ASO oficializa a rota do Rali Dakar 2015

parcours-carte

RIO DE JANEIRO – No último dia 1º de abril, a Amaury Sports Organisation (ASO), responsável pelo Rali Dakar, oficializou o percurso completo para a edição do evento em 2015, marcada para passar em três países da América do Sul – Argentina, Chile e Bolívia – em formato “laço”, com partida e chegada na capital Buenos Aires.

Após o levantamento feito pelo braço direito David Castera, o diretor de percurso do evento, Etienne Lavigne, o homem-forte do Dakar, fez o comunicado lá mesmo em Buenos Aires, onde o evento terá início em 4 de janeiro.

Serão 13 etapas e 14 dias de provas, com o formato inédito adotado de dois dias diferentes de descanso. Pilotos e navegadores de carros e caminhões terão o dia 10 de janeiro de 2015 como um dia de pausa nas trilhas. Já a jornada para pilotos de motos e quadriciclos será dia 12. Tudo em Iquique, no Chile.

Vamos ao percurso oficial do Rali Dakar 2015:

Largada promocional – 3 de janeiro
Buenos Aires (Plaza de Mayo)

1º dia – 4 de janeiro
Buenos Aires-Villa Carlos Paz (Córdoba)

2º dia – 5 de janeiro
Villa Carlos Paz (Córdoba)-San Juan

3º dia – 6 de janeiro
San Juan-Chilecito

4º dia – 7 de janeiro
Chilecito-Copiapó

5º dia – 8 de janeiro
Copiapó-Antofagasta

6º dia – 9 de janeiro
Antofagasta-Iquique

7º dia – 10 de janeiro
Iquique (descanso carros/caminhões); Iquique-Uyuni (motos/quads)

8º dia – 11 de janeiro
Iquique-Uyuni (carros/caminhões); Uyuni-Iquique (motos/quads)

9º dia – 12 de janeiro
Iquique (descanso motos/quads); Uyuni-Iquique (carros/caminhões)

10º dia – 13 de janeiro
Iquique-Calama

11º dia – 14 de janeiro
Calama-Salta

12º dia – 15 de janeiro
Salta-Termas de Río Hondo

13º dia – 16 de janeiro
Termas de Río Hondo-Rosario

14º dia – 17 de janeiro
Rosario-Buenos Aires

ASO anuncia percurso do Rali Dakar 2015

parcours-carte

RIO DE JANEIRO – A sétima edição do Rali Dakar em território sul-americano já tem percurso conhecido. A Amaury Sports Organisation (ASO) anunciou hoje em Paris, na França, a rota da maior competição off-road do planeta. Tal como neste ano, os competidores passarão por Argentina, Bolívia e Chile – mas com substanciais mudanças em relação a 2014.

A começar que a largada volta à capital da Argentina. Buenos Aires recebe os veículos das quatro categorias em disputa – carros, motos, caminhões e quadriciclos – com a largada promocional marcada para 3 de janeiro em frente à Casa Rosada, sede do governo, na Praça de Maio. O Rali Dakar propriamente dito inicia no dia seguinte e vai até 17 de janeiro.

Desta vez, a ASO programou quatro etapas em solo boliviano – neste ano foram apenas duas especiais no país governado por Evo Morales – no que indica um maior investimento deles na passagem do Rali Dakar naquele território. Em 2015, ao contrário do que aconteceu na última edição, carros e caminhões vão fazer trechos cronometrados na Bolívia.

E como parte de uma nova rota, a organização anunciou também a separação do chamado Rest Day, o dia de descanso, em duas partes. Carros e caminhões numa ocasião (10 de janeiro), motos e quadriciclos noutra (dois dias depois). A ASO também bateu o martelo quanto à realização de etapas maratona. Haverá especiais do gênero para todas as categorias, desta vez.

Após a passagem por Iquique, os competidores sobem rumo ao norte do Chile e depois atravessam a Bolívia de volta ao território argentino. A chegada será também em Buenos Aires.

A equipe da organização, chefiada por David Castera, vai começar o trabalho de levantamento de percurso e em breve será revelada a rota definitiva do Rali Dakar 2015, que terá cerca de 9 mil km percorridos em duas semanas no território sul-americano.

