Fórmula 4: George Russell vence duas na abertura

George Russell crosses the line to take his first F4 win

RIO DE JANEIRO – Bicampeão europeu de Kart, o britânico George Russell, de 16 anos, começou muito bem sua primeira rodada na Fórmula 4 britânica, cuja temporada teve início neste fim de semana em Silverstone, na Inglaterra. Competindo com um monoposto da Lanan Racing, campeã do ano passado com Jake Hughes, ele venceu duas das três baterias disputadas e já começa o campeonato na liderança, com 79 pontos.

Além dele, o único piloto a subir ao pódio duas ou mais vezes nas três baterias da rodada de abertura foi o mexicano Diego Menchaca, 2º colocado na corrida #1 e terceiro na corrida #3. Os resultados fizeram dele o vice-líder após a primeira rodada, treze pontos atrás de Russell. O sul-africano Raoul Hyman, que assim como Menchaca regressa para um segundo ano na F-4, venceu a primeira corrida e sai de Silverstone com a 3ª posição no campeonato.

O indiano Arjun Maini impressionou: foi 2º colocado na corrida #3 e começou bem também sua trajetória na categoria. Está em quarto lugar, seguido por Will Palmer, filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, CEO do certame.

Gustavo Lima, da Hillspeed, teve boa participação na primeira rodada da F-4: o piloto de Brasília conseguiu um 6º lugar na corrida #1 e a quinta posição na corrida #2. Ele tinha sido apenas o 10º colocado na terceira prova, mas subiu para nono com a desclassificação de Sennan Fielding, que provocou uma colisão com o dinamarquês Nicolas Beer. Como efeito, o piloto sai de Silverstone com 45 pontos somados.

DiMauro-32

Estreante na categoria, o jovem Gaetano di Mauro marcou pontos em duas das três provas do fim de semana. Na segunda, acabou por nem completar a primeira volta. Nas demais, fechou em 12º lugar. O piloto da PetroBall Racing está empatado com o companheiro de equipe Dan Roeper, na 15ª posição, somando 18 pontos.

A próxima etapa será no circuito Brands Hatch GP, como evento suporte do Blancpain Sprint Series, nos dias 17 e 18 de maio.

British F-4: 22 carros na abertura em Silverstone

The test took place under clear blue skies

RIO DE JANEIRO – A segunda temporada da Fórmula 4 está prestes a começar. Neste fim de semana, 22 pilotos já inscritos abrem o campeonato no circuito britânico de Silverstone. A mais tradicional de todas as pistas do Reino Unido terá a primeira de oito rodadas triplas sábado e domingo, pelo circuito de 5,891 km de extensão.

Dois brasileiros vão disputar a categoria, que repetirá a mesma fórmula de disputa de 2013, com monopostos construídos pela Van Diemen de Ralph Firman, dotados de motor Ford Duratec com 185 HP de potência e gestão eletrônica Cosworth, transmissão Sadev de 6 marchas e pneus Yokohama. O paulista Gaetano di Mauro, de 17 anos apenas, estreia com a equipe Petroball Racing Limited. Campeão da Sprint Race e do Shifter Kart ano passado, ele também venceu as 500 Milhas de Kart disputadas no Beto Carrero World, em Penha (SC).

Já o brasiliense Gustavo Lima, também de 17 anos, estreia na equipe Hillspeed após fazer sua temporada de estreia no certame pela HHC Motorsport. Gustavo conseguiu um 3º lugar como melhor resultado numa das 24 corridas disputadas ano passado e encerrou o ano em 14º lugar com 233 pontos, à frente de Pietro Fittipaldi, que venceu uma vez, em Brands Hatch. O neto de Emerson Fittipaldi preferiu migrar para a Fórmula Renault e dar prioridade a este certame – já vencendo uma corrida neste ano.

Para este campeonato, poucos pilotos seguem para um segundo ano. Além de Gustavo Lima, o sul-africano Raoul Hyman, o malaio Rahul Raj Mayer, o norueguês Falco Wauer, o mexicano Diego Menchaca e os britânicos Struan Moore e Sennan Fielding são os únicos que continuam na Fórmula 4. Entre as caras novas, chegam Will Palmer, filho mais novo do ex-piloto de Fórmula 1 Jonathan Palmer, CEO da F-4, o bicampeão europeu de kart George Russell, pela Lanan Racing, campeã do ano passado com Jake Hughes e Chris Middlehurst, atual vencedor da Fórmula Renault BARC.

