Minardi mudaria o nome do time para o seu sobrenome, quando começou a construir modelos de Fórmula 2 com motores BMW.

Martini, que deixou esposa e três filhos, teve seu falecimento lembrado inclusive no site oficial da Ferrari, que ofereceu suas condolências à família do italiano, cuja carreira durou entre 1972 e 1979, com direito ao título da Fórmula Italia, uma categoria de base de monopostos, em 1973.