Loprais vence tardiamente nos caminhões e Karginov aumenta pressão em De Rooy

Ales+Loprais+Radim+Pustejovsky+Dakar+Rally+765rgzA0Lknl

RIO DE JANEIRO – O terreno difícil na 10ª etapa do Rali Dakar, com muita areia, favoreceu alguns caminhões em detrimento de outros e os Tatra, fabricados na República Tcheca, conseguiram enfim se destacar na competição. Tanto que a vitória na especial entre Iquique e Antofagasta foi para o Tatra Queen 69 de Ales Loprais/Serge Bruynkens/Radim Pustejovsky, completando o percurso em 5h10min55seg. Este resultado elevou a tripulação ao 4º lugar na classificação geral.

A disputa pelo título está cada vez mais acirrada nos “monstros”, posto que Andrey Karginov e cia. chegaram hoje em segundo a apenas 37 segundos dos vencedores, e com quase seis minutos de vantagem para Gerard De Rooy e parceiros. Com 13 minutos de diferença entre os dois na véspera e a defasagem de hoje, o holandês do Iveco “bicudo” lidera ainda – só que com 7min55seg de vantagem apenas.

Edouard Nikolaev, já sem chances de repetir o feito de 2013, quando foi o campeão do Rali Dakar, chegou em quarto, seguido por Siarhei Viazovich, da Bielorússia. Nas demais posições, terminaram Anton Shibalov com mais um Kamaz, Rene Kuipers num MAN, o francês Joseph Adua e o holandês Hans Stacey, ambos com Iveco e na 10ª posição chegou Wuifert Van Ginkel num Ginaf.

Classificação na 10ª etapa Iquique-Antofagasta:

1º Loprais/Bruynkens/Pustejovsky (Tatra) – 5h10min55seg
2º Karginov/Devyatkin/Mokeev (Kamaz) – 5h11min32seg
3º De Rooy/Colsoul/Rodewald (Iveco) – 5h17min05seg
4º Nikolaev/Yakovlev/Rybakov (Kamaz) – 5h24min52seg
5º Viazovich/Neviarovich/Haranin (MAZ) – 5h39min26seg
6º Shibalov/Amatych/Khisamiev (Kamaz) – 5h46min17seg
7º Kuipers/Torrallardona/Van der Vaet (MAN) – 6h04min35seg
8º Adua/Marco Alcayna/Torres (Iveco) – 6h06min20seg
9º Stacey/Ruf/Der Kinderen (Iveco) – 6h06min44seg
10º Van Ginkel/Kupper/Van Donkelaar (Ginaf) – 6h14min22seg

Classificação Geral:

1º De Rooy/Colsoul/Rodewald – 41h54min50seg
2º Karginov/Devyatkin/Mokeev – 42h02min45seg
3º Nikolaev/Yakovlev/Rybakov – 43h24min18seg
4º Loprais/Bruynkens/Pustejovsky – 43h58min05seg
5º Sotnikov/Mizyukaev/Aferin – 44h42min38seg
6º Stacey/Ruf/Der Kinderen – 45h58min44seg
7º Shibalov/Amatych/Khisamiev – 46h04min53seg
8º Kuipers/Torrallardona/Van der Vaet – 46h29min57seg
9º Vila Roca/Colomé Roqueta/Van Eerd – 47h54min13seg
10º Adua/Marco Alcayna/Torres – 48h38min57seg

Al-Attiyah ganha mais uma nos carros e Peterhansel se aproxima ainda mais de Roma

t_104169_o-catariano-nasser-al-attiyah-venceu-a-10-etapa-dos-carros-no-rali-dakar-2014-fotofranck-fife

RIO DE JANEIRO – A Mini domina amplamente o Rali Dakar e venceu mais uma especial, a 10ª da competição, entre Iquique e Antofagasta. Desta vez, quem chegou na frente e era todo sorrisos no fim da especial foi o príncipe Nasser Al-Attiyah. O piloto do Catar completou o trecho cronometrado em 4h23min35seg, com vantagem de quase quatro minutos para Stéphane Peterhansel.

O francês, normalmente solícito com a imprensa internacional, saiu sem falar com ninguém ao deixar o Mini #300 na chegada em Antofagasta. Foi direto para as tendas da Mini e não conversou sobre a etapa do dia. Nem ele e nem Nani Roma, outro que tem cada vez menos motivos para sorrir.

Terceiro colocado na etapa a 13min45seg de Al-Attiyah, o espanhol e seu copiloto Michel Périn tiveram que lutar contra a areia fofa e as dunas do percurso para poder seguir em frente. Isto custou caro à dupla e Roma/Périn lideram com somente 2min15seg para Peterhansel/Cottret. Quem acompanha o Rali Dakar sabe que a vantagem do líder para o rival e companheiro de equipe era superior a meia hora. Já não há mais dúvidas de que o jogo pode virar a favor de “Peter” na 11ª etapa, entre Antofagasta e El Salvador.