Mais outros três pilotos da América Latina também vão integrar o grid: estreiam neste ano os mexicanos Alfredo Zabalza (Hillspeed) e Rodrigo Fonseca (Douglas Motorsport),e o venezuelano Diego Borrelli, pela Sean Walkinshaw Racing.

Eis a lista de inscritos para a rodada tripla inagural da Fórmula 4:

#2 CHARLIE EASTWOOD IRL
Douglas Motorsport

#3 WILL PALMER GBR
HHC Motorsport

#4 SENNAN FIELDING GBR
HHC Motorsport

#5 GUSTAVO LIMA BRA
Hillspeed

#6 GEORGE RUSSELL GBR
Lanan Racing

#7 RAOUL HYMAN AFS
HHC Motorsport

#9 STRUAN MOORE GBR
Lanan Racing

#10 TOM JACKSON GBR
Chris Dittman Racing

#12 ALFREDO ZABALZA MEX
Hillspeed

#13 MICHAEL CLAESSENS NDL
Mark Goodwin Racing

#16 CHRIS MIDDLEHURST GBR
Mark Goodwin Racing

#21 GAETANO DI MAURO BRA
Petroball Racing Team

#23 JORDAN ALBERT GBR
Sean Walkinshaw Racing

#26 RODRIGO FONSECA MEX
Douglas Motorsport

#27 NICOLAS BEER DEN
Sean Walkinshaw Racing

#36 ARJUN MAINI IND
Lanan Racing

#41 DIEGO BORRELLI VEN
Sean Walkinshaw Racing

#43 DAVID WAGNER GBR
Mark Goodwin Racing

#51 FALCO WAUER NOR
Enigma Motorsport

#61 DAN ROEPER USA
Petroball Racing Team

#68 DIEGO MENCHACA MEX
Douglas Motorsport

#72 RAHUL RAJ MAYER MAL
Hillspeed

Fuoco em Silverstone

FIA Formula 3 European Championship, round 1, Silverstone (GBR)

RIO DE JANEIRO – A Fórmula 3 Europeia começa bem, mesmo. Três corridas, três vencedores diferentes na rodada inaugural em Silverstone. Neste início de domingo de Páscoa, aqui no Brasil, o novato italiano Antonio Fuoco, atual campeão da Fórmula Renault 2.0 Alps, foi o vitorioso da vez. O piloto de 17 anos largou muito bem, superou o pole position Esteban Ocon e venceu de ponta a ponta.

Aliás, cabe uma observação interessante e cito o que o Felipe Giacomelli escreveu via twitter: Fuoco é piloto da Ferrari Driver Academy (FDA) e Esteban Ocon, pole da corrida #3 e vencedor da corrida #2, tem ligações com a Lotus. Mas nenhum deles usa motor Ferrari ou Renault, até porque pelo menos o fabricante italiano nunca se envolveu com a categoria – e sim propulsores Mercedes-Benz.

Hoje um intruso muito bem-vindo deu o ar da graça: filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jos Verstappen, o garoto Max Verstappen, que vem dos karts, fez um corridaço e chegou em 2º com o carro da Mücke Motorsport, que tem motor Volkswagen. Max rapidamente alcançou Ocon e passou o francês com tranquilidade. Mas não conseguiu chegar perto de Fuoco, vencedor por quase cinco segundos de vantagem.

Vencedor da primeira prova do campeonato, o sueco Tom Blomqvist chegou em 6º lugar na corrida #3, atrás ainda de Nicholas Latifi e do italiano Antonio Giovinazzi. Felix Rosenqvist, Lucas Auer, Jordan King e Felix Serrallés completaram o grupo dos 10 primeiros colocados.

O brasileiro Felipe Guimarães, 21º no grid, não passou da primeira volta. Ele se envolveu num incidente com Jake Dennis, da Carlin Motorsport. Gustavo Menezes, que tem sangue brasileiro nas veias, embora seja da Califórnia (EUA), foi o décimo-oitavo apenas.

