Wilson Fittipaldi, o Barão (1920-2013)

RIO DE JANEIRO – Triste notícia para começar a semana: morreu nesta madrugada, aos 92 anos, o radialista Wilson Fittipaldi, o Barão, pai dos pilotos Wilson Fittipaldi Jr. e Emerson Fittipaldi, avô do também piloto Christian Fittipaldi.

Embora a família tenha pedido para não divulgar a causa mortis do Barão, sabia-se que ele estava internado havia duas semanas no CTI do Copa D’Or, na zona sul do Rio de Janeiro, com a informação de que ele enfrentava problemas respiratórios.

Nascido em Santo André e descendente de italianos, da região de Basilicata, Wilson Fittipaldi trabalhou dezenas de anos na Rádio Panamericana (depois rebatizada Jovem Pan), além de promover e organizar inúmeras corridas de carros e motos no Brasil. Numa das 24 Horas de motocicletas, em que resolveu participar em 1953, narrando e comentando ao mesmo tempo, sofreu um acidente que quase o tirou da vida. Sobreviveu para implementar as Mil Milhas Brasileiras, cuja ideia vinha da Mille Miglia Italiana e também para fundar a Confederação Brasileira de Automobilismo, com Raymond Von Buggenhout.

Recentemente, quando a CBA completou 50 anos, um ainda lúcido Barão surpreendeu no discurso após a homenagem que a entidade fizera a ele nos salões do Copacabana Palace, cobrando atitude dos dirigentes sobre o Autódromo de Jacarepaguá. Lamentavelmente as palavras do fundador não foram levadas a sério.

Wilson narrou os dois títulos mundiais de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1 e o primeiro, conquistado em 1972, tem uma das narrações mais emocionantes de todos os tempos. Você pode ouvi-la neste vídeo abaixo, do YouTube.

Ao Barão, esteja onde estiver a partir de agora, o meu, o seu, o nosso muito obrigado por tudo o que fez pelo esporte a motor no Brasil.

Anúncios