A lamentar: a desistência de Carlos Sainz/Timo Göttschalk. A dupla do buggy SMG construído na França sofreu um acidente de razoáveis proporções e tiveram que abandonar, após vencerem duas das nove especiais anteriores à desta quarta-feira. Sainz sofreu algumas escoriações e cortes superficiais no acidente, mas “El Matador” no geral se encontra bem. Uma pena que a disputa agora esteja restrita apenas a Mini e Toyota no âmbito dos construtores.

Por falar em Toyota, novamente o sul-africano Giniel De Villiers fez boa figura com seu Hilux, completando a especial em quarto lugar, a quase meia hora do primeiro colocado. O polonês Krzyzstof Holowczyc chegou em quinto com mais um Mini All4Racing, adiante do russo Vladimir Vasilyev e do argentino Orly Terranova, o melhor sul-americano na categoria.

Muito atrás na classificação geral, Lucio Álvarez ainda conseguiu um bom 9º lugar com seu Ford Ranger, superando mais um argentino, Federico Villagra. O francês Ronan Chabot, no único SMG restante, chegou em oitavo.

Uma má notícia: os brasileiros Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, únicos que permaneciam na disputa até o momento, abandonaram o Rali Dakar. Ainda não temos informação sobre o que aconteceu com a dupla do Mitsubishi ASX #310.

Classificação na 10ª etapa Iquique-Antofagasta:

1º Nasser Al-Attiyah/Lucas Cruz Senra (Mini) – 4h23min35seg
2º Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret (Mini) – 4h27min25seg
3º Nani Roma/Michel Périn (Mini) – 4h37min20seg
4º Giniel De Villiers/Dirk Von Zitzewitz (Toyota) – 4h51min50seg
5º Krzyzstof Holowczyc/Konstantin Zhiltsov (Mini) – 4h54min48seg
6º Vladimir Vasilyev/Vitaly Yevtekhov (Mini) – 4h56min57seg
7º Orly Terranova/Paulo Fiuza (Mini) – 4h57min23seg
8º Ronan Chabot/Gilles Pillot (SMG) – 5h05min15seg
9º Lucio Álvarez/Bernardo Graue (Ford) – 5h06min36seg
10º Federico Villagra/Jorge Pérez-Companc (Mini) – 5h08min41seg

Classificação Geral:

1º Roma/Périn – 38h52min57seg
2º Peterhansel/Cottret – 38h55min12seg
3º Al-Attiyah/Cruz Senra – 39h38min58seg
4º De Villiers/Von Zitzewitz – 40h07min13seg
5º Terranova/Fiuza – 40h07min33seg
6º Holowczyc/Zhiltsov – 42h10min28seg
7º Dabrowski/Czachor – 42h56min54seg
8º Lavieille/Garcin – 43h25min42seg
9º Malysz/Marton – 43h44min00seg
10º Kaczmarski/Palmeiro – 44h26min51seg

Karginov vence, convence e ameaça De Rooy nos caminhões

MOTORSPORT -  DAKAR 2014 PART 2

RIO DE JANEIRO – A ameaça é real: Andrey Karginov cresce nos retrovisores do holandês Gerard De Rooy (metaforicamente falando, é claro), no que se refere à briga pela liderança geral do Rali Dakar nos caminhões. Na etapa entre Calama e Iquique, o piloto do Kamaz #503 conseguiu uma vantagem de quase 20 minutos sobre o rival do Iveco Torpedo “bicudo”, o que reduz de forma dramática a vantagem do líder geral na categoria.

De Rooy será, a exemplo de Nani Roma, um homem sob pressão. Ele tem agora apenas 13min28seg de vantagem sobre Karginov e cia., o que torna a 10ª especial que se realizará entre Iquique e Antofagasta fundamental para suas pretensões quanto a mais um título na competição.

Edouard Nikolaev completou a etapa em 3º lugar, a mais de 28 minutos de Karginov e apenas um segundo abaixo do tempo de Dmitry Sotnikov, a grande revelação deste Rali Dakar nos “monstros”. Ales Loprais foi o quinto e o bielorusso Viazovich apareceu em sexto com seu MAZ.

Marcel Van Vliet, que continua em espiral descendente na classificação, foi o 7º colocado da etapa, seguido por Anton Shibalov (Kamaz), Jo Adua (Iveco) e Martin Van den Brink (Ginaf).