A próxima rodada tripla do Europeu será nos dias 3 e 4 de maio, como evento suporte do DTM, que fará sua corrida inaugural da temporada 2014.

Blomqvist e Ocon dividem honras na F-3 europeia

4433020140419125018

RIO DE JANEIRO – Duas corridas, dois vencedores diferentes. O sueco Tom Blomqvist e o francês Esteban Ocon dividiram as honras do topo do pódio na abertura da rodada inaugural da Fórmula 3 Europeia no circuito britânico de Silverstone. O filho da lenda do Rali Stig Blomqvist e o novato da Prema ganharam suas corridas com relativa tranquilidade, embora houvesse muita movimentação durante as disputas.

Na corrida #1, inclusive, Ocon mostrou suas credenciais ao terminar num convincente 2º lugar, tornando-se o melhor estreante do fim de semana, em desempenho superior ao do italiano Antonio Fuoco, um de seus companheiros de equipe na Prema. Fuoco chegou em quarto, atrás do britânico Jordan King, atual campeão inglês da categoria. Blomqvist liderou todas as 18 voltas e venceu com 2″107 de vantagem.

Boa prestação do austríaco Lucas Auer, que partiu de 10º e chegou em quinto com o melhor dos três carros da Mücke Motorsport, seguido por Nicholas Latifi, também da Prema. O brasileiro Felipe Guimarães chegou em décimo com o carro da Double R Racing e somou seu primeiro ponto no campeonato.

4433620140419155218

Ocon, pole position para a corrida #2, imitou Tom Blomqvist na prova de abertura do campeonato. Liderou de ponta a ponta, fez a volta mais rápida em 1’52″103, e venceu com mais de três segundos e meio de vantagem para Nicholas Latifi. Antonio Fuoco chegou ao seu primeiro pódio e Blomqvist foi o quarto.

Após abandonar logo na primeira volta da corrida inaugural, o holandês Max Verstappen, filho do ex-piloto de Fórmula 1 Jos Verstappen, chegou em 5º, seguido por Jordan King. Felipe Guimarães ficou fora dos pontos – foi o 11º colocado, a meio segundo do sueco John Bryant-Meisner.

Resultado final da corrida #1:

1 – Tom Blomqvist (Dallara-VW) – Carlin – 18 voltas em 36’31″379
2 – Esteban Ocon (Dallara-Mercedes) – Prema – 2″107
3 – Jordan King (Dallara-VW) – Carlin – 3″052
4 – Antonio Fuoco (Dallara-Mercedes) – Prema – 4″624
5 – Lucas Auer (Dallara-Mercedes) – Mucke – 8″504
6 – Nicholas Latifi (Dallara-Mercedes) – Prema – 11″287
7 – Felix Serralles (Dallara-Mercedes) – West Tec – 12″447
8 – Edward Jones (Dallara-VW) – Carlin – 13″578
9 – Felix Rosenqvist (Dallara-Mercedes) – Mucke – 14″131
10 – Felipe Guimarães (Dallara-Mercedes) – Double R – 17″708

Resultado final da corrida #2:

1 – Esteban Ocon (Dallara-Mercedes) – Prema – 18 voltas em 33’53″215
2 – Nicholas Latifi (Dallara-Mercedes) – Prema – 3″678
3 – Antonio Fuoco (Dallara-Mercedes) – Prema – 5″148
4 – Tom Blomqvist (Dallara-VW) – Carlin – 9″264
5 – Max Verstappen (Dallara-VW) – Van Amersfoort – 11″237
6 – Jordan King (Dallara-VW) – Carlin – 11″914
7 – Edward Jones (Dallara-VW) – Carlin – 19″293
8 – Antonio Giovinazzi (Dallara-VW) – Carlin – 20″649
9 – Denis Van de Laar (Dallara-Mercedes) – Prema – 21″877
10 – John Bryant-Meisner (Dallara-Mercedes) – Fortec – 23″533

Em final sensacional, Thiriet by TDS Racing vence na abertura do ELMS

tdswin

RIO DE JANEIRO – A abertura do European Le Mans Series (ELMS) não podia ter tido uma corrida melhor do que a realizada neste sábado. Grid cheio, com 37 carros, muitas disputas e um final espetacular, com três competidores brigado pela vitória nos últimos cinco minutos de uma corrida com quatro horas de duração.

