Rebellion vai à guerra

dagys_-2014_260650RIO DE JANEIRO – Dia de montagem do paddock para as 6 Horas de Spa-Francorchamps, que acontecem neste sábado. Dia, também, da apresentação oficial do novo protótipo Rebellion R-One, que chega para competir na categoria LMP1 em substituição ao velho Lola B12/60, que deixa as pistas após bons serviços prestados ao time suíço.

Com desenho muito mais próximo dos atuais modelos da principal divisão de protótipos, o Rebellion R-One foi concebido no atelier da francesa Oreca, em Magny-Cours. Os carros não ficaram prontos a tempo da primeira corrida do WEC, em Silverstone, mas o trabalho foi rápido e após dois testes dinâmicos em Paul Ricard, num total de cinco dias apenas, a equipe aprontou os dois protótipos para correr na Bélgica.

dagys_-2014_260646Por enquanto, o R-One não tem a concorrência do Lotus T129. O prometido carro que vai disputar o WEC na subdivisão LMP1-L para protótipos sem sistemas híbridos de recuperação de energia ainda não estreou. Uma única foto é tudo o que temos deste bólido. Testes de pista, zero. Tomara que não seja um engodo…

O lançamento oficial contou com cinco dos seis pilotos da Rebellion, porque o italiano Andrea Belicchi pegou um voo atrasado para a Bélgica. Mas ele estará ao volante do carro #13 nos treinos livres, ao lado de Dominik Kraihamer e Fabio Leimer. O #12 terá a condução de Nicolas Prost, Mathias Beche e Nick Heidfeld.

Anúncios

Com estreia marcada para Spa, Rebellion R-One faz primeiro teste na França

R_One_SPS7544_160414

RIO DE JANEIRO – Às vésperas da abertura do Mundial de Endurance (WEC) em Silverstone, a Rebellion Racing fez o primeiro shakedown do novo protótipo do time suíço com base na Inglaterra: o Rebellion R-One com motor Toyota percorreu seus primeiros quilômetros em Paul Ricard, na França, com Mathias Beche a bordo.

Devido ao pouco tempo hábil para preparar o bólido a tempo de estrear nas 6 Horas de Silverstone, os helvéticos optaram pelo seguro: com a anuência da FIA, conseguiram autorização para alinhar neste fim de semana o velho Lola B12/60 com que disputaram as duas últimas temporadas do Mundial. Será a corrida de aposentadoria definitiva do carro construído em Huntingdon, pois a partir de Spa-Francorchamps, em maio, os pilotos do time de Alexandre Pesci e Barth Hayden vão dispor do carro construído nas modernas instalações da Oreca, vizinhas a Magny-Cours, também na França.

O novo Rebellion R-One vai à pista pela primeira vez exatos 363 dias após os primeiros ‘rabiscos’ de concepção do protótipo visando seu desenvolvimento para 2014. À primeira vista, ainda no carbono, o carro tem um visual muito agressivo na seção dianteira, repleta de defletores e com uma espécie de deriva marcando dois níveis numa frente bastante proeminente. A tomada de ar é central, acima do habitáculo e as laterais têm desenho bastante peculiar. Os engenheiros da Oreca procuraram otimizar a parte aerodinâmica do carro para torná-lo, de saída, o mais competitivo entre os protótipos LMP1 sem vínculo com equipes de fábrica.

Rebellion terá Heidfeld e Beche no WEC

RIO DE JANEIRO – Uma das duas únicas equipes previstas para disputar a LMP1-L, subdivisão da classe principal de protótipos do Mundial de Endurance (WEC) para carros não-oficiais e sem sistemas híbridos, a Rebellion Racing anunciou nesta terça-feira a renovação do contrato do alemão Nick Heidfeld e do suíço Mathias Beche para o ano de 2014.

Nick+Heidfeld

Heidfeld, que vinha colaborando em eventos esporádicos com o time helvético que tem sede na Inglaterra, agora vai ter a missão de disputar o WEC a tempo inteiro. O piloto de 36 anos tem nove provas com a Rebellion no currículo – cinco no Mundial e as demais na American Le Mans Series, tendo vencido a Petit Le Mans ano passado e conquistado o 3º lugar nas 6 Horas de São Paulo. Em Sarthe, seu melhor resultado é um quarto lugar, em 2012.

152324714_640

Beche, quase uma década mais jovem que Heidfeld, disputou todo o campeonato do ano passado pelo time dirigido por Barth Hayden, terminando o Mundial de Pilotos da LMP1 em 5º lugar com 63 pontos e dois pódios – embora o de Fuji não deva ser levado a sério, posto que a corrida só teve 14 voltas. O piloto ainda encontrou tempo de colaborar com a Thiriet by TDS Racing no ELMS. Chegou em 6º lugar entre os pilotos e ajudou a escuderia de Xavier Combet a ser vice-campeã, com apenas oito pontos a menos que a campeã Signatech-Alpine.

Os dois juntam-se a Nicolas Prost num dos trios que guiará o novo Rebellion R-One, carro que é desenvolvido no atelier da Oreca, na França, para receber o motor Toyota RKV8LM de 3,4 litros de capacidade cúbica. A equipe, que perdeu Neel Jani para a Porsche no meio do ano passado, não definiu ainda quem serão os integrantes do segundo carro.

“Foi uma decisão lógica renovar com Beche e Heidfeld. A equipe inteira queria que eles continuassem, os pilotos estão satisfeitos. Logo, optamos pela estabilidade para o nosso trabalho ter sequência da forma que desejamos”, explicou Hayden.