Classificação na 9ª etapa Calama-Iquique:

1º Karginov/Mokeev/Devyatkin (Kamaz) – 4h58min09seg
2º De Rooy/Colsoul/Rodewald (Iveco) – 5h17min16seg
3º Nikolaev/Yakovlev/Rybakov (Kamaz) – 5h26min56seg
4º Sotnikov/Mizyukaev/Aferin (Kamaz) – 5h26min57seg
5º Loprais/Bruynkens/Pustejovsky (Tatra) – 5h38min14seg
6º Viazovich/Neviarovich/Haranin (MAZ) – 5h39min57seg
7º Van Vliet/Pronk/Klein (MAN) – 5h39min57seg
8º Shibalov/Amatych/Khisamiev (Kamaz) – 6h08min39seg
9º Adua/Marco Alcayna/Torres – 6h09min34seg
10º Van den Brink/Willemsen/Veenvliet (Ginaf) – 6h12min45seg

Classificação Geral:

1º De Rooy/Colsoul/Rodewald – 36h37min45seg
2º Karginov/Mokeev/Devyatkin – 36h51min13seg
3º Nikolaev/Yakovlev/Rybakov – 37h59min26seg
4º Sotnikov/Mizyukaev/Aferin – 38h10min52seg
5º Loprais/Bruynkens/Pustejovsky – 38h47min10seg
6º Stacey/Ruf/Der Kinderen – 39h52min00seg
7º Van Vliet/Pronk/Klein – 40h10min57seg
8º Shibalov/Amatych/Khisamiev – 40h18min36seg
9º Kuipers/Torrallardona/Van der Vaet – 40h25min22seg
10º Vila Roca/Colomé Roqueta/Van Eerd – 41h25min53seg

Husseini fatura nos quads e Casale segue na ponta

938721-15500550-640-360

RIO DE JANEIRO – O holandês radicado nos Emirados Árabes Unidos Sebastian Husseini conseguiu enfim uma vitória numa especial do Rali Dakar após oito etapas de grandes contratempos. A bordo de sua Honda TRX700, o piloto completou os 442 km entre Calama e Iquique em 5h46min01seg, mas a desvantagem dele ainda é grande demais para sonhar com título e principalmente com pódio.

O chileno Ignácio Casale continua liderando na geral, mas a etapa não foi das melhores para o piloto, que enfrentou um furo de pneu e conseguiu, apesar do problema, se recuperar e manter a vantagem para o uruguaio Sergio Lafuente. A diferença entre Husseini e o sul-americano foi de quase 25min na trilha, um recorde alcançado em qualquer edição do Dakar desde 2010.

Rafal Sonik foi o terceiro na etapa, a 32 segundos de Casale, com Lafuente logo a seguir, em quarto. Victor Gallegos, outro chileno que vem em ascensão no Rali Dakar, colecionou mais um top 5, resultado que o deixa em 7º na geral. Mohammad Abu-Issa chegou em sexto, seguido por Sergey Karyakin, Walter Nosiglia, Jeremías Gonzalez Ferioli e Santiago Hansen.

A italiana Camelia Liparoti completou a especial em 14º lugar e está em décimo-quinto na geral, a inacreditáveis 37h17min36seg de Ignácio Casale.

Classificação na 9ª etapa Calama-Iquique:

1º Sebastian Husseini (Honda) – 5h46min01seg
2º Ignácio Casale (Yamaha) – 6h10min59seg
3º Rafal Sonik (Yamaha) – 6h11min31seg
4º Sergio Lafuente (Yamaha) – 6h11min58seg
5º Victor Manuel Gallegos (Honda) – 6h19min11seg
6º Mohammad Abu-Issa (Honda) – 6h30min44seg
7º Sergey Karyakin (Yamaha) – 6h34min39seg
8º Walter Nosiglia (Honda) – 6h37min47seg
9º Jeremías Gonzalez Ferioli (Yamaha) – 6h52min51seg
10º Santiago Hansen (Yamaha) – 7h22min19seg

Classificação Geral:

1º Ignácio Casale – 45h50min48seg
2º Sergio Lafuente – 46h13min27seg
3º Rafal Sonik – 46h17min36seg
4º Sebastian Husseini – 48h58min39seg
5º Mohammad Abu-Issa – 52h59min12seg
6º Jeremías Gonzalez Ferioli – 55h22min13seg
7º Victor Manuel Gallegos – 56h01min19seg
8º Daniel Mazzucco – 57h50min31seg
9º Mauro Almeida – 59h43min10seg
10º Walter Nosiglia – 60h01min31seg

Peterhansel ataca, vence e quebra recorde histórico

27-b

RIO DE JANEIRO – Stéphane Peterhansel já é um nome histórico no Rali Dakar. Onze vezes vencedor da prova, seis vezes em motocicletas e cinco nos carros, o francês de 48 anos teoricamente não tem mais nada a provar. Ledo engano: hoje, Peterhansel e seu navegador Jean-Paul Cottret mostraram que ainda têm muito a mostrar para os fãs do evento e principalmente aos seus rivais diretos na briga pela liderança geral.