Ao fim de 118 voltas, a Thiriet by TDS Racing, campeã da categoria em 2012 e vice no ano passado, levou a melhor na estreia do protótipo Morgan Nissan do time dirigido por Xavier Combet. Tristan Gommendy “atropelou” nos últimos quilômetros e deixou para trás o Oreca Judd da Race Performance, com Michel Frey a bordo e o carro da Newblood by Morand Racing, que era conduzido pelo suíço Gary Hirsch. Gommendy cruzou com apenas 3″828 de vantagem para o 2º colocado, uma diferença escassa para uma corrida relativamente longa.

A movimentada corrida teve liderança inicial do Team Jota, cujo Zytek Z11SN Nissan largou na pole position. Filipe Albuquerque dominou as primeiras 23 voltas com grande autoridade e entregou o carro a Simon Dolan, que cumpriu com correção o seu turno de pilotagem e vinha na primeira posição após o reposicionamento devido às paradas de box para reabastecimento, troca de pneus, revezamento de pilotos e eventuais reparos.

Na altura da 98ª volta, quando o time já preparava a entrada do britânico Harry Tincknell para o stint final, Dolan foi surpreendido pela Ferrari F458 GTE de Duncan Cameron/Matt Griffin/Michele Rugolo, que não lhe deu espaço numa manobra de ultrapassagem – sendo que o carro italiano era retardatário e, logicamente, muito mais lento. Dolan perdeu o controle do seu protótipo, pegou pela proa o Morgan Judd #50 da Larbre Competition, então guiado por Gustavo Yacamán e os dois carros colidiram. O britânico não conseguiu evitar o forte choque do #38 com o muro de proteção, o que provocou a única intervenção do Safety Car. Felizmente, Dolan só sofreu o susto e o impacto da pancada, que provocou alguns danos materiais no carro do time.

Na relargada, o carro #34 de Michel Frey e Franck Mailleux comandou a prova, até ser ultrapassado, a cinco minutos do fim, pelo Morgan que recebeu a quadriculada na primeira posição. Tristan Gommendy, que dirigiu no último turno, superou o compatriota e também Gary Hirsch, nos instantes finais da competição.

s1_1 (17)

O Zytek #41 da Greaves Motorsport guiado por Tom Kimber-Smith/Chris Dyson/Matt McMurry teve boa atuação: chegou em 4º lugar, seguido pelo Alpine A450 da Signatech, campeã do ano passado e guiado por Nelson Panciatici/Oliver Webb/Paul-Loup Chatin. Os estreantes James Littlejohn e Anthony Wells, completados por James Walker no #28 da Greaves, não comprometeram e terminaram em 6º, na mesma volta dos vencedores.

Na LMGTE, vitória da AF Corse: apesar do contratempo que tirou o Zytek do Team Jota, o carro #55 de Duncan Cameron/Matt Griffin/Michele Rugolo recebeu a quadriculada após completar 112 voltas em 9º na geral, seguido pelo #72 da SMP Racing, que largara na pole position. Boa performance de Andrea Bertolini e seus parceiros Sergey Zlobin e Viktor Shaitar. Inclusive, os dois russos dão “duplo expediente” no fim de semana, pois também correrão na prova do FIA WEC neste domingo.

O pódio da divisão foi completado pelo Porsche #76 da IMSA Performance Matmut, em excelente corrida de Nicolas Armindo/Raymond Narac/David Hallyday. Pierre Kaffer e os Talkanitsa pai e filho chegaram em 4º lugar, secundados por Daniel Zampieri/Daniel McKenzie/George Richardson, da JMW Motorsport e por Marco Cioci/Michael Lyons/Piergiuseppe Perazzini.