A Rebellion terá, ao que tudo indica, somente a Lotus-Kodewa como única adversária na LMP1-L, já que a Onroak Automotive não deu garantias de que seu protótipo LMP1 Coupé ficaria pronto a tempo de estrear a partir do primeiro semestre deste ano. O novo carro ficou para 2015.

Boas notícias para o WEC: Rebellion volta a ter dois carros em 2014

RIO DE JANEIRO – Com o fim da LMP1 na American Le Mans Series e o investimento maciço na construção de um novo carro, em parceria tecnológica com a francesa Oreca, a Rebellion Racing revela que disputará o World Endurance Championshiop (WEC) do próximo ano com dois protótipos Rebellion R-One. Somados aos carros de Audi, Porsche e Toyota, a principal classe do WEC terá pelo menos oito carros nas pistas em 2014.

2013_ORECA_Technology_Rebellion_R-One

No ateliê da Oreca, o trabalho e intenso e a concepção do carro já teve início. O francês Nicolas Prost, que já renovou contrato para 2014, esteve nas instalações da fábrica em Signes, onde junto aos engenheiros da Rebellion e da própria Oreca, trabalhou em detalhes fundamentais para a pilotagem – especialmente a ergometria, para que nenhum dos tripulantes sinta-se desconfortável e, mais do que tudo, a questão da visibilidade, que sofrerá sutis e importantes mudanças, visando a segurança dos pilotos.

A Rebellion Racing informou que, a princípio, três chassis serão construídos para toda a próxima temporada do WEC. Os dois titulares vão disputar as oito provas do Mundial, incluindo as 24 Horas de Le Mans. O terceiro bólido ficará como carro-reserva, podendo ser utilizado em caso de um acidente grave com um dos titulares.

Sem Neel Jani, que foi para a Porsche, a Rebellion Racing terá que se socorrer de pelo menos um piloto novo para o próximo ano – e logicamente poderão vir outros. Prost é por enquanto o único confirmado para a campanha do time suíço, que disputará a desmembrada LMP1 na divisão Light, para carros sem ERS e pertencentes a escuderias não-oficiais de fábrica.

Oreca: um LMP2 coupé para 2015

2009_LeMans_QuestionsHugues

RIO DE JANEIRO – Informa o site Italiaracing.net que a Oreca vai projetar, desenvolver e comercializar um novo carro para as provas de Endurance a partir de 2015.

Top na classe LMP2, onde seus carros disputam contra os Morgan da Onroak Automotive de Jacques Nicolet e, vá lá, os Lotus desenvolvidos pela ADESS AG da Alemanha, a Oreca de Hughes de Chaunac vai partir para um modelo coupé em substituição ao chassis spyder que estreou em 2010.

Mesmo com os carros atuais da LMP2 sendo homologados até no máximo 2016, a Oreca busca o salto à frente da concorrência. Ciente que a própria ADESS AG já está com um projeto em estudo e o Dome S103 será um carro compatível tanto para os privados da LMP1 como para qualquer cliente da segunda divisão de protótipos, Hughes de Chaunac já anunciou o novo investimento.

Aliás, serão dois anos bem agitados no horizonte da Oreca: além de continuarem como consultores do projeto Toyota LMP1, vão desenvolver e construir para a Rebellion Racing um novo protótipo para o próximo ano – o Rebellion R-One.

Vem aí o Rebellion R-One!

480190_10151671089805428_1249705393_n

RIO DE JANEIRO – Surpresa: a Rebellion Racing terá seu próprio carro no Mundial de Endurance a partir de 2014. Diante da indefinição quanto ao futuro da Lola como construtora e a mudança do regulamento da classe LMP1 a partir do próximo ano, o time helvético apressou-se em anunciar a mudança. E com direito a uma parceria tecnológica de peso: a Oreca é quem vai contribuir para o desenvolvimento do projeto.

“A Oreca está muito satisfeita com a parceria fechada com a Rebellion Racing”, diz Hughes de Chaunac. “É uma equipe que tem demonstrado muito potencial na operação de um LMP1 e tem ambição. Em paralelo ao nosso programa de colaboração com a Toyota Motorsport GmbH, vamos conceber o novo Rebellion e estamos motivados a mostrar que podemos oferecer uma estrutura técnica profissional para esse desafio, que é muito interessante para todos”, afiançou.

“Os novos regulamentos da LMP1 em 2014 tornam a oferecer reais possibilidades de vitória para os times não-oficiais e estamos motivados para atingir esse objetivo. Escolhemos a Oreca para desenvolver e construir o Rebellion R-One porque têm conseguido resultados significativos e construído protótipos com muito sucesso”, disse Barth Hayden, chefe de equipe da Rebellion Racing.

O projeto do novo carro, que continuará com o motor Toyota RV8KLM, ficará sob responsabilidade de Christophe Guibbal. O engenheiro da Oreca sabe que terá que atingir todos os itens básicos do regulamento LMP1 que vigorará a partir de 2014: um protótipo com peso mais baixo, com nova aerodinâmica e que, no caso dos híbridos, terá a limitação do uso de energia e, como todos os carros inscritos na classe, terá que trabalhar com um cálculo rígido de consumo de combustível.

E a temporada do próximo ano começa a ficar deveras interessante: Audi, Porsche e Toyota alinhando como as grandes marcas. HPD, Rebellion e, talvez, Lotus, Perrinn Limited, Dome e OAK Racing com seus próprios projetos. Pois que seja assim.