Com o triunfo da 9ª etapa nesta terça-feira, realizada entre Calama e Iquique, lutando contra as dunas do Atacama, o local mais inóspito do continente sul-americano, Peterhansel superou o recorde histórico de vitórias em especiais: ele chegou a 64 triunfos no Dakar, contra 63 do “czar” russo Vladimir Chagin, sete vezes campeão da prova nos caminhões.

E tem mais: o francês faz com que a vida de Nani Roma se transforme num autêntico pesadelo. Toda a pressão vai recair sobre os ombros do espanhol e de seu copiloto Michel Périn, que não terão mais o direito de errar. Em três dias, a vantagem da dupla decaiu de pouco mais de meia hora para 12 minutos. Uma diferença que hoje não dá mais margem a erros. Roma foi extremamente conservador depois do Rest Day e pode pagar caro por essa estratégia.

Hoje, a dupla do Mini #304 chegou em terceiro a 11min36seg de Peterhansel/Cottret, com Nasser Al-Attiyah/Lucas Cruz Senra cumprindo o estágio na segunda colocação a 2min17seg dos vencedores. Foi um dia de domínio completo para os carros do construtor britânico, pois tivemos sete Mini All4Racing entre os dez primeiros, contra três Toyota Hilux.

Carlos Sainz, único a desafiar o domínio vigente dos carros com motor biturbo diesel, começou o dia largando em terceiro e no quarto checkpoint, o espanhol e seu navegador Timo Göttschalk já apareciam com a segunda marca, atrás de Peterhansel/Cottret. Porém, uma falha mecânica no buggy francês SMG com tração 4×2 fez “El Matador” despencar na classificação, o que certamente lhe custará a possibilidade de terminar entre os cinco melhores ao fim deste Rali Dakar. Sainz completou em 26º na etapa, a 1h56min04seg de Peterhansel.

A dupla brasileira formada por Guilherme Spinelli/Youssef Haddad cumpriu uma boa especial, tendo bom desempenho e figurando constantemente entre os dez primeiros até o nono checkpoint. Perderam fôlego com seu Mitsubishi ASX no fim do trecho cronometrado e acabaram em 14º lugar, com a marca de 5h09min17seg. Como Sainz/Göttschalk completaram a especial, a dupla brasileira bateu na trave no top ten, ocupando a 11ª posição geral e quarto na categoria para veículos 4 x 4 movidos a gasolina atrás dos três Toyota.

Classificação da 9ª etapa Calama-Iquique:

1º Stéphane Peterhansel/Jean-Paul Cottret (Mini) – 4h17min53seg
2º Nasser Al-Attiyah/Lucas Cruz Senra (Mini) – 4h20min10seg
3º Nani Roma/Michel Périn (Mini) – 4h29min29seg
4º Orly Terranova/Paulo Fiuza (Mini) – 4h32min07seg
5º Giniel De Villiers/Dirk Von Zitzewitz (Toyota) – 4h40min50seg
6º Adam Malysz/Rafal Marton (Toyota) – 4h59min26seg
7º Krzyzstof Holowczyc/Konstantin Zhiltsov (Mini) – 5h00min10seg
8º Federico Villagra/Jorge Pérez-Companc (Mini) – 5h00min57seg
9º Vladimir Vasilyev/Vitaly Yevtekhov (Mini) – 5h02min52seg
10º Marek Dabrowski/Jacek Czachor (Toyota) – 5h03min58seg

Classificação Geral:

1º Roma/Périn – 34h15min37seg
2º Peterhansel/Cottret – 34h27min47seg
3º Terranova/Fiuza – 35h10min10seg
4º Al-Attiyah/Cruz Senra – 35h15min23seg
5º De Villiers/Von Zitzewitz – 35h15min23seg
6º Holowczyc/Zhiltsov – 37h15min40seg
7º Dabrowski/Czachor – 37h36min24seg
8º Sainz/Göttschalk – 37h44min04seg
9º Lavieille/Garcin – 38h12min09seg
10º Malysz/Barton – 38h13min09seg