Fabién Barthez, aquele mesmo que foi goleiro da seleção francesa campeã na Copa de 1998, completou em 7º lugar com a Ferrari do Team SOFREV-ASP, guiada também por Anthony Pons e Soheil Ayari. Uma penalização stop & go por queima de largada de Pons impediu, inclusive, que o trio terminasse entre os cinco primeiros colocados.

s1_1 (16)

Na LMGTC, o Team Ukraine conseguiu uma importante vitória: o carro guiado por Andrii Krugyk/Sergey Chukanov/Alessandro Pier Guidi completou a disputa em 18º na geral, a nove voltas dos vencedores na geral. Ironicamente, o carro #73 da SMP Racing guiado por Devi Markozov/Olivier Beretta/Anton Ladygin chegou em segundo – digo ironicamente, porque todo mundo sabe da briga entre Rússia e Ucrânia pela Crimeia e o quanto isto tem afetado o esporte como um todo. A 3ª posição de pódio foi da Formula Racing, graças a Mikkel Mac Jensen/Johnny Laursen/Jan Magnussen.

Após a “trifeta” Ferrari, as demais posições foram ocupadas pelo Team Russia by Barwell, com BMW Z4 GT3, pela McLaren #99 da ART Grand Prix e pelo Audi R8 LMS Ultra da Sébastien Loeb Racing.

Próxima prova: 4 Horas de Imola, dia 18 de maio, no Autódromo Enzo e Dino Ferrari.

Resultados completos do ELMS aqui.

F-3 europeia: tudo pronto para a abertura do campeonato

RIO DE JANEIRO –  Doze equipes, quase 30 pilotos, quatro motores diferentes. A Fórmula 3 Europeia, que assistiu em 2013 à sua revitalização e o surgimento de novos talentos para o automobilismo internacional, pretende seguir os mesmos preceitos neste ano. O campeonato que se inicia neste fim de semana, em Silverstone, como parte da programação do FIA WEC, mescla pilotos que fizeram bonito na categoria ano passado e permanecem como naturais favoritos a outros que vêm das mais variadas origens e certames.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)

Nicholas Latifi é um dos mais experientes nomes da Fórmula 3 para este ano

Campeã ano passado com Raffaele Marciello, a Prema Powerteam tem uma das formações mais fortes desta temporada. Além de contar com o canadense Nicholas Latifi, oriundo da rival Carlin, a equipe italiana aposta nos novatos Esteban Ocon, francês de 17 anos e em Antonio Fuoco, atual campeão da Fórmula Renault ALPS. Quem completa o esquadrão é o holandês Dennis Van de Laar, que vem da holandesa Van Amersfoort.

A Mücke Motorsport mantém o vice-campeão de 2013, o sueco Felix Rosenqvist, que larga talvez como o grande favorito, pelo desempenho mostrado no último ano. Sobrinho de Gerhard Berger, o austríaco Lucas Auer permanece na categoria após um ano razoável de estreia pela Prema. Roy Nissany, de Israel, entra como mero figurante.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Com patrocínio do Racing Steps Foundation, Jake Dennis chega à F-3 após boa campanha na F-Renault europeia

Os britânicos da Carlin optaram por um time 100% composto por súditos da rainha a bordo de seus três Dallara com motor Volkswagen. Campeão da F-3 britânica, Jordan King é o líder natural do time, que tem ainda Ed Jones, vitorioso do Euro F-3 Open e o novato Jake Dennis, 4º colocado no Europeu de Fórmula Renault.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Riccardo Agostini volta à F-3 pela Eurointernational

Com experiência anterior na categoria, Riccardo Agostini volta aos monopostos da F-3 após competir parcialmente na AutoGP e na World Series by Renault. Completando 20 anos neste fim de semana, o italiano lidera a equipe Eurointernational, do veterano Antonio Ferrari, ao lado de dois novatos: Michele Beretta e Santino Ferrucci – que apesar do nome e sobrenome italianíssimo corre com bandeira dos EUA.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)

O carro #12 do espanhol Alexander Toril estreia os novos motores NBE, do mago da preparação Neil Brown

A Fortec Motorsports, outra tradicional equipe da categoria, mantém o sueco John Bryant-Meisner, tido como promessa, ao lado do australiano Mitch Gilbert, ex-Mücke. E uma das novidades é a estreia dos motores NBE na Fórmula 3 Europeia. Sigla para Neil Brown Engineering, esses propulsores são o regresso do preparador dos vitoriosos motores Mugen-Honda à categoria. Richard Goddard e Alexander Toril são os pilotos que irão guiar os Dallara da Three Bond with T-Sport, com os novos motores.

O brasileiro Felipe Guimarães, de 23 anos, volta ao automobilismo europeu após dominar a Fórmula 3 sul-americana ano passado. 4º colocado na F-3 inglesa, que disputou em paralelo com o certame continental extinto em 2014, Felipe entra no Europeu pela equipe Double R Racing, que um dia já foi de Kimi Räikkönen e Steve Robertson – e pela qual já correram pilotos feito Mike Conway e Álvaro Parente, por exemplo. Mas hoje o dono do time é o antigo engenheiro de Bruno Senna, Anthony “Boyo” Hieatt – e a Double R não é mais tão forte quanto antigamente.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Sangue brasileiro, cidadania americana: Gustavo Menezes, nascido na Califórnia, estreia na F-3 europeia pela Van Amersfoort Racing

Os holandeses da Van Amersfoort ampliam a estrutura dos dois carros de 2013 para três neste ano, apostando em três caras novas: Max Verstappen, filho do antigo piloto de Fórmula 1 Jos Verstappen é uma atração – já que mostrou muita velocidade nos testes de pré-temporada realizados na Hungria e na Áustria. O compatriota Jules Szymowiak e o estadunidense Gustavo Menezes, que é filho de brasileiro, completam o time.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)Antonio Giovinazzi é um dos três nomes da equipe DMS-Investama, em parceria com a britânica Carlin

A Jo Zeller Racing continua no Europeu com um esquema praticamente familiar. Com um cockpit ainda disponível, o antigo piloto de F-3 alinha um carro para o filho Sandro, de 22 anos. Não devem fazer frente às principais forças da categoria. A Carlin, já citada anteriormente, terá um time “B” com bons pilotos: o italiano Antonio Giovinazzi, o indonésio Sean Gelael e o sueco Tom Blomqvist, filho do craque do Rali Stig Blomqvist.

FIA Formula 3 European Championship Test Red Bull Ring Spielberg (A)O colombiano Óscar Tunjo é um dos novos valores da categoria. Ele e Tatiana Calderón vão correr com motores Renault na volta da Signature à F-3

Os britânicos da West-Tec sobem para o Europeu após a participação no F-3 Euro Open, com modelos mais antigos que os Dallara F312 do certame continental. Como novidade, Hector Hurst junta-se ao experiente portorriquenho Felix Serrallés. E, por fim, a temporada 2014 marca o retorno da Signature à categoria, com motores Renault/Oreca. Como parte do acordo entre o time de Philippe Sinault e a Régie, a equipe terá pilotos do programa júnior da marca, ambos colombianos: Óscar Tunjo, de 18 anos, conquistou um bom 6º lugar no Europeu de Fórmula Renault. Ele terá a companhia de Tatiana Calderón, 21 anos, única mulher da categoria desta vez.

As provas do Europeu de Fórmula 3 continuam no mesmo padrão do ano passado. Três corridas por fim de semana, com duração máxima de 35 minutos. Os pilotos entram na pista de Silverstone para dois treinos de classificação que definem o grid da seguinte forma: a melhor volta de cada piloto corresponde às posições de largada da corrida #1 e a segunda passagem mais rápida forma o grid da corrida #3. As posições do grid da corrida #2 são definidas no segundo treino classificatório. Cada sessão tem duração de 20 minutos cada, com cinco minutos de intervalo entre elas.

Nos treinos livres, os pilotos podem passar dois sets de pneus novos ou um jogo de compostos usados. Nas qualificações e corridas, são três sets de pneus novos à disposição. Em finais de semana com chuva, a organização oferece três jogos de pneus. Os motores também têm restrições: a mesma unidade propulsora tem que ser utilizada em duas corridas consecutivas.

As atividades de pista da Fórmula 3 em Silverstone estão assim definidas, com horários já convertidos para o fuso brasileiro. Na Inglaterra, são quatro (e não três) horas a mais.

Sexta-feira, 18 de abril:

5h – Treino livre #1 (40 minutos)
5h45 – Treino livre #2 (35 minutos)
9h40 – Treino classificatório – corrida #1 e corrida #3 (20 minutos)
13h40 – Treino classificatório – corrida #2 (20 minutos)

Sábado, 19 de abril:

6h20 – Corrida #1 (35 minutos)
9h20 – Corrida #2 (35 minutos)

Domingo, 20 de abril:

5h15 – Corrida #3 (35 minutos)